Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Jornalzinho do ponci nº 3

136 views

Published on

Jornal Educativo

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Jornalzinho do ponci nº 3

  1. 1. 1 JORNALZINHO DO PONCI Rio Real, junho de 2017 Nº 03 Feliz São João! Festa Junina: origem e tradição Comemorar o mês de junho é um hábito antigo em várias partes do mundo. Antes do nascimento de Jesus, os povos pagãos do Hemisfério Norte celebravam o solstício de verão, o dia mais longo e a noite mais curta do ano, que, lá, acontece em junho. As festas ocorriam para pedir aos deuses a fertilidade da terra e garantir boas colheitas nos meses seguintes. Com o avanço do Cristianismo, a Igreja incorporou a tradição e, no sé- culo 6, os ritos da festa do dia do solstício, em 21 de junho, passaram para o dia do nasci- mento de São João Batista, em 24 de junho. Mais tarde, no século 13, foram incluídas no calendário litúrgico as datas comemorativas de Santo Antônio (dia 13) e São Pedro (dia 29). É por isso que esses três santos são os padroeiros das festas juninas! · Santo Antônio, o casamenteiro: Nasceu em Lisboa, em 1195, e foi batizado com o nome Fernando de Bulhões. Em 1220, trocou o nome para Antônio, ingressando na Ordem Franciscana. Padroeiro dos pobres e considerado o santo casamenteiro, também é invocado para achar objetos perdidos. · São João Batista, protetor dos doentes: Diz a Bíblia que foi ele quem batizou Jesus. É o mais famoso dos três santos de junho, tan- to que as festas juninas são conhecidas como festas joaninas ou festas de São João. É pro- tetor dos casados e enfermos, protegendo contra dor de cabeça e de garganta. · São Pedro, dono da chuva: Nascido com o nome de Simão, foi chamado de Cefas (pedra, em aramaico) por Jesus, por sua liderança. É visto como o primeiro papa da Igreja, e, segundo a tradição católica, foi nomeado chaveiro do céu. É atribuída a ele a responsabilidade de fazer chover e mudar o clima.
  2. 2. 2 Bolo de milho INGREDIENTES 1 lata de milho verde com água e tudo 1/2 lata da mesma de óleo 1 lata da mesma de açúcar 1/2 lata da mesma de fubá 4 ovos 2 colheres bem cheias de farinha de trigo 2 colheres de coco ralado 1 colher e 1/2 de chá bem cheia de fermento em pó MODO DE PREPARO Bata bastante todos os ingredientes no liquidifica- dor, depois bem batido acrescente o coco ralado e o fermento e misture, coloque para assar Pode colocar na forma redonda de buraco e na quadrada, a forma deverá ser untada e enfarinhada O tempo de preparo na redonda é mais rápido, mas a receita fica menor, para aumentar faça 2 vezes O bolo fica parecendo pamonha, bem cremoso, fica uma delícia! Leve ao forno preaquecido a 180ºC por, aproxima- damente, 40 minutos Você sabia? Que quando um gato se apoia em você com a cabeça, ele está mostrando confiança. O beija-flor é o único pássaro que pode voar de frente, de costas e até mesmo de ponta cabeça. Comemoração do dia das mães realizada na nossa esco- la. Momento celebrado com mães e corpo docente. Foi uma tarde muito especial com recepção calorosa, brin- cadeiras, lanche especial e distribuição de brindes.
  3. 3. 3 Agradecemos à direção, coordenação, e principal- mente, aos alunos do 7º ano b v pelo apoio a esta produção. Kauanny 12/06/2005 7º b v Romário 18/06/2004 7º b v João Wilton 23/06/2003 8º b v Amanda Laís 26/06/2005 6º c v Alisson Jailton 26/06/2003 6º d v Laiane 28/06/2006 6º c v Maria Fernanda 28/06/2001 7º b v A atividade, Escravos de Jó, realizada com a turma do 7º ano b v, sob responsabilidade do professor Nino, é um jogo infantil de cantiga de roda de origem africana. O mesmo teve como objetivo a realização do trabalho em grupo, além de desenvolver a coordenação motora, per- cepção, agilidade, ritmo, raciocínio, lógica, dentre outros aspectos e valências físicas fundamentais para o desenvol- vimento cognitivo dos educandos. Beleza do sertão Quanta lanterna acesa Ver a natureza Embelezar o sertão Se tem fogueira acesa Pode ter certeza A noite é de São João. Luiz Gonzaga Chegou a Hora da Fogueira Chegou a hora da fogueira! É noite de São João... O céu fica todo iluminado Fica o céu todo estrelado Pintadinho de balão... Pensando na cabocla a noite intei- ra Também fica uma fogueira Dentro do meu coração... Lamartine Babo Hora da poesia DICA
  4. 4. 4 As brincadeiras sempre fizeram parte de nossa vida , e no período junino elas costumavam ser levadas muito a sério na escola, pois nessa época de São João , a escola costumava promover essas brincadeiras como parte da festa, era muito divertido! E para não deixar essa tradição desaparecer, nosso jornal trouxe alguns exemplo de brincadeiras que podem ser feitas na festa junina da escola e também em outros momentos. Divirta-se!
  5. 5. 5 1ª semana de junho, semana do meio ambiente "Todos querem o perfume das flores, mas poucos sujam suas mãos para cultiva-las". A Escola José Ponciano, com a Direção de Irene Nasci- mento, vice Diretora Denise Maria, Coordenador Rober- to Prazeres, Sec. Fernanda, Professores e Orientado- res: Gerson, Adalci, Gildete, promoveu na manhã de sexta-feira (02/06/17) uma trilha ecológica no povoa- do Mata Verde com o objetivo de vivenciar atividades práticas em relação ao meio ambiente e conscientiza- ção da necessidade da nossa contribuição enquanto cidadãos. Participaram dessa trilha 120 alunos das turmas do 6° e 7° ano. O instrutor Técnico da Secretaria de Agronegócio e Meio Ambiente, Guedes, acompanhou os alunos.
  6. 6. 6 Feliz São João Quando chegava o mês de junho era aquela alegria... A es- cola enfeitada, as crianças ansiosas, os adultos contando os di- as para a grande festa de São João... As famílias na espera dos entes queridos que moravam na capital e que certamente che- gariam para comemorar com os que ficaram no interior, mui- tas comidas típicas, roupas coloridas, e a fogueira que esquen- taria as conversas no decorrer da noite. Tenho tantas lembranças maravilhosas daquele tempo que se eu fosse descrever aqui precisaria de dezenas de páginas, po- rém vou resumir nessas poucas palavras. É uma pena que os festejos juninos não sejam mais tão esperados como outrora, vejo que boa parte das pessoas parece ter esquecido de como era gostoso comemorar esse período, Na minha rua, por exemplo, os vizinhos se reuniam para comprar as bandeirolas que iriam enfeitar toda rua, dava um trabalhão danado, porém todos ajudavam e isso se tornava uma grande festa nos fins de tarde. Quanto mais perto chegava o dia da grande festa de São João a rua se enchia de ex- moradores que agora viviam na capital e entravam na farra pa- ra montar as fogueiras, algumas até ficavam prontas dias antes da grande noite. Nós, as crianças, ficávamos ansiosas mesmo era pelos fo- gos que nossos pais haviam prometido o semestre inteiro. Tudo era muito bom, as comidas, as brincadeiras... Tenho tanta saudade daquele tempo , tanto de ser criança quanto de viver aqueles momentos, a noite de São João parecia uma noite mágica, mais estrelada que as outras, mais quente com o calor das fogueiras e mais intensa por conta das famílias reunidas. Por: João Paulo Orrico

×