Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Evolução histórica do comércio

6,528 views

Published on

COMERCIO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Published in: Economy & Finance
  • Be the first to comment

Evolução histórica do comércio

  1. 1. Pólo: Palmares Curso: Licenciatura em Geografia Componente curricular: Geografia da indústria e dos serviços Professor(a) Formador: Camila Correia Data: 15/04/2014 Nome do(a) Estudante: Risomar Patrícia Gomes da Silva COMERCIO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO. RESUMO De uma forma geral, o comercio sempre foi o ponto de encontro de culturas entre países e pessoas. Em todo o mundo, em qualquer lugar, sua evolução tem se dado todos esse anos por meio das tendências e momentos do mundo, sempre alavancado pela expectativa dos consumidores cada vês mais atraídos pela excelência e profissionalismo, com uma demanda de um mercado vertiginosamente globalizado e integrado, entre economias e setores. Neste sentido este artigo tem por finalidade descrever a evolução histórica do comércio, dando ênfase a historicidade dos fatos até as tendências dos mercados futuros além de apresentar a diferença do setor de serviços nos países desenvolvidos e subdesenvolvidos e a hipertrofia do setor terciário. Palavras Chave: Comércio, setor terceirizado, desenvolvido e subdesenvolvido. Introdução Do inicio da idade moderna até o século XVIII, a maior fonte geradora de riqueza era o comercio. Tudo o que pudesse ser vendido com muito lucro se transformava em mercadoria, desde as especiarias até escravos, o que gerou MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
  2. 2. um grande acumulo de capital. Esse acumulo de capital foi sem duvida importante para o inicio da revolução industrial. Na atualidade o comercio é visto como a troca de bens e serviços com a finalidade de obter lucro financeiro (dinheiro), porém viajando ao passado quando milhares de europeus realizaram expedições militares(cruzadas) em busca da terra santa (Palestina) com o objetivo de recupera-la o que não foi possível os cristões foram expulsos do Oriente.Com isso, provocou-se o inicio de grandes mudanças comercializando suas especiarias entre a Europa e Oriente. Vemos que inicialmente a economia ocorria pelo escambo, pela troca diretas de objetos esse primitivo sistema de troca que aparentava ser fácil e eficiente no decorrer do tempo mostrou-se ser ineficiente, haja vista que, ele evidenciou inúmeros inconvenientes, até os produtores chegarem a um acordo exato entre o valor de um produto e outro os produtores poderiam gastar muito tempo na troca. No período colonial as relações comerciais se intensificaram de tal forma que houve a necessidade de ter uma matéria prima de troca universal foi então que a economia de escambo evoluiu para o monetário, na qual o produtor passou a produzir seus excedentes para vende-los, foi a partir dai que começou a comercialização mais intensa com o surgimento da moeda, iniciando assim o ciclo comercial. Os principais tipos de comércio que foram surgindo para atender as necessidades dos consumidores cada vez mais exigente serão apresentado neste artigo de forma cronológica. Armazénsgerais Segundo Karina (2012) na fase colonial americana, os pioneiros que migravam para o Oeste norte-americano tinham necessidades de muitas mercadorias para suas atividades de desbravadores e colonizadores. Foi neste período que surgiu os armazéns gerais, o comércio ocorria tanto a dinheiro quanto pelo escambo. Os armazéns gerais estavam situados em pontos principais como nos caminhos das caravanas e estações ferroviárias, Os pedidos dos comerciantes
  3. 3. eram feitos por “caixeiros-viajantes” que após organizar os pedidos eram despachados e isto, podia durar meses até a encomenda chegar aos postos comercial. Conforme as cidades foram surgindo e o comércio se ampliando, outras necessidades por parte dos consumidores foram aparecendo, o desejo de diversificação e estilos mais sofisticados de roupas, sapatos e objetos para casa, tendenciosamente foram surgindo,intensificando o comércio. Comercialização por catálogos De acordo com Karina (2012) para atender a demanda crescente e as oportunidades de negócios, surgiram os fatores tecnológicos. Nos Estados Unidos da América se originou ao sistema postal norte-americano que deu impulso a um novo tipo de comercialização de produtos, a comercialização por catálogos e encomendas postais. Em seguida veio ás lojas especializadas, com um ar de mais sofisticação, unindo fatores tecnológicos e de prática profissional. Especialização do varejo Uma variedade de produtos era comercializada começaram a surgir a lojas de departamento. Mediante ao crescimento populacional das comunidades e diante de novas necessidades, houve uma adequação do comércio que, entre tantas mudanças, incorporou novas formas de efetuar o atendimento à clientela. Deu- se inicio ao processo de especialização, de segmentação. Surgiu, então, a “grocery store”, um modelo de loja dedicada apenas à venda de alimentos. Esse tipo de comércio, semelhante à mercearia ou armazém que conhecemos no Brasil, era praticado em pequenas lojas onde os produtos eram comercializados a granel. A loja disponibilizava produtos que atendiam às necessidades alimentares dos habitantes da cidade e utilizava o balcão para separar o cliente do dono e das mercadorias.
  4. 4. Revolução Industrial Com a expectativa da atividade comercial e visando elevar seus lucros, a burguesia investiu na ampliação do mercado consumidor e em melhorias nas técnicas de produção. As novas técnicas e as novas máquinas desenvolvidas promoveram transição de uma produção artesanal para a maquinofatura. O processo de mudança ocorrido no sistema de produção, na organização do espaço geográfico e nas condições de trabalho foi denominada evolução industrial. Graças ao advento da revolução industrial que se deu em meados do século XIX, e consequentemente o crescimento das cidades as diferentes necessidades da população, a adequação das indústrias para a produção de produtos mais específicos e os diferentes tipos de lojas ampliando a disputa pelo consumidor estabeleceram um ciclo que possibilitou ao comércio exercer suas funções de equalização e distribuição dos bens de consumo. Dai em diante encontrasse um comércio modernizado com supermercados, Shopping centers, lojas de descontos, Varejo sem loja e vending machines. A partir dai o cliente faz as compras sozinho com varias opções além de ter a comodidade de poder fazer isso diretamente de sua casa com apenas um clique o cliente pode ter acesso ao comércio eletrônico. As diferenças do setor de serviço nos países desenvolvidos e subdesenvolvido Quando se fala das diferenças sócio econômica dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos entendemos que os países ricos possuem um alto padrão de vida e organização econômica sofisticada enquanto que os países pobres mascara alguns tipos de problemas econômicos, geralmente é burocrático e apresenta grande índice de desemprego e subdesemprego. A qualidade de serviços nesses países também se apresentam de forma distintas, nos países desenvolvidos há um alto padrão social, o consumidor conhece seus direitos e exige produtos de alta qualidade, e os países subdesenvolvidos busca a sobrevivência, pois o nível de investimento em industrias são extremamente baixos até pelo fato de não possuírem tecnologia
  5. 5. de ponta como ocorre em países ricos, por exemplo, a agricultora nos países pobres ainda se dá de forma sedimentar usando muita mão de obra nos serviços primários. Nos países subdesenvolvidos industrializados ou emergentes o setor que vem ganhando destaque é o terciário. Como a pouca mão de obra, ou melhor, pessoas especializadas no setor terciário vem tendo o aumento cada vez mais crescente de pessoas participando de atividades pouco produtivas com atividade informais, como as faxineiras, cabelereiras, manicures, diaristas entre outros esses trabalhadores vem aquecendo o merca formal no entanto não usufruem dos mesmo diretos que no emprego formal, esse processo de crescimento do setor informal é denominado de hipertrofia. hipertrofia do serviço terciário, ou seja, aumento cada vez crescente de pessoas participando de atividades pouco produtivas ( trabalho informal ) O setor terciário evoluiu com as atividades urbano industriais que a partir do século XIX posicionou a economia europeia. Vivemos em uma sociedade pós – industriais, e os serviços avançados em uma direção que configura assim o espaço dentro de outro espaço. Conclusão O comércio sempre teve a força de levar os homens para fora de suas aldeias, para entender isso foi preciso viajar no tempo para então entender como se deu a evolução e a dinâmica do comercio. Em geral, o comercio como todo, desde o tempo das rotas comerciai até os tempos atuais sempre foi fruto de uma verdadeira metamorfose em seu logo período histórico, este fato pode ser comprovado pela diversidade de atuação no mercado. Hoje há um leque de empresas de todos os tipos, setores e produtos, prontas para satisfazerem o gosto das mais diversificadas culturas. Todos os dias acontecem inúmeros negócios de compra e venda e as mercadorias passam por diferentes partes do planeta, hoje a relação comercial
  6. 6. entra países tornou-se mais fácil graças ao processo da globalização que permitiu a integração comercial em todo o mundo. Em meio a evolução comercial surgirão alguns setores que vem se sobrepondo a outros como é o caso do setor terciário que do ponto de vista quantitativo vem crescendo consideravelmente passando o setor primário. O setor terciário representa 50% da geração de emprego no mundo isso em países desenvolvido é bom porque a mão de obra é qualificada e os empregados tem seus direitos trabalhistas enquanto que em países subdesenvolvido o serviço é informal o que causa preocupação pelo fatos dos trabalhadores não usufruírem de tais direito. É preciso um olhar mais adiante e perceber que esses trabalhadores informais também aquece a economia forma e que assim como os formais tem direitos trabalhista, para que a evolução continue é preciso por em praticas politicas publicas que acoberte esse novo setor que vem crescendo a cada dia. Referencias bibliográficas Disponível em:<http://jurisfacultas.webnode.com.br/news/evolu%C3%A7%C3%A3o- historica-do-comercio/> Acessado em: 14 abril, 2014. Disponível em:<http://revista.fcat.edu.br/index.php/path/article/view/10>Acessado em: 14 abril, 2014. Disponível em:<http://www.brasilescola.com/historia/historia-do-comercio.htm> Acessado em: 15 abril, 2014. Disponível em:<http://ecommerce-gbi.blogspot.com.br/2006/11/origem-do- comrcio-moderno.html>Acessado em: 15 abril, 2014. Disponível em:<http://pt.slideshare.net/professormario/o-setor-tercirio-da- economia> Acessado em 15 abril, 2014.
  7. 7. Disponível em :<www.institutocidadeviva.org.br/inventarios/.../oscaminhosantigos>Aceessado em 15 abril, 2014. Disponível em:<C:UsersrisoDesktopAuxiliar-de-Operações-em- Logística.pdf> Acessado em: 15 abril, 2014. Disponível em:<http://revista.fcat.edu.br/index.php/path/article/view/10/12> Acessado em: 15 abril, 2014. 2º O que são fatores locacionais das indústrias e quais as mudanças que vem ocorrendo neste padrão de localização? Por que? Os fatores locacionais são fatores que vão favorecer a industria a ter um maior lucro, e a necessidade destes varia dependendo do tipo de cada empresa. Hoje as indústrias tem uma maior preocupação com o mercado consumidor e com a propagação de seus produtos e serviço. Muitas empresas concentram suas empresas no Brasil se bem localizada pode garantir as empresas estrangeiras elevadas capacidade de inovação, redução de custos e poder competitivo. 3º. Atualmente, o que está provocando um processo de descentralização industrial no mundo? As politicas governamental que oferece as industrias isenções de imposto de renda, mão de obra barata as vezes escrava e o aumento dos mercados consumido, fica mais viável ter uma empresa de lado do seus consumidores de que gastar dinheiro transportando os produtos. 4º Faça um resumo acerca da História da Industrialização no Brasil
  8. 8. Enquanto o Brasil foi colônia de Portugal (1500 a 1822) não houve desenvolvimento industrial em nosso país. A metrópole proibia o estabelecimento de fábricas em nosso território, para que os brasileiros consumissem os produtos manufaturados portugueses. Mesmo com a chegada da família real (1808) e a Abertura dos Portos às Nações Amigas, o Brasil continuou dependente do exterior. foi somente a partir da Primeira Guerra Mundial (1914-18) que o país passou por um processo significativo de desenvolvimento e de maior diversificação industrial. A evolução industrial no Brasil só aconteceu no século XIX com a produção de café, calçados, tecidos entre outros produtos que tinha suas fabricas principalmente nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A mão de obra nestas industrias era geralmente formada por imigrantes italianos. A indústria brasileira ganhou impulso durante o primeiro governo de Getúlio Vargas. Ele criou leis voltadas para a regulamentação do mercado de trabalho e teve como principal objetivo em seu governo efetivar a industrialização do país, privilegiando as indústrias nacionais, para não deixar o Brasil cair na dependência externa.

×