Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Turismo de ExperiênciaAgrinordeste 2011 | Recife (PE) | 02.09.11                                                      Refl...
Publicações e vivências• X Seminário Internacional de Turismo, 2008   – Reflexões preliminares acerca das definições e tra...
Reflexão essencial...                     Espaço        Visitado                  Apropriações                   Formação ...
Identificação“A cor azul do retângulosuperior simboliza a grandezado céu pernambucano; a corbranca representa a paz; oarco...
Coesão social“Poucos estudos têm sido realizados neste sentido, ou seja, decomo a presença do turista transforma aquele mu...
Perspectiva social“Nenhuma política ou estratégia de desenvolvimento serábem-sucedida sem a sua participação, uma vez que ...
Perspectiva regional“A reedificação do regional e do local trouxe consigo apercepção de que qualquer intervenção que almej...
Perspectiva econômica“O turismo [no meio rural] vem suprir a falta de uma respostapositiva das atividades rurais tradicion...
Construir, habitar, viajar: reflexões acerca da relação  comunicação-turismo comunitário | Aristides Faria“Infere-se uma r...
ReferencialAMORIM, C E. BARRO, V C A. De Sinhás a Empreendedoras: estas são as mulheres do turismorural em Pernambuco, Bra...
Aristides Faria        Consultor | Palestrante      (13) 3302-3499 | 8136-3397      www.rhemhospitalidade.comaristidesfari...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

AGRINORDESTE 2011 | Convite: Palestra sobre 'Turismo de Experiência'

1,501 views

Published on

Agrinordeste 2011 | Palestra 'Turismo de Experiencia: reflexões e práticas no contexto rural'.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

AGRINORDESTE 2011 | Convite: Palestra sobre 'Turismo de Experiência'

  1. 1. Turismo de ExperiênciaAgrinordeste 2011 | Recife (PE) | 02.09.11 Reflexões & Práticas no espaço rural Aristides Faria. Consultor e Palestrante da [RH em Hospitalidade]. Diretor de Comunicação da ABBTUR São Paulo. Co-autor do livro “Turismo de Experiência”.
  2. 2. Publicações e vivências• X Seminário Internacional de Turismo, 2008 – Reflexões preliminares acerca das definições e transformações ocorridas no espaço rural brasileiro• V Congresso Internacional sobre Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável, 2006 – Gestão de equipes no turismo rural – Contextualização e questionamentos sobre o desenvolvimento de iniciativas de turismo rural – Conceituação e questionamentos sobre o desenvolvimento de iniciativas de ecoturismo – Educação ambiental: uma alternativa possível• III Congresso Brasileiro de Agroecologia, 2005 – A geração de experiências memoráveis no turismo em áreas naturais e/ou rurais
  3. 3. Reflexão essencial... Espaço Visitado Apropriações Formação da Patrimônio experiênciaVisitante autêntica e material e memorável imaterial
  4. 4. Identificação“A cor azul do retângulosuperior simboliza a grandezado céu pernambucano; a corbranca representa a paz; oarco-íris em três cores (verde,amarelo, vermelho) representaa união de todos ospernambucanos; a estrelacaracteriza o nosso estado noconjunto da Federação; o sol éa força e a energia dePernambuco; finalmente, acruz representa a fé na justiçae no entendimento”.
  5. 5. Coesão social“Poucos estudos têm sido realizados neste sentido, ou seja, decomo a presença do turista transforma aquele mundoimaginário no qual ele tanto deseja emergir e experimentar.É claro que estas relações são tanto perturbadoras einescrutáveis, quanto maior for a expressão da populaçãolocal, ou seja, quanto mais consolidado estiver seu quadro devida” (Rodrigues).
  6. 6. Perspectiva social“Nenhuma política ou estratégia de desenvolvimento serábem-sucedida sem a sua participação, uma vez que apenas ela[comunidade], devidamente conscientizada, tem o poder dedefinir a intensidade e os rumos pretendidos para a atividade”(Ruschmann). Perspectiva cultural“A diversidade cultural do anfitrião, a dinâmica da produçãorural no país ou a riqueza dos recursos naturais que integramo espaço rural brasileiro fazem com que o Brasil tenha ummodelo próprio” (Zimmermann).
  7. 7. Perspectiva regional“A reedificação do regional e do local trouxe consigo apercepção de que qualquer intervenção que almeje melhoriaqualitativa no modo de vida das pessoas deve partir do modeloendógeno de desenvolvimento, capaz de promover mudançaestrutural e buscar eficiência na produção, uso racional dosrecursos naturais e maior igualdade na distribuição de empregoe renda” (Coriolano).
  8. 8. Perspectiva econômica“O turismo [no meio rural] vem suprir a falta de uma respostapositiva das atividades rurais tradicionais [...] traz oportunidadesde negócios, investimentos [...], como também intercâmbio eintegração entre indivíduos com realidades tão diferentes(embate urbano-rural)” (Oliveira). Perspectiva mercadológica“Não faz sentido, dentro de uma promoção de venda de umproduto rural, a convocação de grupos numerosos, tal qual umproduto de massa” (Rangel).
  9. 9. Construir, habitar, viajar: reflexões acerca da relação comunicação-turismo comunitário | Aristides Faria“Infere-se uma reorientação da experiênciaturística, trocando a massificação por umavivência autêntica, mais próxima darealidade local (tanto da comunidade,quanto dos espaços, significados por seususos tradicionais).Reside aí a essência o turismo comunitário,prática da visitação intencional à ‘alma’ dolugar e das pessoas que o habitam”.
  10. 10. ReferencialAMORIM, C E. BARRO, V C A. De Sinhás a Empreendedoras: estas são as mulheres do turismorural em Pernambuco, Brasil. RIMISP: Centro Latinoamericano para el Desarrollo Rural.CORIOLANO, L N. (et al). Arranjos produtivos locais do turismo comunitário: atores e cenários damudança. Fortaleza (CE): Ed. UECE, 2009.OLIVEIRA, R S. Comunicação, marketing e turismo no meio rural. Santa Maria (RS): Ed. Facos, 2005.RANGEL, S . O perfil do mercado turístico rural brasileiro. In: Anais do Congresso Internacional deTurismo Rural e Desenvolvimento. Santa Maria (RS): 2000.RODRIGUES, A B. Turismo e territorialidades plurais: lógicas excludentes ou solidariedadeorganizacional. In: America Latina: cidade, campo e turismo. São Paulo (SP): Clacso, 2006.RUSCHMANN, D V M. O turismo rural e o desenvolvimento sustentável. In: Turismo rural edesenvolvimento sustentável. Campinas (SP): Papirus, 2000.SILVA, J P; SANTOS, M S T. Trabalho, turismo rural e desenvolvimento local na zona da mata dePernambuco. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo.ZIMMERMANN, A. Planejamento e organização do turismo rural no Brasil. In: Turismo rural edesenvolvimento sustentável. Campinas (SP): Papirus, 2000.
  11. 11. Aristides Faria Consultor | Palestrante (13) 3302-3499 | 8136-3397 www.rhemhospitalidade.comaristidesfaria@rhemhospitalidade.com

×