Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Resinagem de Pinus - 2014

7,325 views

Published on

Apresentação sobre Resinagem de Pinus, informações gerais e sobre o mercado.

Por Thannar Bubna e Laércio Couto

Published in: Business
  • Be the first to comment

Resinagem de Pinus - 2014

  1. 1. RESINAGEM 2014
  2. 2. APROVEITAMENTO DA RESINA E AS PERSPECTIVAS DO MERCADO MERCADO FLORESTAL E A RESINAGEM DE PINUS
  3. 3. O Setor Florestal
  4. 4. Setor Florestal – O pinus no Brasil
  5. 5. Percentual de plantio por região.
  6. 6. Variação das áreas plantadas – ABRAF 2013
  7. 7. A cadeia produtiva de base florestal. Abraf 2013
  8. 8. Resina de pinus Foto: Celulose Irani
  9. 9. Histórico da Resinagem •A resinagem de pinus, existe desde o Egito antigo ou mesmo antes, segundo citações bíblicas, assim como na Grécia, no império Asteca, e em diversas culturas através da história. •No Brasil iniciou-se nos anos 70, com florestas plantadas através de incentivos fiscais, e nos anos 80 o setor passou de importador a exportador de resina e derivados. •A extração de resina tem se tornado, para muitos produtores não mais uma atividade secundária à produção de madeira, mas uma forma de antecipar receitas, com plantios destinados à produção de resina, com espécies de maior produtividade e até mesmo híbridas, de melhor aproveitamento e relativa precocidade.
  10. 10. Método Brasileiro Foto: Celulose Irani
  11. 11. Método Brasileiro •O método brasileiro consiste na confecção de estrias (cortes) de 2,5 cm de altura e 18 cm de largura, no sentido ascendente, removendo a casca e formando um painel que permite o escoamento da resina até o recipiente coletor, o estimulante químico é aplicado a cada nova estria, com intervalos entre 12 e 15 dias.
  12. 12. Pasta Estimulante •Para que haja a continuidade no fluxo da resina, é aplicada uma pasta estimulante, desenvolvida a partir de produtos químicos ácidos, farelo de trigo, compostos inertes e água. •A pasta estimulante é aplicada logo após a nova estria, e seu efeito provoca a exsudação dos canais resiníferos.
  13. 13. Etapas da Resinagem Escolha das árvores
  14. 14. Raspagem da Casca
  15. 15. Risco para instalação
  16. 16. Instalação da embalagem
  17. 17. Preparação para Abertura do painel
  18. 18. Abertura de Estria
  19. 19. Aplicação do Estimulante
  20. 20. P. caribaea var. hondurensis
  21. 21. Raspa de Goma
  22. 22. Levantamento do painel para próxima safra
  23. 23. Pinus oocarpa
  24. 24. A madeira do P. oocarpa é mais densa, e a resina possui características próprias.
  25. 25. Tratamento da resina no campo
  26. 26. O pinus Híbrido
  27. 27. Pinus eliliondurensis – F2 •O pinus híbrido eliliondurensis F2 é uma variedade derivada de duas espécies, da elliottii var. elliottii X caribaea var. hondurensis, visa a precocidade no desenvolvimento e maior produção de resina. •Visa obter maior produtividade por hectare.
  28. 28. Floresta com 9 anos resinando 2 faces
  29. 29. Colheita da Resina Atualmente é MANUAL..
  30. 30. A colheita •A colheita da resina pode ser realizada de várias maneiras, dependendo da área e da topografia. Pode ser individual ou coletiva, a resina é acondicionada em tambores de 200 litros ou mesmo à granel, em carretas tanque.
  31. 31. Colheita da resina Resinagem em Itapetininga-SP
  32. 32. Pinus elliottii var. elliottii
  33. 33. A Cadeia Produtiva dos Pine Chemicals
  34. 34. Valor Médio da Goma Resina 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 4000 4500 5000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Preços em R$ Dados pesquisados - Aresb/IEA, MDIC, Aliceweb, Areldorado e pesquisas de mercado - por Thannar Bubna Histórico das Cotações da Goma Resina de Pinus (EXW ) - 2001 a 2014 (em R$) Elliotti aresb Tropical aresb Elliotti Mercado Tropical Mercado Média Exponencial (Média)
  35. 35. Valor médio atual da Resina de pinus R$ 3.000,00
  36. 36. Derivados Básicos Breu ou Colofônia (Gum Rosin) Terebintina (Turpentine)
  37. 37. Produtos finais
  38. 38. Mercado consumidor de resina
  39. 39. Resineiros Os produtores de resina concentram-se nos estados do sul e sudeste, Porém já existem resinagens distantes dos centros consumidores, a exemplo de Rondonia, Tocantins, Bahia, Espirito Santo.
  40. 40. Potencialidades Estudo de novos métodos de extração Integração com sistemas agrossilvipastoris Foto: Cesefor
  41. 41. Thank You!! Laércio Couto, PhD Forestry & Agroforestry Thannar Bubna, Business Administration www.resinbraz.com.br

×