Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Monitorização Hemodinâmica não invasiva

16,514 views

Published on

Enfermagem

Published in: Health & Medicine
  • Login to see the comments

Monitorização Hemodinâmica não invasiva

  1. 1. Monitorização hemodinâmica não invasiva Enfª: R1 Ana Karla Tertuliano Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares Programa de Especialização Multiprofissional em Cardiologia Modalidade Residência Recife, 2016
  2. 2. Monitorização hemodinâmica não invasiva Objetivos: • Identificar equipamentos, materiais e acessórios utilizados para a monitorização hemodinâmica não invasiva; • Descrever os parâmetros vitais e os procedimentos de verificação que compreendem a monitorização hemodinâmica não invasiva • Descrever a sistematização da assistência de enfermagem (SAE) na instalação e manutenção da monitorização hemodinâmica não invasiva.
  3. 3. Monitorização hemodinâmica não invasiva • Consiste na medição dos sinais vitais na avaliação da condição patológica e fisiológica do paciente; • Auxiliam no diagnóstico, evolução e no controle do tratamento; • Menor risco de complicações, fácil manuseio e menor custo; (PALOMO, 2007)
  4. 4. Monitorização hemodinâmica não invasiva Monitorização Cardiopulmonar
  5. 5. Monitorização hemodinâmica não invasiva (PALOMO, 2007)
  6. 6. Temperatura Temperatura corporal:Temperatura corporal: • calor produzida pelos processos corporais X calor perdida para o ambiente. Parâmetros Normotermia 36,6°C a 37,2°C Hipotermia <36°C Hipertermia >38,8°C Febrícula até 37,5°C Febre Moderada 37,6°C a 38,5°C Febre alta ou elevada > 38,6°C (PALOMO, 2007; POTTER, 2009)
  7. 7. Temperatura • Aferição da Temperatura:Aferição da Temperatura: Locais: axilar, retal e oral. • Aumento da Temperatura:Aumento da Temperatura: - Processo infeccioso - Processo não-infeccioso • ↑ da temperatura metabolismo celular consumo de O2 e→ → produção de CO2 demandas ao coração e aos pulmões estresse↑ → adicional ao sistema cardiopulmonar do paciente. (PALOMO, 2007) Termômetro de mercúrio Termômetro digital sensor
  8. 8. Frequência Respiratória • Frequência RespiratóriaFrequência Respiratória É o mecanismo que o corpo utiliza para trocar os gases entre a atmosfera e o sangue, e entre o sangue e as células. Parâmetros da FR Neonato: 30 a 60 ipm Lactente <6m: 30 a 50 ipm Pré-escolar: 25 a 32 ipm Criança: 20 a 30 ipm Adolescente: 16 a 19 ipm Adultos: 12 a 20 ipm FR: precoce na insuficiência Pulmonar FR: perda de volume pulmonar (PALOMO, 2007; POTTER, 2009)
  9. 9. Saturação Parcial de Oxigênio(SpO2) • Monitorização contínua e não invasiva da oxigenação do paciente; • Hemoglobina disponível para o transporte de oxigênio; • SpO2 em ar ambiente, isto é, para uma fração inspirada de oxigênio (FiO2) próxima a 21%, são maiores que 90%. Fonte:google imagens,2016. Fonte:google imagens,2016. (MEDEIROS, 2015; STIEGLER,2015)
  10. 10. Frequência Cardíaca Frequência Cardíaca:Frequência Cardíaca: • Define-se pelo número de vezes que o coração bate por minuto; • Classificado de acordo com ritmo, intensidade e amplitude; (POTTER;PERRY, 2009)
  11. 11. Frequência Cardíaca Parâmetros da Frequência Cardíaca Normocardia: FC normal :60-100 bpm no adulto Bradicardia FC<60 bpm no adulto Taquicardia: FC > 100 bpm no adulto Pulso irregular ou arrítmico: alteração na formação e/ou condução do impulso elétrico Ritmo sinusal ritmo fisiológico regular do coração •Ritmos anormais podem indicar: Arritmias, Cardiopatias isquêmicas, Insuficiência Cardíaca(IC); (PALOMO, 2007)
  12. 12. Pressão arterial Pressão arterial:Pressão arterial: • É a pressão exercida nas artérias durante a sístole e diástole dos ventrículos. • PA: DCxRVP (mmhg)PA: DCxRVP (mmhg) Fonte:google imagens,2016.Fonte:google imagens,2016. (PALOMO, 2007)
  13. 13. Pressão Arterial não Invasiva:Pressão Arterial não Invasiva: • Método da Pressão Arterial não Invasiva(PNI):Método da Pressão Arterial não Invasiva(PNI): Manual, automático, Rápido. • Principais indicações:Principais indicações:Pós operatório de cirurgias cardíacas;Controle da hipotensão aguda;Uso de medicamentos; (SBC,SBH;SBN, 2010)
  14. 14. Monitorização Cardíaca •Posição dos eletrodos: Fonte:google imagens,2016.
  15. 15. Monitorização Cardíaca
  16. 16. Monitor multiparamétrico Fonte:google imagens,2016.
  17. 17. Monitor multiparamétrico Fonte: PHILIPS , 2012 (PHILIPS , 2012)
  18. 18. Diagnósticos de Enfermagem Prescrição de Enfermagem Resultados Esperados 1. Risco de temperatura corporal desequilibrada. • Monitorar os sinais e sintomas de hipotermia e hipertermia, e relata- los. • Repostas do paciente à terapêutica medicamentosa instituída para controle da termorregulação. 2. Risco de débito cardíaco diminuido • Observar e comunicar os sinais e sintomas de débito cardíaco diminuido. •Alterações dois sinais vitais, arritmias. • Horário e frequência , ritmo, e amplitude de pulso. (NANDA, 2010)
  19. 19. Diagnósticos de Enfermagem Prescrição de Enfermagem Resultados Esperados 3. Risco de padrão respiratório ineficaz • Monitorar o padrão respiratório •Avaliar e comunicar alterações de temperatura e coloração da pele e mucosas, • Horário e valor da frequência respiratória; alterações na ausculta dos sinais (NANDA, 2010)
  20. 20. Referências • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014 • Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2009-2011/ NANDA International; tradução Regina Machado Garcez. - Porto Alegre: Artmed, 2010. • MEDEIROS, Ana Lúcia et al. OXIMETRIA DE PULSO EM TRIAGEM DE CARDIOPATIAS CONGÊNITAS: CONHECIMENTO E ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO. Cogitare Enfermagem, v. 20, n. 3, 2015. • PALOMO, Jurema da Silva Rebas. Enfermagem em Cardiologia: Cuidados avançados.1° Ed. Barueri, SP :Manole, 2007. • POTTER, P.A; PERRY, A.G. Fundamentos de Enfermagem. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2009. • SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico- Cirúrgica. 12ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014 • STIEGLER, Sônia Aparecida; DE CAMPOS JÚNIOR, Abel Pompeu; DA SILVA, André Luiz Fernandes. INTERFERÊNCIA DA COLORAÇÃO DO ESMALTE DE UNHA E DO TEMPO NA OXIMETRIA DE PULSO EM INDIVÍDUOS SADIOS. Revista Eletrônica Interdisciplinar, v. 1, n. 13, 2015.
  21. 21. Obrigada! “O melhor monitor é o profissional observador e dedicado” DONALD F.EAGAN

×