Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Programa de Residência de Enfermagem em CardiologiaPronto Socorro Cardiológico de Pernambuco- PROCAPE -Secretaria de Saúde...
Introdução:• Bombear o sangue aos tecidos corporais;• Fornecer nutrientes e remover excretas;• Localização: mediastino méd...
• Margens: direitaesquerda
• Esqueleto fibroso do coração:- Suporte para musculatura cardíaca e tecidovalvar- Fibras colágenas densas  arcabouço(cir...
• Tecidos cardíacos
• Pericárdio:- Pericárdio fibroso  sustentação ao saco pericárdicoVisceral- Pericárdio serosoParietalObs: espaço virtual ...
Cavidades Cardíacas• 4 cavidades ou câmaras (AD, VD, AE, VE)• Átrios: paredes finas (reservatório e conduto)• As cavidades...
Valvas Cardíacas:• Guiar em sentido único o fluxo sanguíneo nocoração, impedindo o refluxo sanguíneo nasístole.• Tipos:1.V...
Vasculatura do coração• Artérias coronárias: irrigam as estruturas cardíacas.• Óstio coronário  seio de valsalva  perfun...
Sistema de condução cardíacoSNS• Inervação extrínsecaSNP• Inervação intrínseca (estruturas especializadas,encontradas no c...
Potencial de ação cardíaco• Tipos:células de Purkinge- Resposta rápidacélulas miocárdicas de trabalhodespolarização rápida...
• Estado de repouso ou polarizado, o sódio é o principal íonextracelular (carga positiva) e o potássio é o principal íonin...
Fase 0: Neuro Hormonal• Uma pequena corrente despolariza a célula;• Atingido o limiar de voltagem  abre-se o canal desódi...
Fase 1: Repolarização rápida• Corrente transitória para fora: carregada pelosíons de potássio  repolarização rápida dacél...
Fase 2: Platô do potencial de ação• Flui pouca corrente• Correntes para dentro (despolarização) e parafora (repolarização)...
Fase 3: Repolarização rápida final• As correntes de Ca que sustentam o platô param.• Os canais de Ca se fecham e a repolar...
Referências• PEDROSA, L.C.; OLIVEIRA, W.J. Doenças docoração: Diagnóstico e Tratamento. EdRevinter. 2011• Enfermagem em Ca...
Obrigada !
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Anatomia e fisiologia cardíaca
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Anatomia e fisiologia cardíaca

10,939 views

Published on

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Anatomia e fisiologia cardíaca

  1. 1. Programa de Residência de Enfermagem em CardiologiaPronto Socorro Cardiológico de Pernambuco- PROCAPE -Secretaria de Saúde do Estado de PernambucoANATOMIA EFISIOLOGIA CARDÍACAEnf. Catiuscia Lira – R2
  2. 2. Introdução:• Bombear o sangue aos tecidos corporais;• Fornecer nutrientes e remover excretas;• Localização: mediastino médio• Faces: anterior ou esternal ou esterno-costalinferior ou diafragmáticapulmonarposterior ou torácica• Forma: pirâmide• Tamanho: na mulher  0,40% do peso corporal230 a 300g de peso (média 250g)no homem  0,43% do peso corporal280 a 350g de peso (média 300g)comprimento: 12cm; largura: 8 a 9cm;
  3. 3. • Margens: direitaesquerda
  4. 4. • Esqueleto fibroso do coração:- Suporte para musculatura cardíaca e tecidovalvar- Fibras colágenas densas  arcabouço(circulando o orifício das valvas cardíacas)- Formação do septo ventricular- Isolante elétrico entre os átrios e ventrículos
  5. 5. • Tecidos cardíacos
  6. 6. • Pericárdio:- Pericárdio fibroso  sustentação ao saco pericárdicoVisceral- Pericárdio serosoParietalObs: espaço virtual  líquido pericárdico (seroso, finoe claro  10 a 20 ml)Funções:1.Lubrificar as superfícies do coração2.Retardar a dilatação ventricular3.Barreira para disseminação de infecções e neoplasias
  7. 7. Cavidades Cardíacas• 4 cavidades ou câmaras (AD, VD, AE, VE)• Átrios: paredes finas (reservatório e conduto)• As cavidades esquerdas não mantêm contatocom as cavidades direitas• Espessuras das câmaras cardíacas:1.AD: 2mm2.VD: 3 a 5mm3.AE: 3mm4.VE: 13 a 15mm (2 a 3x a espessura do VD)
  8. 8. Valvas Cardíacas:• Guiar em sentido único o fluxo sanguíneo nocoração, impedindo o refluxo sanguíneo nasístole.• Tipos:1.Valvas átrio-ventriculares- Tricúspide- Bicúspide2.Valvas semilunares- Aórtica- Pulmonar
  9. 9. Vasculatura do coração• Artérias coronárias: irrigam as estruturas cardíacas.• Óstio coronário  seio de valsalva  perfundidas nadiástole• Coronária esquerda DACXirriga o AE, maior parte do VE, parte do VD, 2/3anteriores do septo e o nó sinusal.• Coronária direita DPVPirriga o AD, maior parte do VD, face diafragmática doVE, terço posterior do SIV, nó sinusal e AV.
  10. 10. Sistema de condução cardíacoSNS• Inervação extrínsecaSNP• Inervação intrínseca (estruturas especializadas,encontradas no coração)- Nó sinusal- Nó atrioventricular- Feixe de His- Fibras de Purkinge
  11. 11. Potencial de ação cardíaco• Tipos:células de Purkinge- Resposta rápidacélulas miocárdicas de trabalhodespolarização rápida  período de despolarizaçãosustentado  fase de platôcélulas do nó sinusal- Resposta lentacélulas do nó atrio-ventricular
  12. 12. • Estado de repouso ou polarizado, o sódio é o principal íonextracelular (carga positiva) e o potássio é o principal íonintracelular (carga negativa).• Despolarização = espaço intracelular positivo e um espaçoextracelular negativo.• Repolarização = estado de repouso.• Excitação da célula:1. Fase 0: Rápida despolarização (entrada de sódio na célula);2.Fase 1: Abertura dos canais de potássio (o potássio sai dacélula, repolarizand-a);3.Fase 2: fase de platô, a repolarização lentifica. Abertura doscanais de cálcio ;4.Fase 3: término da repolarização (membrana volta ao estágiode repouso);5.Fase 4: intervalo entre os potenciais de ação.
  13. 13. Fase 0: Neuro Hormonal• Uma pequena corrente despolariza a célula;• Atingido o limiar de voltagem  abre-se o canal desódio;• Entrada de uma grande corrente (carregada pelosíons de sodio);• Abertura de mais canais de sódio  despolarizaçãorápida (curva ascendente do potencial de ação);• Chega próximo ao ponto de equilíbrio do sódio interrompe a corrente de despolarização.
  14. 14. Fase 1: Repolarização rápida• Corrente transitória para fora: carregada pelosíons de potássio  repolarização rápida dacélula;• Alguns íons Cl também fluem para fora dacélula;
  15. 15. Fase 2: Platô do potencial de ação• Flui pouca corrente• Correntes para dentro (despolarização) e parafora (repolarização) são praticamenteequilibradas  pouca mudança de voltagem namembrana• Canais de cálcio abrem-se por completo;• Interrupção da queda do potencial causada pelasaída de potássio.
  16. 16. Fase 3: Repolarização rápida final• As correntes de Ca que sustentam o platô param.• Os canais de Ca se fecham e a repolarização prossegue(íons K saem da célula).• Término da repolarizaçãoFase 4: Intervalo entre potenciais de ação• Os canais de potássio se fecham;• O potencial de membrana é reduzido ao potencial derepouso• Fase de repouso antes da próxima despolarização.
  17. 17. Referências• PEDROSA, L.C.; OLIVEIRA, W.J. Doenças docoração: Diagnóstico e Tratamento. EdRevinter. 2011• Enfermagem em Cardiologia• Enfermagem em cardiologia: CuidadosAvançados
  18. 18. Obrigada !

×