Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

De hora em hora de "Ruth Rocha"

47,804 views

Published on

Este livro é recomendado para o trabalho com medidas de tempo.

Published in: Education

De hora em hora de "Ruth Rocha"

  1. 1. e». _ 'QUI NTÉTO a EDETCRIAI
  2. 2. Fa" um. :mf N-Wm _ 5,». 2-; ILUSTRAÇÕES DE HELENA ALEXANDRINO 7g M. ul_ NUA. . E; k. : - ~
  3. 3. ; dm», qlhguéwv. .Hnttuw. .m , MMM , z . lxllÍ, l l í . tr
  4. 4. Lin. . 19703 ' En; 10:21h ' "na. !v4.1 . ' . - Ccnyvigh! 13 -hpvz «^ ' › 1:1; Cuhur ' L . w T0002 os o-"abtosda @mean @semanas a OUQNYETO EDITORlAL LTIIA. Sua PJ¡ Barbosa. 156 . Í J , S-'àa “sua A SP CEF (J 326-010 marc-a» gO-XX-ÍÍI 3595-5003 F -r-. j oro_r›1o'-›3ñd. n:<›m. bv fcalom *díxcfa f* RP- '4 ? Jüfh Ec-icra ass atente Ermta Norte: Chn: : EC R: : n: : 'xíc 51th 'rí-Í- L «rx 111-: llustcaçaes He : :na A axanar. A, Diagramação 'M103 Velaaaxrs Net-ñ Fnntonnçízn ulutrbnlm¡ a . , y . v 14h] Saturn; Êur- , ._ Dudo- lnu-raacnonain oo- Caaalognçao na Publicação (CIF-v ' (Cõfn-afa Rmnilwín- do Livro. SD, Brasil) 1 . '75 Racha» Hum. * “H5 Um Duhorwwvnlvans. lFulhñodxznian-írnçboduP-t-v- 1 33?¡ Úu¡ PúÂFZtQCWÓ-'iñfhyíxl - 58o Paulon). - '1V›.1t›Edlf0fvaJ, ? M63 ! Coleção nuno doa Manhas) l. Utnranra. uvnnmjuvcnl. l. Alexandrno, b-tmcana. II. fado. Ill. Son-in. : sen ias-amazon -n ! y 98-21 97 CDD-02B_'› Inn-oo: par¡ catalogo zsznmnüoo! 1. Llmrmnrn ¡Mann! 0?B.5 ? . Lltcomrtutn ínrmooiuvaril 02115
  5. 5. ,É o , r a à Q 'o I '. ... _o/ Marcelo vivia perguntando: - Mamãe, o que é bandopassâ? - Bandapcssó? Sei não, menino! Onde é que você viu isso? - Tem uma músico que diz assim: pra vê a bcndapossó. .. - Não é bandapossõ, Marcelo. É bando passar. Pro ver o bando passar. Bando de músico.
  6. 6. U1 1 e? -x 'x . r 4 A. í _ 1. . r-Àvg_ «l . 'LW , ~ WW; w . 9 -- Ingá-ui ~ I ' ' F-àj . ., ~ 1 P . , ~_ 7 ^ ! u 'x ¡ -r fi T- . . . “ 'x , . .
  7. 7. ó No ouiro dia, ló vinha o Marcelo: - Pai, sinal tem pelo? O pa¡ de Marcelo nõo entendia: - Que sinal, menino? Não esjouentendendo. - Sinal, pai, do peloesínal-da-santa-cruz. .. O pai* de Marcelo suspirava e 'tenta o explicar: - Nõ , Marcelo, não é pelo-pelo. Ê pelo-pelo. ..
  8. 8. 'a' . . j¡ I' . .l ' 1 w* ; ü < . - , ____ _ K _ Ô l . . , _ . * 'v __ ' _ . .-7 < l - , w- _ 4 L v' ã” m *r ~~ “QL v' ~ . J __, ,__. .- - l, _ ¡ , 1 . A ' “" V. . Í . '¡ * A ; _- _l V í T Um dia, Marcelo perguniou: - O que é veazora. mãe? - Veazora, Marcelo? Se¡ lã! - A Gabriela indagorinha disse que ia veazora. - Não, Marcelo, não é veazora. Ê ver as horas- Ver que horas são. Que horas são do dia. _,
  9. 9. e _sá . , r yÍi. .. _ : 11.4 . _. , _ , _ 4. . ,,. .. . . ill] -. r _ . amu, . . .. ... s . _ , ,. .n e . . _ _ , Í , ,_ . _ L . ._ , _ , . _q ll 4 , .. , . . . _ __ . a _ . a , f. . . . vt. . _ _ b» 4 w , › , _, 4 . . , . Mw. ? J , . _ sn. .. u 11| . _U . . _ _ . s . i, 1 __ _ . l »QL
  10. 10. 'IO - E como é que a gente faz isso? - Bem, Marcelo. Pra isso a gente usa o relógio. - E como é que a gente vê as horas no relógio? Dona Laura explicou: - O tempo é todo divídidinho. Cada pedaço bem pequeno do tempo se chama segundo. - E o primeiro, como é que é? - Não atrapalhe, Marcelo, senão não acabo nunca! '__ _- / l *r : ._: _'_ v, ' : ~ z . f. ' f_ Q g | l f V: ,I 'j ' a l . N , l 2 l z i / '1 r z 'N -x/ u o * / 7 _- 'xj j_ -- '_ *Í v 9 ~ ; ,s~-_~--*' : r ; , V) - - WI _S x_ x . - m í
  11. 11. ll - Um segundo é o tempo que você leva pra tocar uma nota no piano, por exemplo. Pra estalar os dedos. .. Pra dar um passo. .. Pro piscar o olho. _ 711 12 *1 7 _. '¡0__ 2 ug i -1:, »_ a3,- 7 Q _Í ; IÍW l a~_/ l E: f. _ *T7 É A l i l ' › N _. n- '. _ _. _v: - r 3:41'. ; l ›s fr', t: ,Í_›_, r~«1.: ¡Í~-l LJ* . - › ¡ , -
  12. 12. em: g, - Agora: 60 segundos fazem um minuto. Ê o tempo que você leva pra piscar o olho 60 vezes. É o tempo que você leva pra lavar as mãos. .. - Jã sei! - disse Marcelo. - É o tempo que leva pro sorvete acabar. Ele sempre acaba num minuto!
  13. 13. Dona Laura suspirou e continuou: - você iã reparou que o relógio é todo riscadinho, entre um número e outro? Pois um minuto é o tempo que o ponteiro grande do relógio leva pra ir de um risquinho até o outro. . ~ 5 z e / É¡ . ,¡. »._¡ nz: : '¡(_'Íl____ . a 2 ; ; Fl 7 z ' i 38 7 4 11 a ñ/ .IJL , lrÇÍ>Á A 1" 13
  14. 14. i4 - Jó entendi- Marcelo disse. - Pode passar adiante. Dona Laura continuou: - 60 minutos fazem uma hora. Ê o tempo que você leva pra fazer suas lições. .. Ê o tempo que eu gasto pra fazer um almoço. ..
  15. 15. - Jó sei! - gritou Marcelo. - É o tempo que você gasta no telefone falando com a vovó. Papa¡ sempre diz: "Sua mãe fica uma hora nesse telefonel". Dona Laura sorriu: - E o tempo que o ponteiro V¡ grande leva pra dar uma volta inteirinha no mostrador do relógio. v E o ponteiro pequeno leva uma hora pra ir de um número ao número seguinte. 1 ot 2 l Í 9 '“'“í¡í* 3 «l 1 « | . Ú. .z 4 : 5-_-
  16. 16. 'ló - A gente chama de dia as 24 horas que vão da meia-noite de um dia ã meia-noite do outro. . IL p' . j ' 4 1 d. 8 _f ; J . › _ , e _Lx 'Í x" l
  17. 17. _ -AEU sei! - disse Marcelo. À - E também chama de dia _y_ , _ 1., as horas em que estã claro, f¡ ? as horas em que a gente « fica acordado. . __ _ -_ *a2* . u 9.2.. .. z '- -' ' 'r c. f. : , 4 I _ 5-, J ” * 'f l . d' . l a_ : a . vv ›_ l
  18. 18. i8 - Quase todo mundo dorme de noite. Você, por exemplo. Quando são 9 horas, você vai dormir. A noite va¡ passando e você va¡ dormindo. .. 9 horas-. . -um eia. ; 1:'; _~__, 'IO horas. .. Wo 1° '. 11 horas. .. : g3 “ 'j 12 horas ou meia-noite. m” * g. _. _g. _,
  19. 19. 20 - PRlNl? Que é isso, Marcelo? - PRIIIIIMMM! Ê o despertador que toca às 7 horas. Não esta certo? - Estã certo, sim! Às 7 horas, PRIM! Toca o despertador. Você levanta, vai se lavar, toma café, veste sua roupa, pega seus livros e. .. - Eu saio correndo pra escola, que iã estou atrasado!
  20. 20. 22 em ponto. .. - E a¡ PRIM, de novo! › . s/*Ít '. ,.~í> - PRI/ Vl de novo, Marcelo? 54?' 3733:: 5 - É. Às 8 em Ponto, PRIIIIIMMMM! í'1“: :+: 'f*"' Toca o sinal pra eu entrar na escola. Das 8 às 9 horas a gente estudo ' _ A _ F7” _ _ “““ r ' matematica. Das 9 ãs 'lO a gente A "x“_: __7 ' ” ° l estuda português. E às 10 horas
  21. 21. - Jó sei, Marcelo. PRlM! - E isso mesmo. Toca o sinal pro recreio. 23
  22. 22. 24 Marcelo continuou: - Às 11 horas é aula de história ou, se não, de geografia. Ás 12 horas. .. Eu nunca ouvi ninguém dizer 12 horas. A gente diz meio-día, não diz? - Diz, sim, Marcelo. Meio-dia é a mesma coisa que 12 horas - respondeu dona Laura. - E meia-noite é a mesmo coisa que 12 horas da noite. - Ao meio-dia a gente sai da escola. [A _ 'x . _ _ _r »j *V _T A; _ , f_ L_ V', _ v _ . . = -4:; À-. __ / A . L1 7 S? ” _ / _ , " l ¡ l 'rçx/ .K › _ . L. , _. Í ¡ , in ' " -_ _ «l l v l *¡ , _A _ _ l ' I A 7 *Al l . _ ' i' _wf y _ VV_ _ , i ~ t' ~ v x c "h Í'. . . ' 1T. " 7 . _/ t; t. l . r . 7 f¡ A. f; xx' ~ . A l l l : . v +; _x*'-. _~_ _i ' r . ,_; ,ty-- , _Ç * . ~ q-_t : r . í J “ j! r | j _ (.51 1 x7'
  23. 23. 5 2
  24. 24. x (, ' ' V' - í o 1'¡ I a. .- -. --
  25. 25. u. .lcmdlií irHq. ,“l. ¡uHvl. ..›_ Hlrilm. . I l, .. . L. MTL? t» . |.“.
  26. 26. --8 Às 3 horas eu descanso um pouco- . É « _ r A* 7. ' 1- a ; ra- ~ " _. ,r" . 7 7 "j N , '77 7 . _. _ , 7 , -y / V- . A_ 7 J' ) m' 7 ' "'41 r _ x 7m'. gw. f x I_ › '. _ A . l - - g 7 g A v l l r v . _ , | . › J . I v? Í -' l L' y _c Tí A 77-1_ _p_ _ - : às a _' " 'S4' --v1 7 , VJ ma'.
  27. 27. Às 4 horas eu tomo meu lanche. . __ _ix , u» ~ V. x - _l_ l, N ¡ em '(9 l g__ l É : V A_ u' J 7. ç - r ' , l¡ _ _ _ r › _ . ___ l ” m_ m” ; i l l "m" m* i l 7,14
  28. 28. _-. t em, Às 5 horas eu : A . l vou brincar com “- 'A meus amigos. .; .. '
  29. 29. i . _ ; ›- mas . ig-xa n-: u- p--': 24121.22¡ ' ' ¡-, =~›. r._-, aÇ-_'. SL-5=T~SEFJ; ;Ê l ' ' 51' ; Il' &K; si! ? r' n-e-. sâêaawui 9 . .a--, ._. .._- . general-vp : u i
  30. 30. 32 l Às 7 horas eu ianto. l. . . x “ ÍHÍLÂ _ É 7 _ -í ' 74o” x 4077? a' ›_'*, “°-- a_ lu 9 É. 3' l I 7“&' ~ x uti 7' 5.4 - "_ ' n' n71?” e ~'“' . « , x : x . _ . r' 7 I “ - - ~c . x-'7 . mu › ' an" j , di - _ x N l ' x _ f! l I» _ ~*'| . q' - › ~ . ñ. ' / “ l K . t 1*_ l z , r l 'x A' N ' ' : x ' r
  31. 31. Às 8 horas a gente conversa. Você, ou o papai, conta histórias pra mim. r *i7 1- ' l 4 , ' 7*. *_, 1 3. 3 3,_ . _.12 . , ' E. l 4 '› -r- g' I 'ñ l l v' ' ” N ! l l- _L_ _ . - -_ . cJ- 3 " u I ~. x a l - 1 n x ' ' › 7.7 . a . ._ L' _ l , ~' 7 tw' J l' : ' . ~ t. A › _ AJ' 7 l L. , - "j. - * _ _ r _ _ . _- . l l _ . . | _›__, __« - W777' _7 1 " Tx, r 74 l , a7 7 F t( 7 i _. _ ___. -_ _ x_ _ , Á_'« ”t| I' 7 , ,i _ r a ci ~ l x 33
  32. 32. IíÃ~ »Í _V_ 4.: : _r m__í_ r w- . .. r e . m . _ _ l l 1 r 7 Í_ l c ' l . ' ' 7.¡ '. ; › . _ _ _ _l › _ ^ s r 'l l /7 l _-- - *P m--- _ ¡ _V 7 l _ . r i w V . ' 7 rt 11,. . "a L~ y 7 7 . V* . . ___ . _¡ -. . 9 4 , Á/ _. ./r g r_4-': .fr v . r , x V, - à 7 t": v. , _ 1'¡ '. *- *l . _ . p”
  33. 33. r . f _nú_ . . _. ... ,.L. .. . .. . VA. ix. .. um_ _. íx. _,. _,: .. __ . _. N' . if a : rf . 3.
  34. 34. Cx Ruth Rocha Eu sou paulista Nas minhas Crtgens, baianos, mineiros ^* - cariocas. Corn muitos portugueses bem na para trás e algum sangue augre ou negro - cuem sabe? ~. que se traduz na mirha ccr dc cuia quando apanho sei Gosto muho de sc! , de praia e de mar. De música c de 'ivrcs De cantar_ : :arcar e nr. › Gosto muito de gente Princlaalmente ce criança. I Crença-criança. Que da risada fora de hcra, qoe se . . ~ impa-: ienta quando gente grande fala demais e que grxta que o re¡ '› está nu Gosto do Loaato. !não o Lobato cas mil mortes ce Uru ces. mas l a o Lobato que D-Dtc-u na boca da Enflla. quanto perguntada “quem c- ' Y_ “r voce? a síntese da rebeldia: "Eu sou a independencia ou _ a Morte". D: Guimarães Rosa, nor quem Rlcoalco falou a famosa " _, ~ 'Mestre não é aquele qu? semzre ensina. mas aquele que de repente aprende" E Ca Mario de Andrase. Cate resumen na rala de Macunaíma meu sentimento mais secreto. “Al, que pregu cam' miar. '. › svunv. ¡ Helena Alexandrino s . ' ilustrar De hora- em hora me fez Ív vxàfar de volta ao tarr no em que m nha mãe me ensinava a ver as Í ~ ' 'e a horas _ 0 relógl-p lá de casa era desses , :: e corda. gre 'ldào e desengonçzndo, .. ' e 'ne serviu de : nspiraçãáo para - __ desenhar este Irvro. -* Acho due o mais biz-mio de ler '. , ' as horas e descobrir que toda hora ' ” . tem uma coisa legal nr. : gente fazer
  35. 35. ?à ' K eunñzro Í D¡ ÍÓFÍ 'A l. . s, t_ . - o H n ç v - _ . É 13 Qt' '›« nr an: : n¡ _ _ - . . _ . e . › s *an* '44- ' o o 1 ~ . TW-cre ' m ~ son. DIA_ A rr às pula. . ' q_ l __ iii( f" _ . W O MENlNO GU¡ ru 'ra N71) à a-ÍW 72 1 P¡ ¡Blh 42;_ '. ' r 'Íil 7 J' . J A ZZ'

×