Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Projeto era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares do CMEI!

7 views

Published on

Este projeto foi premiado como um dos professores destaques do professor nota 10 em Goiás, foi desenvolvido para se trabalhar as várias formas de letras dos nomes das crianças.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Projeto era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares do CMEI!

  1. 1. 43 GOIÂNIA / GOIÁS MARÇO DE 2018 Projeto Era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares!
  2. 2. 44 Era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares IDENTIFICAÇÃO Tema: Identidade, conhecimento das letras e escrita do nome Agrupamento: EI – E/ Matutino Duração: ínicio março JUSTIFICATIVA O Projeto “Era uma vez , as letras do meu nome por todos os lugares”!partiu da inquietação das crianças em relação à escrita do nome, demonstrando curiosidade e interesse pelas letras, demonstrando-as a cada momento nos livros, nas paredes, nos cartazes, no alfabeto móvel, nas roupas e até mesmo nos brinquedos. Tal inquietação em relação as letras, foi ficando cada vez mais latente e não podemos deixar de citar, que esta semente foi plantada no ano anterior em 2017 e que mesmo tendo uma distância muito grande temos que levar em consideração a história, as vivências e experiências do grupo, porque estas vivências lúdicas e situações de aprendizagens voltadas ao reconhecimento do nome em meio aos outros, fazem parte da históricidade deste grupo de crianças que as constituem a cada dia. Anteriormente existia a problemática da mistura dos pertences então tinhamos o objetivo do reconhecimento do nome para que não houvesse a mistura dos mesmos, além da necessidade da demarcação do território como os ecaninhos, colchões, armarios, copos;etc. Desta forma houve-se a necessidade de trabalharmos o reconhecimento do nome próprio em meio aos outros, percebemos assim que embora fosse algo tão comum para nós adultos, para as crianças foi uma tarefa complexa, pois confundiam muito os nomes delas com os nomes dos colegas.
  3. 3. 45 Já neste ano vigente de 2018 elas querem demonstrar que já reconhecem algumas letras e que estas letras são de posse delas, do nome delas e algumas chegaram a dizer que as letras podem ser só delas. E aquelas que ainda não aprenderam, demonstram o tempo todo o desejo em sabê-lo escrever, já as que sabem querem aprender a escrita do nome dos colegas e dos familiares perguntando e questionando a todo o momento com que letra se escreve tal nome (colegas, conhecidos, familiares e até nomes de desenhos animados). Realizando a formação dos nomes de quem elas gostam com alfabeto móvel, as crianças perguntavam constantemente quais letras são usadas para escrever o nome de seus familiares. Além deste interesse as crianças demonstravam e nomeavam o tempo inteiro as letras de seus nomes nos diversos portadores textuais e de letras como por exemplo os teclados e tabletes dos computadores de brinquedos. da vida de cada uma delas, tais atividades mexeram significativamente com a estima e o pertencimento de cada criança, que pode perceber-se como um ser importante único, com nome próprio ao mundo e ao ambiente. Escutando o grupo e respeitando a DCNEI, no artigo em que define a criança como um sujeito histórico e de direitos que nas interações e práticas cotidiana que vivencia , constrói sua identidade pessoal e coletiva , constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura, não podemos deixar utilizar o gancho que são os apontamentos das letras de seus nomes para desenvolvermos um trabalho significativo. Mesmo sabendo que as letras fazem parte de um todo e que o letramento é muito mais que letras soltas pelo ar, não podemos deixar de atender os anseios e inquietações das crianças, desta forma iremos trabalhar de forma contextualizada, não só as letras mas o que elas juntas significam, relembrando que “As letras” que são o foco será só o marco inicial para que elas compreendam o mundo, visto que vivemos em uma sociedade grafocêntrica. Desta forma este trabalho será voltado para as histórias que são portadoras de letras e pela própria história do grupo e das crianças, visto que o nome próprio de uma criança é seu marco de identificação e, por isso, é tão valorizado por ela. É por esse motivo que este trabalho gera uma relação de identidade da criança com a escrita. O nome próprio representa e identifica a criança em um contexto e fora dele. Ela se sente ‘dona’ daqueles símbolos gráficos e, com certeza, interessa- se em aprendê-los. Com a apropriação do nome, ela terá informações sobre a forma da escrita das letras, do valor sonoro convencional de cada uma, além de precisar pensar em quantidade de letras necessárias para a escrita do nome, posição e ordem das letras” http://revistaeducacaoinfantil.com.br/cada-nome-tem-uma-historia
  4. 4. 46 No entanto o objetivo maior deste trabalho com a escrita do nome é respeitar os seus apontamentos complexificá-los e ampliá-los fazendo com que cada um se reconheça como um sujeito importante que possui um nome que é só seu, além de propiciar o contato com a escrita em alfabetizar-se letrando, afinal de contas estão aprendendo as letras de seu nome e estabelecendo relações com letras de outros nomes , frases, textos, palavras do dia a dia. Neste enfoque conforme expõe Ostetto 2011, “ cabe a nós, educadores reconhecer a importância que existe na forma de expressão dos pequenos, valorizando cada gesto, cada sorriso, cada choro, bem como sabendo ouvir suas falas, suas perguntas suas descobertas. Se a criança é portadora de teoria, interpretações, perguntas e é co-protagonista do processo de construção do conhecimento, o verbo mais importante que guia a ação educativa não é mais falar, explicar, transmitir mas “escutar”.(Rinaldi, apud Ostetto,2011, p.62) Desta forma como afirma Brito (2005), no documento Infâncias e Crianças em Cena, p.78, construiremos as bases para que as crianças possam participar criticamente da cultura escrita, conviver com essa organização do discurso escrito e experimentar de diferentes formas os modos de pensar o escrito. Pois trabalhando desta forma não estaremos antecipando o ensino da letras sem trazer o debate da cultura escrita para o cotidiano e nem desrespeitando o tempo da infância, mas estaremos respeitando os seus anseios e as suas vivências. OBJETIVOS  Contribuir para a formação de sujeitos que valorizem o Eu, a amizade, o respeito ao próximo e a cooperação;  Conhecer a história de seu nome e seu significado;  Aprender a escrita do nome e do nome de seus familiares  Compreender a história de seus colegas a partir de sua;  Conhecer e respeitar os diferentes costumes das famílias, grupos e povos;  Reconhecer letras , palavras e nomes conhecidos presentes nos títulos das histórias e nomes de personagens;  Desenvolver a linguagem oral e escrita;  Produzir textos, tendo o professor como escriba.  Reconhecer o nome das letras  Saber que a escrita inicia-se da esquerda para a direita.  Perceber que os nomes possuem diferentes quantidades  Observar que a posição e a ordem das letras variam de acordo com a escrita de cada nome.  Conhecer a história da escrita.  Realizar escrita espontânea;  Realizar práticas de leitura e escrita utilizando alguns gêneros textuais ( bilhetes, recados, convites...)
  5. 5. 47  Compreender o esquema corporal, sabendo que ao desenhar o corpo humano os membros inferiores e superiores não sai da cabeça. PROBLEMATIZAÇÃO  No decorrer do projeto as crianças perguntam constantemente com que letras se escrevem os nomes, apontando em vários portadores de escrita e questionando se estas apontadas são letras de seu nome?  Reconhecer os nomes nos pertences e em todos os lugares?  Quais são as letras do meu nome?  Por que devemos respeitar uns aos outros?  As letras do meu nome pode ser do nome do colega?  Pode ter duas letras iguais no meu nome?  Qual a relevância de uma convivência pacífica?  Como se chama essa letra?  Esse é o nome do livro?  Com quais letras escrevemos os nomes da minha familia? MAPEANDO PERCURSOS O que as crianças sabem? O que elas querem saber? Como e onde vão aprender? ►Que os nomes se escrevem com letras. ►Diferenciar letras de desenhos e números. ► Escrever o nome com auxílio da ficha-nome. ► Meu nome de verdade é Anna Júlia de Freitas Morceff e tem 2 A e 2 N. ► Você ainda não sabe escrever seu nome falou o Davi para o Edson e eu esqueço a letra do meu. ► O nome se escreve com letras (Sophia Gabrielle). ► Meu nome começa com uma letra que parece uma bolinha cortada assim (Guilherme). ►Identificar as letras nos livros literários (vogais e consoantes). ►Escrever o nome delas com independência. ►Conhecer quais são os valores humanos que permeiam a vida das pessoas e os contos de fadas. ►Com que letra escreve o meu nome?(Davi) ►Quero aprender a escrever meu nome(Guilherme) ►Com que letra escreve meu nome?(João Miguel) ►Quero aprender a escrever o nome da Anna Julia(Bruno) ►Aprenderão a respeitar um ao outro. ►Ter auto-estima. ►Saber o nome e os fonemas das letras. ►Conhecer o esquema corporal. ►Desenhar o corpo humano sem fazer os membros inferiores e superiores na cabeça. ► Escrever seus nomes e das pessoas que significam muito para elas. ►Saber que a escrita inicia-se da esquerda para a direita. ►Compreender que os nomes podem ser escritos com duas ou mais letras iguais.
  6. 6. 48 AÇÕES PREVISTAS AÇÕES INICIAIS  Questionário sobre a história do nome da criança.  Roda de conversa das respostas do questionário de cada criança  Desenho da familia e apresentação na roda da conversa  Pesquisa do significado do nome.  Colocaremos as crianças diante de um espelho e estimular a observação de suas características. Incentivá-las a perceber e a identificar as semelhanças e as diferenças de cada um.  Exploração das preferências das crianças relacionadas aos alimentos, brinquedos, animais e brincadeiras.  .Desenho do contorno do corpo da criança no papel Kraft, para que o grupo complete o desenho com as partes do corpo e o professor escreve os nomes dos alunos.  . Fazer um autorretrato.  . Fazer contorno da mão das crianças e escrever o nome de cada criança dentro dela.  Pintar as mãos e os pés das crianças para “carimbá-los” na folha e escrever o nome de cada um.  Modelar: modelagem com massinha e utilizando tesoura.  Apresentar de forma lúdica, as fichas com os nomes das crianças.  Fixar um cartaz na sala com nomes das crianças.  Brincar de “Macaco disse”, para identificar as partes do corpo.  Brincar de “Vamos passear no bosque?”, trocar a palavra Lobo pelo nome da criança.  Cantar músicas para trabalhar os números (quantidade e idade).  Atividade “Caixa de nomes”:  Preparar as fichas com o nome das professoras e das crianças da turma com foto.  Colocar as fichas dentro de uma caixa surpresa.Como trabalhar: Com as crianças assentadas em roda; Retiraremos de dentro da caixa surpresa uma ficha com o nome de uma das crianças;leremos e pediremos às crianças que repitam;Coloremos a ficha no centro da roda, para que possa ser visualizado por todos. Depois cantaremos a música “A canoa virou” com o nome sorteado;  Mostrar fotos de crianças negras, brancas, japonesas, louras e etc.;  . Argumentar sobre a mistura de raças e cultura de cada um: - Você se parece com alguma das crianças da cena? - E seus colegas de turma? - Quais são as semelhanças? E as diferenças? ► Meu nome tem assim de letras mostrando os 5 dedos(BRUNO) ►Quero aprender a escrever as letras do nome da Sofia Santos(Julia
  7. 7. 49  Pesquisa sobre a história da escrita (é muito importante para pontuar que tanto o nome da criança como tudo que há no mundo partiu de um início, de uma história, por isso a importância de retomar essa história, fazendo as crianças a questionarem sobre isso. No CMEI tinha um livro sobre a história da escrita, acho que ainda tem, utilizei ele para fazer um projeto mais ou menos parecido.  Retomar como o ser humano utilizava para escrever antigamente: carvão, pedras (homens das cavernas... tinta na ponta das penas...  Exploração de suportes textuais em que aparecem o nome das crianças (certidão de nascimento, identidade, cartão de vacina...)  Exploração de escrita de bilhetes, recados para os amigos da sala ( fazendo a identificação do nome dos mesmos, bem com a escrita, instigar as crianças a fazerem a escrita espontânea do bilhete, por exemplo mas principalmente explorar o nome dos colegas para quem o bilhete será direcionado).  Exploração da escrita do nome dos familiares, das professoras, etc.  Exploração da escrita do nome de personagens favoritos (desenhos);  Exploração e escrita do nome do bairro, da rua, da cidade, do estado.... (fazendo uma contextualização com outros conhecimentos... ) RECURSOS DIDÁTICOS Livros literários infantis, lápis de cor, giz de cera, massinha, giz de escrever,lápis de escrever, tinta guache, papéis diversos, revistas, vídeos ,DVD´s e CD`s musicais, tesoura, cola, tintas e algodão,fotos, máquina fotográfica;etc. AVALIAÇÃO A avaliação será realizada por meio das avaliações diárias através da observação, vídeos, fotografias e registro escrito expostos também nos relatórios mensal e diário, tendo como base a participação de cada criança nas ações propostas durante o decorrer do projeto. Desse modo, a avaliação será formativa acontecendo ao longo de todo processo, culminando com a exposição diária dos trabalhos realizados no desenvolvimento do projeto. RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO As atividades propostas visaram propiciar experiencias e vivências que possibilitem às crianças o conhecimento de si mesma, levando-as a descobrí-las, sentir que possuem um nome, uma identidade e que fazem parte de um conjunto de pessoas em casa, no CMEI, na comunidade e que acima de tudo são muito importantes.
  8. 8. 50 Iniciamos nossas vivências no ano anterior em 2017, quando percebemos que as crianças não estavam reconhecendo seus nomes e pertences em meio aos outros, na primeira atividade iniciamos apresentando os crachás com os nomes das crianças, falando as qualidades e características de cada uma e entregamos o nome delas, após elas observarem a escrita do nome elas tiveram que encontrar seus nomes em meio aos outros, atividade esta que inicialmente não obtivemos sucesso pois as crianças não reconheceram a primeiro momento , somente a partir da segunda tentativa que algumas crianças começaram a distinguir os seus nomes dos outros. Outra atividade referente ao nome, refere-se a atividade do reconhecimento da primeira letra do nome em que as crianças tiveram que cobri-la com tampinhas, ao término elas receberam tinta guache e pintaram a letra do nome, tais atividades foram expostas na parede e as crianças chamaram os pais para ver o trabalho desenvolvido. Realizamos a atividade com boliche em que cada pino do brinquedo havia a escrita do nome de cada criança , o que foi apresentado para o agrupamento e entregue às crianças cujo nome estava registrado. Figura 1Atividade com crachás, descobrindo o nome
  9. 9. 51 Após a apresentação dos nomes no brinquedo fomos ao pátio e organizamos o boliche para que cada criança pudesse realizar a tentativa de derrubar os pinos. A cada boliche derrubado a criança teria que tentar descobrir o nome do colega e ganhava maior ponto quem conseguia derrubar o prório nome. No decorrer da atividade as crianças demonstraram que além de reconhecer o próprio nome em meio aos outros também já reconhecem o nome dos colegas e a letra inicial dos mesmos.
  10. 10. 52 Enfatizando o Projeto nomes e a linguagem matemática realizamos a atividade de contagem de letras dos nomes nesta atividade as crianças contaram juntas, observaram o tamanho e quantidade de cada letra expressando quais eram os maiores e os menores, quais nomes tinham o mesmo tamanho, quais nomes começavam com letras iguais. Ainda relacionado à linguagem de escrita do nome as crianças forma desafiadas a escreverem com o canetão o nome próprio sem auxílio da ficha de nomes, o resultado foi muito satisfatório pois percebemos que as crianças tem aprendido a cada dia “brincando”.
  11. 11. 53 Realizamos a atividade de escrita de cada letra do nome em cada quadradinho, para que elas pudessem contar e compreender que a escrita inicia-se da esquerda para a direita. Realizou-se também a dança das cadeiras com nomes, em que demonstramos o nome de cada criança dizendo as características de cada uma, após apresentarmos os nomes para as crianças colocamos os crachás nas cadeiras para que elas encontrassem no momento da dança, porém na primeira tentativa todas sentaram onde estavam os crachás de outros colegas , reforçamos com elas o nome de cada uma e repetimos a brincadeira e já na segunda tentativa elas conseguiram encontrar seus NOMES. As crianças brincaram com o alfabeto móvel procurando a letra inicial de seus nomes, no decorrer da atividade cada criança além de encontrar a letra de seu nome ainda encontraram a letra do nome dos colegas fazendo sempre a referência.
  12. 12. 54 Continuamos neste semestre o desenvolvimento do projeto nomes e no decorrer destas atividades as crianças demonstraram certa maturidade no desenvolvimento das mesmas tais como na atividade de reconhecimento, recorte e colagem em que realizaram com empenho e empolgação. O interesse das crianças esteve voltado pelas letras de seu nome em todos os lugares em que elas observaram as letras e nomearam sempre fazendo relação com as letras de seu nome e do nome dos colegas. Realizamos com as crianças a verificação de escrita dos nomes em que elas escreveram no quadro branco livremente percebemos que a atenção e das crianças em relação a escrita desenvolveu-se significativamente algumas conseguiram escrever o nome sem faltar nenhuma letra e ainda souberam dizer o nome da primeira letra dos colegas fazendo relação aos desenhos com as mesmas letras. Jogo de boliche com nomes vivencia em que cada criança recebeu um boliche com seu nome , depois elas derrubaram e tinha que advinhar o nome dos colegas que estavam escritos nos boliches derrubados.
  13. 13. 55 As crianças brincaram com o tapete do alfabeto montando-o e dizendo o nome das letras , brincaram de caça letras no caramujo das letras desenhado no pátio , atividade esta em que cada criança procurava e ficava sobre a letra inicial de seu nome. O interesse das crianças pela escrita não parou por ai , iniciamos a confecção do mural da inicial das nossas letras em que trabalhamos a chegada da primavera e as crianças puderam encontrar as letras que estavam em uma cestinha e colarem as letras componentetes do nome no mural. O que foi um desafio pois as crianças que conseguiam iam ganhando um pássaro ou uma flor para escrever o nome dentro e colar em volta da árvore.
  14. 14. 56 As atividade de desenho da família , as crianças estiveram bem interadas da atividade e algumas delas expressaram o desejo de realizarem a escrita do nome dos familiares. Na roda de conversa relembramos do percurso que temos percorrido no Projeto “Era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares !” e as crianças expressaram seus saberes e interesses a cerca do assunto O QUE SABEMOS SOBRE A ESCRITA DO NOME  Meu nome de verdade é Anna Júlia de Freitas Morceff e tem 2 A e 2 N.  Você ainda não sabe escrever seu nome falou o Davi para o Edson e eu esqueço a letra do meu.  O nome se escreve com letras (Sophia Gabrielle)  Meu nome começa com uma letra que parece uma bolinha cortada assim (Guilherme)  Meu nome tem assim de letras mostrando os 5 dedos(BRUNO) O QUE QUEREMOS SABER SOBRE A ESCRITA DO NOME?  Com que letra escreve o meu nome?(Davi)  Quero aprender a escrever meu nome(Guilherme)  Com que letra escreve meu nome?(João Miguel)  Quero aprender a escrever o nome da Anna Julia(Bruno)  Quero aprender a escrever as letras do nome da Sofia Santos(Julia)
  15. 15. 57 Aproveitando a curiosidade das crianças em relação às letras, apresentamos para as crianças a coleção de história literária alfabeto da alegria, que conta as aventuras de cada letra materializada como personagem e as crianças se emocionavam e se atentavam a cada história contada quando percebiam que a letra inicial do seu nome era contada.
  16. 16. 58 Realizamos a atividade de colagem e contagem de letras dos nomes esta atividade foi muito proveitosa pois as crianças demonstraram grandes aprendizagens compararam o tamanho e as letras do nome Discutiram sobre a quantidade de letras, observaram a ordem de escrita dos nomes , no momento da colagem iniciando da esquerda para a direita na ordem correta e compreenderam que o mesmo nome pode ter mais de uma letra igual. Elas enfatizaram também as letras dos nomes dos pais, da familia dizendo esta é a letra da minha mãe, esta tem no nome da minha irmã e juntas levantavam hipóteses de escrita e tiveram empenho em procurar as letras e formarem colando-as. A cada dia as crianças demonstraram de diferentes formas principalmente em seus momentos de brincadeiras livres a sintonia com a linguagem escrita, por exemplo:
  17. 17. 59 A Julia formou os nomes de seus familiares. As brincadeiras com as letras coloridas foram bem interessantes pois as crianças demonstraram o desejo de formar o nome delas,dos colegas e dos familiares. Nesta a Anna Julia pediu para os pais escreverem o desejo de profissão dela para o Bruno que ela disse que irá namorar com ele quando ele crescer e escreveu o nome dela com todas as letras. O Yuri montou a primeira letra de seu nome com os objetos da caixa de brinquedo e alegrou-se muito com o feito demonstrando para os colegas.
  18. 18. 60 Dentre as atividades realizadas esta a atividade em que os pais escreveram sobre a história do nome de cada criança, assim também um pouco sobre a história de cada uma de quando elas eram bebês, desta forma fazendo jus ao nome do “Projeto Era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares! Para contar as histórias das crianças utilizamos os vários espaços e as duas professoras contaram ou seja leram a história contada pelos familiares. E a cada história ouvida as crianças queriam ouvir as suas novamente. Ainda sobre o projeto “Era uma vez , as letras do meu nome por todos lugares!” Trabalhamos a parte principal do projeto “Aquela do “Era uma vez!!!”mas o que contamos foi aquela história do nome, coisas interessantes de quando as crianças eram bebês, a familia escreveu e mandou fotos de quando elas ainda eram bem pequeninas e cada dia na roda teve uma duas ou três histórias , mas a história
  19. 19. 61 Desta forma o agrupamento “E” foi construindo a sua história procurando as letras de seu nome e das pessoas que amam por todos os lugares, em todos os momentos, em todos os portadores textuais, assim também procuravam escrever seus nomes em todas as partes do CMEI com lápis, com giz, com letras móveis, com brinquedos, na terra com galhos de árvores, com pedrinhas e até mesmo no prato de comida com a comida.
  20. 20. 62 Já finalizando o “Projeto: Era uma vez as letras do meu nome por todos os lugares!” Realizamos a atividade em que as crianças puderam criar com o corpo formas diversificadas para o traçado do molde do mesmo , no decorrer desta atividade elas observaram o contorno de cada parte e perceberam o esquema corporal , no decorrer da atividade foram chamadas a observar os membros, a cabeça e o tronco, sendo chamadas a observar que as pernas não saem da cabeça mais do tronco, além de observarem as semelhanças e as diferenças entre elas, tanto na estatura quanto na espessura. No decorrer desta atividade foi enfatizado a valorização das características de seu corpo e o respeito às características dos colegas com os quais convivem. Ana Julia com a letra R de Renata que ela trouxe de casa e João Miguel mostrando o J do nome dele Iarley escrevendo o nome da família no coração ! João Miguel encontrou o V de Val e veio todo alegre demonstrá-lo! As crianças se envolveram tanto com os teclados dos computadores , que ficavam o tempo inteiro mostrando as letras que formam o próprio nome.
  21. 21. 63 As crianças expressaram-se por meio da pintura do molde do próprio corpo em tamanho real e cada uma delas expressaram suas identidades tanto nas cores da roupa, quanto no tipo preferido de roupa que vestem no dia dia, pintando até mesmo o sapato. Após a pintura do corpo elas pintaram os próprios nomes, as expressões faciais também puderam expressar a expressão da significação que cada uma deu para a atividade.
  22. 22. 64 Portanto iremos inventar novas histórias, vivenciar novos projetos mas não podemos ignorar o interesse latente das crianças pela escrita como ao receberem uma massinha para criar diferentes formas, elas criaram os nomes, quando recebiam giz para riscar desenhar e rabiscar elas escreviam seus nomes, os nomes da família e desenhavam seus pares e o mundo à sua volta. Realizamos a colagem dos moldes das crianças em tamanho real para a feira cultural que realizaremos no CMEI, onde será a culminância final do nosso projeto, cada criança colada no painél elas se alegravam e perguntavam o dia em que levariam o seu para casa. Além do painel foi confeccionado o livrinho das vivências com o nome no decorrer do projeto.
  23. 23. 65 Finalizamos o Projeto com um saldo positivo de 19 crianças reconhecendo seus nomes em todos os lugares sendo que o único que ainda não reconhece por enquanto é a criança que possui necessidades educacionais especiais, somente 3 ainda erram ao escrever porém colocam todas as letras reconhecendo-as em vários lugares, a maioria já escreve o próprio nome e algumas já escrevem até o nome dos colegas e familiares. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. Ler E Escrever Na Educação Infantil: Discutindo Práticas Pedagógicas.Belo Horizonte:Autêntica editora, 2011. DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS .Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010. INFÂNCIAS E CRIANÇAS EM CENA: por uma Política de Educação Infâncias e Crianças em Cena: por uma Política de Educação Infantil para a Rede Municipal de Educação de Goiânia / Secretaria Municipal de Educação. – Goiânia : SME, DEPE, DEI, 2014. 232. Goiânia. Secretaria Municipal de Educação. OSTETTO. Luciana E. Educação Infantil.Saberes e. Fazeres da. Formação de Professores.Campinas SP. Papirus editora. 2008.

×