Cap2 bull-anstey

402 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
402
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cap2 bull-anstey

  1. 1. Fichamento do cap. 2 The characteristics of multimodal texts: implications for the teachingof reading and writing, in: Bull, G.; Anstey, M. Evolving Pedagogies: Reading and Writing in aMultimodal world.SEÇÃO IIntroduçãoOs autores introduzem brevemente o capítulo, apresentando seis conceitos sobre textosmultimodais e as estratégias para que o leitor possa utilizar cada um desses conceitos. Assim,solicitam ao leitor separar dois textos com os quais irá trabalhar.Conceito Um: os textos multimodais transmitem significado através da combinação deelementos que utilizam vários sistemas semióticos.Aqui, os autores ilustram sua definição de multimodal, com o exemplo de uma performance debalé, onde o espectador tem ao mesmo tempo acesso visual, auditivo e espacial. Outroexemplo seria um livro de ilustrações, no qual os elementos das imagens e as palavras sãodispostos em um espaço em páginas individuais, as quais contribuem para um conjunto globalde páginas compiladas.Conceito Dois: os textos multimodais utilizam e ultrapassam as fronteiras das artes,performance e design, seus conhecimentos, entendimentos e processos.Neste conceito, os autores mostram como o exemplo citado da apresentação de balé se baseianas artes, a própria dança, performance, movimentos dos dançarinos e expressões faciais, edesign, a combinação espacial dos elementos, no palco.Conceito Três: o papel da linguagem verbal nos textos multimodais é variável, nem sempredominante e somente parte do todo.Os autores chamam atenção neste conceito para o fato de o verbal não ser mais o meiosemiótico dominante, mas, antes, mais um elemento a ser recuperado pelo leitor em suainterpretação semântica-discursiva.Conceito Quatro: em um texto multimodal, o significado é distribuído através de todos oselemento, e cada elemento tem um papel em contribuir para o significado do texto como umtodo.É o que os autores chamam de conceito parte-todo. Segundo os autores, citando Kress e VanLeeuwen, 2006, esses papéis podem ser complementares, de reforço, ou hierárquicos. Osleitores experientes devem ser capazes de identificar como cada um desses modos contribuipara o significado todo, e atentar para aqueles que propiciam a informação mais pertinente nomomento. Como cada papel contribuirá para atingir seu propósito comunicativo.
  2. 2. Conceito Cinco: os diferentes modos têm diferentes especializações funcionais e são utilizadosseletivamente nos textos multimodais.Este conceito discute a importância do tempo e espaço nos textos multimodais, comoelementos que permitem ao leitor experiente diferentes percepções ou leituras, segundo ofoco do modo utilizado. Há casos em que se privilegia o espaço e outros em que o tempo émais utilizado. Porém, os autores afirmam que se o leitor utiliza uma tecnologia que permiteque ele construa significados a partir de uma série de episódios ou cenas (como um vídeo), ele,então, fará uso de ambos os modos.Conceito Seis: o significado de um texto multimodal é obtido por meio da coesão e coerênciaexistente dentro e entre seus elementos e o contexto de uso.A importância atribuída à coesão e coerência como fatores de construção de significados emum texto escrito, ocorre, aqui, por meio de repetição de cores e uso de vetores, por exemplo.No caso da coesão, temos, também, a coesão espacial e cronológica dos elementos.SEÇÃO IIComo os textos multimodais remodelaram a leituraO que importa aqui é o processo de leitura e interpretação dos modos que compõem ostextos. Temos que considerar os elementos presentes, a contribuição de cada um para osignificado total, a influência dos modos transmitidos pelo veículo e os padrões de coesão esua ênfase.Ainda, na visão de Walsh e Bearne, o leitor precisa ser capaz de se perguntar o que deve serobservado, como fazer sentido disso, o que deve ser ignorado, identificar as relações e os linksrelevantes tanto no que diz respeito ao conteúdo como entre os elementos e modospresentes. Em outras palavras, eles afirmam que a leitura de textos multimodais requer umtrabalho metacognitivo sofisticado. Para tanto, eles defendem a necessidade de se ter umentendimento do que podem fazer os recursos semióticos: Possibilidades dos veículos: o que é possível em face dos papéis de tempo e espaço; Possibilidades dos recursos semióticos: seus códigos e convenções e uso do tempo e espaço;SEÇÃO IIIComo os textos multimodais remodelaram a escritaA escrita, assim, como a leitura, abre aos produtores de texto maiores possibilidades emtermos de meios de produção e composição, de forma a atingirem o propósito comunicativodesejado. Isso quer dizer novos meios digitais-eletrônicos e semióticos a serem combinadossegundo o propósito, público e contexto.SEÇÃO IVNesta seção os autores fazem uma revisão do Modelo de Quatro Recursos e os TextosMultimodais, os quais foram apresentados anteriormente. Eles alertam para a importância deentendermos o design e a composição dos textos multimodais, e a influência que estes têmem nossa produção e utilização destes textos. Ainda, eles apresentam as duas posturas de
  3. 3. leitura/escrita resultantes da complexidade dos textos multimodais e de suas novastecnologias – postura passiva e postura ativa. Há uma mudança de controle, do texto (passiva)para o leitor (ativa).Como as mudanças tecnológicas não dão sinais de estagnação, este modelo apresentado pelosautores se torna muito eficaz para obtermos um equilíbrio entre os recursos (conhecimento ehabilidades) e as práticas (processos) de leitura/escrita. ‫لويز‬

×