Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Obturação dos canais radiculares.

1,215 views

Published on

Obturação de canais radiculares, técnicas e materiais disponíveis no mercado odontológico, baseado numa referência atual.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Obturação dos canais radiculares.

  1. 1. Professores Orientadores - Tárcia Falcão e Claudia Rizzi Reinaldo Reis Felipe Simões
  2. 2. DEFINIÇAO  “Obturar um canal radicular significa preenche-lo em toda sua extensão com um material inerte ou anti-séptico, selando hermeticamente o mesmo, não interferindo e, de preferência, estimulando o processo de reparo apical e periapical que deve ocorrer após o tratamento endodôntico radical.” LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  3. 3. OBJETIVOS “Selamento de toda a extensão da cavidade endodôntica, desde sua abertura coronária até seu término apical. Em outras palavras, o material obturador deve ocupar todo o espaço outrora ocupado pelo tecido pulpar, promovendo um selamento adequado nos sentidos apical, lateral e coronário.” SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  4. 4. PROPRIEDADES IDEAIS PROPRIEDADES BIOLOGICAS • Ação antimicrobiana • Estimular ou permitir a reparação tecidual • Ser reabsorvido no periápice ( extravasamento acidental) • Não ser mutagênico ou carcinogênico PROPRIEDADES FISICO-QUIMICAS • Facilidade de inserção • Ser plástico no momento da inserção tornando-se solido posteriormente. • Selamento mais hermético possível do canal radicular • Não deve ser permeável • Bom escoamento • Não ser solúvel no interior do canal • Ser passível de desinfecção • Fácil remoção • ETC LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  5. 5. Guta – percha gatah (goma) pertja (arvore) (origem malaia) OLIVEIRA & ISAIA; 1975. Introduzida primeiramente na endodontia, como material obturador, por Bowman em 1867, sendo ainda hoje o material mais popular e mais utilizado na obturação dos canais radiculares LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008 Histórico
  6. 6. Composição dos cones de guta-percha Guta-percha Óxido de zinco Outros 20% 1,5 a 15% 60 a 70% Outros: Carbonato de cálcio, sulfato de bário, sulfato de estrôncio, ceras, resinas, corantes, óleo de cravo, etc. LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  7. 7.  Técnica Protaper
  8. 8. bactérias
  9. 9. de
  10. 10. (IM).
  11. 11. Comprimento real de trabalho (CRT)
  12. 12. Plastificação e Termoplastificação da guta-percha
  13. 13. Plastificadores Therma prep plus SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  14. 14. Plastificadores Touch‘n Heat System B SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  15. 15. Plastificadores Obtura II Guta-pecha em bastões SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  16. 16. Termoplastificação John T. McSpadden 1980 Tagger 1984 (técnica híbrida) SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008 •Técnica baseada no principio de um parafuso de rotação reversa • Plastificação da guta-percha mediante a ação mecânica de um instrumento apropriado • Indispensável a utilização do contra-ângulo (baixa rotação) • Rotação no sentido horário
  17. 17. Termoplastificação A) Compactador de macSpadden B) Lima hedstrom A  Aço inoxidável  Diâmetro de 25 a 80mm  Comprimento de 21 e 21mm *Mais utilizados 35 e 55 diâmetro SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  18. 18. Termoplastificação Prova do cone principal de guta-percha Radiografia cone guta-percha principal com 2 ou 3 cones auxiliares juntamente com o cimento obturador (condensação lateral) radiografia Seleção do compactador de McSpadden de 1 a 2 números acima do cone principal Introdução do compactador distante 2 a 4 mm aquém do CRT (canais retos ou pouco curvos) Acionamento do contra-ângulo por no máximo 10 segundos Compactação vertical (condensador de Paiva) Radiografia final SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  19. 19. SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 Termoplastificação
  20. 20. Termoplastificação Baixo custo Rápida execução Satisfatório selamento apical Obturar obsorção interna, canais laterais e acessórios Possibilita a correção da obturação evitando a remoção de todo o material obturador Dispensa o uso de equipamentos especiais SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  21. 21. Conferir o sentido de rotação (teste da gaze) O compactador deve somente ser removido com o micromotor em funcionamento A termoplastificação deve se limitar somente aos terços médio e cervical O profissional não deve impedir, mas controlar o movimento de retrocesso do compactador Importante!!! SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  22. 22. Considerações finais Conhecimento anatômico Adequada instrumentação Condições necessárias para a realização do procedimento Escolha dos materiais obturadores adequados Conhecimento das técnicas disponíveis “Uma boa obturação é aquela que consegue proporcionar o preenchimento do canal radicular com ausência de espaços internos em todas as suas dimensões, o sepultamento microbiano residual e sempre que possível a estimulação de reparo periapical, garantindo assim o sucesso na terapêutica endodôntica. “ Soares & Reis, 2013

×