Treinamento brigada de incêndio

3,641 views

Published on

Segurança do Trabalho - Brigada de Incendio

Published in: Services
  • Be the first to comment

Treinamento brigada de incêndio

  1. 1. Brigada de Incêndio
  2. 2. Programa do Curso de Formação da Conteúdo Brigada de Incêndio 1. Introdução; 2. Prevenção contra incêndio; 3. Sistema e meios de prevenção; 4. Meios que retardam a propagação fogo; 5. Meios de desocupação; 6. Meios de combate a incêndio; 7. Teoria do fogo; 8. Propagação do fogo; 9. Classes de incêndios; 10. Métodos de extinção; 11. Pontos notáveis de combustão; 12. Agentes extintores; 13. Equip.extintores de incêndio; 14. Equip. detecção, alarme e comunicação; 15. Abandono de área; 16. Prática de comb. a incêndio; 17. Avaliação final.
  3. 3. Brigada de Incêndio Portaria Nº 001/2004 Normatiza e estabelece as condições mínimas para a formação, treinamento, certificação e recertificação de brigada de incêndio para atuação em edificações e áreas de risco no estado do Ceará. Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará
  4. 4. Brigada de Incêndio Norma Técnica é exigida em todas as edificações com área construída acima de 750m2 e/ou mais de dois pavimentos. Exceto edificações residências unifamiliares.
  5. 5. Brigada de Incêndio Independente da área ou número de pavimentos será exigido Brigada de Incêndio nas seguintes edificações: •Casas de fogos; •Postos de combustíveis; •Indústrias.
  6. 6. Brigada de Incêndio Composição da Brigada de Incêndio Nb = P x % • Número de brigadistas; • População fixa por pavimento; • Percentual de cálculo do anexo A.
  7. 7. Brigada de Incêndio Organização da Brigada de Incêndio A brigada de incêndio deve ser organizada funcionalmente como segue: •Brigadista •Líder •Chefe de brigada •Coordenador geral; •Assessor Técnico;
  8. 8. Brigada de Incêndio Organograma da Brigada Varia de acordo com o número de edificações, de pavimentos e o número de empregados em cada pavimento. •Edificação 01 pav.: 01 líder; •Edificação mais pav.: 01 líder p/pav. 01 chefe geral; •+ 01 Edif. + 01 pav.: 01 líder p/ pav. 01 chefe p/edif. 01 Coordenador.
  9. 9. Programa do Curso Formação de brigada Conteúdo 1.Curso tem carga horária de 20 h/a; 2.08 horas práticas; 3.Certificado tem validade de 2 anos; 4.A brigada deverá ter um assessor técnico; 5.Registrar em ata as reuniões; 6.Recertificação: - 2 anos - Teste teórico 80% aproveitamento;
  10. 10. Atribuições da brigada de incêndio Conteúdo 1. Ações de prevenção: a) Avaliação dos riscos existentes; b) Inspeção geral dos equipamentos de combate a incêndio; c) Inspeção geral das rotas de fuga; d) Elaboração de relatório das irregularidades encontradas; e) Encaminhar relatório aos setores competentes; f) Orientar população fixa e flutuante; g) Exercício simulado; h) Organizar plano de chamada dos brigadistas;
  11. 11. Atribuições da brigada de incêndio Conteúdo 2. Ações de emergência : a) Identificação da situação; b) Alarme / abandono de área; c) Acionar Corpo de Bombeiros / ajuda externa; d) Atendimento pré-hospitalar; e) Controle de pânico; f) Combate ao princípio de incêndio; g) Recepção e orientação ao Corpo de Bombeiros.
  12. 12. Procedimentos básicos de emergência 1. Alerta : Definir uma pessoa para acionar a sirene; Conteúdo 2. Análise da situação: Após o alerta a brigada analisa e a necessidade de ajuda externa; 3. Primeiros Socorros: Houver vítimas aplicar SBV ou RCP 4. Corte de energia: Cortar se necessário a energia elétrica dos equipamentos de setor; 5. Abandono de Área: Retirada total ou parcial dos funcionários de forma segura; 6. Confinamento do sinistro: Evitar propaga do sinistro; 7. Levantamento das causas: Ver causas e emitir relatório;
  13. 13. Conteúdo Atividades da Brigada de Incêndio 1. Reuniões ordinárias: Mensais organizada pelo Assessor Técnico e registrada em ata; 2. Reunião extraordinária: Após a ocorrência de um sinistro;
  14. 14. Introdução Um dos grandes marcos da história da civilização humana foi o domínio do fogo pelo homem. A partir daí foi possível aquecer e cozer os alimentos, fundir metais para fabricação de utensílios e máquinas, que possibilitaram o desenvolvimento do presente. Mas esse mesmo fogo que tanto constrói pode destruir muito. E quando ele nos ameaça, a reação do homem de hoje é igual a do homem primitivo: ele FOGE.
  15. 15. Beneficiamento Industrial Introdução O homem primitivo fugia por desconhecer a natureza do fogo e a forma de combatê-lo. Hoje, o homem não precisa mais fugir, pois conhece o fogo como um fenômeno químico e a partir daí sabe como lutar contra ele através de métodos e equipamento adequados. As brigadas de incêndio têm um papel fundamental, pois através da sua atuação teremos ações rápidas de combate ao princípio de incêndio e salvaguarda das pessoas. Quanto mais perfeita e eficiente se torna a prevenção menores serão as probabilidades de o fogo causar danos às pessoas e ao patrimônio.
  16. 16. Prevenção contra incêndio Beneficiamento Industrial A prevenção contra incêndio consiste numa série de medidas que visam principalmente: • Impedir o aparecimento de um princípio de incêndio; • Dificultar seu desenvolvimento; • Proporcionar sua extinção. SAÍDA DE EMERGÊNCIA Mantenham a calma e sem correrias... Alerta aos brigadistas. Local de encontro da Brigada
  17. 17. Sistemas e Meios de Prevenção Beneficiamento Industrial Os sistemas compreendem num conjunto de instalações destinadas à proteção contra incêndio, projetados por profissionais competentes conforme a área. Tais sistemas dividem-se em: • Projeto de prevenção contra incêndios; • Sistema proteção contra descargas atmosféricas; • Central de gás; • Proteção passiva em cabos de condutibilidade elétrica; • Brigada de incêndio; • Manutenção preventiva; •Fumódromo; •Campanhas educativas; SAÍDA DE EMERGÊNCIA
  18. 18. Sistemas e Meios de Prevenção Beneficiamento Industrial Os meios dividem-se em: • Meios que retardam a propagação do fogo; • Meios de desocupação ou saídas de emergências; • Meios de combate a incêndio; • Meios complementares de prevenção. SAÍDA DE EMERGÊNCIA
  19. 19. Meios que retardam a propagação do fogo • Parede corta-fogo; • Porta corta-fogo; • Pisos e tetos resistentes à combustão; • Vidros entelados; • Compartimentação e afastamento;
  20. 20. Meios de desocupação de área • Saídas de emergência; • Escadas; • Elevador de segurança; • Heliponto; • Área de refúgio; • Passarelas e pontes de ligação.
  21. 21. Meios de combate a incêndios • Extintores e incêndios; • Seleção de extintores segundo o risco; • Sistemas de hidrantes; • Reservatório; • Casa de bombas; • Canalização; • Mangueiras; • Abrigo; • Esguicho; • Mangotinhos; • Hidrante de recalque; • Sprinklers;
  22. 22. Meios complementares de prevenção • Tratamento com retardante contra chamas; • Sistema de iluminação de ermegência; • Dutos de ventilação; • Sinalização e aviso; • Sistema de alarme.
  23. 23. CURSO BÁSICBOen eDficiEam ento Industrial PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS
  24. 24. É O RESULTADO DE UMA REAÇÃO QUÍMICA CHAMADA DE COMBUSTÃO QUE TEM COMO CONSEQÜÊNCIA A GERAÇÃO DE LUZ E CALOR
  25. 25. PARA QUE HAJA ESSA REAÇÃO QUÍMICA É OBRIGATÓRIA A PRESENÇA DE NO MÍNIMO DOIS REAGENTES QUE, A PARTIR DE UMA CIRCUNSTÂNCIA FAVORÁVEL, PODERÃO COMBINAR-SE
  26. 26. ELEMENTOS ESSENCIABIeSne fiAciaOme nFto OIndGustOrial – Comburente: Elemento essencial à combustão representado pelo oxigênio. – Ar atmosférico: Gases existentes na natureza,incluindo os gases nobres. – Oxigênio em 21%: Absolutamente necessário ao processo.
  27. 27. ELEMENTOS ESSENCIABIeSne fiAciaOme nFto OIndGustOrial • Combustível – Sólido – Líquido – Gasoso
  28. 28. Beneficiamento Industrial CALOR OU TEMPERATURA • É o agente físico responsável pelo fornecimento da energia necessária para ativar o início da reação entre o combustível e o comburente, mantendo e propagando a combustão. 220 V
  29. 29. Ação do Calor As ações do calor causam três efeitos: • Primeiro efeito do calor: Elevação da temperatura. • Segundo efeito do calor: Aumento de volume dos corpos. • Terceiro efeito do calor: Mudança do estado físico da matéria.
  30. 30. O QUE ÉB eneficiamento Industrial NECESSÁRIO PARA QUE HAJA FOGO? A UNIÃO DE TRÊS ELEMENTOS BÁSICOS: MAT.COMBUSTÍVEL CALOR COMBURENTE
  31. 31. Condições favoráveis à combustão Beneficiamento Industrial • Negligência, imprudência ou imperícia. • Vamos tomar como exemplo a cozinha de uma residência. – combustível: mesa, cadeira, pano de prato, gás, etc. – comburente: oxigênio presente no ambiente (atmosfera) – calor: lâmpada incandescente ligada, fogão ligado, refrigerador ligado (motor).
  32. 32. IMPORTANTE Beneficiamento Industrial • Somente quando o combustível se apresentar sob a forma de vapor (ou gás), ele poderá, normalmente entrar em ignição. Sólido aquecimento aquecimento Líquido Vapor Sólido Vapor Líquido Vapor Gás aquecimento aquecimento Já se encontra no estado físico adequado
  33. 33. Condições favoráveis àBe nceoficmiambeuntso Itnãduostrial Calor Comburente Combustível
  34. 34. Beneficiamento Industrial REAÇÃO EM CADEIA COMBUSTÍVEL CALOR QUADRADO DO FOGO SÃO REAÇÕES QUE SE PROCESSAM DURANTE O FOGO PRODUZINDO SUA PRÓPRIA ENERGIA DE ATIVAÇÃO (CALOR) ENQUANTO HOUVER SUPRIMENTO DE COMBUSTÍVEL(OXIGÊNIO) E MATERIAL COMBUSTÍVEL PARA QUEIMAR.
  35. 35. Temperatura Beneficiamento Industrial • Ponto de fulgor: é a temperatura para a qual cada combustível libera vapores suficientes para serem inflamados por uma fonte externa de calor, mas não em quantidade suficiente para manter à inflamabilidade.
  36. 36. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DE INCÊNDIO Beneficiamento Industrial ABAFAMENTO 1 – RETIRA O OXIGÊNIO DO AR
  37. 37. O NOSSO AR Beneficiamento Industrial O AR NÃO EXISTIRÁ FOGO EM AMBIENTES COM MENOS DE 13 % DE O2 21% 78% 1% OXIGENIO NITROGENIO OUTROS GASES
  38. 38. MECANISMO DE EXTINÇÃO Beneficiamento Industrial PELO ABAFAMENTO • Comburente: – Ar atmosférico: oxigênio em 21%
  39. 39. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DE Beneficiamento Industrial INCÊNDIO RESFRIAMENTO 1 – RETIRA O CALOR
  40. 40. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DE INCÊNDIO Beneficiamento Industrial RETIRADA DO MATERIAL COMBUSTÍVEL 1- RETIRADA DO MATERIAL COMBUSTÍVEL DO AMBIENTE INCENDIADO
  41. 41. TRANSMISSÃO DE CALOR Beneficiamento Industrial
  42. 42. Beneficiamento Industrial CONDUÇÃO É O TIPO DE TRANSMISSÃO DE CALOR QUE TRANSMITE A TEMPERATURA MOLÉCULA À MOLÉCULA . EX: UMA COLHER NA ÁGUA FERVENTE...
  43. 43. Beneficiamento Industrial CONVECÇÃO A MASSA DE AR QUENTE SOBE E ENCONTRA UMA MASSA DE AR FRIA E COMO DOIS CORPOS NÃO OCUPAM O MESMO LUGAR NO ESPAÇO, HÁ A FORMAÇÃO DE UM LOOPING – AR QUENTE E AR FRIO. A TEMPERATURA DO AR QUENTE PODE ATINGIR O PONTO DE FULGOR DE ALGUNS MATERIAIS E INICIAR OUTRO INCÊNDIO EM OUTRO LOCAL. VEJAM O EXEMPLO...
  44. 44. Beneficiamento Industrial CONVECÇÃO
  45. 45. Beneficiamento Industrial IRRADIAÇÃO É A TRANSMISSÃO REALIZADA POR ONDAS CALORÍFERAS VINDAS DE UMA FONTE DE CALOR . SOL POR EXEMPLO...
  46. 46. CLASSES DE INCÊNDIO Beneficiamento Industrial CLASSE -A CLASSE - C CLASSE -B CLASSE -D CLASSE -K
  47. 47. Beneficiamento Industrial INCÊNDIO CLASSE A - CARACTERÍSTICAS: 1ª - QUEIMA NA SUPERFÍCIE E EM PROFUNDIDADE 2ª - QUEIMA DEIXANDO RESÍDUOS OU CINZAS
  48. 48. EXEMPLOS – CLASSE A Beneficiamento Industrial PAPEL BORRACHA TECIDO MADEIRA PLÁSTICOS OUTROS
  49. 49. Beneficiamento Industrial INCÊNDIO CLASSE B - CARACTERÍSTICAS: 1ª - QUEIMA SOMENTE NA SUPERFÍCIE E NÃO QUEIMA EM PROFUNDIDADE.
  50. 50. EXEMPLOS – CLASSE B Beneficiamento Industrial GASOLINA ACETONA ÉTER PIXE ÁLCOOL GÁS DE COZINHA
  51. 51. Beneficiamento Industrial CARACTERÍSTICAS: MATERIAIS ELÉTRICOS ENERGIZADOS
  52. 52. Beneficiamento Industrial METAIS PIROFÓRICOS ESTES METAIS NÃO SÃO ENCONTRADOS EM NOSSA FÁBRICA . SÃO ENCONTRADOS EM INDÚSTRIAS AUTOMOBILÍSTICAS POR EXEMPLO. RASPA DE ZINCO, LIMALHAS DE MAGNÉSIO , ETC...
  53. 53. 03 TIPOS DE EXTINTORES Beneficiamento Industrial ÁGUA CO2 PQS
  54. 54. Beneficiamento Industrial
  55. 55. EXTINTORES DE INCÊNDIO Beneficiamento Industrial ABAFAMENTO E RESFRIAMENTO CLASSE A : NÃO CLASSE B : SIM CLASSE C : SIM CLASSE D : NÃO
  56. 56. Beneficiamento Industrial 1,00 m 1,60 m 0,10 m 0,80 m 1,00 m 1,00 m 0,80 m 0,80 m 0,60 m 0,50 m 0,30 m 0,10 m 0,10 m
  57. 57. EXTINTORES DE INCÊNDIO Beneficiamento Industrial PQS PÓ QUÍMICO SECO ABAFAMENTO CLASSE A : NÃO CLASSE B : SIM CLASSE C : SIM CLASSE D : NÃO
  58. 58. Beneficiamento Industrial 1,60 m 0,10 m 0,80 m 1,00 m 1,00 m 0,80 m 0,80 m 0,60 m 0,30 m 0,10 m 0,10 m
  59. 59. Agentes Extintores Beneficiamento Industrial São substâncias SÓLIDAS, LÍQUIDAS E GASOSAS. Os Agentes Extintores devem ser empregados conforme a Classe de Incêndio. CLASSES DE INCÊNDIOS “A” “B” “C” “D” Agentes Extintores Água SIM NÃO NÃO NÃO Espuma SIM SIM NÃO NÃO Gases Inertes NÃO SIM SIM NÃO Pós Químicos NÃO SIM SIM NÃO
  60. 60. Como empregar o extintor corretamente, para cada classe? Beneficiamento Industrial
  61. 61. Manuseio do Extintor Beneficiamento Industrial 1º IDENTIFICAR A CLASSE DO INCÊNDIO 2º PEGAR O EXTINTOR DE ACORDO COM A CLASSE DE INCÊNDIO 3º APROXIMAR-SE, ATÉ UMA DISTÂNCIA SEGURA DO PRÍNCIPIO DE INCÊNDIO 4º TIRAR O PINO DE SEGURANÇA 5º TESTAR O EXTINTOR 6º VERIFICAR A DIREÇÃO DO VENTO 7º ACIONAR O EXTINTOR DIRECIONANDO O JATO PARA A BASE DO FOGO 8º APROXIMAR-SE FAZENDO VARREDURA 9° RECUAR COM O EXTINTOR ACIONADO 10º DEITAR O EXTINTOR APÓS O USO
  62. 62. PROCEDIMENTO PARA ABANDONO DE ÁREAS EM CASOS DE EMERGÊNCIAS
  63. 63. INSTRUÇÕES PARA ABANDONO DE ÁREA EM CASO DE EMERGÊNCIAS • Mantenha a calma e evite correrias • Aguarde orientação da Supervisão e Liderança • Brigadistas, Cipeiros, Equipe de Pânico e Socorristas Voluntários dirijam-se para o local de emergência • Em caso de Evacuação, sigam seus líderes até os locais de concentração até que a situação seja resolvida e só retorne ao seu setor mediante orientação dos mesmos
  64. 64. Atenção às 3 (três) sequências de toques da sirene
  65. 65. 1º TOQUE Brigada de Incêndio agirá neste momento e os demais empregados ficarão em alerta
  66. 66. 2º. TOQUE Desligue as Máquinas e Equipamentos e procure o seu Líder para preparar-se para um possível abandono da área. LIGA DESL.
  67. 67. 3º. TOQUE Acompanhe o seu LÍDER e abandone o seu local de trabalho pelas Saídas de Emergência SAÍDA DE EMERGÊNCIA
  68. 68. Mantenha a calma evitando correria e não faça brincadeiras, siga o Líder até o ponto de encontro.
  69. 69. Permaneça junto ao seu grupo e aguarde orientação para retorno ao local de trabalho.
  70. 70. Permaneça junto com seu grupo. Aguarde orientação da Coordenação(Seg. do Trabalho) para retorno ao local de trabalho.
  71. 71. Fábrica de Biscoitos Pilar (2001)
  72. 72. Fábrica de Biscoitos Pilar (2001)
  73. 73. Fábrica de Biscoitos Pilar (2001)
  74. 74. Fábrica de Biscoitos Pilar (2001)
  75. 75. “ Os acidentes acontecem onde a prevenção é falha ”
  76. 76. TEL. DO CORPO DE BOMBEIROS Beneficiamento Industrial NO BRASIL 193
  77. 77. Beneficiamento Industrial FIM

×