Organização e metodologia da educação infantil marilda

5,182 views

Published on

ATPS Organização e metodologia Anhanguera

Published in: Education
  • Be the first to comment

Organização e metodologia da educação infantil marilda

  1. 1. Faculdade Anhanguera de Osasco Curso de Pedagogia Atividades Práticas Supervisionadas Organização e Metodologia da Educação Infantil Maria Aparecida da Silva Gonçalves - RA 6751357184 Maria Eva Soares de Almeida - RA 6784455454 Marilda Pereira Dos Santos - RA 6574308134 Professora: Silvia Carbonari Krachevski Osasco - Setembro/2014
  2. 2. Introdução O conteúdo do trabalho de Organização e Metodologia da Educação Infantil tem como objetivo apresentar as transformações da Educação em diferentes décadas. As escolas passaram por profundas transformações em suas práticas e culturas, para enfrentarem os desafios no mundo contemporâneo. Na complexa tarefa de aprimoramento da qualidade do trabalho escolar podemos contar com a contribuição das teorias dos principais pensadores da área da pedagogia, bem como com a contribuição dos saberes, valores e experiências dos professores e até mesmo com a opinião dos alunos entrevistados. Atualmente temos disponível para nortear o corpo docente a LDB ( Diretrizes e Bases da Educação Nacional), um rico conteúdo para aplicação da pratica pedagógica atrelado com a teoria, somado aos fundamentos e metodologias para o desenvolvimento de todo conteúdo aplicado na Educação infantil, contando com a avaliação permanente para o sucesso ou fracasso escolar.
  3. 3. Colégio Nossa Senhora da Misericórdia Osasco - 1943 O Colégio Nossa Senhora de Misericórdia, inaugurado em 1943, através dos trabalhos das reverendas Úrsula Carew, Maria Éster Martins, Maria Celeste Ortiz Patto e Maria Silvia Lopes. após a benção e discursos de vários convidados de honra, Alzira Junqueira do Val, doou dez contos de réis, grande quantia em dinheiro para a época para ajudar nas instalações. A princípio, o Misericórdia atenderia a Escola Primária e Escola Profissional, porém como as obras do colégio ainda estavam inacabadas, foi iniciado o programa escolar apenas com o curso primário, contando com cerca de 76 alunos matriculados. As obras só foram terminadas em 1944. O Logotipo carrega o nome da escola e a citação: Coração a Deus – mãos – ao trabalho .
  4. 4. Colégio Misericórdia – Osasco - 1950 Quantidade de alunos 04 meninos e 14 meninas  Posicionamento dos alunos em fileiras  carteiras duplas de madeira, apesar dos alunos estarem sentados em trio ocasionalmente para serem fotografados.  Os alunos não usavam neste período uniformes determinado pela escola. Mas exigia-se que as roupas usadas fossem apropriadas e com moderação, ou seja as meninas tinham o hábito de usarem saias até o joelho, blusas sem decotes e cabelos presos. Já os meninos calça e camisa.  Por ser um ambiente escolar com cunho religioso, os alunos eram reservados e com comportamentos restritos e ordeiros.
  5. 5. ENTREVISTA Entrevista realizada com a ex-aluna do Colégio Nossa Senhora da Misericórdia VALDEREZ APARECIDA MIGUEL no ano de 1952 onde cursava o 1º ano do Ensino Fundamental Tipos de materiais utilizados: Livros e cadernos lápis, borracha, régua de madeira, lápis de cor, lancheira. Uniforme: Usávamos roupas comuns do dia-a-dia. Formas de agrupamento: Carteiras de madeira para dois alunos. Procedimento memoráveis dos professores: A professora da classe era rígida e exigente, não podíamos conversar. Memorias positivas: Apesar de estarmos na escola para estudarmos, também era um momento de brincar e ficar com as amigas, pois pouco saímos de casa. Músicas cantadas: Não tínhamos o hábito de cantar. Histórias ouvidas: Folclóricas e da Bíblia. Avaliação: Lição de casa e chamada oral, não recordo se tínhamos prova. Festas de confraternização: Não me recordo.
  6. 6. Colégio Misericórdia - Osasco - 2014 Atualmente s proposta pedagógica do Colégio realiza-se com pessoas que buscam a verdade à luz do Evangelho e compartilham o ideal de uma pedagogia Rosseliana que professa as ideias do saber, do afeto e da comunicação dentro de uma perspectiva de filosofia cristã, convergindo, dentro do espaço escola na construção de pessoas, tanto quanto possível, num clima de prazer e exigência. Seus objetivos principais são: 1º) Desenvolver em seus alunos, desde as séries iniciais, competências e habilidades encontradas na base de toda aprendizagem; 2º) Trabalhar numa metodologia que favoreça a auto aprendizagem por parte do aluno, introduzindo-o no processo de aprender a aprender para que desenvolva sua autonomia ao longo da vida.
  7. 7. Colégio Misericórdia – Osasco - 2014 Classe de 1º Ano Quantidade de alunos 14 meninos e 11 meninas  Posicionamento das crianças em fileiras de frente para a lousa.  Carteiras individuais  Cada aluno tem o seu próprio material padronizado  uniformizados com agasalho vinho e camiseta branca com o logotipo do colégio.  Sala de aula ampla, arejada e decorada.  Os alunos expressam alegria e espontaneidade, são receptivos a didática do colégio.  Os alunos acompanham a atualidade, porém mantendo a filosofia cirstã.
  8. 8. ENTREVISTA Entrevista realizada com a aluna do Colégio Nossa Senhora da Misericórdia BÁRBARA CARDOSO no ano de 2012 onde cursou o 1º ano do Ensino Fundamental – atualmente aluna do 3º ano Tipos de materiais utilizados: Livros e cadernos , apostila padronizadas e todo material escolar disponíveis no mercado. Utilizamos tablet para consulta em classe. Uniforme: Usamos uniformes (Inverno e verão) agasalhos vinho com camiseta branca, com o logotipo do colégio. Formas de agrupamento: Carteiras individuais. Procedimento memoráveis dos professores: A professora da classe sempre foi atenciosa e paciente, embora exigisse mantermos a ordem na classe . Memorias positivas: Após as explicações da professora utilizava jogos coloridos, figuras e fantoches para ajudar na fixação, os momentos lúdicos eram os melhores. Músicas cantadas: Cantigas de roda, corre cotia, Galinha Pintadinha, Carrosel etc.. Histórias ouvidas: Chapéuzinho vermelho, os 3 porquinhos, João e o pé de feijão, clássicos com Princesas e folclóricas. Avaliação: Lição na apostila, trabalhos em classe. Festas de confraternização: Todas as datas festivas do calendário da escola,e aniversariantes do mês, formatura etc.
  9. 9. Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Em sua teoria Piaget identifica quatro estágios de evolução mental, onde cada período o pensamento e o comportamento infantil é caracterizado por uma forma específica de conhecimento e raciocínio. - 1º período: sensório motor (0 a 2 anos); - 2º período: pré-operatório (2 a 7 anos); - 3º período: operações concretas (7 a 11 ou 12 anos); - 4º período: operações formais (11 ou 12 anos em diante). Piaget concretizou que a motricidade se dá por volta dos 5 meses, onde as crianças conseguem coordenar seus movimentos. Dos dois aos sete anos há maturação neurofisiológica ampliando a motricidade, aumentando gradativamente os movimentos, dando início a coordenação motora fina. Em relação a linguagem a criança começa a imitar regras e conhecer palavras. Em sua teoria psicogenética estabelece como se dá a construção do conhecimento pelo indivíduo, trazendo um importante subsídio para a prática pedagógica, pois nos ajuda a compreender melhor a criança. Jean William Fritz Piaget “O principal objetivo da educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas e não repetir o que as outras gerações fizeram” (Jean Piaget)
  10. 10. Lev Semenovitch Vigotsky Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Vigotsky constituiu teses em relação ao pensamento e a linguagem um dos pressupostos de sua teoria é que as origens das formas superiores de comportamento consciente devem ser achados nas relações sociais que o homem mantém. Para Vigotski, inicialmente a fala acompanha a motricidade, a criança passa a ter controle de uma forma de sinal pelas relações sociais e interativas. A linguagem e a cognição estão alicerçados ao plano das interações, todos os movimentos e expressões verbais da criança. Para Vygotsky, existe uma Inter-relação fundamental entre pensamento e linguagem, na qual um proporciona recursos ao outro. “ A estrutura da língua que uma pessoa fala influencia a maneira com que esta pessoa percebe o universo”. (Lev Vigotsky).
  11. 11. Henri Paul Hyacinthe Wallon Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Conhecido por seu trabalho científico sobre psicologia do desenvolvimento, voltado a infância, assume uma postura interacionalísta, e por sua atuação política e posicionamento marxista. Sua teoria considera o desenvolvimento da pessoa completa, integrada ao meio social, considerando-se aos aspectos afetivo, cognitivo, motor integrados. Para Wallon a motricidade e seu desenvolvimento está ancorado neurologicamente como condição e limite, com as habilidades de linguagem. Com a maturação neurológica, os reflexos são inibidos e a criança torna-se capaz de realizar exercícios sensório-motores. Wallon acreditava serem aptidões cultivadas desenvolvidas em contato com a cultura e não apenas inatas. As condições físicas, orgânicas e do meio em que a criança vive também influenciam no desenvolvimento cognitivo. “O indivíduo é social não como resultado de circunstâncias externas, mas em virtude de uma necessidade interna.” (Henri Wallon)
  12. 12. Maria tecla Artemisia Montessori Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Dedicou-se a crianças anormais na clinica da universidade de Roma, seu método de abordagem bio-psicológica, continua atual e questiona rótulos de normalidades e anormalidades entre as crianças, pois acredita que o desenvolvimento das crianças dependem de estímulos e de um ambiente propício para elas. Para Montessori, quanto motricidade, toda característica de uma criança é adquirida por um impulso, a motricidade não é cognitiva e sim o fruto de um esforço guiado por instintos. As crianças precisam ser respeitadas em seu tempo de maturação e limitações. A linguagem é uma forma da criança interagir com o meio, a aprendizagem e a cognição ocorrem por conta própria, ou seja a criança esta apta a aprender por si própria se for apresentados recursos E condições para seu desenvolvimento. “A preparação que nosso método exige do professor é o autoexame, a renúncia à tirania. Deve expelir do coração a ira e o orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade” ( Maria Montessori)
  13. 13. Waldorf Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Para a escola Waldorf, cada idade tem suas necessidades. No primeiro período aprende-se por imitação. A educação Waldorf procura um equilíbrio entre os trabalhos artísticos, acadêmicos e práticos, educando a criança, envolvendo as emoções, o físico e o cérebro. Na pedagogia dá-se importância a educação no primeiro setenio, por tratar-se da fase da vida na qual se desenvolve a organização do corpo físico, A motricidade se dá nos primeiros meses até três anos , onde a criança sente necessidade de se movimentar, dos quatros aos cinco a necessidade e de conquistar a consciência corporal, respondendo aos estímulos dos adultos, com a alfabetização precoce. Rudolf Steiner por Waldorf A partir dos cinco anos a criança desenvolve um comportamento diferente, pois a linguagem a imaginação se cristaliza levemente em representações mentais das experiências vividas pelo seu próprio meio. Dos sete anos em diante a criança passa a ter pensamentos concretos e compreensão da ideias.
  14. 14. Celestin Freinet Desenvolvimento Humano: Motricidade: Linguagem e Cognição: Desenvolveu seu método pedagógico a partir de 1920. Embora não tivesse uma sólida base teórica, as observações dos alunos forneceu-lhe uma série de dados que usaria para transformar radicalmente a forma de ensino. Para Freinet o desenvolvimento da motricidade de cada humano deve respeitar sua individualidade, mas se ter problemas de interação social. A linguagem e a cognição se fundamentam em quatro eixos, cooperação, comunicação, documentação e afetividade. Utilizando diversas formas de aplicação de atividades, através dos recursos didáticos e materiais para o desenvolvimento da linguagem. Se não encontrarmos respostas adequadas a todas as questões sobre educação, continuaremos a forjar almas de escravos em nossos filhos. (Celestin Freinet)
  15. 15. Avaliação na educação Infantil Avaliar na Educação Infantil é ter sempre como alvo a criança de 0 a 6 anos, pensar não só no aspecto biológico mas também psicológico, educacional e social. Neste sentido a avaliação só tem significado quando promove o avanço da aprendizagem e do desenvolvimento infantil, e voltada para o diagnóstico da realidade, preocupada em superar barreiras que impedem o desenvolvimento com qualidade da criança, que seja realizada com posturas críticas e que tenha o compromisso de todos (comunidade escolar e gestores de políticas públicas), em função do alcance dos objetivos propostos após avaliação, sempre buscando como resultado final alternativas de ações que atenda as necessidades infantis dentro do contexto social mais amplo a qual as crianças estão inseridas. Na Educação Infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental. (Lei 9394/96, Artigo 31).
  16. 16. Tipos de Métodos Avaliativos na Educação Infantil  Diagnóstica: A principal característica desta avaliação é o seu aspecto preventivo, já que ao conhecer as dificuldades dos alunos no início do processo educativo, é possível prever suas reais necessidades e trabalhar em prol de seu atendimento.  Formativa: A mais importante características da avaliação formativa é a capacidade em gerar, com rapidez, informações úteis sobre etapas vencidas e dificuldades encontradas, estabelecendo um feedback contínuo sobre o andamento do processo de ensino e aprendizagem. Nesta avaliação é possível ter os subsídios para a busca de informações para solução de problemas e dificuldades surgidas durante o trabalho com o aluno. Por acontecer durante o processo de ensino e aprendizagem possibilita a proximidade, o conhecimento mútuo e o diálogo entre professor e aluno.  Somativa: Fornece informações sintetizadas que se destinam ao registro e à publicação do que parece ter sido assimilado pelos alunos. Ou seja, seus resultados servem para verificar, classificar, situar, informar e certificar. Essa modalidade avaliativa sintetiza as aprendizagens dos alunos tendo por base critérios gerais.
  17. 17. Instrumentos utilizados para Avaliação na educação Infantil:  Observação: A observação não é apenas um instrumento descritivo, mas um recurso de investigação e planejamento. È indispensável a quem acompanha o desenvolvimento da criança valorizar o momento onde ela durante sua manifestação espontânea ou não, pode revelar ou desvelar saberes, desejos e intenções sobre si mesma e sobre o mundo.  Registros: Na Educação Infantil, por exemplo, o registro feito pelo professor sobre os processos de aprendizagem do grupo como um todo e de cada criança em particular é a fonte de informações que norteará a avaliação. É o educador quem comunica aos pais e às próprias crianças os avanços e conquistas. Estes registros são feitos em cadernos padronizados, fichas, ou relatórios durante todo o ano letivo.  Portfólios: O portfólio é um dos instrumentos utilizados para produzir esse balanço das aprendizagens. Essa concepção encontra amparo legal na LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) onde declara que: “a avaliação pressupõe sempre referências, critérios, objetivos e deve ser orientadora, ou seja, deve visar o aprimoramento da ação educativa, assim como o acompanhamento e registro do desenvolvimento da criança que deverá ter como referência, objetivos estabelecidos no projeto pedagógico da instituição e pelo professor.
  18. 18. http://www.pedagogiaaopedaletra.com.br/posts/celestin-freinet-o-mestre-do-trabalho-e-do-bom-senso/. Acesso em: 06/09/14 as 7:46 Último acesso em 05/09/14 as 9:01 http://alb.com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais15/alfabetica/GarmsGilzaMariaZauhy3.htm - último acesso em 06/09/14 as 11:14 http://paraalmdocuidar-educaoinfantil.blogspot.com.br/2009/08/observacao-e-avaliacao-na-educacao.html Último acesso 09/09./14 as 17:12 PIAGET: O desenvolvimento humano na teoria de Piaget. Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/d00005.htm. Acesso em: 16/09/14 as 12:13 VYGOTSKY: Vygotsky e o desenvolvimento humano. Disponível em: http://www.gime.ufjf.br/arquivos/Vygotsky_e_o_desenvolvimento_humano.pdf. Acesso em: 16/09/14 as 13:10 WALLON: Semana da Educação 2008. Disponível em: http://www.educacao.uerj.br/SemanaEducacao2008/Trabalhos/arq377.pdf. Acesso em: 16/09/14 as 14:01 MONTESSORI: Direcional Escola. Disponível em: http://www.omb.org.br/pdf/montessori_revista_direcional_2007_04.pdf Acesso em: 16/09/14 as 14:45. Maria Montessori, a médica que valorizou o aluno. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/medica-valorizou-aluno-423141.shtml. Acesso em: 16/09/14 as 15:20 WALDORF: A pedagogia Waldorf. Disponível em: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/per14.htm#parte4. Acesso em: 16/09/14 as 15:54 FREINET: Pedagogia Freinet e as contribuições para se pensar a Educação infantil atual. Disponível em: http://prope.unesp.br/xxi_cic/27_36814451840.pdf. Acesso em: 16/09/14 as 16:10 Célestin Freinet, o mestre do trabalho e do bom senso.Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Lev+Semenovitch+Vygotsky&rlz=1C1GGGE_pt- BRBR453BR453&es_sm=93&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=FIUXVLmHO8WRgwSg6YF4&ved=0CAgQ_AUoAQ último acesso em 16/09/14 as 17:42

×