higiene

6,215 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,215
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
60
Actions
Shares
0
Downloads
206
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

higiene

  1. 1. “ Contribuições da Informática para a Educação Inclusiva” <ul><li>14/06/2006 </li></ul><ul><li>Rúbia Paula G. Campos </li></ul><ul><li>Marcel Estevan L. Medeiros </li></ul><ul><li>Rafael Silva Guilherme </li></ul>
  2. 2. Prefeitura Municipal de Betim Secretaria Municipal de Educação Centro de Referência e Apoio à Educação Inclusiva – “Rafael Veneroso” V Semana de Tecnologia “Transformações na prática profissional com a inserção das tecnologias na educação”
  3. 3. EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>CONSTITUIÇÃO FEDERAL </li></ul><ul><li>Cidadania e a dignidade da pessoa humana (art.1°, inc. II, III), promoção de TODOS, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação (art.3°, inc. IV). </li></ul><ul><li>O direito à igualdade (art. 5). </li></ul><ul><li>O direito de TODOS à educação (artigo 205). </li></ul><ul><li>“A igualdade de condições de acesso e permanência na escola” (art. 2006, inc. I). </li></ul>
  4. 4. EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>Educação Especial perpassa: </li></ul><ul><li>- Educação Superior </li></ul><ul><li>- Educação Básica: </li></ul><ul><li>Ensino Médio </li></ul><ul><li>Ensino Fundamental </li></ul><ul><li>Educação Infantil </li></ul>
  5. 5. EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>A Educação inclusiva preconiza um ensino em que aprender é um ato não linear, contínuo, fruto de uma rede de relações que vai sendo tecida pelos aprendizes em ambientes escolares que não discriminam, não rotulam e oferecem chances incríveis de sucesso para todos, dentro das habilidades, interesses e possibilidades de cada aluno. </li></ul>
  6. 6. EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>Não falamos de portadores de deficiência ou deficientes. </li></ul><ul><li>Falamos de NECESSIDADES ESPECIAIS </li></ul><ul><li>Na escola : NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS </li></ul>
  7. 7. NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS * <ul><li>I- Dificuldades acentuadas de aprendizagem ou limitações no processo de desenvolvimento que dificultem o acompanhamento das atividades curriculares.Dois grupos: </li></ul><ul><li>Aquelas não vinculadas a uma causa orgânica específica; </li></ul><ul><li>Relacionados a condições, disfunções, limitações ou deficiências; </li></ul>
  8. 8. NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS <ul><li>Dificuldades de comunicação e sinalização diferenciadas dos demais alunos, demandando a utilização de linguagens e códigos aplicáveis; </li></ul><ul><li>Altas Habilidades/ superdotação. </li></ul><ul><li>*Fonte: Resolução CNE/CEB N° 2, de 11 de setembro de 2001 </li></ul>
  9. 9. NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
  10. 10. ESCOLA E TECNOLOGIA <ul><li>A presença dos computadores na sociedade contemporânea transforma a escola num segmento apropriado para a inserção da tecnologia. </li></ul><ul><li>Torna-se importante um elemento de medição e transformação da prática pedagógica convencional, possibilitando assim o trabalho educacional interativo através de recursos multimídia (imagem, som, movimento, cores) e da internet. </li></ul>
  11. 11. INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>Diante dos avanços tecnológicos do mundo de hoje, o computador se tornou um instrumento potencial no favorecimento da aprendizagem. </li></ul>
  12. 12. INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>Adequação dos recursos às NEE’s </li></ul><ul><li>COMPUTADOR : </li></ul><ul><li>novos aprendizados; </li></ul><ul><li>habilidades cognitivas; </li></ul><ul><li>habilidades afetivas; </li></ul><ul><li>habilidades psicomotoras; </li></ul><ul><li>aquisição de informações; </li></ul><ul><li>atualização cultural e outros. </li></ul>
  13. 13. INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO INCLUSIVA <ul><li>Computador como instrumento catalisador do processo de construção do conhecimento; </li></ul><ul><li>Utiliza-se metodologias interativas que conduzam o aluno de NEE’s a vivenciar experiências de aprendizagem significativas para o desenvolvimento de suas habilidades e potencialidades sócio-cognitivas. </li></ul>
  14. 14. TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>“É toda e qualquer ferramenta ou recurso utilizado com a finalidade de proporcionar uma maior independência e autonomia à pessoa com deficiência”. </li></ul>
  15. 15. TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>O objetivo da Tecnologia Assistiva é proporcionar à pessoa com NE’s maior independência, qualidade de vida e inclusão social, através da ampliação da comunicação, mobilidade, controle do seu ambiente, habilidades de seu aprendizado, competição, trabalho e integração com a família, amigos e sociedade. </li></ul>
  16. 16. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Adaptações para Atividades da Vida Diária: </li></ul>
  17. 17. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Dispositivos para Utilização de Computadores: </li></ul>
  18. 18. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Adaptações Estruturais em Ambientes Domésticos, Profissionais ou Públicos: </li></ul>
  19. 19. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Adaptações para Déficits Visuais e Auditivos: </li></ul>
  20. 20. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Adaptações em Veículos: </li></ul>
  21. 21. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Sistemas de Comunicação Alternativa: </li></ul>
  22. 22. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Adequação da Postura Sentada: </li></ul>
  23. 23. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Equipamentos para a Mobilidade: </li></ul>
  24. 24. CATEGORIAS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA <ul><li>Unidades de Controle Ambiental: </li></ul>
  25. 25. PROJETO OFICINA DE INFORMÁTICA CRAEI – “RV” <ul><li>OBJETIVO: Utilizar o laboratório de informática como espaço de experiências e aprendizagens interativas para alunos com necessidades educacionais especiais; </li></ul>
  26. 26. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Noções básicas de informática; </li></ul><ul><li>Despertar atenção e concentração; </li></ul><ul><li>Instigar a curiosidade do aluno; </li></ul><ul><li>Desenvolver o raciocínio lógico e memorização; </li></ul><ul><li>Enriquecer o planejamento didático-pedagógico capacitando o corpo docente com uma nova ferramenta de trabalho e pesquisa (Internet); </li></ul><ul><li>Desenvolver a coordenação visuo-motora; </li></ul><ul><li>Promover incentivos a formação dos alunos em computação e digitação, bem como capacitando e disponibilizando-os para o mercado de trabalho como mão-de-obra qualificada. </li></ul><ul><li>Desenvolver a linguagem oral, leitura e escrita promovendo ao mesmo tempo, entreterimento e divisão . </li></ul>
  27. 27. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Educação Infantil </li></ul><ul><li>Iniciação à Informática; </li></ul><ul><li>Utilização de Paint (Programa de desenho); </li></ul><ul><li>Jogos educativos infantis; </li></ul>
  28. 28. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Deficientes Auditivos </li></ul><ul><li>Introdução à Informática; </li></ul><ul><li>Windows 98 – Office ( Word / Excel / Power Point / Internet / Paint) </li></ul><ul><li>Aprofundar os conhecimentos em Libras através do CD Rom – Dicionário de Libras. </li></ul>
  29. 29. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Deficientes Visuais </li></ul><ul><li>Introdução à Informática; </li></ul><ul><li>Windows 98 – Office ( Word / Excel / Power Point / Internet / Paint); </li></ul><ul><li>Noções básicas de informática através do Sistema Dosvox e JAWS; </li></ul>
  30. 30. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Deficientes mentais e crianças com dificuldades acentuada de aprendizagem </li></ul><ul><li>Utilização de softwares específicos como suporte para o trabalho realizado em sala de aula; </li></ul>
  31. 31. OFICINA DE INFORMÁTICA <ul><li>Disfunção Neuromotora </li></ul><ul><li>Utilização dos instrumentos adaptados que permitem o manuseio do computador. </li></ul><ul><li>Utilização de softwares específicos para o seu desenvolvimento e desempenho cognitivo. </li></ul>
  32. 32. CONCLUSÃO <ul><li>A utilização do computador nas salas de aula deve constituir-se uma ferramenta cognitiva para alunos e professores, uma vez que o computador é um instrumento privilegiado de mediação no processo de ensino-aprendizagem e de apropriação cognitiva. </li></ul>
  33. 33. Relato de experiência com alunos com deficiência visual
  34. 34. Obrigado! <ul><li>CRAEI-”RV” Tel.: 3532 2389 </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×