Técnicas para a coleta de dados

99,833 views

Published on

Published in: Education

Técnicas para a coleta de dados

  1. 1. FASES DA PESQUISA FASE DE ESTUDO (Planejamento/Projeto de Pesquisa) FASE DE EXECUÇÃO Análise de Conteúdo/Coleta e Análise de Dados) FASE DO RELATÓRIO (Monografia, TCC, PCE)
  2. 2. COLETA E ANÁLISE DOS DADOS
  3. 3. MÉTODO • Caminho trilhado pelos cientistas para atingir um determinado objetivo (busca da verdade). (Estratégia) • Conjunto de diversas etapas ou passos que devem ser dados para a realização da pesquisa. • Caminho ordenado e sistemático que se percorre na busca do conhecimento. “O método estabelece o COMO fazer”
  4. 4. Método - Escolha de procedimentos sistemáticos para a descrição e explicação de fenômenos. O que são procedimentos metodológicos? São caminhos previstos pelo método científico: Problema Objetivos ?Referencial Téorico Análise e Interpretação de dados /Teorias Conclusões ou Considerações Finais Coleta de dados Resultados de pesquisa
  5. 5. TÉCNICA S Conjunto de procedimentos ou processos de uma ciência, nas diversas etapas do método. A técnica - que instrumentos utilizar para a coleta e análise dos dados.
  6. 6. Técnicas de Coleta de Dados Existem dois tipos de dados: Dados primários - dados que ainda não sofreram estudo e análise. Para coletá-los utilizar as seguintes técnicas: 1 - Entrevistas a)Estruturadas b)Não estruturada c)Semi-estruturada d)Entrevista informal 2 - Questionários  Questões abertas/ fechadas/Mistas 3- Formulários  Questões abertas/fechadas/Mistas 4 - Observação participante Dados secundários - dados que já se encontram disponíveis, pois já foram objeto de estudo e análise (livros, teses, etc.).
  7. 7. 1 - ENTREVISTAS  a) Entrevistas estruturadas – Consiste em levar o entrevistado a responder perguntas previamente estabelecidas, independente de ter havido contato anterior com a população a ser estudada.  b) Entrevistas não-estruturada – Não há perguntas elaboradas, a entrevista discorre da forma mais aberta possível. O entrevistador guiará a entrevista obedecendo a uma ordem na descrição dos fenômenos de interesse da pesquisa.
  8. 8.  c) Entrevistas semi-estruturada – Meio termo entre os dois tipos citados. As perguntas são parcialmente formuladas pelo pesquisador antes de ir ao campo, apresentando grande flexibilidade, pois permite aprofundar elementos que podem ir surgindo durante a entrevista.  d)Entrevista informal – Para esse tipo de entrevista é essencial que o pesquisador disponha de um diário de campo para que possa ir registrando todos os eventos vistos e ouvidos durante o processo.
  9. 9.        Técnicas de Investigação Entrevista Científica Possibilita a obtenção de dados referentes aos mais diversos aspectos da vida social. É eficiente para a obtenção de dados em profundidade e com grupos pequenos (não aceitar só sim ou não/explicação). Os dados obtidos são suscetíveis de classificação/ quantificação/qualificação. Não exige que a pessoa entrevistada saiba ler. Possibilita um maior número de respostas, pois é mais fácil se negar a responder a um questionário do que na entrevista. Oferece maior flexibilidade ao pesquisador. Possibilita captar a expressão corporal do entrevistado.
  10. 10. Técnicas de coletas de dados no Contexto Grupal - consistem em estratégiasENTREVISTA GRUPAL instrumentos como únicas/complemento de outros observação, entrevista individual, mais comum uso em métodos qualitativos de pesquisa (MINAYO, 2007). Adequada à abordagem de grupos sociais atingidos coletivamente por fatos ou situações específicas. Têm em comum a interação do pesquisador e sua equipe junto a pequenos grupos.        Exemplos: Grupo focal Entrevista coletiva Sociodrama Oficinas Workshops Entrevista semi-estruturada coletiva Entrevistas comunitárias (LAKATOS; MARCONI, 1986).
  11. 11. 2-Questionário - Quando auto administrados (preenchidos pelo entrevistado). As questões podem ser divididas em:  Abertas (permite maior liberdade ao entrevistado)  Fechadas (permite menor liberdade na resposta).  Mistas (onde apareçam os dois tipos de questões)
  12. 12. Questionário  Instrumento de coleta de dados – perguntas respondidas por escrito e sem a presença do        entrevistador. Economiza tempo, viagens e obtém grande número de dados. Atinge maior número de pessoas. Abrange uma área geográfica mais ampla. Economiza pessoal (treinamento/trabalho de campo). Há maior liberdade nas respostas em razão do anonimato. Há menos risco de distorção (pela não influência do pesquisador). Há mais tempo para responder e em hora favorável
  13. 13. Desvantagens          Percentagem pequena de questionários que voltam. Grande número de perguntas sem respostas. Não pode ser aplicado a pessoas analfabetas. Impossibilidade de explicação em questões mal compreendidas. Na leitura de todas as perguntas, uma questão pode influenciar a outra. A devolução tardia, pode prejudicar o calendário ou sua utilização. O desconhecimento das circunstâncias em que foram preenchido, torna difícil o controle e a verificação. Nem sempre é o escolhido quem responde o questionário, portanto, invalida-se as questões. Exige um universo mais homogêneo.
  14. 14. 3-Formulário  Documento com campos pré-impressos onde são preenchidos os dados e as informações, que permite a formalização das comunicações, o registro e o controle das atividades das organizações (OLIVEIRA, 2005). Quando coletados por meio  Os formulários se de entrevistas diretas e subdividem em formulários pessoais, com dados preenchidos pelo planos, contínuos e entrevistador. eletrônicos (CURY, 2005)
  15. 15.  OBS: Se for possível testar seus instrumentos após a elaboração do seu questionário ou formulário, principalmente quando é quantitativa: Realizar um rápido pré-teste ou estudo piloto, entrevistando algumas pessoas do universo de sua pesquisa, para avaliar a qualidade, clareza, validade e confiabilidade de seus instrumentos.
  16. 16.  4 - Observação participante Técnica – utiliza os sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade. Se realiza através do contato direto do pesquisador com o fenômeno observado para obter informações sobre a realidade dos atores sociais em seus próprios contextos.
  17. 17.  O observador estabelece uma relação face a face com os observados.  Ele pode modificar e ser modificado pelo contexto.  Importância da técnica - no fato de que se pode captar uma variedade de situações ou fenômenos que não são obtidos por meio de perguntas, uma vez que, observados diretamente na própria realidade, transmitem o que há de mais importante e evasivo na vida real (MINAYO, 1994).  É importante comprovar dados, para complemento de outros obtidos durante as entrevistas formais e muito mais para obter dados ainda não citados durante as mesmas.
  18. 18.  Ficha de Observação – deve ser elaborada e constar nos apêndices/descrever.  Registro das falas - dos atores sociais da investigação, pode-se usar um sistema de anotação simultânea da comunicação e/ou gravações.  Fotografias e Filmagens - são recursos de registros visuais que ampliam o conhecimento do estudo, proporcionando documentar momentos ou situações que ilustram o cotidiano vivenciado.
  19. 19. Análise de dados Seleção Codificação Análise Tabulação
  20. 20. Seleção Exame minucioso dos dados. Verificação crítica, a fim de detectar falhas ou erros, evitando informações confusas, distorcidas, incompletas, que podem prejudicar o resultado da pesquisa. Exemplo: grande quantidade de dados instruções mal compreendidas.
  21. 21. Codificação Técnica operacional utilizada para “categorizar” os dados que se relacionam. Mediante a codificação, os dados são transformados em símbolos, podendo depois ser tabelados e contados. • Classificação dos dados em categorias. •Atribuição de um código, número ou letra.
  22. 22. Tabulação Disposição dos dados em tabelas, quadros, gráficos se necessário (pesquisas mais quantitativas), possibilitando maior facilidade na verificação das interrelações entre eles. Parte do processo técnico de análise estatística, permite sintetizar os dados de observação, conseguidos pelas diferentes categorias e representá-los graficamente.
  23. 23. Análise Atividade intelectual procura dar um significado mais amplo às respostas, vinculando-as a outros conhecimentos/teorias (Referencial Teórico). Parte mais importante do PCE Interpretação - exposição do verdadeiro significado do material apresentado, em relação aos objetivos propostos/ tema/teoria.
  24. 24. Quando o homem começa com certezas, termina com dúvidas, mas se ele se contenta em começar com dúvidas terminará com certezas. Francis Bacon (1561-1626)

×