Revista pro news 153

741 views

Published on

Published in: Career
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • http://www.sendspace.com/file/8kn03w
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
741
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista pro news 153

  1. 1. Capa | Feliz Comunicação ano XIV | dezembro de 2012
  2. 2. DESDE 1999 ano XIVÍNDICE nº 153 dezembro 2012Feliz Comunicação (PE)CAPADificuldades e tendências revista de comunicação e marketing NEdos diários impressos RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATALdiante do desafio de se JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINAmanterem relevantes na ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULOconvivência com as novas A Revista PRONEWS é uma publicação mensaltecnologiais. de Walter Lins Pinheiro Junior Editora - ME Empresarial Tacaruna - Av. Governador19 Agamenon Magalhães, 3341, Sls. 205/206. Torreão. CEP: 50.070-160. Fones: (81) 3426.6144 / 3034.6144 :: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - subeditora, Ivelise Buarque e Matheus Torreão redacao@revistapronews.com.br ENTREVISTA :: COLABORADORES Anderson Lima e Marina Barbosa Na entrevista deste mês, Rogério Angelim fala sobre mercado, :: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br mídias sociais, estratégias de marketing e comunicação :: DEPTº FINANCEIRO Nise Lins publicitária frente ao novo cenário pautado pelas novas :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br tecnologias. 14 :: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br RD Produções e Eventos - Ricardo Douglas (SE - 79 3044.7013/9972.2214) - rdproducoes@infonet.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330)A VEZ DO CLIENTE renato@omegamidia.com.brCom conceito diferenciado, :: DISTRIBUIÇÃOa baiana Perini aporta em terras LogResolve (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3203.1812)pernambucanas no Shopping Riomar. Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902)24 www.verdesmares.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566)GIRO 6 GIRO BRASIL 8 FICHA TÉCNICA 10 E 34 grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplaresNA WEB 28 VITRINE 34 CLICK 37 Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BTDE OLHO NA CAMPANHA 40 Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 40Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS.Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.04 WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR
  3. 3. GIROQUE DELÍCIA DE FOTO campanha com o mote “8Bisz – ativação por quem maisQuem curte tirar fotos de café e entende de verão e Carnaval na Bahia”. A campanha é com-postar no Instagram? Agora a posta por peças para mídia impressa, eletrônica, redes sociaismania pode dar prêmios em toda e email marketing e será publicada em alguns dos veículosa rede de Coffee Shop São Braz. A especializados do pais. A empresa também inova ao apresen-ação foi criada pelo núcleo digital tar ao mercado uma estrutura empresarial e de gestão queda Aporte Comunicação. Para permite a realização de projetos em todas as capitais da regiãoparticipar, basta fazer uma foto Nordeste.nas cafeterias da marca e postarno Instagram usando a hashtag#eucurtosaobraz. Outra opção éenviar a foto na página no Facebo-ok, por meio de um app desenvolvido para a ação www.face-book.com/eucurtosaobraz. Pelo aplicativo, ocorre votaçãoaberta ao público e as fotos com mais likes vão ganhar 50 vou-chers de consumo e um Novo iPad.TRILHA EXCLUSIVA FECOMÉRCIO-BA LANÇA NOVA MARCAA campanha de Natal 2012 do Plaza Shopping, que tem o A Fecomércio-BA reuniu diretores e funcionários para apre-tema amor como pano de fundo e os clientes reais como ato- sentar a nova marca da Federação, que segue o mesmores, foi desenvolvida pela Agência Arcos, com direção de Ger- padrão da nova identidade visual criada para a CNC (Confe-son Damasceno da Luni Produções. Ela traz uma composição deração Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).exclusiva de Lula Queiroga para confortar os corações reci- Desenvolvida pelo escritório de design Packaging Brands —fenses. O diferencial e interessante desse roteiro é que há também responsável pela renovação das marcas do Sesc eclientes comuns e reais do Shopping. Uma felicidade na cria- Senac—, a marca traz o símbolo da asa, elemento presente nação exatamente porque o filme imprime realidade nas cenas. figura de Mercúrio, o deus do comércio na mitologia grega. ATemos filhos interagindo com os pais, netos com os avós e asa também simboliza o sonho, o futuro e a transformação. Oamigos adolescentes de uma maneira real. A beleza do filme lançamento da marca da CNC e Federações contou com oestá em ações fruto de sentimentos fiéis dos participantes. suporte de uma campanha publicitária criada pela agência Ogilvy, tendo como slogan Uma nova marca. A atuação de MULHER EVOLUTION sempre. A promoção Intimus Mulher Evoluti- on criada pela Hagua para a Kim- PAIXÃO BRASILEIRA berly-Clark já está a todo vapor no Futebol é a grande paixão do Norte e no Nordeste. Para partici- povo brasileiro. E, na Bahia, o par, basta cadastrar o cupom fiscal de clássico dos clássicos é paixão qualquer produto Intimus no site absoluta. Com a subida do www.mulherevolution.com.br. As Vitória para a primeira divisão, duas grandes vencedoras vão para e a manutenção do Bahia, São Paulo, gastar R$ 10 mil reais em independente da forte rivali- compras na rua Oscar Freire, a mais dade existente entre os dois, sofisticada do País, com a consultoria uma coisa é certa: teremos BAde moda do stylist e apresentador de TV, Arlindo Grund. Além x VI na elite do futebol nacio-disso, prêmios semanais de R$ 1.000,00 serão sorteados nal. As duas principais equipessemanalmente e, aquelas que quiserem aumentar suas chan- do estado reconquistaram seuces vão poder concorrer a prêmios extras de R$ 1.500,00 espaço entre os maiores dotirando uma foto no aplicativo do site da promoção e compar- país. Pensando nisso, a Leiautetilhando no Facebook. (BA), composta por uma turma de “Bahias” e “Vitórias”UM ANO DE 8BISZ ferrenhos, levantou a bandei-Um ano depois e a agência 8Bisz comemora um calendário ra branca e criou o Esporterepleto de ações e a consolidação da empresa como player Clube BAVI. O anúncio, queestratégico para comunicação com o mercado nordestino. ressalta as maiores glórias das duas equipes, foi publicado noPara marcar a data e criar uma agenda positiva de relaciona- Facebook da agência com enorme sucesso. Em cinco horasmento com os contratantes nacionais, a agência preparou bateu a marca de 1.600 compartilhamentos.06
  4. 4. UMA EMPRESA QUE JÁ NASCE GRANDE Igor Nóbrega | O grupo JWT no Brasil acaba de lançar empresa de conteúdo em formatos inovadores ou desenvolvendo experi- branded content e social engagement: Mutato. A sociedade mentos tecnológicos, nossos projetos sempre dialogaram conta com Eduardo Camargo e André Passamani, ex-sócios com a audiência por meio de redes sociais”, esclarece Eduar- da Colmeia, precursora em conteúdo audiovisual, interativo e do Camargo, CEO da Mutato. Segundo Eduardo, o Google e digital. A novidade já conta com 20 funcionários e clientes Coca-Cola – os dois primeiros clientes fixos, são dois anunci- fixos de peso como Coca-Cola e Google. De acordo com o antes com altíssimos níveis de exigência criativa e de entrega, COO da Mutato, André Passamani, a proposta da empresa é o que automaticamente eleva a barra de qualidade da agência pós-digital, nasce pronta para realizar projetos para qualquer e a mantém alta desde o nosso nascimento. contexto, mídia ou plataforma. “Internet, mobile, games, A Mutato é uma empresa independente do ponto de música, eventos, instalações, TV e cinema. Ao mesmo tempo vista criativo e operacional, preparada para atender deman- somos ágeis e unimos especialidades diferentes para garantir a das dentro e fora do grupo, que inclui JWT, CASA e i-Cherry. adaptação e evolução constante como método”, explica. Do Segundo Stefano Zunino, Chairman do Grupo JWT no Brasil, latim, Mutato significa “mudança”- planeja, cria e realiza a ideia de investir num novo modelo de negócio vinha sendo entretenimento, utilidade e conteúdo de marca a partir do estudada desde o ano passado, sendo consolidada pela confi- digital para qualquer mídia. ança e admiração no volume e na qualidade de entrega da dupla, que já eram antigos parceiros. “Estamos olhando para oRégis Fernandez | futuro da comunicação e ele começa aqui, com uma empresa que nasce criando e entregando relevância cultural, além de engajamento social para as marcas”, afirma Zunino. Ainda na Colmeia, Eduardo Camargo e Andre Passa- mani já conquistaram importantes prêmios mundo afora. Durante a trajetória da dupla na Colmeia, a empresa conquis- tou reconhecimento no mercado digital, se tornando uma das três empresas brasileiras mais premiadas na história do FWA e a segunda brasileira a ingressar na SoDA (Society of Digital Agencies). Entre os seus principais cases pela Colmeia, Camargo e Passamani ajudaram a lançar o Google+ no Brasil. Com 15 anos de experiência em comunicação de Eduardo Camargo, Stefano Zunino e Andre Passamani marcas, com foco em digital, Camargo iniciou sua carreira na Leo Burnett, em 1997, como criativo, onde teve o privilégio Na Mutato, os sócios estão recrutando profissionais de coordenar as operações digitais da agência no Brasil, para com formação e carreiras bastante diversas, para garantir o clientes como Fiat, P&G, Kelloggs e VISA. Já Passamani tem 17 olhar atento às inúmeras possibilidades e o frescor das ideias anos de experiência em digital – em empresas de mídia e pon- A dupla deixou a sociedade da antiga empresa no tocom, além de consultorias, empresas de mídia, software- início deste ano e está sempre atenta ao impacto que a comu- houses e agências digitais, tendo liderado projetos digitais nicação digital causa na vida das pessoas. “Seja produzindo para marcas como Pepsi, TIM, Alcoa, Ford e Bradesco.
  5. 5. GIRO BRASILCARTÃO CAMPANHA MULTICULTURAL DO FUSIONPERSONALIZADO A Ford lançou uma campanha de marketing nos Estados Uni-DE NATAL dos para mostrar o design inovador do Fusion 2013, com focoA cerveja Stella Artois na comunidade afroamericana. No filme de TV da campanha,criou presente para os fãs consumidores veem um time de produto da Ford lapidar umda marca ao redor mundo: grande bloco de concreto para criar um sedã surpreendente.um cartão de Natal perso- Ele é estrelado por Andre Royo, da série "The Wire", da HBO,nalizado. O mesmo pode enquanto uma voz de fundo recita o poema "A Rosa que Bro-ser enviado para a casa de tou do Concreto", do famoso rapper Tupac Shakur.cada amigo através de umaplicativo que integra Face- APLICATIVO AJUDA ADOÇÃObook e o Google Street DE CÃES ABANDONADOSView, que permite explo- Guaraná Antarctica lança ação colaborativa inovadora pararar lugares no mundo todo ajudar na adoção de diversos cãezinhos abandonados. Poratravés de imagens em 360 meio do aplicativo Amigo do Melhor Amigo, que será encon-graus. Acessível por meio trado na fanpage da marcada página da marca no Face- no Facebook, Guaranábook (www.facebook.com.br/stellaartoisbrasil), os consumi- Antarctica contará com adores podem inserir o nome de um amigo e o endereço para ajuda de seus fãs paracriar sua mensagem. Como o vídeo é integrado com o Google encontrar um lar paraStreet View e a história se passa em um cenário virtual, é pos- todos os cachorros dasível ver cenas da cidade escolhida. ONG Clube dos Viralatas, parceria da marca na inicia-NOVA EMBAIXADORA DO GRANTS tiva. Além disso, a marcaA pernambucana Paula Sampaio é a mais nova contratada da também doará mais de 10William Grant & Sons para assumir o cargo de Embaixadora toneladas de ração para odo Whisky Grants no Brasil. Depois de trabalhar na produção projeto. Criada pela agência DM9DDB, a ação só terminae execução da campanha de lançamento da Cerveja Proibida, quando todos os amiguinhos forem adotados, vai ajudar osda CBBP Paula trabalhou infiltrada junto com as Tchecas, ela , cães de duas formas.agora vai atuar no mercado de whisky. Recém nomeada Emba-ixadora do Grants no Brasil, Paula vai continuar morando noRecife, cidade que detém maior índice de consumo de whiskyno Brasil, mas sua função vai abranger todo o país. GIANECCHINI AO LADO DA MÃE Reynaldo Gianecchini emenda mais uma cam- panha como garoto - propaganda do Banco do Brasil, dessa vez para anunciar o Seguro Ouro Vida, o BB Seguro Auto e o Seguro Ouro Residen- NOVA DIVA DE HEAD&SHOULDERS cial, do Banco do Brasil A atriz Juliana Paes participa da nova campanha de Seguros, e com participa- head&shoulders, marca de shampoo anticaspa. A marca pro- ção especial: dona Heloi- mete revolucionar e facilitar a vida das brasileiras com a nova sa Helena, sua mãe. É a linha head&shoulders pós-química, deixando de lado a esco- primeira vez que o ator lha entre manter o resultado da química e um couro cabeludo aparece com a mãe em saudável. Os filmes de 15 e 30 segundos em TV aberta possu-uma campanha – e não por acaso. Ela foi a pessoa mais próxi- em foco na apresentação do lançamento que combina fórmu-ma de Gianecchini no momento mais difícil de sua vida, situa- la balanceada, perfeita para nutrir o couro cabeludo, hidratarção a que a campanha faz referência. O ator conta nas peças os fios sem prejudicar os resultados dos processos químicos epara TV e mídia impressa sobre o susto que levou quando, no ainda potencializar o combate à caspa.melhor momento da carreira, foi surpreendido pela doença.08
  6. 6. A ARTE DE VENDER EGERAR CONTEÚDOPsiu Produções e a Quartel Digital promovem o curso Geraçãode Conteúdo para Mídias Digitais com Mariana Marques, em Recife Ivelise Buarque | Em todas as palestras e cursos de Marketing Digital, cando a importância de se entender o usuário e a definição dofato que é unânime entre todos os especialistas: o conteúdo é público-alvo com a geração do conteúdo interno. Discutirá asrei. Foi o que afirmou, inclusive, a consultora em Marketing estratégias de conteúdo externo e monitoramento com enfo-Digital e Mídias Sociais Camila Porto (PR), autora do blog pon- que em fontes, leis de copyright e creative commons, assimtocomteudo.com, em recente encontro pelo Nordeste, no como o uso das buscas orgânicas e do Google Marketing (SEOcurso Estratégias de Vendas no Facebook. E, em virtude da e SEM) para melhorar as estratégias de comunicação. E aindaexposição de tantos nomes de peso sobre o assunto e pela mostrará como tirar o máximo proveito do Facebook, alémpreocupação que profissionais apresentam com esta questão, do uso do blog nas estratégias de compartilhamento. “Conte-a Psiu Produções e a Quartel Digital trazem em janeiro mais údo é considerado rei pelos especialistas porque precede eum grande projeto voltado ao assunto: o curso “Geração de permeia todo tipo de decisão no que diz respeito ao trabalhoConteúdo para Mídias Digitais”. com redes sociais. A forma, a rede, o Facebook, Twitter e Promovido no próximo dia 26 de janeiro, no Hotel outros estão ai para todos. Saber como alimentar, manter eJangadeiro em Boa Viagem, Recife. O curso será ministrado tirar o melhor proveito dessas redes é que faz a diferença. Apela publicitária e especialista em produção para internet principal arma é o conteúdo. Por isto, mostrarei alguns casesMariana Marques, que apresentará a comunicação na web nos que tenho desenvolvido no mercado de Fortaleza, que cres-tempos de hoje, com carga horária de oito horas. “Todas as ceu muito nos últimos tempos, inclusive por causa do investi-linguagens devem ser consideradas. Conteúdo não é só o mento em capacitação, como por exemplo, os cursos dotexto em si, ou o vídeo, a imagem. Ele começa a germinar Quartel Digital. São cases que fizeram uso de ideias simples,desde o planejamento, a criação do fluxo de trabalho, a esco- muito trabalho, insistência, monitoramento e nem tanta verbalha das redes e a frequência de postagem. É sem dúvida o prin- assim. Também trago um método exclusivo de criação decipal pilar do trabalho de redes sociais”, diz a expert. fluxo de trabalho, uma espécie de guia para a alimentação de O curso dividido em quatro módulos e mostrará a qualquer que seja a rede social em questão”, destaca. As ins-importância de planejar e monitorar o conteúdo para as crições podem ser realizadas pela página www.psiuproduco-redes, contribuindo para os modelos online de negócios (com es.com.br/geracaodeconteudo.destaque, inclusive, para as redes sociais viáveis) e partindo dacompreensão da velocidade e do compartilhamento de infor-mações na atualidade. “As expectativas são as melhores possí-veis. Já estivemos em outras capitais do Nordeste e realmenteexiste alta demanda em relação a conteúdo. São poucos oscursos focados nesta área”, comenta Marques. Em “Geração de Conteúdo para Mídias Digitais”, elafocará também o papel do cliente na estratégia digital, desta- Mariana Marques, publicitária e especialista em produção para internet 09
  7. 7. FICHA TÉCNICAUM NATAL CHEIO DE LUZA primeira campanha de Natal do RioMar desenvolvida pelaagência Gruponove leva o conceito Você merece um Natalcheio de luz. Abrange diversos meios e mostra os destaques dadecoração natalina do shopping. O RioMar explorou uma visãooriginal do Recife: a poesia de uma cidade refletida em suaságuas e nos espelhos do cotidiano. Para a campanha de Natal, aestética precisava ser uma continuação, uma evolução. Pensan-do nisso, o Gruponove encontrou no próprio shopping os ele-mentos que precisava para levar a linguagem da primeira cam-panha ainda mais longe. Além de comercial em TV, a campanhaconta com material em rádio, jornal, internet, mídia exterior emídia indoor.Agência: Gruponove (PE) Cliente: RioMar Atendimento:Cecília Freitas, Giovanni Di Carlli, Renata Tenório, Paula Macha-do Planejamento: Eduardo Breckenfeld Criação: EduardoFialho, Rafael Coutinho Diretor de Criação: Aliwton Carva-lho, Gustavo Rêgo Mídia: Pablo Fernandes RTV: Júlia MenescalAprovação: João Carlos Paes Mendonça UM GESTO DE AMOR O Cemitério Morada da Paz estreou campanha institucio- nal com o conceito Um gesto de amor, desenvolvida pela agência Criola Propaganda. O objetivo é dialogar com o público através de peças que enaltecem a importância do sentimento na vida das pessoas e como ele pode ser demonstrado em gestos. Além da campanha tradicional, composta de vt, spot de rádio, outdoor e sinalização inter-na no cemitério. O Grupo Vila, que está à frente do Morada da Paz, aposta numa campanha online para promover o conceitoe, para fortalecer a ação, está no ar o aplicativo Um gesto de amor, onde os internautas podem produzir mini-vídeos de home-nagens utilizando recursos como imagens, músicas e legendas.Agência: Criola Propaganda (RN) Cliente: Morada da Paz Direção de Criação: Renato Quaresma e Vinícius CavalcantiDireção de Arte: Renato Quaresma Redação: Vinícius CavalvantiPROGRAMA DE SUSTENTABILIDADEA Urbana está à frente da comunicação de lançamento doPrograma de Sustentabilidade, o Colaborando, do RiverShopping, de Petrolina. O centro de compras implantousérie de práticas de preservação do meio ambiente quepodem ser seguidas pelos clientes e os funcionários docentro de compras. As diretrizes do Colaborando foramexploradas no material de divulgação produzido: e-mailmarketing, spot de rádio, anúncio de jornal e peças pararedes sociais. O programa realiza: separação de resíduossólidos (metal, papel, vidro, plástico) na praça de alimentação e cinema; no coletor de latinhas foi instalado um amassadoronde o cliente pode amassar a sua própria latinha e depositar no lixo.Agência: Urbana Comunicação (PE) Cliente: River Shopping Atendimento: Gustavo Tigre, Nadja Tigre e Silvia BarrosCriação: Gustavo Tigre / Rafaela Menezes Produção: Gildemária Melo Mídia: Margarida Cabral Aprovação: Eliária Reis eMárcio Santos10
  8. 8. NOVAS CONQUISTASA nova campanha do Hospital Santa Joana leva assinaturada agência Exclusiva!BR e tem como conceito a recenteconquista do selo de Acreditação Internacional concedidoao Hospital pela Joint Commission International, órgãoamericano de maior reconhecimento mundial no setor desaúde. As peças estão divididas em outdoors, anúncio ecinta para jornais, spots para rádio e vt que acaba deentrar no ar produzido em parceria com a D7 Filmes e a Três Caras. O Hospital também está finalizando o projeto da revistaVocê com Saúde, publicação que abordará temas como saúde e bem-estar e, nesta primeira edição, será um especial sobre acertificação e seus benefícios para os pacientes.Agência: Exclusiva!BR (PE) Cliente: Hospital Santa Joana Atendimento e Planejamento: Gabriela Pires Direção deArte: Danilo Miqueias Redação: Nilton Leal Mídia: Marcela Lima Aprovação: Juliana Vieira, Marcelo Vieira, Rosalvo Mafra PINTANDO BEM O compromisso com a responsabilidade social é um dos pilares da Tintas Iquine, maior indús- tria de tintas do Brasil que, ao longo dos seus 38 anos de existência, vem realizando ações para contribuir com os serviços oferecidos por diversas instituições beneficentes. Com leiaute assinado pela MMS Comunicação e sob a coor- denação da Le Fil assessoria em mídias digitais, a ação consiste na doação de tintas para uma instituição não governamental de quatro capi- tais brasileiras, entre elas, o Recife. Agência: MMS Comunicação (PE) Cliente: Tintas Iquine Atendimento: Pablo Maia Cria- ção: Patrícia Campos e Izabela Hinrichsen Mídia: Leila Bandeira Produção: Priscilla SilvaFAMÍLIA FELIZ cercada de lazer, bem-estar e muito verde” e “Sua famíliaCom grande campanha assinada pela agência Ideia 3, o cercada de felicidade”. Além de ações promocionais nosloteamento Reserva Scopel Rosa dos Ventos, que acaba de principais pontos da cidade.ser lançado, foi sucesso de vendas em Alagoinhas na Bahia.O empreendimento da incorporadora Scopel, localizado Agência: Ideia 3 (BA) Cliente: incorporadora Scopelno mais novo bairro planejado da cidade, o Jardins dos Diretoria de Atendimento: Moacyr Maciel e RenataVentos, obteve 90% de vendas em apenas quatro dias. Schubach Diretor de Criação: Chico Salles Redação:Para o lançamento do Reserva Scopel Rosa dos Ventos, a Rodrigo Córes e Paulo Sales Direção de arte: Yan Jambe-Ideia 3 criou campanha que tinha como foco destacar a iro e Antônio Leolino Direção de Mídia: Ana Maria Arteinfraestrutura do lugar. E para isso, contou com peças de Finalização: Bruno Maciel, Luiz Carvallho e Marcusoutdoor, anúncios de mídia impressa, spot de rádio e mídia Mouraem supermercados, que tinham como mote: “A sua vida 11
  9. 9. A PIONEIRA DA BAHIA COMEMORA SUAS BODASIvelise Buarque | Primeira TV da Bahia, A Record Bahia (conhecida diretor executivo da emissora, Carlos Alves. originalmente como Itapoan) entra em nova faze em meio às Este trabalho foi intensificado, inclusive, em 2011, comemorações dos seus 52 anos de existência, transmitindo com a inauguração pela emissora de sucursal nas cidades de informação com conteúdo de qualidade e programação diver- Feira de Santana e Vitória da Conquista. Como primeira TV da sificada para 12 milhões de telespectadores em 260 municípi- Bahia, a TV Itapoan/Record Bahia busca sempre informar e os da Bahia. entreter seus telespectadores. “Na cultura, contribuímos Com história pautada pelo forte trabalho de integra- diretamente com a transmissão do São João e Carnaval do ção comunitária, em prol do povo baiano, a emissora tem prio- estado e Festival de Lençóis. Além da realização de projetos rizado uma programação local e contribuído para a qualidade especiais como o Luau Bom D+, Bom D+ Verão e a transmis- da comunicação do estado. “Além do pioneirismo da emissora são de projetos esportivos como o Desafio Ciclístico, Triathlon no estado da Bahia, contribuímos com o desenvolvimento Bahia de todos os Santos, entre outros. Nós criamos e damos econômico do estado, com a divulgação da Bahia para o res- oportunidade para mostrar toda a cultura e riquezas naturais tante do Brasil, levamos informação ao telespectador e a busca do estado em nossa programação. O que faz com que diaria- pelos direitos na saúde e educação, entre outros. Para o mer- mente o telespectador fique bem informado com os principais cado, somos uma opção valiosa. Oferecemos aos anunciantes fatos e noticias do dia através da tela da emissora”, pontua uma programação de qualidade e variada. Desta forma, pode- Alves. mos avaliar que nesses 52 anos nossa principal conquista foram Para oferecer uma grade sempre antenada com o que a audiência e credibilidade do telespectador baiano”, diz o o público quer ver, a Record Bahia vem investindo cada vez mais em tecnologia e em uma equipe qualificada. Atualmente, por exemplo, ela conta com um helicóptero de uso exclusivo para as coberturas jornalísticas em tempo real e link móvel. Desta forma, mantém sua preocupação em garantir maior mobilidade nas transmissões ao vivo atendendo às necessida- des e estabelecendo uma relação de credibilidade com o teles- pectador. Para isto, mantém ainda um caminhão digital que funciona como estúdio móvel dotado de todos os recursos que viabiliza a realização de gravações externas para diversos programas. “Cada vez mais a sociedade exige informação com credibilidade e agilidade. Na Bahia, não é diferente. Por isto, divulgamos a nossa grade de programação e audiência nos meios rádio, jornal, outdoor, busdoor, e-mail mkt, sites, redes Sociais, etc. As novas tecnologias são importantes. Atualmente Raimundo Varela (Balanço Geral) 12
  10. 10. José Eduardo (Se Liga Bocão)também interagimos com o nosso telespectador através doportal Itapoan Online que transmite a nossa programação. Éuma tendência à população interagir cada vez mais através denovos aparatos”, destaca Carlos. E tudo isto vem contribuindo para o crescimento doestado e para concretizar os interesses de investimentos dogrupo na emissora, considerada hoje a mais amada da Bahiapelo público. “Nossa programação é direcionada à populaçãobaiana. Somos a emissora com o maior número de horas detransmissão de programação local (146h35min por mês). Lida-mos com as notícias que nem todos querem falar. Mostramoso sofrimento do povo e buscamos melhorias para a populaçãoatravés dos programas Balanço Geral, Bahia no Ar, Se LigaBocão, Cidade Alerta e Bahia Record que são exibidos desegunda a sexta-feira. Nos sábados da emissora, a informaçãofica por conta do Balanço Geral Especial e o entretenimentono programa Bom D+ que é apresentado por Scheila Carva- programação regionalizada e enfoque social. Desde 2007,lho”, diz Carlos. passou a ser conhecida também como cabeça de rede da Principal emissora do grupo Record na região Nor- Record Nordeste, passando a assumir a nomenclatura de TVdeste desde 2007, a TV Itapoan ganhou a responsabilidade de Record Bahia, em julho de 2011. “A Record Bahia investiu nosser a cabeça de rede da Record Nordeste. E com isto apresen- últimos anos na transmissão em TV Digital e duas unidadesta uma programação ampla que hoje conta com quatro pro- móveis digitais para maior agilidade nas transmissões das notí-gramas principais: Balanço Geral nos Bairros, Luau Bom D+, cias. Vale ressaltar que é a única emissora do estado a ter umBom D+ e Verão Ao pé da fogueira. O canal também conta helicóptero exclusivo para as coberturas jornalísticas emcom a transmissão de flashes ao vivo durante a programação e tempo real”, destaca o diretor executivo.cobertura nos telejornais da emissora do Triathlon Bahia de No dia 19 de novembro de 2010, a TV Itapoan come-Todos os Santos, Revezamento a Nado Farol a Farol e Desafio çou a transmitir em sinal digital para ficar melhor para os teles-Ciclístico. “Estes são projetos com foco regional, direcionado pectadores baianos, investindo em tecnologia, gerando conte-para os telespectadores do estado, com entretenimento e údo e trazendo novidades. Em 2011, chegou com uma sucur-prestação de serviço. Eles se aliam ao nosso diferencial que sal da emissora nas cidades de Feira de Santana e Vitória daenvolve entre outras coisas o jeito com que lidamos com os Conquista. Mas, pretende em 2013 chegar a Juazeiro e Barrei-fatos é o nosso diferencial. A emissora trabalha o jornalismo ras, ampliando sua participação de mercado e contribuindoverdade, tem a população como sendo parte da família”, para maior e melhor produção de conteúdo.comenta Carlos. Com ampla cobertura em todo o Estado, a Record Bahia, leva notícia de qualidade, entretenimento, informação,BREVE BALANÇO – Ao longo de sua história, a TV Itapoan diversão e novidades para 92% da população baiana. Operan-da Bahia entrou nos lares de Salvador como afiliada da Rede do no canal 5 desde a sua fundação, a Record Bahia atua com aTupi de Televisão. Com forte trabalho de integração comunitá- colaboração de mais de 300 colaboradores que trabalhamria, a emissora firmou-se no mercado quando, na década de para que a emissora seja vista por cerca de 12 milhões de teles-70, um grande incêndio destruiu as instalações. No começo pectadores em 313 municípios da Bahia. “Constantementedos anos 80, a TV Itapoan ressurge ainda mais forte, firmando- são realizados investimentos em tecnologia para garantia nase definitivamente no mercado. E aí no ano de 1997, passou a agilidade e execução com excelência nas atividades de rotinaintegrar a Rede Record de Televisão, com investimentos na da emissora”, frisa Alves. 13
  11. 11. ENTREVISTA DE OLHO NO PROCESSO ESTRATÉGICOIvelise Buarque | Publicitário formado pela Universidade Salgado de mentos dos planos de marketing. Tendo esses dados e traba- Oliveira e com MBAs em Marketing e Publicidade pela Mauri- lhando de forma bem direcionada, vejo que ações de marke- cio de Nassau e ESPM, o gerente de Marketing e digital plan- ting terão grande repercussão na mídia digital. Outro ponto ner da Imobiliária Eduardo Feitosa, Rogério Angelim, mantém bastante valioso é o relacionamento com seu público: hoje a uma carreira multidisciplinar na área com diversas experiênci- concorrência não é mais local, seu produto ou serviço possui as distintas, que inclui o departamento de Marketing dos veí- concorrência em escala muito maior do que anos atrás”, culos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (por comenta o especialista. Como consultor e gestor de marke- oito anos) e gestor do Departamento de Novas Mídias (por ting, Angelim realizou atividades como captação de recursos três anos). Esta última atividade no grupo lhe proporcionou de projetos do governo do estado de Pernambuco e ainda nova etapa em sua vida profissional como responsável pela desenvolveu trabalhos para empresas do segmento de e- coordenação do Portal Móvel de conteúdo e por campanhas commerce e cuidou de campanhas de links patrocinados (Go- interativas através do uso de plataformas digitais como Blue- ogle Adwords), SEO e ações em Redes Sociais. No outro lado tooth Marketing e Links Patrocinados. “Informação é um gran- da moeda, o especialista curte bem a vida pessoal ao lado da de pilar que se pode conseguir nas mídias sociais. Acredito esposa Lívia Bem – com quem está casado há um ano, e na muito no poder de pesquisa que esses canais geram e que companhia da família e os amigos. estão lá para serem esmiuçados e utilizados nos desenvolvi- 14
  12. 12. Rogerio Angelim com Martha GabrielREVISTA PRONEWS – Por que trabalhar com redes e empresa possui, há vários anos, um posicionamento estratégicomídias sociais hoje é tão importante para a publicidade? onde apenas emite informação para venda da sua marca. Ela teráROGÉRIO ANGELIM – No primeiro momento sempre vem â uma visão periférica de como ela é percebida no mercado, já quecabeça o fato de que montar ações em mídias sociais é algo bara- os canais de encontro com seu consumidor são limitados a umato, prático e que atinge de forma muito rápida um grande número gôndola de supermercado ou a um 0800 que leva horas para serde pessoas. Na verdade, não se trata apenas de um mecanismo atendido. Outra coisa é quando ela abre as portas para interação,para as empresas posicionarem suas marcas com baixo custo de para o questionamento imediato, para as crises em um canal deinvestimento, mas sim uma realidade e uma necessidade. Estar ampla exposição e que exige velocidade nas decisões e respostas.nas mídias sociais garante, além de uma presença de marca e Esse deve ser o primeiro ponto a ser analisado, depois entenderaproximação com os clientes, a certeza de que de alguma forma quem é seu consumidor que está neste ambiente. Ele é o mesmosuas ações de marketing serão mensuradas e de que decisões com o qual você sempre trabalhou? Possui novas especificaçõesestratégicas poderão ser tomadas com dados colhidos nesses que vão fazer com que sua marca adapte a sua forma de se comu-canais. É aquele velho jargão tão aplicado em palestras do meio nicar nesse universo? É basicamente entender que ao se traçardigital: “se você não colocar sua empresa nas mídias sociais um plano estratégico neste universo, não basta abrir as redesalguém a colocará”. Seja em mídias sociais interativas, onde sociais da empresa, veicular o que o dono da empresa acha inte-outras pessoas poderão citar a marca do seu produto de forma ressante, sem antes saber como a empresa é percebida nessenegativa ou positiva, ou em mídias sociais expressivas, - que meio. É preciso estudar, analisar dados, fazer muita consulta, eengloba os blogs, redes sociais, redes de eventos, etc - sua marca desenhar algo que seja de fato o que é percebido não apenas porpode estar sendo exposta com grande poder de interação com aqueles que fazem a empresa, mas também por aqueles que segrandes grupos de pessoas em rede. Então estar nesse meio e utilizam dela.monitorá-lo são primordiais nos dias atuais. REVISTA PRONEWS - Onde as agências de publicida-REVISTA PRONEWS - Como deve ser desenvolvido o de, empresas, marcas e organizações, normalmente,planejamento estratégico prevendo o trabalho com acertam e erram no uso das mídias sociais voltado àredes e mídias sociais na propaganda? propaganda?ROGÉRIO ANGELIM – Primeiro, saber qual será a essência da ROGÉRIO ANGELIM – Acertam quando decidem que é otua empresa nesse ambiente interativo. Vamos supor que uma momento de entrar nas mídias sociais. Mas se isso está aconte- 15
  13. 13. Informação é um grande pilar que se pode conseguir nas mídias sociais.cendo hoje enquanto leem essa entrevista digo que estão errados, údo precisa ser redefinido. Não temos mais o padrão de veicula-pois já eram para estar usando esses canais já faz algum tempo. A ção como em jornal, por exemplo, onde temos o processo danão ser que eles tenham começado ontem. Brincadeiras à parte, reserva do espaço, confirmação da reserva, criação da peça, apro-o certo é entrar nesse universo. Não estar por decisão da empresa vação da peça, entrega do material, confirmação da entrega eé algo insano, pois não estando, alguém estará por você. Seja um depois a veiculação. É preciso cada vez mais agilidade, PÁ PUM!cliente que ama a sua marca, seja um funcionário que adora seutrabalho e diariamente publica em suas redes sociais como é bom REVISTA PRONEWS - Estamos vivendo um momentoestar na empresa, ou mesmo aqueles que estão, de alguma for- de avalanche de promoções nas mídias sociais, que mui-ma, insatisfeitos com a marca. Estes usam as mídias sociais para tas vezes excedem inclusive a quantidade de postagens.indagar todo descontentamento que possuem com a empresa, E a maioria é desenvolvida para aumentar seguidores eEstar presente nesse meio, com equipes de marketing, atendi- curtidores. Qual a melhor forma de trabalhar uma pro-mento, agência de publicidade, assessoria de imprensa, todos moção na mídia social? E quantidade é melhor do quecasados no mesmo discurso, usando de uma identidade visual qualidade? O seguidor adequado é mais importanteúnica, é o início do caminho certo, apenas o início. O errado é neste caso do que volume? Por quê?achar que basta criar as redes com os nomes da empresa e pro- ROGÉRIO ANGELIM – Já fiz, já contratei ações promocionaisgramar diariamente uma postagem que estarão fazendo o bom e tenho uma percepção bem clara, 80% das ações não são váli-uso das mídias sociais e que isso trará um retorno de mídia e de das, pode ser um percentual alto, mas é o que eu sinto, não sei atémarca enormes. que ponto milhares de e-mails ou centenas de seguidores irão trazer retorno para minha marca. Ainda mais se o investimentoREVISTA PRONEWS - Num universo onde é preciso para essa captação tiver sido alto. Acho muito mais pertinente,vender conteúdo, conceito e produto numa mesma viável e com resultado positivo trabalhar ações onde seja interes-mensagem, qual a forma ideal de trabalhar nas mídias sante apresentar um novo produto, uma nova embalagem, envol-sociais a propaganda? Que tipo de conteúdo oferecer ver as pessoas na dinâmica da promoção, motivando-as a execu-neste caso? O que deve ser definido como relevante e tarem ações que sejam feitas de forma espontânea e não apenascerto para o uso na propaganda? E como fazer isso de um clique no Curtir ou um Retweet numa frase. Devo mostrar queforma adequada? a interação que eu solicito a elas é algo que vai trazer muito maisROGÉRIO ANGELIM – Aquele casamento que me referi na do que a possibilidade de ganho de algum brinde, mas que ao terresposta anterior, é essencial a união de vários braços na estraté- esse momento comigo (empresa) o internauta nos meios digitaisgia do uso das mídias sociais, o marketing tem que estar engajado estará tendo uma relação de exclusividade, aquela coisa que trazno plano estratégico englobando esses canais, não pensando de sensação. Lembro-me quando enviava cartas para o programaforma isolada, mas sim em conjunto com as outras estratégias da Porta da Esperança. Ver aquele amontoado de cartas sendo joga-empresa. Não dá mais pra fazer ações isoladas em um canal e do para cima e ter a sensação de que a que o Silvio Santos iriapensar depois numa ação para o meio digital. As equipes de aten- pegar fosse a minha era algo extraordinário, a narração dele dedimento precisam estar antenadas com a postura da empresa que sonhos seriam realizados motivava com que mais e maisnesse universo, mostrar para toda a equipe de vendas quais são as cartas fossem escritas. Hoje, vejo milhares de promoções sendoações que a empresa está fazendo nas redes sociais. A assessoria publicadas, as pessoas simplesmente curtem uma pagina e gran-de imprensa precisa ser o braço direito desse esforço de trabalho, de parte, tenho certeza, esquece da marca que iniciou a ação eacompanhando cada etapa das ações, sendo um elemento essen- nem acompanham o resultado, sabendo que se ganhar, alguémcial na sugestão de conteúdos que serão disponibilizados; a agên- entra em contato para informar o resultado. Não dou um mêscia de publicidade precisa entender que a mídia digital é mutante, para que esse ganhador já tenha esquecido qual a empresa queque se transforma a todo momento, que estalos criativos preci- fez uma ação promocional com ele.sam ser cada vez mais velozes e a dinâmica de produção de conte-16
  14. 14. NOVOS CAMPOS DE ATUAÇÃOQuem está acostumado às assessorias de imprensa tradicionaisse surpreende com as novas tendências do mercado Josi Marinho | Thatiane Teixeira | TCC Revista Lide Cerca de 20 mil profissionais de comunicação traba- área de assessoria de imprensa é um caminho alternativo delham na área de assessoria de imprensa no Brasil, de acordo trabalho, já que nem todo mundo que se forma consegue secom um levantamento realizado pela Federação Nacional dos inserir da ‘maneira tradicional’ no mercado de trabalho”, opi-Jornalistas (Fenaj) em 2009. Essa estatística pode ser facilmen- na.te comprovada aqui em Pernambuco, pois essas empresas, Nice é um dos exemplos de como o ensino da cadeiraque atualmente estão presentes nos mais variados segmen- de Comunicação Empresarial pode contribuir para despertartos, são responsáveis por empregar a maioria dos recém- novo olhar sobre a área de comunicação. Formada em Rádio eformados ou profissionais que atuam na área há muito tempo TV pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a radi-e que não trabalham nos maiores veículos de comunicação do alista tem, desde 2006, ano em que ainda estava na faculdade,estado. sua própria empresa, a Ritmo Comunicação. Voltada para a Ainda esquecida por muitas instituições de ensino, a área cultural, essa assessoria começou divulgando um peque-cadeira de Assessoria de Imprensa ou Comunicação Empre- no grupo musical, os Ticuqueiros. “A experiência foi uma viasarial pode despertar nos futuros jornalistas o espírito empre- de mão dupla, pois eles precisavam de um assessor deendedor. A negligência de algumas faculdades e universidades imprensa para divulgar o CD da banda e eu queria ter a expe-em não oferecer essa cadeira aos estudantes faz com que eles riência de trabalhar na área de assessoria,” declarou a micro-saiam despreparados para atuar na área do mercado de traba- empresária.lho que atualmente mais emprega jornalistas. A partir daí, a Ritmo já esteve presente nos mais diversos segmentos da cultura pernambucana, sempre na área de shows e festivais. Atualmente, a assessoria está rodan- do a Mata Norte de Pernambuco com a Mostra Canavial de Cinema, que tem o objetivo de levar produções audiovisuais para seis cidades daquela região. Mesmo sem estar presente na grande curricular da maioria das instituições de ensino superior, as Assessorias de Impressa são as empresas que mais abrem as portas para os futuros bacharéis de jornalismo. Para a estudante de jornalis- mo da Faculdade Joaquim Nabuco, Camilla Dapaz, a área de assessoria é de pura produção, pois sempre se está produzin- do e tendo contato com os diversos campos de atuação da comunicação. “É uma área ótima para quem gosta de estarNice Lima, professora de Radiojornalismo da FaculdadeJoaquim Nabuco (FJN) nos bastidores, de ser braço e produzir”, declarou a universi- tária, que atualmente trabalha na Clarear Comunicação Inteli- Para a professora de Radiojornalismo da Faculdade gente.Joaquim Nabuco (FJN), Nice Lima, a deficiência no ensino A principal função de Camilla é acompanhar o dia a diadessa disciplina impede que os alunos despertem para traba- da Câmara dos Vereadores de Recife, local onde a assessorialhar em outras áreas que não sejam as grandes redações. “A possui um cliente. Ela acompanha as sessões plenárias e, 17
  15. 15. aos questionamentos que existiam desde o início da ditadura. A partir desse período, o jornalista-assessor passou a ter cada vez importância para a sociedade, já que ele é o profis- sional responsável por fazer a ponte entre os poderes públicos, a inicativa privada e o terceiro setor com a mídia e a sociedade. Atualmente, o Brasil é tido como país de referência no que diz respeito à área de assessoria, e é através da intensificação da convergência da mídia que essa atividade está se desenvolven- do cada vez mais. É nesse contexto, da web 2.0, que Elielson Lima, 20, estudante de jornalismo da Faculdade Maurício de Nassau, está desenvolvendo seu “network”. Estagiário da Accioly Comuni- cação, ele acredita que a comunicação deve se apoiar nessa realidade digital, como a empresa em que trabalha. “Um dos grandes diferenciais da empresa é a preocupação e a inserção dos nossos clientes no ambiente virtual”, afirma. Elielson acre- dita que é preciso ter uma relação de cumplicidade com o assessorado, pois assim será possível desenvolver o papel de facilitador que o jornalista tem que ter nessa área. A assessoria de imprensa busca acima de tudo o cons- tante aprimoramento das relações de comunicação interna e externamente das organizações perante a sociedade. Além disso, o jornalista precisa ter vontade de trabalhar, dominar o assunto e a linha de trabalho, como afirma a assessora deElielson Lima, estudante de Jornalismo imprensa do Clube Naútico Capibaribe, Ana Campos. Atuandoquando não pode ir à local por algum motivo, observa tudo em parceria com Élcio Mendonça, que também é assessor dopelo site institucional, que transmite tudo ao vivo. Camilla pre- Naútico, em uma área que é tida como um universo predomi-cisa esta sempre antenada com as atividades que serão desen- nantemente masculino, ela quebrou os preconceitos e hoje évolvidas pelo vereador, para assim fornecer a assistência neces- respeitada no meio futebolístico. Além de responder pelo clu-sária durante as audiências e abastecer as redes sociais e o site be, a equipe da assessoria também é responsável por auxiliar osdo político, com as ações praticadas por ele durante o manda- atletas quando, mesmo fora de campo, eles representam oto. time. O bom assessor de imprensa deve estar sempre alertaUM POUCO DE HISTÓRIA - Mas onde surgiu a assessoria para qualquer atividade que envolva seu cliente. Principalmentede imprensa? De acordo com o Manual de Assessoria de Comu- se ele for a personalidade mais importante do Estado. Evaldonicação da Fenaj, o primeiro jornalista que trabalhou nessa área Costa, assessor do governador Eduardo Campos, desenvolvefoi o americano Ive Lee, em 1906. Ele foi pioneiro ao estabele- atividades que exigem atenção redobrada e dedicação exclusi-cer em Nova Iorque o primeiro escritório de assessoria de va para que nada dê errado.comunicação do mundo, que tinha por objetivo mudar a ima- Experiente na área da comunicação, Evaldo tambémgem do homem de negócios mais impopular dos Estados Uni- foi assessor do então governador Miguel Arraes, nos anosdos, John Rockfeller. Ive Lee alcançou sua meta após enviar 1990. Hoje trabalhando com o neto do mito político, ele jáinformações frequentes à imprensa da época sobre as ativida- construiu uma relação de confiança com a mídia, que sempredes de seu cliente. Trazendo para os nossos dias, esse método é abre espaço para seus “clientes”. Outro diferencial do trabalhoo que os assessores fazem ao enviar releases às empresas de desenvolvido por Evaldo é o diálogo desenvolvido de formacomunicação. permanente com o governador e seus agentes. “Nós temos um No Brasil, essa atividade ganhou mais força com o res- modelo de gestão que tem monitoramento do que vai sendosurgimento do processo democrático, após a queda da ditadu- feito, do que vai ser debatido com o governador, do que vai serra militar. Com a volta da liberdade de comunicação, o profissi- feito pelas equipes. O trabalho se dá de forma aberta e partici-onal de imprensa passou a ter mais importância no contexto pativa por todos”, declara. São modelos de gestão participativasocial, pois a população passou a exigir cada vez mais respostas que fazem toda a diferença no mercado de trabalho atual.18
  16. 16. CAPADO JORNAL DE ONTEMÀ RECICLAGEM DAIMPRENSAA crise no mercado editorial do jornalismo diário obriga veículos domundo inteiro a imaginarem novos caminhos para seguirem relevantes Matheus Torreão | Ele gasta toneladas diárias de papel e tinta, mancha os dedos de quem o lê, só traz notícias do dia de ontem e, no seguinte,seu destino é virar embrulho de peixe. Qual há de ser o lugar do jornalismo impresso nesses tempos de novas plataformas tecno-lógicas? Seu futuro está de fato ameaçado ou o desafio de coexistir com as mídias digitais será catalisador de uma reinvenção pro-missora? Para Rodolfo Tourinho, superintendente do impresso contador, porque jornalista vai ser difícil”, afirmou de maneirapernambucano Jornal do Commercio, a reformulação dos contundente.antigos modelos de negócio urge. O executivo ressaltou, De fato, no mundo, o cenário é de crise. A receitasobretudo, a importância de não repetirmos a arrogância da global dos jornais caiu drasticamente, grandes publicaçõesvelha guarda que morreu abraçada com sua Olivetti (famosa como a Newsweek abandonaram suas versões impressasmarca de máquinas de escrever), jurando até o último instante para se concentrar apenas no modelo digital e os maioresque esta jamais seria substituída por um computador. “O pri- jornais do mundo, dentre eles o New York Times e o El País,meiro jornal saiu em 1604. E é muito parecido como os de tem registrado queda na circulação, reduções salariais, demis-hoje. Como o jornal se reiventou nesses 400 anos em termos sões e aposentadorias compulsórias. Na carona dos temposde comercialização? Pouquíssimo. A redação de 1604 é muito sombrios, o Brasil, timidamente, já tem assistido ao fim deparecida com a que existe hoje. Talvez seja a indústria mais veículos tradicionais com o Jornal da Tarde e a Gazeta Mer-velha e mais conservadora que existe no mundo. Está na hora cantil.da reinvenção. Esse modelo estará acabado daqui a três anos. O consenso entre os jornalistas brasileiros, no entan-Ou ele muda a maneira de pensar, ou muito em breve será to, é que ainda que a crise já tenha nos beliscado, a compara- ção com tais países no atual momento é perigosa. Para Davi Lira, repórter do Estado de São Paulo, há várias questões a serem consideradas. “Conversei pessoalmente com o Juan Luís Cebrián, o top top do El País, mês passado. Fiz uma entrevista com ele. Achei bem interessante a análise que ele fez. Ele vê o digital como futuro, isso é inegável. Mas comenta que o que aconteceu nas redações do El País teve forte rela- ção com a crise econômica financeira da Europa, e também porque nos dias de bonança a redação do diário espanhol não se adaptou às vacas magras, muito menos à nova realidade tecnológica”, salientou. Quanto à situação do New York Times e tantas outras publicações norte-americanas e europeias, Davi aponta o diferencial primordial de que lá temos conexões melhores e um acesso mais amplo do público em geral à internet, o que facilita a migração dos leitores do impresso para o online e o Luiz Albuquerque, diretor executivo do jornal Correio (BA) 19
  17. 17. Rodolfo Tourinho, superintendente do SJCC 2012. Segundo Luiz, o preço acessível pode ser uma das boas alternativas para driblar os tempos ruins do mercado. PREÇO DE CAPA – “Para aqueles que tiverem capacidade de reinventar-se, o futuro existirá. O Times of India, por exemplo, mais que triplicou sua circulação após baixar o preço de capa (hoje por volta de US$0.04 o exemplar). Trata- se de um quality paper, editado em inglês, portanto para a elite cultural indiana, mas mesmo assim o preço de capa foi deter- minante para seu crescimento. E no Brasil, com renda de Terceiro Mundo, pretende-se vender jornal com preço de capa mais alto que países de Primeiro Mundo. Se o preço do papel sobe, a solução imediata é aumentar preços, repassan- do o problema a leitores e anunciantes, ao invés de aumentar a competitividade do negócio. Esse modelo, sim, está fadadomobile. O repórter também aproveitou para destacar a ao fracasso”, argumentou Luiz.grandeza e potencial visionário do NYT, que já tem iminente o A estratégia, segundo o próprio, funcionou mais quelançamento de uma versão brasileira da publicação. perfeitamente para alavancar os números do Correio. O “Participei de uma conferência recente com o CEO jornal, que há cinco anos tinha 8.500 exemplares de circulaçãodo jornal, Arthur Sulzberger Jr., e achei bem legal a estratégia paga, hoje tem 62.700 (IVC de outubro). Com 500 mil novosdeles aqui no Brasil, de ter um site em português, com um leitores conquistados no período, especialmente leitoresterço do conteúdo produzido por jornalistas no país. Veículos jovens, num dos mercados que tinha alguns dos piores indica-como o Times já têm uma produção de conteúdos avassala- dores de leitura do país. Paralelamente, o Correio também sedora, que alimenta outros veículos também. Assim evitam ter coloca como um jornal que vem crescendo a receita publicitá-que imprimir jornal, colocam notícias que já foram produzidas ria numa média de 25% ao ano nos últimos anos.e conseguem, enfim, chegar no mercado brasileiro”. Apesar E é justo o baixo preço de capa, aliado ao aumentodas ponderações atenuantes, contudo, Davi fez questão de dos índices de alfabetização no país, que tem promovido apontuar: “mas que a crise do impresso de forma generalizada ascensão do principal fenômeno responsável pelo aumentoexiste, existe, e pode até ser mais impiedosa”. de circulação de impressos no Brasil: o jornal popular. Para se O diretor executivo Luiz Albuquerque, do jornal ter ideia, o jornal nacional mais vendido é o Super Notícia, debaiano Correio, vai mais além no que diz respeito às publica- Minas Gerais, voltado para as classes C e D, comercializado ações nacionais que partiram desta para a melhor em 2012. 0,25 centavos e com tiragem média diária de 330 mil exem-“No Brasil, Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil pereceram plares, deixando a Folha de São Paulo na vice-liderança.mais por problemas de gestão que por deficiências dos Voltando à opinião do superintendente Tourinho,produtos ou falta de leitores”, opinou. “O mercado brasileiro, entretanto, o crescimento dos jornais populares não é algo acomo um todo, tem crescido nos últimos anos, e essa é uma se comemorar, uma vez que não traz retorno para o jornalcaracterística de mercados emergentes, como Índia e China, quality. “O que se pensou antigamente, foi: ‘vamos fazer umdentre outros. Os mercados que tem sofrido mais são os mais jornal de 0,25 centavos, que todos vão ler, tornando-o omaduros, com características bem diferentes dos nossos”, acessível para as massas populares, e quando passarem daesclareceu. classe E para a classe D ele passará para o quality’. A questão é De fato, apesar dos fechamentos pontuais de grandes que esse público não migra, pois trata-se de um problema depublicações e enxugamentos recorrentes nas redações do educação. Você só tem Ibope se for desgraça”, contestou.país, os números do Brasil deixam qualquer gerente comercial E Tourinho fez questão de não limitar a crítica ao fatorcom um sorriso otimista no rosto. Segundo os dados do IVC classista. “Dize-se: a internet é classe A. Você vai nas mais(Instituto Verificador de Circulação), a circulação de jornais lidas do G1: ou é celebridade, ou mulher nua, ou futebol, ouem papel no Brasil aumentou 2,3% no primeiro semestre de tragédia. Essa coisa de dizer que quem gosta de porcaria é a20
  18. 18. classe D e E é mentira, está dentro da cultura do brasileiro.E o capital do jornal é sua credibilidade. É uma luta difícil, masque fica interessante é que a classe CDE também está passan- estimulante”, finalizou.do para web, mas para ler esse tipo de coisa. Se você ler o Bastaria então competência no gerenciamento daúltimo levantamento que diz quantas pessoas entram na marca e credibilidade no mercado para manter o jornal vivo einternet em busca de conteúdo jornalístico, este resultado rentável também no ambiente virtual? Uma vez que o negócionão chega aos 12%. Os outros 88% estão atrás de redes jornalístico consiste em vender conteúdo, e não papel, é nistosociais, downloads de música e filmes, pornografia, etc. que acreditam os defensores do paywall. A barreira paga, emConteúdo jornalístico com credibilidade, no máximo, 12%”. tradução literal, separa o conteúdo disponibilizado na internet pelos veículos em gratuito para o público geral e exclusivoCREDIBILIDADE – Pois segundo o jornalista veterano para pagantes – modelo já adotado por boa parte das grandesCassiano Arruda, que há três anos inaugurou em Natal o publicações.Novo Jornal, é justo esta palavra mágica – credibilidade – o Nesse mérito, apesar do paywall ter se mostradopilar no qual repousa tranquilo o futuro do jornalismo. “É o solução de considerável retorno em muitos casos – como oJornal que atesta a veracidade e a análise do fato. É o selo de do New York Times, para citar o de maior destaque – temoscredibilidade da notícia. Enquanto houver essa demanda, o novamente a crítica atenta do superintendente Tourinho,jornal continuará insubstituível. Pelas contas do IVC, o Novo quando o assunto diz respeito ao Brasil. “A relação do brasilei-Jornal, no ano passado, registrou o terceiro maior crescimen- ro com a mídia é diferente. Ele tem o Uol, tem o G1, temto, proporcional, em todo o Brasil”, orgulha-se. grandes portais gratuitos, você não tem esse tipo de negócio Quanto ao cenário de crise que tem fechado as portas no mundo na internet”, argumentou.de grandes veículos e obrigado um sem número de profissio- Segundo o mesmo, a revista é um veículo que temnais do ramo a apanharem o marca-texto e os classificados, muito mais chances de vender conteúdo para a web e mobileCassiano lamentou, mas tratou de sugerir a responsabilidade que o dito jornal diário. “O conteúdo do jornal é factual, aquilodos veículos ao invés de atribuir a culpa somente à instabilida- que aconteceu no dia. O que tem no Uol, tem no G1 e no blogde do mercado em si. “Claro que o fechamento de um jornal é do Zezinho da Esquina. Mas se você pega uma Caras, Veja,motivo de pesar. Aqui, este ano fechou o Diário de Natal, uma Época, aquele conteúdo é praticamente todo exclusivodepois de mais de 70 anos de circulação. Não teria o Diário de da revista, não em outro lugar. Por isso vejo esta com bemNatal se afastado do seu leitor?”, questiona. mais chances de sobreviver como mídia digital neste modelo”, Segundo ele, o Novo Jornal enfrenta naturais dificul- justificou.dades de uma nova marca, mas tem caminhado a passos Para José Gabriel Navarro, ex-jornalista do recém-seguros para a auto sustentação. “Já nos firmamos como o extinto Jornal da Tarde (BA), o sucesso da estratégia depende-segundo jornal de Natal, com presença marcante no público rá muito da qualidade da informação. “Uma função-chave doA/B. Criar um hábito e uma marca são enormes desafios, mas jornalismo se mostra particularmente importante na internet:estamos chegando lá. Ultrapassamos os três mil assinantes a curadoria de informação. O site de revista mais acessado dopagos, meta estabelecida para meados do próximo ano. O Brasil é o da ‘Quem’. Tenho enorme dificuldade em imaginar a ‘Quem’ cobrando pelo conteúdo de seu site. Já o Financial Times, por exemplo, é uma publicação feita por gente que de fato entende de economia. Eu pagaria de olhos fechados pelos conteúdos produzidos por eles — e muitos milhares de pessoas também o fazem”. Navarro, inclusive, é um dos que seguem a contra- mão do discurso apocalíptico-tecnológico e aponta bons motivos para seguirmos acreditando no jornal. O primeiro ponto positivo, ironicamente, seria justo o que arrastou o impresso para o purgatório: está offline. De acordo com o jornalista, isto é ótimo, configurando uma bela alternativa para uma geração Z assolada pelo surto epidêmico dos transtornos de desatenção. Cassiano Arruda, jornalista 21
  19. 19. Adriana Reis, gerente de internet do Diário de Pernambuco impressas como provas nos autos. Ainda acrescentaria que, no impresso, a preocupação em não errar é maior e a apura- ção é mais consistente, a grosso modo. Ou seja, em muitos casos, tende a ter mais qualidade, por buscar ser mais reflexi- vo, mesmo que tratando do tema já discutindo um dia anteri- or pela TV e pela internet”. NOVOS FORMATOS – Ainda segundo Davi, a discussão sobre formatos deve ficar para trás, pondo o verdadeiro foco de luz na adequação do conteúdo para as infinitas possibilida- des que, por enquanto, estão circunscritas à internet, aos smartphones, aos tablets, às rádios, televisões e à mídia impressa. Em outras palavras, a solução é produzir o conteú- do para o público que no momento está oferecendo algum tipo de retorno financeiro à empresa jornalística. Nos últimos tempos, são as versões para tablet que tem estado nas prioridades dos veículos que desejam ampliar a área de atuação das suas plataformas e alcance de suas notí- cias, afinal, o aparelho tem como grande trunfo reunir a porta- “Estar desconectado aumenta muito mais o foco do bilidade do impresso e o tempo-real do digital. O próprioleitor. Digo isso como um dono de tablet que já não lê jornal efeito colateral da dispersão, inclusive, tem aqui seu impactofísico — mas que sente e sofre com a diferença e dispersão”, atenuado: cada vez é mais claro que os tablets são excelentesconfessou. Navarro também destacou a hierarquização da substitutos do laptop como instrumento para ler notícias, umainformação como outro grande diferencial do jornal se com- vez que o leitor tem se mostrado bem mais propenso a lerparado à livre informação que circula de maneira caótica no reportagens mais longas e com mais calma no tablet que noambiente virtual. computador. “Essa é maior desvantagem da internet, onde ‘tudo é De acordo com Davi, a versão para iPad do Estadãoabsolutamente importante e espantosamente banal’, como tem um público alvo bem específico: classe A e B, com forma-diz Sylvia Moretzsohn em seu artigo O Mito Libertário do ção universitária e majoritariamente paulista e com faixa etá-Jornalismo Cidadão. Cabe aos leitores se mostrarem continu- ria um pouco elevada. “No tablet eles focaram na ediçãoamente interessados ou não em jornal de papel. Eu comecei a noturna. O Estadão Noite busca fornecer conteúdo de articu-me sentir incomodado por ficar conectado o tempo todo a lista e opiniões de convidados para que o leitor possa em meiopartir do ano passado. Talvez mais gente também esteja vol- à avalanche de notícias que já recebeu no dia sistematizartando a ver a vida offline como mais ‘real’, mais urgente. O melhor os acontecimentos e suas repercussões”, informou.povo que dê sua resposta, com o tempo”, concluiu Navarro. Sobre esta tendência, Adriana Reis, gerente de inter-Tal depoimento, vindo de alguém que “não poderia estar net do Diário de Pernambuco, sinaliza para a solução que ovivendo a decadência da mídia impressa diária de modo mais jornal vem encontrando para ultrapassar esse momento deintenso”, no referente ao fechar de portas do Jornal da Tarde, crise: “O Diário tem investido muito em matérias mais huma-é prova viva de que o impresso ainda conserva insubstituíveis nas, perfis, coisas que o leitor só vai encontrar no jornal im-vantagens? presso. Em casos como esse, a ideia tem sido publicar e, ao Retomando as palavras de Davi Lira, o impresso ainda longo do dia, repercutir nas mídias digitais”, essa prática de-tem sim, estimáveis valores, e seria um grande erro não levá- monstra a complementaridade entre os diferentes serviçoslos em conta. “É prestigioso, um documento em si. Não fal- prestados pela empresa, que não prevê o drástico fim do meiotam exemplos de ações judiciais que utilizam as notícias escrito, mas pensa em abranger vários meios diferentes e22
  20. 20. alcançar diversos tipos de leitores. presa, por exemplo.“É muito bom a gente poder ser ainda mais Miguel Gouveia, CEO da consultora de negócios cari- criativo e ter ainda mais plataformas para exibir nossas ideias.oca Brains@work, confirma essa tendência migratória da O futuro é animador. Já tenho visto algumas coisas bem baca-imprensa para os dispositivos móveis e, aponta como dificulda- nas”, comentou.de da adaptação do conteúdo escrito ao pensamento dos usuá- Miguel Gouveia, também prevendo um fértil futurorios de tais dispositivos pelos profissionais da imprensa de uma para o meio publicitário afirma que, além da mudança estética,maneira geral: “A imprensa em si é dirigida por profissionais há também uma dinamização do papel do leitor: “ele podeque exibem dificuldades em entender o mundo da Internet e opinar, distribuir, copiar e reeditar a notícia e distribuí-la tam-suas consequências. (...) O custo dessa mudança é muito alto. bém ao seu modo. E ele pode, inclusive, se tornar um consumi-Já para o jornalista é uma questão de aprendizado de novas dor em tempo real ao clicar em algum anúncio e comprarferramentas” algo”. Essa interação entre o leitor e a tela obriga os profissio- A queda dos preços dos tablets e smartphones trans- nais midiáticos a se reinventarem e buscarem uma nova forma-formam os usuários desses meios um público crescente de ção, Miguel continua: “tenho dificuldades em visualizar osleitores e Adriana Reis afirma que a empresa tem investido em donos da mídia impressa atual lidando com essas questões.aplicativos para as versões digitais do jornal, que já lançou a Conforme já disse, é esquecer o passado e inventar o futuro”.versão para iPad(IOS) e já preiteia a nova versão para Android. Tourinho, que atualmente trabalha na difusão do JCAdriana confirma o crescimento do mercado para este tipo de Premium, versão da publicação cujo conteúdo multimídia estámídia. incorporado às próprias páginas digitalizadas do jornal e não “O número de edições e aplicativos baixados cresce a apenas às notícias do JC Online, traz o exemplo perfeito do quecada mês, assim como a venda de exemplares avulso e isso é argumenta Gouveia. “Com o JC Premium estamos na frente deextremamente animador”. grande parte dos jornais do mundo inteiro. Fazemos o digital Em suas edições para tablet, o Diário de Pernambuco na plataforma html5, que se adapta a qualquer browser e pode-mescla o conteúdo da versão impressa com vídeos e últimas mos maleá-la como bem quisermos, sem necessidade de apli-notícias do Diariodepernambuco.com.br, dando possibilidade cativos. Clicamos em uma imagem na tela e lá se exibe um vt daaos assinantes de terem acesso à versão móbile e à compra de notícia, o trailer de um filme ou a versão em vídeo de um anún-edições de forma avulsa. Segundo Adriana, hoje, a versão é cio. Já tínhamos o multimídia, mas agora ele está dentro nasexatamente a mesma do jornal impresso, à exceção dos vídeos páginas do jornal”, divulga.e da coluna Giro Publicitário, que traz uma entrevista exclusiva O superintendente, apesar de confiante com boa lar-para a plataforma. “Por enquanto é só. Mas acho que temos gada do sistema JC, no entanto, confessa: a estratégia, mesmo,espaço, sim, para um produto mais trabalhado, que seja vendi- é ganhar tempo para ver quais modelos se estabelecerão nosdo separadamente”, prospecta. países desenvolvidos. “Você imagina que daqui a três anos provavelmente não teremos redação? Se você tem seu compu-READAPTAÇÃO – Outro mercado que também vem sendo tador e pode fazer as matérias todas em casa, vai vir aqui fazeratingido por essas crescentes mudanças é o publicitário. Assim o quê? Gastar mais dinheiro? As relações de trabalho, será quecomo os jornais criaram versões virtuais e aplicativos para as não vão mudar? Será que cada jornalista, daqui há dez anos, nãomídias móveis, as agências publicitárias também tiveram que vai receber por audiência ao invés de um valor mensal? Seurepaginar os modelos de suas propagandas para adequar-se trabalho é produzir conteúdo, se você escreve algo que nin-aos novos meios midiáticos. Os tablets dispõem de recursos guém quer ler, por que devo lhe pagar?”, provoca, convidandodistintos e se configuram como um fértil mercado a ser domi- para a reflexão ao vislumbrar os possíveis caminhos futuros.nado pela publicidade. Essas possibilidades, se a princípio apre- Por um lado, sendo assim, podemos nos dizer sortu-sentam-se como um fator desafiador, tornam-se cada vez mais dos, uma vez que os países emergentes possuem muito maisdinamizadoras e facilitadoras do trabalho das empresas. margem para manobra. Se observamos os jornais da Índia, Gustavo Bastos, sócio-diretor da agência carioca China ou Brasil, por mais que já se note a desaceleração na11:21, afirma que esse trabalho de adaptação das publicidades economia, ainda são claros seus respectivos potenciais de cres-às diferentes mídias, respeitando as diferentes linguagens de cimento. Ou seja, embora devamos aguardar como certos oscada uma delas, existe há muito tempo, mas que a estética dos desafios digitais que hoje arrepiam os cabelos da mídia ameri-tablets ainda está sendo apropriada pelos publicitários, e já é cana e europeia, teremos a grande oportunidade de aprenderpossível observar anúncios que se utilizam de recursos própri- com os erros e acertos cometidos nas bandas de lá. E o tempo,os dos meios portáteis, como é o caso da utilização de recursos mais do que nunca, neste caso, é um luxo de primeira catego-interativos como a passagem de páginas como elemento sur- ria. 23
  21. 21. A VEZ DO CLIENTE UM NOVO CONCEITO EM SUPERMERCADO Perini chega ao Shopping RioMar (PE) trazendo qualidade em atendimento e variedade de produtosIvelise Buarque | Depois de 47 anos, a Perini alça novos voos e abre sua João Carlos Paes Mendonça de atuar no RioMar, que é um primeira loja fora de terras baianas: a Perini Recife, no Shop- shopping diferenciado, com uma unidade que oferece caixas ping RioMar. A unidade conceito pode ser o pontapé inicial rápidos, serviços, qualidade de produtos e atendimento para para um arrojado projeto da marca hoje pertencente ao todos os consumidores. Temos produtos étnicos e importa- grupo chileno Cencosud. Um dos principais grupos do merca- dos, tudo com a proposta de resgatar o prazer de fazer com- do varejista latinoamericano (com presença na Argentina, pras. Estamos, com isto, trazendo um conceito novo para o Brasil, Chile, Colômbia e Peru), é detentora ainda das redes mercado, que aproveita todo aprendizado de supermercado GBarbosa, Mercantil Rodrigues, Bretas e Prezunic. do Chile e da delicatessen da marca Perini. Afinal, fazer super- De acordo com dados divulgados pela grande mercado é uma das coiss mais democráticas do mundo”, diz imprensa, a marca recebeu investimento médio de R$ 17 diretor de Marketing da Cencosud, Eduardo Maia. milhões para abertura desta operação com espaço de 2,3 mil E não é a toa que o novo empreendimento do Grupo m² e um estoque de cerca de 21 mil itens, nacionais e importa- é de deixar qualquer um chocado, afinal, estamos falando de dos de diversas partes do mundo. “Aceitamos o desafio de um novo formato de rede que vem sendo aplicado em outros Eduardo Maia, diretor de Marketing da Cencosud 24

×