Gerência em Enfermagem

8,343 views

Published on

Aula sobre Administração e Gerência em Enfermagem

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,343
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
308
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gerência em Enfermagem

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM AULA 10: GERENCIAMENTO DA QUALIDADE EM SAÚDE Profa . Andréia Neves
  2. 2. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM CONTEÚDO PROGRAMÁTICO • Conhecer os conceitos de qualidade em serviços • Conhecer o conceito de auditoria administrativa e sua aplicação na assistência de enfermagem • Conhecer o conceito de acreditação hospitalar e sua evolução histórica  
  3. 3. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM HISTÓRIA DO CONCEITO DE QUALIDADE EM SERVIÇOS • Podemos dizer que a história da qualidade começou com a Revolução Industrial e a disseminação da produção em série, • a qualidade como conhecemos hoje surgiu devido a segunda guerra mundial, • Nessa época já existia preocupação com a qualidade dos produtos, • Para isso, foram criados os inspetores de qualidade, responsáveis por inspecionar produto por produto.
  4. 4. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM • Com uma dívida para pagar devido à derrota, os japoneses começam a investir em suas industrias. • O que fez com que os japoneses logo se sobressaíssem foi o fato de que a maioria de sua população tinha instrução, possuía pelo menos o nível médio, ao contrário dos americanos, e eram disciplinados, o que facilitou, e muito, o desenvolvimento de suas indústrias.
  5. 5. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM • os japoneses desenvolveram um método de controle de qualidade que ao invés de encontrar e eliminar as peças defeituosas buscava evitar que os defeitos ocorressem • O próximo grande passo da história da qualidade pode ser chamado de “normalização”. •A partir de 1987, com a criação da ISO9000, o que houve foi mas uma popularização impressionante em meio às indústrias das certificações dos “sistemas de garantia da qualidade” segundo padrões adotados internacionalmente.
  6. 6. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM • Quando se fala em qualidade em saúde, não se pode deixa de falar de Florence Nightingale (1820-1910) que implantou o primeiro modelo de melhoria continua da qualidade em saúde, em 1854 durante a Guerra da Crimeia, baseando-se também em dados estatísticos.
  7. 7. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM A qualidade na saúde é composta por três domínios: • a função biológica (que é medida por uma série de exames), • o domínio físico (que observa a parte funcional) e, • o bem-estar (que analisa a parte mental). • Na área de saúde, a repetição da técnica não garante o resultado. • A opção pelo uso da técnica está respaldada por critérios de probabilidade.
  8. 8. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM Qualidade da assistência à saúde deve maximizar medidas abrangentes para o bem-estar do cliente, em todas as suas partes, levando em consideração o equilíbrio entre ganhos e perdas, inerentes ao processo de atenção médico hospitalar. Conceito Refere-se às atividades que avaliam, monitoram ou regulamentam os serviços prestados aos consumidores. Na enfermagem, o objetivo do cuidado com qualidade é assegurar qualidade e, o mesmo tempo, atender as metas planejadas.
  9. 9. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM METODOLOGIA DOS 5 S  A prática do 5S representa hoje uma ferramenta de sucesso para a melhoria do padrão de qualidade dentro das organizações. Bem planejado e implementado, traz excelentes resultados, mas não substitui um programa de Qualidade Total.  O 5S possibilita o estabelecimento de ambiente favorável à instalação da Qualidade Total.  O 5S foi desenvolvido no Japão, e a prática, junto com o conceito de Qualidade Total, tornou-se uma eficiente ferramenta para a melhoria contínua da qualidade e produtividade
  10. 10. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM O processo do 5S , isto é, a prática de “bons hábitos”, parte do princípio de que as pessoas mudam o comportamento influenciadas por projetos bem-sucedidos de comportamento grupal e pelas condições ambientais que o cercam .
  11. 11. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM Elementos dos 5S : SEIRI: Seleção, utilização, descarte. Tem como objetivo eliminar o que não tem utilidade. Liberar espaço para realizar a arrumação e a organização.   SEITON : Arrumação, organização . Depois de jogar fora o que não serve pra nada, é hora de jogar coisas importantes no lugar apropriado. Uma boa arrumação permite diminuir o desperdício de tempo e materiais, além de reduzir custos desnecessários (com manutenção, espaço, limpeza, etc.). Lembre-se do princípio da ordem da teoria clássica da administração: “Um lugar pra cada coisa, cada coisa em seu lugar”.
  12. 12. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM SEISO : limpeza . É mais fácil manter a limpeza daquilo que está organizado e tem utilidade certa.   SEIKETSU : padronização . Utilizando muitas vezes a descrição de processos que objetivam padronizar a organização, arrumação e rotina de limpeza, o verdadeiro foco é a transformação cultural das pessoas.
  13. 13. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM SHITSUKE : autodisciplina, ordem mantida. Significa atitude positiva, colaboração, responsabilidade e respeito ao próximo. As pessoas adquirem a compreensão dos valores necessários para a convivência com o grupo de trabalho e com o público em geral.
  14. 14. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM METODOLOGIA DOS 5 S É uma metodologia que permite constante evolução. Benefícios conquistados com a implementação do 5S: eliminação de desperdícios, otimização de tempo, redução de riscos no trabalho, administração participativa, espírito de equipe, enriquecimento de conhecimentos, comportamentos e hábitos positivos, padronização de processos, incremento de eficiência, melhoria da Qualidade.
  15. 15. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM O BENCHMARKING • O Benchmarking é um método que tem como objetivo a comparação entre referências (benchmarks) de processos, práticas ou medidas de desempenho • Baseia-se no enfoque de que a maneira eficaz para promover uma mudança é aprendendo com a experiência dos outros. •O benchmarking deve estar focalizado naqueles poucos processos vitais que exercerão maior influência na obtenção dos objetivos da empresa.
  16. 16. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM São 4 os tipos de benchmarking: 1.Interno: é a comparação entre operações semelhantes dentro da própria organização. 2. Competitivo: é a comparação com o melhor dos concorrentes diretos e leva a resultados mais óbvios. 3. Funcional: é a comparação das mesmas funções em setores distintos entre empresas com processos semelhantes. 4. Genérico: é a comparação de processos de trabalho com outros que tenha processos exemplares de trabalhos inovadores.
  17. 17. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM INDICADORES DE SAÚDE A construção de um indicador é um processo cuja complexidade pode variar desde a simples contagem direta de casos de um determinado problema, até o cálculo de proporções, razões, taxas ou índices mais sofisticados.
  18. 18. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM O grau de excelência de um indicador deve ser definido por: Sua validade (capacidade de medir o que se pretende)   Sua confiabilidade (reproduzir os mesmos resultados quando aplicado em condições similares). Outros atributos de um indicador são: oMensurabilidade (basear-se em dados disponíveis ou fáceis de conseguir), oRelevância (responder a prioridades de saúde) oCusto-efetividade (os resultados justificam o investimento de tempo e recursos).
  19. 19. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM Tipos de indicadores: -Indicadores de processo informam se aquilo que foi planejado está acontecendo, ou seja, verifica o andamento dos meios. Ex: O índice de evoluções realizadas pelos enfermeiros.   -Indicadores de resultados informam se as metas e objetivos planejados foram alcançados, ou seja, verifica os fins. Ex: O índice de infecções hospitalares  
  20. 20. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM Auditoria   É a avaliação sistemática e formal de uma atividade, por alguém não envolvido diretamente na sua execução, para determinar se essa atividade está sendo levada a efeito de acordo com seus objetivos Auditoria em enfermagem: é a avaliação sistemática da qualidade da assistência de enfermagem, verificada através das anotações de enfermagem no prontuário do paciente e/ou das próprias condições deste.
  21. 21. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM BREVE HISTÓRICO DA AUDITORIA EM ENFERMAGEM NO BRASIL   1950 - Primeiros trabalhos de auditoria em enfermagem; 1970 - os trabalhos sobre o assunto abordavam a definição e classificação de auditoria em saúde com similaridade a área contábil, mas o enfoque primordial era na assistência prestada ao paciente; 1983 - no Hospital Universitário - USP foi implantada a auditoria de processo, constituindo-se numa atividade pioneira em hospital público; Atualidade, na área pública predomina-se auditoria de cuidados e nas instituições privadas auditoria de contas.
  22. 22. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM FINALIDADES:    Identificar áreas (unidades) deficientes no serviço de enfermagem (dimensionamento do pessoal, procedimentos, registros, relacionamento, etc...);  Fornecer dados para melhoria dos programas de enfermagem;  Obter dados para programação da educação continuada. “A análise constitui a essência da ação auditorial. Verificar sem interpretar, criticar e orientar é tarefa ineficaz e não interessa aos métodos científicos”.
  23. 23. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM TIPOS DE AUDITORIA    Retrospectiva: após a alta do paciente . É utilizado o prontuário do paciente. (até 50 altas/mês(100%), mais de 50 altas/mês (10%) + 100% dos óbitos em qualquer situação).  Operacional ou concorrente: Durante a internação. Utiliza-se: exame do paciente, entrevista com paciente, equipe e acompanhantes, pesquisa junto à equipe médica.
  24. 24. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM CLASSIFICAÇÃO DA AUDITORIA • Quanto à forma de intervenção: interna ou externa. • Quanto ao tempo: contínua ou periódica. • Quanto à natureza: Normal ou específica. • Quanto ao limite: Total ou parcial
  25. 25. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM MODALIDADES DE AUDITORIA:    Auditoria de cuidados: Sistematização da Assistência de Enfermagem (Resolução nº 272/2002), etapas – entrevista, histórico, exame físico, diagnóstico, prescrição e evolução; e Controle da qualidade.  Auditoria de contas : Elaboração, definição e apresentação de contas; Processo de avaliação dos enfermeiros auditores do hospital e operadora/seguradora; Ferramentas para avaliação das contas; e Negociação dos profissionais que atuam na área.  Auditoria de gestão - Trabalha-se com avaliação; supervisão, planejamento, execução, controle e gestão; e Contribuição com a administração da instituição de atuação.
  26. 26. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM COMPETÊNCIA DO ENFERMEIRO AUDITOR:   • Direito de acessar, in loco toda a documentação necessária, sendo-lhe vedada a retirada dos prontuários ou cópias da instituição, podendo, se necessário, examinar o paciente, desde que devidamente autorizado pelo mesmo, quando possível, ou por seu representante legal; • Havendo identificação de indícios de irregularidades no atendimento do cliente, cuja comprovação necessite de análise do prontuário do paciente, é permitida a retirada de cópias exclusivamente para fins de instrução de auditoria;  
  27. 27. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM ACREDITAÇÃO HOPITALAR   Caracteriza-se por ser um sistema de avaliação externa, de caráter voluntário, periódico e reservado. Envolve aspectos relacionados ao desenvolvimento da qualidade tais como, o acesso e a garantia da continuidade do atendimento; os processos diagnósticos, terapêuticos e de reabilitação/recuperação; a segurança dos procedimentos e atos médicos; o desempenho dos recursos humanos e, ainda, as adequadas condições das instalações e equipamentos.
  28. 28. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM ACREDITAÇÃO HOPITALAR É uma das estratégias mais importantes no campo da garantia da qualidade, permitindo uma abordagem inovadora e integradora para tratar a questão da saúde a partir de sua lógica e especificidade, e que vem sendo utilizada em vários países.   O sistema de acreditação foi utilizado originalmente para proteção da profissão médica e dos pacientes contra os efeitos nocivos de ambientes e organizações inadequadas à prática. A história da acreditação aponta um deslocamento da ênfase sobre o ambiente para a ênfase da prática clínica.
  29. 29. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM PROCESSO DE ACREDITAÇÃO   A acreditação visa, a melhoria da qualidade do atendimento prestado. Em nosso país esta é uma demanda crescente da rede de hospitais públicos e privados. A gestão dos serviços de saúde, o aumento crescente dos custos dos cuidados médicos, a necessidade de atender aos direitos do consumidor dos serviços de saúde, as expectativas crescentes quanto às "boas práticas" hospitalares e a ética profissional, a preocupação com a garantia da segurança no atendimento e nos procedimentos médico-hospitalares, são aspectos que exigem métodos inovadores para seu adequado enfrentamento.
  30. 30. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM A ACREDITAÇÃO POSSIBILITA: • Ampliar a segurança dos usuários na escolha e utilização dos serviços; • Introduzir a qualidade como um processo permanente de aprimoramento institucional; •Buscar maior eficiência e efetividade do atendimento; • Racionalizar a utilização de recursos humanos, financeiros e tecnológicos; •Desenvolver e aprimorar continuamente os recursos humanos;
  31. 31. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM A ACREDITAÇÃO POSSIBILITA: •Colocar a disposição de profissionais e hospitais, referenciais de excelência dos cuidados prestados em torno dos quais possam reorganizar suas práticas, diminuir riscos para os pacientes e profissionais e melhorar o desempenho institucional; • Obter avaliação objetiva do desempenho da organização, utilizando uma abordagem em que a avaliação está centrada no processo do cuidado ao paciente; • Demonstrar padrões de excelência para clientes e financiadores ampliando o diferencial de qualidade em um mercado cada vez mais competitivo.
  32. 32. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM
  33. 33. AULA 10: GERENCIAMENTO DA QUALIDADE EM SAÚDE ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM Nesta Aula, você: • Entendeu os conceitos de qualidade em serviços • Conheceu o processo histórico do controle de qualidade nas organizações • Conheceu os conceitos de auditoria e acreditação hospitalar.
  34. 34. Aula 10: Gerenciamento da qualidade em saúde ADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEMADMINISTRAÇÃO E GERENCIA EM ENFERMAGEM ESPERO POR VOCÊ !!

×