Resumos de Português: Felizmente há luar!

429 views

Published on

Resumos para o Exame Nacional de 12ºano de Português

Published in: Education
  • Be the first to comment

Resumos de Português: Felizmente há luar!

  1. 1. Felizmente Há Luar! Drama narrativo,de caráter social,dentrodosprincípiosdoteatroépico.Analisacriticamenteasociedade, mostrandoa realidade comoobjetivode levaroespectadoratomar uma posição. Dualidade em Felizmente há Luar! Felizmente há Luar! Apresentaumcaráter dual:reflete duasépocas (oAbsolutismodoséc.XIXe a ditadura salazaristadoséc. XX);é constituídopordois atos que se iniciamde formasemelhante,alertandoassimo espetadorparaa necessidade de estaratentoe manterumaatitude crítica; e as personagensestão agrupadasem doisnúcleosdicotómicos –Podere Anti-Poder.OsatosIe II estãofortemente interligados, poisa ação narrada noato II decorre emconsequênciadasituaçãoapresentadanoatoI. Em ambosos atos, GomesFreire (A figuracentral),mesmoausente, surge comoelementoestruturadordaação: são a sua condenaçãoe execuçãoque condicionamocomportamentodasrestantespersonagens. Características:  Exprime arevoltacontra o poderdespóticoe mostrao direitoe odeverda mulhere dohomemde transformaremasociedade.  É entendidacomoumaalegoriapolitica.SttauMonteiroremeteoleitor/espectadorparaos problemassociaise políticosde Portugal nãoapenasnoiníciodo séculoXIXe durante o regime ditatorial doséculoXX,maspara todosos regimesdespóticose situaçõesrepressivas.  Existe umparalelismoentreaação presente napeçae oscontextosideológicoe sociológicodopaís.  Há um mergulhadornopassadoonde se revisitamosacontecimentoshistóricosparalevaro leitor/espectadorainterpretaropresente e arefletirsobre anecessidadede lutarcontraqualquer opressão.  Graças à distanciaçãohistórica,denúnciaumambiente político repressivodosiníciosdoséculoXIX, para provocar a reflexãosobre umtempode opressãoe de censuraque se repete noséculoXX.  O monólogoinicial de Manuel,“omaisconsciente dospopulares”,coloca-nosnocontextohistórico da obra: invasõesnapoleónicase proteçãode Inglaterra;situaçãode repressãodopovo pelos “senhoresdoRossio”.  Felizmente háLuaré uma obra intemporal que nosremeteparaa lutado serhumanocontra a tirania,a injustiçae todasas formasde perseguição.  Narra a luta pelaliberdadenoiníciodoséculoXIXe serve de pretextoparauma reflexãosobre a ditaduraemPortugal no séculoXX.Todosos opressivos,e concretamenteoregime salazarista,entre o iniciodosanostrinta e 1974, foramdenunciadose contestadospelosartistas.A literatura,a músicae outrasartes foramo “veículode protesto”contra a censura,contra a miséria. Duplo significado da expressão “Felizmente há Luar!”  Para D. Miguel:O luaré favorável porpermitiravisibilidade de um castigo prolongado que se pretende exemplar e dissuasor de qualquer ideia de revolta.  Para Matilde:O mesmoenunciadopronunciadoporMatilde assume umsignificadototalmente distinto. Para ela, a morte de Gomes Freire constitui um incentivo à revolta contra a tirania dos opressores e é, por isso, importante que seja visível.
  2. 2. As personagens:  Rei D. João VI - Casadocom D. Carlota Joaquina.AquandodasInvasõesFrancesas,refugia-secoma Corte no Brasil,deixandoemLisboaumaregênciaincapazde governarsegundonovosideaise de se imporao crescente domíniopolítico-militarde Inglaterra.  D. Carlota Joaquina - Rainha de Portugal  Rei D. Miguel - Filhode D. João VIe de D. CarlotaJoaquina.Encabeçouomovimentoque se opunha à implantaçãodoliberalismoemPortugal.Foi exiladoe,apósa morte de D. João VI,regressoua Portugal e foi proclamadorei absolutopelasCortes(dandoorigemaumaguerracivil que opôs liberaise absolutistas).Comavitóriadosliberais,é expulsodotronoe exilado.  GomesFreire de Andrade - General português.Foi preso,acusadode terparticipadona terceira invasãofrancesa.Ligadoaosideaisprogressistase membrodaMaçonaria, foi acusadode participar na conspiraçãode 1817, que punhaem causa a ausênciadaCorte de D. João VIno Brasil,a presença militaringlesanopaíse a grave situaçãoeconómicaque entãose vivia.Osconspiradores,acusados de traição à pátria, foramqueimadospublicamente e Lisboafoi convidadaaassistir.Foi aí enforcado e depoisqueimado.Masofermentodarevoluçãoestavalançadoe iriadar fruto numarevolução liberal.  WilliamBeresford- General Inglês,severoe disciplinador,enviadopelaGrã-Bretanhapara reorganizaro exércitoportuguês(apósaprimeirainvasãofrancesa).Foi depoisnomeado generalíssimodoexércitoportuguêse foi consolidandoe aumentandoosseuspoderes.Rejeitavaas novasideiasliberais,imaginavaconspiraçõese reprimia-asseveramente.Apósrumoresde uma conspiraçãoque pretendiaoregressodorei e que se manifestavacontráriaàpresençainglesa, mandoumatar os conspiradores(entre elesGomes Freire).  Matilde de Melo- A "companheirade todasas horas"do General GomesFreire.Possuidorade uma densidade psicológicanotável,aparece naobranão apenascomo sonhadora,que sabe amarde verdade,masa personagemque,corajosamente,desmascaraa hipocrisiae reage contrao ódioe as injustiças.Elaacreditanatransformaçãoda situaçãode opressãoemque opovo vive. Elementossimbólicos Diversossímbolosfavorecemacompreensãodasituaçãovividae daesperançade alcançar a liberdade. Saia verde  Oferecida pelo General a Matilde;  Em vida, representa a esperança, a felicidade, a liberdade;  Na morte,representaaalegriadoreencontrocom Gomes Freire, a tranquilidade, a esperança de que o martírio do General dê os seus frutos. A fogueira  Representa tanto a tristeza e a escuridão do presente como a esperança e a liberdade do futuro. Os tambores  Símbolos da repressão provocam o modo e prenunciam a ambiência trágica da ação.
  3. 3. A moeda de cinco réis  Símbolo do desrespeito dos mais poderosos em relação aos mais desfavorecidos;  Represália de Manuel a Matilde. A noite de luar  A noite representa a morte, o mal, a infelicidade. No entanto, a luz representa a vida, a saúde, a felicidade;  Para D. Miguel o luarpermite que oclarão da fogueira atemorize todos aqueles que queiram lutar pela liberdade, funcionando como elemento dissuasor, purificando a sociedade de ideias “perigosas”;  Para Matilde,o luar permite que a morte do General e de todos os outros homens que o acompanham seja bem visível e, finalmente, se vá para a frente com a revolta contra o regime absolutista.- Tempo da história – Séc. XIX – 1817 Tempo da escrita – Séc. XX – 1961  Conspirações internas; revolta contra a presençadaCorte noBrasil;influênciado exército britânico – levaram à revolução liberal de 1820  Conspiraçõesinternas; principal irrupção da guerra colonial – mais tarde levaram à revolução do 25 de Abril  Regime absolutista e tirânico  Regime ditatorial de Salazar  Classes sociais fortemente hierarquizadas;  Classesdominantes commedo de perder privilégios  Grande desigualdade entre as classes sociais;  Classesexploradoras,comreforço do seu poder  Classes sociais fortemente hierarquizadas;  Classesdominantescommedo de perder privilégios  Grande desigualdade entre as classes sociais;  Classesexploradoras,comreforço do seu poder  Povo oprimido e resignado;  A “miséria, o medo e a ignorância”;  Obscurantismo,mas“felizmente há luar”  Povo reprimido e explorado;  Miséria, medo e analfabetismo;  Obscurantismo, mas crença nas mudanças  Luta contra a opressão do regime;  Manuel denuncia a opressão e a miséria  Luta contra o regime totalitário;  Agitação social e política  Perseguições dos agentes de Beresford;  As denúncias de Vicente, Andrade Corvo e MoraisSarmento, que demonstram ser hipócritas e sem escrúpulos;  Censura à imprensa  Perseguições da PIDE;  Denúncias dos chamados “bufos”, que surgem na sombra e se disfarçam, para colher informações e denunciar;  Censura  Severa repressão dos conspiradores;  Processos sumários e pena de morte  Prisão e duras medidas de repressão e tortura;  Condenações sem provas  Execução do General Gomos Freire  Execução do general Humberto Delgado (1965)

×