Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sounds of Brazilian Music - Clarinet

1,744 views

Published on

Volume of the series “Sounds of Brazilian Music” dedicated to the clarinet. The whole series contains 6 volumes and 12 CDs showcasing the main instruments of Brazilian music and its most influential composers. All topics are in Portuguese and English. Institutional merchandise produced by Newsday Consultoria for Petrobras in 2008.

Published in: Entertainment & Humor
  • Be the first to comment

Sounds of Brazilian Music - Clarinet

  1. 1. saxophone & clarinet Sounds of Brazilian music saxofone & clarinete
  2. 2. Realização • Publishing Newsday Consultoria de Comunicação e Marketing Ltda. Av.Ataulfo de Paiva,341 grupo 603 – Leblon 22440-032 – Rio de Janeiro – RJ newsday@newsday.com.br Design gráfico • Graphic design Ampersand Comunicação Gráfica Texto • Text Pedro Paulo Malta Versão para o inglês • English version Anne Crawford Nicholson Brian Nicholson Revisão • Revision Eduarda Moura Alexandre Rodrigues Alves Edição de texto • Text edition Rafael Nunan do Nascimento Silva Coordenação de produção fonográfica • Phonographic production coordination Mario de Aratanha Administração de repertório • Repertoire administration I.Barroso Masterização • Masterization Luigi Hoffer / DMS Projeto e direção musical • Project and musical direction Henrique Cazes Coordenação editorial • Editorial coordination Gustavo Barbosa Supervisão • Ricardo Largman Coordenação geral • General coordination Humberto Quadros Carlos Alberto Rabaça © 2008 – Newsday Consultoria de Comunicação e Marketing Ltda.
  3. 3. Sounds of Brazilian music saxophone & clarinet Saxofone &clarinete
  4. 4. Apresentação Suas origens são diferentes, mas tornaram- se parceiros consagrados no sopro de gran- des intérpretes do jazz americano. O clarinete foi criado em 1690 pelo alemão Johann Denner, a partir de um ins- trumento medieval,a charamela.Original­ mente de ébano,hoje ele é feito de uma ma- deira menos rara, o granadilho, e de um plástico transparente, o ebonite, não raro tingido na cor do ébano. O sax é bem mais recente. Em 1846, o belgaAdolpheSaxpatenteouumgrupode13 instrumentos, entre eles os saxofones tenor, soprano, alto (ou contralto) e barítono. Era de madeira,mas passou a ser feito de metal, geralmente latão,às vezes com liga de prata. Os dois instrumentos chegaram juntos à música brasileira na segunda metade do século 19. E aqui encontraram também grandes mestres, que lhes deram novo bri- lhoemritmostipicamentenacionais,comoo choro e o samba.
  5. 5. Presentation | Their origins are different, but they became legendary part- ners in the hands of great American jazz musicians. The clarinet was invented by Johann Denner in Germany in 1690, basing his creation on a medieval instrument called the chalumeau. It was originally crafted out of ebony but today is made from the more common granadilla wood and ebo- nite, a transparent plastic that is often dyed to the color of ebony. The saxophone is much more recent. In 1846 Adolphe Sax of Belgium patented a group of 13 instruments including the te- nor, soprano, alto (or contralto) and bari- tone saxophones. Initially they were made of wood but later of metal, normally brass but sometimes mixed with a silver alloy. Both instruments reached Brazilian music in the second half of the 19th cen- tury. Here they shone in the hands of gre- at maestros playing typical Brazilian rhythms, like choro and samba.
  6. 6. Benny Goodman à brasileira “Que tal fazermos aqui algo como o trio que Benny Goodman criou lá nos Estados Unidos?” Com seu faro para o sucesso, o americano Mister Evans, diretor da gravadora Victor, fez essa pergunta ao maestro Radamés Gnattali, cujos arranjos e composições já ecoavam por todo o Brasil pelas ondas da Rádio Nacional naquele ano de 1937. Admirador de jazz, o maestro buscou imprimir em suas orquestrações de música brasileira o suingue do trio formado por Goodman no clarinete,TeddyWilson no piano e Gene Krupa na bateria. Nos arranjos de Radamés, com ele ao piano e Luciano Perrone na bateria, destacava-se o talento do clarinetista Luiz Americano, que surpreendia ouvintes de norte a sul do país. Nascido em Sergipe, Americano foi um dos primeiros a trazer a influência do jazz para as orquestrações brasileiras. Depois de fazer sucesso em BuenosAires,onde morou portrêsanos,voltouaoBrasilem1931tra- zendo um som cheio de bossa e ginga. Em 1937, no único disco do brevíssimo Trio Carioca,ele apresentou o novo es- tilo ao país tocando sax e clarinete.
  7. 7. Benny Goodman, Brazilian Style | The American known to everybody simply as Mister Evans, director of the Victor recording company, had a nose for success. “What about a trio here in Brazil, like the one Benny Goodman created in the United States?” he asked Radamés Gnattali back in 1937 when the maestro’s arrangements and compositions were being played all over Brazil on “Rádio Nacional”. Gnattali loved jazz. His goal was to arrange Brazilian music in ways that captured the swing of the trio formed by Goodman on clarinet, Teddy Wilson on piano and Gene Krupa on drums. The Brazilian trio featured Gnattali on piano andLucianoPerroneondrums,withthespotlight falling on clarinetist Luiz Americano who was to amaze audiences all over the country. Born in Sergipe, Americano was one of the first to bring a jazz influence to Brazilian orches- trations. After a successful three-year stint in Buenos Ai- res, he returned to Brazil in 1931 bringing a sound full of sway and swing. In 1937, the short-lived Carioca Trio made its only recording and intro- duced the country to a new music style, with Americano on sax and clarinet.
  8. 8. O som inovador de Pixinguinha Nem sempre o sax e o clarinete esti- veram lado a lado. Enquanto o clari- nete tem sido,desde sua criação,pre- sença constante em salas de concerto do mundo inteiro,a história do saxo- fone é menos nobre e mais descon- traída: somente um dos membros de sua extensa família – o saxofone alto – freqüenta orquestras sinfônicas. Apesar das origens distintas, os dois instrumentos têm suas seme- lhanças.O principal método de saxo- fone, por exemplo, é uma adaptação de um método criado originalmente para clarinete pelo francês Hyacinthe Klosé, na primeira metade do século 19. Assim, não é raro encontrarmos saxofonistas que,antes de dominar o instrumento,tenham aprendido a to- car clarinete ou até mesmo clarine- tistas com facilidade para aprender saxofone.
  9. 9. The Innovative Sound of Pixinguinha | The sax and clarinet haven’t always lived happily side by side. While the clarinet has been a fixture of concert halls worldwide, ever since it was invented, the saxo- phone has a more plebian and informal history: only one member of the family, the alto sax, has been welcomed into symphony orchestras. Despite these different origins, the two instruments have certain similarities. For in- stance, the main saxophone method is an ad- aptation of a method originally created for the clarinet by Frenchman Hyacinthe Klosé in the first half of the 19th century. This means it’s not rare to find saxophonists who learned to play the clarinet before mastering their new instru- ments, or even clarinetists who can easily learn the sax. As primeiras décadas do século 20 não foram fáceis para o saxofone. Seu timbre metálico e estridente soava estranho aos ouvidos da época, acostumados à sonoridade mais “sóbria”, “doce” e “comportada” do clari- nete. Mas o talento de grandes intérpretes superou essa resis- tência inicial. Quando Pixingui- nha,autor de Carinhoso,trocou a flauta pelo sax tenor para fazer dupla com Benedito Lacerda, nos anos 1940, o instrumento conquistou definitivamente o seu lugar no cenário da música popular brasileira. The early decades of the 20th century were not kind to the saxophone. Its strident, metallic pitch was strange to many people who were used to the “sweet”, “sober” and “well-behaved” sound of the clarinet. But the talent of great saxophonists overcame this initial resistance. When Pi­ xinguinha, author of Carinhoso, swapped his flute for a tenor sax to form a duo with Benedito Lacerda in the 1940s, the instrument finally won a place in the Brazilian popular music scene.
  10. 10. Soprosnordestinos Ao adotar o sax,Pixinguinha superou as dificuldades financeiras que vivia naquele momento e, ao mesmo tempo, deu visibilidade aos músicos que vinham tocando o instrumento antes dele.Foi o caso de Viriato Figueira da Silva,que no final do século 19 já havia trocado a flauta pelo sax, e do cômico Ratinho, saxofonista desde a década de 1910,parceiro de Jararaca em uma famosa dupla caipira. Northeastern Winds | Changing to the sax not only helped Pixinguinha resolve his financial problems, it also helped open up the market for musicians who already played the instrument. Viriato Fi­ gueira da Silva was one such; he had migrated from flute to sax at the end of the 19th century. Another was the humorous Ratinho who had played sax since the second de- cade of the new century in a famous country duo with Jararaca. Nascido no agreste paraibano, Seve- rino Rangel de Carvalho, o Ratinho, foi integrante de uma geração de músicos nordestinos que fizeram sucesso como intérpretes de instrumentos de sopro ou até mesmo como regentes.Além de Rati- nho e de Luiz Americano, destacaram-se no clarinete ou no sax o pernambucano Guio de Morais,o baiano Sandoval Dias,o alagoano Fon-Fon e o potiguar K-Ximbi- nho.Todos traziam na bagagem a familia- ridade com as bandas, uma tradição for- tíssima na região. E alguns deles já sintonizavam emissoras americanas de rádio em ondas curtas para ouvir o jazz das primeiras décadas do século 20.
  11. 11. Born Severino Rangel de Carvalho in the poor, dry scrublands of Paraíba, Ratinho (“Little Rat”) was a part of a generation of great Northeastern musicians who became popular as wind instrument performers and even conductors. In addition to Ratinho and Luiz Americano, other fine sax and clarinet players hailing from this region were Guio de Morais, from Pernambuco; Sandoval Dias, from Bahia; Fon-Fon, from Alagoas; and K-Ximbinho, from Rio Grande do Norte. All shared a fa- miliarity with bands, which are a strong tradition in Northeastern Brazil. Some of them also tuned in to American short-wave ra­dio stations to listen to early 20th century jazz.
  12. 12. O Brasil ganha sua “big band” Um dos ouvintes mais apaixonados pelo jazz era Severino Araújo, que não perdia um programa de Benny Goodman. Na época, o jovem clarinetista integrava a Banda da Polícia Militar, em João Pessoa. Ao ser convidado para assumir a batuta da Orquestra Tabajara, com apenas 21 anos, resolveu encorpar o som, transformando-a na principal big band brasileira até os dias de hoje. O sucesso foi tanto que, em 1945, a Rá- dio Tupi “importou” a orquestra inteira de João Pessoa para o Rio, onde o som jazzístico expandiu seu repertório com choros, sambas e outros ritmos tipicamente brasileiros. Na mis- tura, o maestro Severino incluiu compo­sições próprias, todas inspiradas no ídolo clarinetista, como ele mesmo explica: “Eu primeiro fazia um suingue à Benny Goodman e depois colocava na cadência do choro”.
  13. 13. Em outros cantos do país,o clarinete e o saxofone continuaram temperando a música brasileira com suin- gue e cadência. O mineiro Abel Ferreira,antes de rodar o mundo como compositor e solista, usou ambos os ins- trumentos para dar brilho a gravações de Francisco Al- ves e Orlando Silva, entre outros astros. Por sua vez, o paulista Paulo Moura, tra- zendo na bagagem um sax e um clarinete, deixou sua fa- mília de músicos em São José do Rio Preto (SP) para trilhar carreira no rádio, em cassinos, gafieiras e orques- tras sinfônicas, sendo até hoje aplaudido internacio- nalmente. Brazil gets its “Big Band” | One of the keenest jazz fans was Severino Araújo – he never missed Benny Goodman on the radio.As a young clarinetist, Araújo played in the João Pessoa Police Band in the Brazilian Northeast. When just 21 he was invited to conduct the Ta- bajara Orchestra and decided to beef up the sound, transforming it into the greatest “Big Band” Brazil had – or has – ever seen.
  14. 14. Such was their success that in 1945 “Rádio Tupi” “imported” the entire or- chestra from João Pessoa to Rio de Ja- neiro, where they expanded their jazz- oriented repertoire with choros, sambas and other typical Brazilian rhythms. Severino included some of his own com- positions, all inspired by his clarinetist idol, as he explains: “I’d start out with a Benny Goodman swing and transform it with the cadence of choro”. Elsewhere, the clarinet and saxo- phone continued adding swing and cadence to Brazilian music. Abel Fer- reira from Minas Gerais, who was later to travel the world as a composer and soloist, played both instruments to polish the recordings of Francisco Alves, Orlando Silva and other stars. Paulo Moura left his musical family in São José de Rio Preto (SP) to build a new career playing sax and clarinet anywhere and everywhere from radios and symphony orchestras to casinos and honky tonks. He is remembered to this day, even beyond Brazil.
  15. 15. No Rio de Janeiro surgiram muitos dos craques da geração seguinte. No saxofo- ne, Leo Gandelman tornou-se referência jazzística na MPB, chegando a ser atração habitual de casas como a Blue Note, de Nova Iorque.Já o clarinetista Paulo Sérgio Santos, seguindo trajetória semelhante à de seu instrumento,dedicou-se primeiro à músicaeruditaparadepoissedividirentre as salas de concerto e as rodas de choro. Atualmente, o sax e o clarinete se mantêm como protagonistas graças ao ta- lento de intérpretes como Marcelo Bernar- des, Mário Sève, Carlos Malta, Humberto Brilhoinesgotável
  16. 16. The Everlasting Brightness | Rio de Ja- neiro gave birth to an ample new generation of great musi- cians. Leo Gandelman on saxo- phone became a jazz reference within MPB, or “Popular Brazil- ian Music”, and was a regular at prestigious venues such as New York’s Blue Note club. Clarinetist Paulo Sérgio Santos built a career that recalled the evolution of his in- strument, starting with erudite music before splitting his time between con- cert halls and choro sessions. Today the sax and clarinet still figu- reprominentlyinBrazilianmusic,thanks to the talent of performers such as Marce- lo Bernardes, Mário Sève, Carlos Malta, Humberto Araújo, Dirceu Leite, Eduardo Neves, Rui Alvim, Daniela Spielmann and Joana Queiroz. This new generation of talent continues to reinvent these two instruments with the never-ending resources of jazz, choro, samba and so many other styles. Araújo,DirceuLeite,EduardoNeves, RuiAlvim,Daniela Spielmann e Joa- naQueiroz.Anovageração de músi- cos continua reinventando esses dois instrumentos a partir dos ines- gotáveis recursos do jazz, do choro, do samba e de tantos outros estilos.
  17. 17. compositores composers
  18. 18. Viriato Figueira | 1851-1883 | Fluminense de Macaé, formou-se flautista no Conservatório de Música, onde teve aulas com Joaquim Callado (ver volume 1 – Flauta), de quem se tornaria grande amigo. Pioneiro no Brasil como solista no saxofone,conseguiu seu maior sucesso com a polca Só para moer,edi- tada em 1877 e aqui regravada nos saxofones de Mário Sève (soprano) e Danie- la Spielmann (tenor).Falecido aos 32 anos,dois anos após Callado,foi enterra- do ao lado do amigo em um mausoléu erguido por fãs no Cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Born in Macaé, in Rio de Janeiro State, Figueira studied flute at the Rio Musical Conservatory with the talented Joaquim Callado (see volume 1 – Flute), with whom he formed a strong friendship. One of Brazil’s pioneer saxophone soloists, Figueira enjoyed his biggest success with the polka Só para Moer, published in 1877 and re-recorded here by Mário Sève and Daniela Spielmann (soprano and tenor sax, respectively). Dead at age 32, two years after Callado, Figueira was buried next to his friend in a mausoleum built by fans in Caju Cem- etery, in Northern Rio de Janeiro. Anacleto de Medeiros | 1866-1907 | Carioca da Ilha de Paquetá, foi compositor, instrumen­ tista, arranjador e maestro (ver volume 1 – Flauta), ten- do fundado diversas bandas no Rio de Janeiro, com destaque para a Banda do Corpo de Bombeiros. Nesta seleção,o seu choro Três estrelinhas é interpretado pelo
  19. 19. sax tenor de Humberto Araújo.A composição,gravada originalmen- te em 1923, foi um dos primeiros registros fonográficos de Pixingui- nha ao saxofone. Born on Paquetá Island in Rio’s Guanabara Bay, Medeiros was a composer, instrumentalist, arranger and conductor. He founded many Rio de Janeiro bands, most notably the Fire Brigade Band (see volume 1 – Flute). In this selection, his choro Três Estrelinhas is per- formed by Humberto Araújo on the tenor sax. Originally recorded in 1923, this was one of the first phonograph recordings by Pixinguinha on saxophone. Ratinho | 1896-1972 | O saxofonista e compositor Severino Rangel de Carva- lho, o Ratinho, ficou mais conhecido pela dupla caipira formada com José Luís Calazans, o Jararaca. Com 25 irmãos por parte de pai e órfão de mãe antes de completar um ano, foi criado por tios, tendo arriscado suas primeiras notas na banda de sua cidade natal, Itabaiana (PB). Foi também trompetista e oboísta na Orquestra Sinfônica de Recife, para onde se mudou em 1914. A freqüência com que tocava a polca Rato rato,de Casemiro Rocha,valeu-lhe o apelido com o qual se consagrou. Neste volume, seu choro-galope Brincando é interpretado no sax so- prano de Dirceu Leite. The great saxophonist and composer Severino Rangel de Carvalho, born in Itabaiana in Paraíba, was best known as half of the Jararaca country music duo with José Luís Calazans, from Alagoas. With 25 brothers and sisters on his father’s side, Ratinho was raised by uncles after losing his mother before he was one. He ventured into music with a band in the town where he was born and was also a trumpeter and oboist in the Sym-
  20. 20. phony Orchestra of Recife, where he moved in 1914. The frequency with which he played the Rato Rato polka (Casemiro Rocha) earned him the enduring and endearing nickname of Ratinho (“Little Rat”). In this vol- ume, his Brincando, an up-tempo choro, is heard in the talented soprano sax of Dirceu Leite. Luiz Americano | 1900-1960 | Clarinetista,saxofonista,arranjador e com- positor,foi considerado pelo compositor Ary Barroso e pelo cronista Sérgio Porto um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos.Nascido emAracaju (SE), começou a aprender música em casa,com o pai,mestre de banda.Mudou-se para o Rio em 1921,como integrante da Banda do Exército.Após deixar a farda,atuou em orquestras radiofônicas. Na Rádio Nacional, participou do Trio Carioca, com Radamés Gnattali (piano) e Luciano Perrone (bateria).Nesta coleção, é represen- tado pelos choros Sorriso de cristal,interpretado no sax alto de Leo Gandelman,e Numa seresta,solado pela jovem clarinetista Joana Queiroz. Clarinetist, saxophonist, arranger and composer, Luiz Americano is con- sidered by composer Ary Barroso and writer Sérgio Porto to be one of the greatest Brazilian musicians of all time. Born in Aracaju in the Northeast state of Sergipe, he learned music at home with his father, a band leader. He moved to Rio in 1921 as a member of the Army Band and once out of uniform played in radio orchestras. On “Rádio Nacional” he played in the Carioca Trio with Radamés Gnattali (piano) and Luciano Perrone (drums). This collection contains Americano choros Sorriso de Cristal with Leo Gandelman on alto sax and Numa Seresta which features a solo by young clarinetist Joana Queiroz.
  21. 21. Radamés Gnattali | 1906-1989 | Compositor,arranjador,maestro e pianis- ta gaúcho (ver volumes Piano e Acordeom), sua obra é um dos principais pilares da música brasileira moderna. No CD dedicado ao saxofone, Leo Gandelman in- terpreta três composições do maestro escritas para o instrumento:Assim é melhor, nos saxofones alto,tenor e barítono; Serenata no Joá,no sax alto; e Brasiliana nº 7 – 1º movimento, no sax tenor. No CD voltado ao clarinete, os choros Cabuloso e Relembrando,compostos originalmente para o Trio Carioca,são solados por Paulo Sérgio Santos,acompanhado pelo piano de Maria Teresa Madeira e pela bateria de Oscar Bolão. A composer, arranger, conductor and pianist born in Rio Grande do Sul, Radamés Gnattali also appears on the piano and accordion volumes of this collection. His work is one of the main pillars of modern Brazilian music. On the saxophone CD Leo Gandelman plays three Gnattali compositions written specially for the instrument: Assim é Melhor, on alto, tenor and baritone sax; Serenata no Joá, on alto sax; and Brasiliana No. 7 – 1st movement, on tenor sax. The clarinet CD has two choros, Cabuloso and Relembrando, both composed for the Carioca Trio and with solos by Paulo Sérgio Santos. Maria Te- resa Madeira is on piano and Oscar Bolão on drums. Maestro Carioca | 1910-1991 | Apesar do apelido, o maestro e arranjador Ivan Paulo da Silva era paulista de Taubaté. Depois de ini- ciar a carreira como trombonista da Força Pública do Estado de São Paulo em 1933, atuou em bailes e no teatro de revista. Em 1939, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde integrou as orquestras Fon-Fon e All Stars, antes de criar
  22. 22. na Rádio Tupi a sua própria orquestra, com a qual gravou vários discos. Contribui para esta coletânea com o choro Sandoval em Bonsucesso,dedicado ao saxofonista Sandoval Dias,no sax tenor de Humberto Araújo. Despite the nickname of “Carioca” (which means some- one from Rio de Janeiro), conductor and arranger Ivan Paulo da Silva was in fact born in Taubaté in São Paulo State. He started by playing trombone for the São Paulo State Militia, and by 1933 was playing in dance halls and revues. In 1939 he moved to Rio where he joined the Fon-Fon and All Star orchestras before starting his own orchestra on “Rádio Tupi”, where he made several records. In this collection he contributes Sandoval em Bonsucesso, a choro dedicated to saxophonist Sandoval Dias, with Humberto Araújo on tenor sax. Pascoal de Barros | c. 1910-1980 | Saxofonista e compositor carioca, integrou orquestras como as do Maestro Fon-Fon. Segundo Paulo Moura, seu admirador, Barros adaptava para o choro o estilo do jazzista norte-americano Benny Carter. Sua composição mais conhecida é Teclas pretas,escrita originalmente para o saxo- fonista Zé Bodega e aqui interpretada no sax de Eduardo Neves. A Rio-born saxophonist and composer, Pascoal de Barros played in orches- tras including that of Fon-Fon. His great fan Paulo Moura wrote how Bar- ros adapted the style of North American jazzman Benny Carter to Brazilian choro. His best-known work is Teclas Pretas, written for saxophonist Zé Bodega and heard here in the sax of Eduardo Neves.
  23. 23. Abel Ferreira | 1915-1980 | Craque do improviso,começou a tocar clari- nete em sua cidade natal,Coromandel (MG),antes de seguir para Belo Horizonte, onde trabalhou na Rádio Guarani e começou a tocar também sax tenor e alto.No Rio de Janeiro, integrou as orquestras de Vicente Paiva e Bené Nunes para depois ingressar na Rádio Nacional e participar do conjunto Os Cinco Companheiros, com Pixinguinha.Neste volume,são de sua autoria Haroldo no choro,interpretada no sax tenor de Humberto Araújo, e Chorando baixinho, um registro do raro en- contro entre os clarinetes de Paulo Moura e Paulo Sérgio Santos. A magnificent improviser, Abel Ferreira started playing clarinet in his home town of Coromandel (MG) before heading to the state capital of Belo Horizonte where he worked on “Rádio Guarani” and progressed to tenor and alto sax. In Rio he played in the orchestras of Vicente Paiva and Bené Nunes before joining “Rádio Nacional” as part of the “Cinco Com- panheiros” group with Pixinguinha. This collection brings you his Haroldo no Choro with Humberto Araújo on tenor sax and Chorando Baixinho which features a rare meeting of the clarinets of Paulo Moura and Paulo Sérgio Santos. K-Ximbinho | 1917-1980 | Nascido em Taipu (RN), Sebastião de Barros, o K-Ximbinho, foi compositor, maestro, arranjador e clarinetista. Antes de rumar para o Rio de Janeiro, em 1942, passou por Natal, como saxofonista no serviço militar,e por João Pessoa,onde integrou a Orquestra Tabajara.Estudou com o ale- mão H.J.Koellreutter e foi músico das orquestras Fon-Fon,da Rádio MEC e da TV Globo, onde trabalhava quando faleceu, pouco depois de promovido a maestro. Aqui, seu estilo repleto de elementos jazzísticos é representado pelos choros
  24. 24. Sonhando,no sax tenor de HumbertoAraújo; Gilka,no clarinete de Mário Pereira; Eu quero é sossego,no clarinete alto de Dirceu Leite;e Um clarinete a jato,em solo de Rui Alvim. Born in Taipu (RN) in the Northeast of Brazil, Sebastião de Barros or K-Ximbinho as he was known was a composer, conductor, arranger and clarinetist. He spent time in the state capital of Natal, playing sax in the army, and in João Pessoa where he played in the Taba- jara Orchestra. He moved to Rio in 1942 where he studied under H. J. Koellreutter, a German musician living in Brazil, and played in the Fon-Fon, “Rádio MEC” and TV Globo orchestras. He died shortly after being promoted to maestro of the latter. Here his jazz-influenced style can be heard in his choros Sonhando featuring the tenor sax of Humberto Araújo; Gilka with Mário Pereira on clarinet; Eu Quero é Sossego with the alto clarinet of Dirceu Leite; and Um Clarinete a Jato with a Rui Alvim solo. Severino Araújo | 1917- | Nascido em Limoeiro (PE), aprendeu música com o pai, mestre de banda, e já aos 12 anos fez seu primeiro arranjo.Clarinetista e maestro, fez da Orquestra Tabajara uma referência, com choros tempera- dos por elementos do jazz,a exemplo das quatro composi- ções incluídas neste repertório. Espinha de bacalhau re- gistra o encontro entre o sax alto de Paulo Moura e a viola caipira de Heraldo do Monte. No clarinete, Paulo Moura interpreta também Um chorinho pra você e
  25. 25. Um chorinho em aldeia, sendo acompanhado neste último pelo violão de sete cordas de Raphael Rabello. Já a homenagem Oh clarinete gostoso é solada pelo lisboeta Rui Alvim. Born in Limoeiro (PE) in the Northeast of Brazil, Severino Araújo learned music from his father, a band leader. He produced his first arrangement at the age of 12 and later as clarinetist and maestro helped make the Tabajara Or- chestra famous with jazz-flavored choros, of which four examples are on this volume. Espinha de Bacalhau brings together Paulo Moura on alto sax and the country guitar of Heraldo do Monte. Paulo Moura on clarinet also inter- pretsUmChorinhopraVocê and Um Chorinho emAldeia, accompanied on the latter by Raphael Rabello on a seven string guitar. Clarinetist Rui Alvim, from Lisbon, pays tribute with his brilliant solo on Oh Clarinete Gostoso. Guio de Morais | 1920- | O clarinetista,arranjador,compo- sitor e maestro Guiomarino Rubens Duarte nasceu em Recife, onde inte- grou o grupo Os Malucos do Ritmo. Já em Belo Horizonte, criou a banda Guio de Morais e Seus Parentes (do hábito que tinha de chamar os músicos de“primos”),com a qual gravou nos anos 1950.Co-autor de sucessos como Baião da Penha,com David Nasser,e Pau-de-arara,com Luiz Gonzaga,co- mandou no Rio as orquestras do Hotel Copacabana Palace,da gravadora Continental e da Rede Globo.Integra esta coleção com o choro Clarinete melodia, uma homenagem do mestre ao instrumento, na interpretação de Dirceu Leite. Clarinetist, arranger, composer and maestro Guiomarino Rubens Duarte was born in Recife, where he played in the “Os Malucos do Ritmo” group. Later, in Belo Horizonte, he started
  26. 26. a band called “Guio de Morais e seus Parentes” (after the habit of calling his musicians ‘cousins’) and recorded with them in the 1950s. He co-wrote hits like Baião da Penha (with David Nasser) and Pau-de-Arara (with Luiz Gonzaga), and led the orchestras of the Copacabana Palace Hotel, the Continental recording company and the Rede Globo media group. This collection includes the choro Clarinete Melodia, his tribute to the instrument itself, played here by Dirceu Leite. Hermeto Pascoal | 1936- | É um dos nomes mais criativos da música brasileira, seja como compositor,arranjador ou instrumentista – no acordeom,no piano e na flauta, entre outros instrumentos. Alagoano radicado em Curitiba, já morou em Recife, no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde formou o emblemático Quarteto Novo,nos anos 1960.Nos EUA,chegou a gravar com o trompetista de jazz Miles Davis. Neste volume, sua Suíte Norte, Sul, Leste, Oeste é desdobrada nos muitos sopros de Paulo Sérgio Santos: requinta, clarinetes, clarone e saxofones alto e soprano. One of the most creative names in Brazilian music, be it as composer, ar- ranger, or instrumentalist, Hermeto Pascoal plays the accordion, piano, flute and other instruments. Born and raised in Alagoas, he also lived in Recife, Rio de Janeiro and São Paulo before settling in Curitiba in the South of Brazil. It was in the 1960s, however, while living in São Paulo, that he formed the emblematic “Quarteto Novo” group. Pascoal recorded with jazz trumpeter Miles Davis in the United States. This volume brings you his Suíte Norte, Sul, Leste, Oeste with the multi-faceted Paulo Sérgio Santos, featuring clarinet, requinta clarinet, bass clarinet and alto and soprano sax.
  27. 27. Paulo Sérgio Santos | 1958- | Carioca da Zona Norte,sua iniciação mu- sical foi naAssembléia de Deus de Quintino: na gaita,no coro e nas aulas de solfe- jo. Precoce, começou a estudar clarinete aos 11 anos, incentivado pelo regente da igreja.Aos 16,já integrava o QuintetoVilla-Lobos e aos 18 se tornou primeiro cla- rinetista da Orquestra Sinfônica Brasileira. Artista premiado, interessou-se pelo choro, tornando-se logo uma referência no gênero. Como compositor, comparece nesta coleção com Choro sambado e Samba da lua, que interpreta na companhia do violão de seu filho,Caio Márcio,e da bateria de Oscar Bolão. Born in Rio de Janeiro, North Zone, Paulo Sérgio Santos started his musical life in the Quintino neighborhood evangelical church, playing harmonica and singing in the choir. There he also learned to read music. A precocious student, Santos started learning clarinet when he was 11, encouraged by the church musical director. At 16 he was playing in the Villa-Lobos Quintet and at 18 became first clarinetist in the Brazilian Symphony Orchestra, going on to win various awards. He developed an interest in choro and soon became a reference in the genre. This collection includes his Choro Sambado and Samba da Lua, which he plays with his son Caio Márcio on guitar and Oscar Bolão on drums. Carlos Malta | 1960- | Multiinstrumentista de sopros e compositor carioca (presente também no volume 1 – Flauta),antes de despontar como um dos mais inventivos e premiados músicos brasileiros da atualidade acompanhou craques como Hermeto Pascoal e Gilberto Gil. Em carreira solo desde 1993, explora as possibilidades musicais através das diversas formações com que trabalha. Uma
  28. 28. delas é o conjunto Coreto Urbano, que o acompanha em Bagunçando o meu co- reto,de sua autoria,incluída nesta coleção e solada no sax alto. A multi-talented wind instrumentalist and composer from Rio who also ap- pears in the Flute volume, Carlos Malta played with stars like Hermeto Pas- coal and Gilberto Gil before emerging as one of the most inventive of today’s Brazilian musicians, and winner of numerous awards. He went solo in 1993 and explores varied musical possibilities by working with different line-ups. One such is the “Coreto Urbano” group which here accompanies him on his own Bagunçando o Meu Coreto. Malta handles the alto sax solo. Eduardo Neves |1968-|Compositor,flautistaesaxofonistadosmaistalentosos de sua geração (presente também no volume 1 – Flauta),destaca-se pela criativi- dade em trabalhos como o grupo Gafieira de Bolso,no qual comanda o bem-suce- dido encontro de choro e jazz.Nesta coletânea contribui com a composição Rasta- pé no Chaparral,que o próprio Eduardo interpreta no sax tenor. Among the most talented composers, flutists and saxophonists of his genera- tion (also present on volume 1 – Flute), Eduardo Neves exhibits outstand- ing creativity in works such as the “Gafieira de Bolso” group, where he leads a successful blending of choro and jazz. In this collection, Neves contributes with his composition Rastapé no Chaparral, in which he plays tenor sax.
  29. 29. Arranjos CD 1 • Arranjos de Henrique Cazes,exceto faixas 2 (Mário Sève e Daniela Spielmann),8 (Radamés Gnatalli), 10 (Paulo Moura e Heraldo do Monte),13 (Eduardo Neves) e 14 (Carlos Malta). fichatécnica credits 1. ASSIM É MELHOR • Radamés Gnattali Leo Gandelman (sax alto,tenor e barítono), Marcos Nimrichter (piano),Omar Cavalheiro (contrabaixo),Henrique Cazes (cavaquinho e violão tenor) e Oscar Bolão (bateria e percussão) • MANGIONE FILHOS • BRLG50500041 2.Só para moer • Viriato Figueira Mário Sève (sax soprano curvo) e Daniela Spielmann (sax tenor) • dp • BRPUI0400259 3.Três estrelinhas • Anacleto de Medeiros/ Catulo da Paixão Cearense Humberto Araújo (sax tenor),Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão) e Beto Cazes (percussão) • Fermata • BRNCC0805103 4. Brincando • Ratinho Dirceu Leite (sax soprano),Carlinhos Sete Cordas (violão de sete cordas),Márcio Almeida (violão), Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • Direitos Reservados • BRNCC0805104 5. Sorriso de cristal • LuizAmericano Leo Gandelman (sax alto),Rogério Caetano (violão de sete cordas e violão),Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • ADDAF • BRNCC0805105 6. Serenata no Joá • Radamés Gnattali Leo Gandelman (sax alto),Rogério Caetano (violão de sete cordas e violão),Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • Direto • BRNCC0805106 7. Sandoval em Bonsucesso • Maestro Carioca Humberto Araújo (sax tenor),Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão) e Beto Cazes (percussão) • Direto • BRNCC0805107 8. Brasiliana nº 7 – 1º movimento – Variações sobre um tema deviola • Radamés Gnattali Leo Gandelman (sax tenor),Maria Teresa Madeira (piano),Marcos Nimrichter (acordeom),Omar Cavalheiro (contrabaixo),Henrique Cazes (guitarra) e Oscar Bolão (bateria e percussão) • Direto • BR-LG5-05-00037 9. Sonhando • K-Ximbinho HumbertoAraújo(saxtenor),LuísFilipedeLima(violão desetecordas),HenriqueCazes(cavaquinhoeviolão)e BetoCazes(percussão)•ADDAF•BRNCC0805109 10. Espinha de bacalhau • SeverinoAraújo Paulo Moura (sax alto) e Heraldo do Monte (viola caipira) • Euterpe • BRKUA8200811 11. Haroldo no choro • Abel Ferreira Humberto Araújo (sax tenor),Luís Filipe de Lima (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão tenor) e Beto Cazes (percussão) • ADDAF • BRNCC0805111 12. Teclas pretas • Pascoal de Barros EduardoNeves(saxtenor),RogérioCaetano(violãode setecordas),HenriqueCazes(cavaquinhoeviolão)e BetoCazes(percussão)•Fermata•BRNCC0805112 13. Rastapé no Chaparral • Eduardo Neves Eduardo Neves (sax tenor),Rogério Caetano (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão) e Beto Cazes (percussão) • Direto • BRNCC0805113 14. Bagunçandoomeucoreto•CarlosMalta Carlos Malta (sax alto) e Coreto Urbano • Direto • BRNCC0805114
  30. 30. 1. Oh clarinete gostoso • SeverinoAraújo Rui Alvim (clarinete),Rogério Caetano (violão de sete cordas e violão),Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • Fermata • BRNCC0805201 2. Numa seresta • LuizAmericano Joana Queiroz (clarinete),Rogério Caetano (violão de sete cordas e violão),Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • Universal MGB • BRNCC0805202 3. Cabuloso • Radamés Gnattali Paulo Sérgio Santos (clarinete),Maria Teresa Madeira (piano) e Oscar Bolão (bateria) • Direto • BRNCC0805203 4. Relembrando • Radamés Gnattali Paulo Sérgio Santos (clarinete),Maria Teresa Madeira (piano) e Oscar Bolão (bateria) • Direto • BRNCC0805204 5. Um clarinete a jato • K-Ximbinho Rui Alvim (clarinete),Rogério Caetano (violão de sete cordas e violão),Henrique Cazes (cavaquinho) e Beto Cazes (percussão) • Direto • BRNCC0805205 6. Eu quero é sossego • K-Ximbinho Dirceu Leite (clarinete alto),Carlinhos Sete Cordas (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão) e Beto Cazes (percussão) • Euterpe • BRNCC0805206 7. Gilka • K-Ximbinho Mário Pereira (clarinete),Josimar Monteiro (violão de sete cordas),Neco (violão),Siqueira (cavaquinho),Dininho (violão baixo),Agenor (pandeiro) e Betinho (bateria) • Direto • BRNCC0805207 8. Clarinete melodia • Guio de Morais Dirceu Leite (clarinete),Carlinhos Sete Cordas (violão de sete cordas),Henrique Cazes (cavaquinho e violão) e Beto Cazes (percussão) • Addaf • BRNCC0805207 9. Chorando baixinho • Abel Ferreira Paulo Sérgio Santos e Paulo Moura (clarinetes) • Addaf • BRKUA8904014 10. Umchorinhoemaldeia• SeverinoAraújo Paulo Moura (clarinete) e Raphael Rabello (violão de sete cordas) • Euterpe • BRKUA9211210 11. Samba da lua • Paulo Sérgio Santos Paulo Sérgio Santos (clarinete),Caio Márcio (violão) e Oscar Bolão (bateria) • Direto • BRNCC0805211 12. Choro sambado • Paulo Sérgio Santos Paulo Sérgio Santos (clarinete),Caio Márcio (violão) e Oscar Bolão (bateria) • Direto • BRKUA0115502 13. Suíte Norte,Sul,Leste,Oeste • Hermeto Pascoal Paulo Sérgio Santos (requinta,clarinetes,clarone, sax alto e soprano) e Beto Cazes (percussão) • Warner/CHappell • BRKUA9406414 14. UM Chorinho pravocê • SeverinoAraújo Paulo Moura (clarinete),Zé daVelha (trombone), Raphael Rabello (violão de sete cordas),Joel Nascimento (bandolim),Maurício Carrilho (violão),Jonas e Carlinhos (cavaquinhos), Jorginho (pandeiro),Neoci de Bonsucesso (tantan) e Jovi Joviniano (repique de mão) • Addaf • BRKUA8301701 Arranjos CD 2 • Henrique Cazes e RuiAlvim 1 • Henrique Cazes 2,5,6 e 8 • Marcelo Caldi (transcrição) 3 e 4 • Neco 7 • Paulo Sérgio Santos e Paulo Moura 9 • Paulo Moura e Raphael Rabello 10 • Paulo Sérgio Santos e Caio Marcio 11 e 12 • Jaques Morelenbaum 13 • Paulo Moura 14
  31. 31. fotos Cacto xique-xique no sertão de Juazeiro (Xiquexique cactus in the drylands of Juazeiro),Bahia Palê Zupani (Pulsar Imagens) Artesanato de capim-dourado (Straw handicrafts), Ponte Alta do Tocantins, Tocantins Delfim Martins (Pulsar Imagens) photos Músico tocando saxofone no pôr-do-sol (Sax at sundown) Mark Hunt (Index Stock Imagery/ Latinstock) Praia de Copacabana (Copacabana Beach), Rio de Janeiro BrunoVeiga (Tyba) Ondas de Ipanema (Waves in Ipanema), Rio de Janeiro Ricardo Azoury (Tyba) Amanhecer em São Paulo (São Paulo at twilight) (Corbis/Latinstock) Mulheres jogando capoeira (Women practicing capoeira), Jericoacoara,Ceará Dosfotos (Axiom Photographic Agency/Getty Images) Homem empurrando jangada (Man pushing a jangada sailing raft),Fortaleza,Ceará J.R.Couto (Tyba)

×