Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Informática Aplicada à Educação

9,038 views

Published on

Published in: Education

Informática Aplicada à Educação

  1. 1. Informática Aplicada à Educação
  2. 2. Nossa mente é a melhor tecnologia, infinitamente superior em complexidade ao melhor computador, porque pensa, relaciona, sente, intui e pode surpreender. (Moran, 1997)
  3. 3. O uso do computador na escola como recurso pedagógico
  4. 4. A utilização dos Recursos de Tecnologia Educacional em nossas escolas deve acontecer na ação pedagógica, de forma contextualizada no desenvolvimento de Projetos. Não basta introduzir os recursos na escola, mas faz-se necessário discutir e orientar sobre os métodos e técnicas de sua utilização, do ponto de vista pedagógico.
  5. 5. Os computadores encontram-se auxiliando e influenciando o dia-a-dia de cada um, sendo assim as escolas devem acompanhar e inserir as tecnologias dentro do seu programa educacional, ou senão corre o risco de cair no atraso funcional do ensino obsoleto. O Laboratório de Informática Educativa, se constitui em um lugar de encontro do docente e seus alunos com a tecnologia.
  6. 6. O uso da internet na educação
  7. 7. Pontos Positivos • Acessibilidade a fontes inesgotáveis de assuntos para pesquisas; • Páginas educacionais específicas para a pesquisa escolar; • Páginas para busca de software; • Comunicação e interação com outras escolas; • Estímulo para pesquisar a partir de temas previamente definidos ou a partir da curiosidade dos próprios alunos; • Desenvolvimento de uma nova forma de comunicação e socialização;
  8. 8. Pontos Positivos • Estímulo à escrita e à leitura; • Estímulo à curiosidade; • Estímulo ao raciocínio lógico; • Desenvolvimento da autonomia; • Possibilidade do aprendizado individualizado; • Troca de experiências entre professores/professores, aluno/aluno e professor/aluno.
  9. 9. Pontos Negativos • Muitas informações sem fidedignidade. • Lentidão de acesso quando o serviço da empresa que possibilita a conexão à rede é de baixa qualidade. • Facilidade no acesso a inadequados para o público infanto-juvenil. • Confusão entre informação e conhecimento. O conhecimento não se passa, mas cria-se e constrói-se.
  10. 10. Pontos Negativos • Resistência às mudanças. Alguns alunos e professores não aceitam facilmente a mudança na forma de ensinar e aprender. • Facilidade de dispersão. Muitos alunos perdem-se no emaranhado de possibilidades de navegação e não procuram o que deveriam. • Impaciência. A impaciência de muitos alunos os faz mudar de um endereço para outro, aprofundando pouco as possibilidades de cada página.
  11. 11. Laboratório de Informática
  12. 12. E N I A C <ul><li>Em 1946, surgiu o ENIAC - Eletronic Numerical Interpreter and Calculator, ou seja, &quot;Computador e Integrador Numérico Eletrônico </li></ul>
  13. 13. E N I A C <ul><li>Totalmente eletrônico </li></ul><ul><li>17.468 válvulas </li></ul><ul><li>500.000 conexões de solda </li></ul><ul><li>30 toneladas de peso </li></ul><ul><li>180 m² de área construída </li></ul><ul><li>5,5 m de altura </li></ul><ul><li>25 m de comprimento </li></ul><ul><li>realizava uma soma em 0,0002 s </li></ul><ul><li>realizava uma multiplicação em 0,005 s com números de 10 dígitos </li></ul>
  14. 16. As nossas crianças desde muito pequenas, sabem usar a informática, e esse acelerado crescimento chegou até nossas escolas Trata-se de um maravilhoso recurso didático para as aulas
  15. 17. Cabe a nós, Profissionais da Educação conhecer nossa ferramenta de trabalho e ter controle sobre ela, não só para enriquecer o aprendizado, mas também para evitar que a informática seja usada de forma negativa ou criminosa. A escola precisa exercer seu papel de educar o jovem para a responsabilidade e critério no uso dos recursos tecnológicos.
  16. 18. Software Livre Trata-se de programas de computador gratuitos, sem direito autoral, que podem ser instalados a partir de sites da internet
  17. 19. A responsabilidade do técnico do Laboratório de Informática vai desde o monitoramento das máquinas, verificando a existência de programas, músicas ou jogos instalados clandestinamente, até a perfeita utilização do laboratório no horário de aula.
  18. 20. Atribuições Gerais do Técnico do Laboratório de Informática Educativa <ul><li>Organização e limpeza dos equipamentos do laboratório. </li></ul><ul><li>Atendimento aos alunos nos horários pré estabelecidos. </li></ul><ul><li>Diariamente atualizar e passar o antivírus nas máquinas. </li></ul><ul><li>Acompanhamento dos alunos na execução das atividades no laboratório. </li></ul><ul><li>Efetuar a reserva para o uso dos laboratórios de informática educativa por parte de professores, alunos e comunidade escolar. </li></ul><ul><li>Fazer cumprir o regulamento do laboratório de informática educativa. </li></ul>
  19. 21. Atribuições Gerais do Técnico do Laboratório de Informática Educativa <ul><li>Limpar arquivos temporários. </li></ul><ul><li>Checar e verificar o conteúdo das pastas de alunos, professores, funcionários. </li></ul><ul><li>Checar os sites visitados e bloqueio dos sites pornográficos. </li></ul><ul><li>Efetuar as cópias de CD´s e DVD’s quando devidamente autorizados. </li></ul><ul><li>Conferir a cada final de turno: ar condicionado laboratório (desligado), ar condicionado no servidor, ligado e regulado de acordo com a temperatura, computadores desligados, portas e janelas fechadas, internet funcionando. </li></ul><ul><li>Auxiliar ao suporte técnico quando solicitado para fazer algum reparo nos equipamento. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>É imprescindível a determinação de regras para que o uso do ambiente seja otimizado. É vedado aos usuários: </li></ul><ul><li>praticar atividades que afetem ou coloquem em risco as instalações e provoquem desperdício de recursos; </li></ul><ul><li>exercer atividades que coloquem em risco a integridade física das instalações e dos equipamentos dos laboratórios, por exemplo, comer ou beber nessas dependências; </li></ul><ul><li>desmontar quaisquer equipamentos ou acessórios do laboratório, sob qualquer pretexto, assim como remover equipamentos do local a eles destinados (mesmo dentro do recinto); </li></ul><ul><li>usar qualquer equipamento de forma danosa ou agressiva; </li></ul>
  21. 23. <ul><li>exercer atividades não relacionadas ao uso específico de cada laboratório e da atividade proposta; </li></ul><ul><li>usar os laboratórios para atividades eticamente impróprias; </li></ul><ul><li>alterar a configuração de qualquer equipamento disponível; </li></ul><ul><li>instalar ou remover programas, a menos que autorizado e devidamente assistido por um técnico do laboratório; </li></ul><ul><li>desenvolver e/ou disseminar vírus nos equipamentos do laboratório; </li></ul><ul><li>praticar ou facilitar a prática de pirataria de software ou dados de qualquer espécie; </li></ul><ul><li>facilitar o acesso de pessoas estranhas não autorizadas aos laboratórios; </li></ul><ul><li>usar indevidamente os recursos disponíveis na internet. </li></ul>
  22. 24. É necessário, portanto, que o técnico tenha um vasto controle sobre as máquinas, conhecendo a parte física (hardware); tenha noções de redes para dar manutenção diária no laboratório; tenha domínio sobre instalação de softwares e conhecimento para auxiliar os alunos na utilização dos recursos disponíveis durante a aula
  23. 25. Manutenção e Limpeza do Laboratório de Informática
  24. 26. Referências Bibliográficas Informática Aplicada à Educação – Técnicos Multimeios. Profuncionario – UnB – MEC - Brasília – 2007; Laboratório de Informática - Profuncionario – UnB – MEC - Brasília – 2007.

×