Projecto de acçao be

312 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
312
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
130
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projecto de acçao be

  1. 1. Acção de Formação: "A Biblioteca Escolar e a Web 2.0."Centro de Formação Maria Borges de Medeiros, Lisboa.Blog Ally’s corner: http://allyscornerdotorg.wordpress.com/1Plano de Acção da Biblioteca Escolar"School libraries should be a focal point for a school. In a school library there should be theresources to support every aspect of school life: every project, books to support sport,dancing, art, music; and it should also be the place to go for stories and poems. It should bean unmissable, unavoidable place."Michael Rosen1EnquadramentoA proposta de plano de acção para a Biblioteca Escolar que se segue constituiapenas um exercício "virtual", na medida em que a biblioteca da nossa escola carece,neste momento, quer de professor bibliotecário, quer de catálogo acessível aosutilizadores. Não obstante, elaborámos um projecto passível de execução, que procuraintegrar os conhecimentos assimilados durante a acção de formação "BibliotecasEscolares 2.0.A partir da leitura de alguns dos textos de leitura obrigatória e facultativa propostosdurante a referida acção, tais como "O que queremos para o futuro das bibliotecasescolares" de Ross Todd, "A Web 2.0 e a BE 2.0" e "Introdução à Temática: As RedesSociais", estabelecemos os pressupostos que estão subjacentes ao nosso entendimentodas funções da Biblioteca numa comunidade escolar, que muito gostaríamos de verespelhadas no nosso contexto particular, e que procuramos respeitar na elaboração dopresente plano. Assim, entendemos a Biblioteca escolar como: "espaço" fundamental de apoio às actividades escolares, que visa facilitar o acessoà construção do conhecimento e, nessa medida, desenvolver nos alunos hábitos egosto pela leitura;1Michael Rosen cit. In http://www.teachers.org.uk/node/12404 (Acedido em 29/05/2013). A este propósitorecomenda-se a leitura de "How to make a book-loving school" disponível inhttp://www.childrenslaureate.org.uk/usr/library/documents/main/book-loving-school.pdf (Acedido em 29/05/2013).
  2. 2.  reflexo das actividades pedagógicas, cabendo ao professor bibliotecário (ou na suaausência, à equipa responsável) apoiar e complementar o trabalho de professorese alunos; parte integrante do projecto educativo da escola ao apoiar não só a concretizaçãodos objectivos do processo de ensino-aprendizagem na sala de aula, mas tambémoutras actividades, nomeadamente de lazer, dos alunos; detentora de uma função social ao contribuir para o desenvolvimento dopensamento criativo e crítico dos alunos perante a sociedade, fomentando a suasensibilidade, imaginação e compreensão do mundo; espaço preferencial e facilitador do desenvolvimento de competência de pesquisa,selecção, interpretação e uso da informação para a construção do conhecimento (apartir de recursos diversos, em diferentes formatos), habilitando os alunos para aresolução de problemas em rede, em trabalho colaborativo, e para a umaaprendizagem ao longo da vida; plataforma de comunicação ágil e expedita, que oferece conexões a redes queestimulam o interesse dos mais jovens e favorecem a divulgação e a consequentevisibilidade do seu trabalho (por exemplo, blogs e sites de outras bibliotecasescolares, municipais, concelhias, etc.) suporte sempre disponível, para alunos e professores, na escola e em casa,presencialmente e a distância, quer através do empréstimo domiciliário, queratravés do acesso online.Nesta medida, entendemos que o desenvolvimento das competências para o uso dosrecursos e ferramentas disponibilizados pela biblioteca escolar deve estar integrado nosprojectos curriculares da escola e, assim, intimamente ligado aos conteúdosprogramáticos das disciplinas. Deste modo também, as actividades desenvolvidas emsala de aula devem exigir que os alunos desenvolvam essas mesmas competências. Abiblioteca escolar disponibiliza uma ajuda imprescindível a professores e alunos no uso deum leque mais abrangente de estratégias de ensino, tais como o trabalho de projecto, oestudo individual, a pesquisa em grupo e leituras complementares.Plano de Acção para a BE1. Identificação e descrição do problema. Ausência de workshops de escritacriativa em língua inglesa a partir do estudo das obras de leitura extensiva
  3. 3. constantes dos conteúdos programáticos da disciplina de Inglês, nos diferentesanos de escolaridade.Os alunos não têm hábitos de leitura em língua inglesa, o que se reflecte nasdificuldades de interpretação, compreensão e expressão escrita e oral. Como nãotêm hábitos de leitura, os alunos também não têm gosto pela literatura como formade expressão artística, nem estão sensibilizados para a escrita criativa e para assuas potencialidades na construção do imaginário.2. Área de Intervenção. Apoio ao desenvolvimento curricular na disciplina de Inglês.Ateliers de escrita criativa a partir do estudo das obras de leitura extensiva dosdiferentes anos de escolaridade, cuja selecção será feita de acordo com osconteúdos programáticos da disciplina para os diferentes anos de escolaridade eem função dos critérios definidos pelo Departamento de Línguas Estrangeiras.3. Objectivos. Com recurso às ferramentas da Web 2.0, por forma a tornar asactividades mais interessantes e sugestivas para os alunos e a estimular o seugosto pela construção do conhecimento, o plano visa: melhorar as competências de leitura e escrita em língua inglesa dos alunosdos vários níveis de escolaridade; despertar nos alunos o interesse por creative writing, estimulando assim asua criatividade; promover o trabalho colaborativo e de grupo; sensibilizar professores e alunos para as potencialidades das ferramentasda Web 2.0 e fomentar a sua utilização na implementação dos seusprojectos de escrita criativa.4. Tema do Plano. “Fanfiction: Escritores por uns dias”.5. Operacionalização.1ª Fase: As obras de leitura extensiva (short-stories) serão estudadas na sala deaula, através de actividades realizadas individualmente e em grupo, oralmente epor escrito.
  4. 4. 2ª Fase: Em trabalho de grupo, os alunos darão continuidade aos contos queestudaram, iniciando um processo de escrita criativa, de acordo com as instruçõesacordadas para o projecto (formato, número de páginas, etc.). As várias etapas doprocesso irão sendo divulgadas no Blog-Turma. Nele, os alunos darão conta dotrabalho que vão produzindo através de relatos em posts, da leitura individual econjunta, em voz alta, de excertos dos textos produzidos, gravados em áudio evídeo e publicados no blog; da divulgação no blog de imagens/fotos das ilustraçõesproduzidas para o corpo dos textos, das capas e contracapas.Para este efeito, os ateliers recorrerão à utilização, entre outras, das seguintesferramentas Web 2.0: Blogger ou Wordpress para a criação do Blog-Turma; Audacity e Soundcloud: para a gravação de momentos de leitura individuale em grupo e a sua posterior importação e inserção no blog; Windows Movie Maker, Photostory e Youtube: para gravação de pequenosfilmes com excertos das impressões dos alunos sobre o seu trabalho, o processode escrita criativa, e a sua incorporação no blog; Box/DropBox/Archive: para agregar ficheiros com informação directa ouindirectamente relacionada com a produção dos contos (por exemplo, resultadosde pesquisas na internet, em enciclopédias e dicionários) cujos links serãodisponibilizados no blog; Word, Adobe Acrobat, Issuu/Slideshare/FlippingBook: paraprocessar/formatar os textos e transformar os contos em formato de livro digital aser disponibilizado no blog.À medida que o projecto for evoluindo, a Biblioteca centralizará a divulgação dosBlogs-Turma junto da comunidade escolar através dos links que disponibilizará noseu próprio blog/site.6. Recursos Humanos necessários. Alunos e professores da disciplina de Inglêsdos vários anos de escolaridade, neste caso do 7º ao 12º Anos; professores deEducação Visual, Artes e Desenho; professores de TIC; professor bibliotecário eequipa de apoio à BE.
  5. 5. 7. Equipamentos. Computadores, projectores, gravadores vídeo e áudio, obras deleitura extensível e material escolar.8. Calendarização. Este plano de acção será implementado ao longo dos segundo eterceiro períodos lectivos e os resultados do concurso serão publicados no blog daBiblioteca na segunda quinzena de Maio. Durante a Semana das Línguas, que serealiza anualmente na escola, terá lugar na Biblioteca a cerimónia de entrega dosprémios.9. Avaliação. Decorrerão três fases.1ªFase: Todo o trabalho será monitorizado semanalmente por todos osintervenientes, disponibilizado e divulgado nos respectivos Blogs-Turma. À medidaque as diversas actividades se forem desenvolvendo e concretizando nos vários"espaços" (sala de aula, biblioteca, blog, TPCs), serão avaliados os aspectospositivos e negativos e proceder-se-ão às necessárias correcções.2ª Fase: Os trabalhos finais (os contos ilustrados e digitalizados em livro) serãoavaliados pelos respectivos professores da turma, das diferentes áreasdisciplinares envolvidas, para efeitos de classificação na respectiva disciplina, deacordo com os parâmetros definidos nos respectivos grupos disciplinares.3ª Fase: Os trabalhos finais serão "avaliados" por toda a comunidade escolar,sendo sujeitos a concurso (por ano de escolaridade) e à votação de toda acomunidade escolar, mediante formulário disponibilizado no blog/site da Biblioteca.Será atribuído um prémio, por ano de escolaridade, ao trabalho que merecer maiornúmero de votações. O prémio a atribuir dependerá da disponibilidade financeirada escola.10.Antecipação de obstáculos. Dificuldades no trabalho colaborativo a vários níveis: entre os elementos dosgrupos na sala de aula; entre alunos e docentes; entre as turmas e a BE; entrevárias áreas disciplinares; Dificuldades técnicas relacionadas com a utilização dos equipamentos e dasferramentas Web 2.0; Disponibilidade dos intervenientes, tendo em consideração os picos de maiortrabalho durante o ano lectivo, quer para os professores (avaliações de muitas
  6. 6. turmas com elevado número de alunos), quer para os alunos (no cumprimento erealização de testes e trabalhos das restantes disciplinas).11.Resultados expectáveis. Espera-se que a noção do "jogo", da competiçãosaudável entre pares/turmas motive e incentive os alunos para a produção conjuntade textos originais em língua inglesa. Deseja-se que esta actividade, enquanto"processo em construção", desperte o interesse e a curiosidade dos alunos e osleve a ultrapassar os obstáculos imediatos relacionados com eventuais dificuldadeslinguísticas ou escassez de vocabulário. Espera-se, assim, que o trabalho emgrupo permita desinibir os alunos mais fracos na disciplina. Por último, espera-seque este projecto leve os alunos a encarar a produção de texto em língua inglesacomo actividade lúdica e que possam dar "asas" à sua imaginação, sem quaisquerconstrangimentos.Lisboa, 31 de Maio de 2013.

×