Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Queijo com maça, rocha d. alimentação do diabetico pdf

2,045 views

Published on

Published in: Education, Health & Medicine
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Queijo com maça, rocha d. alimentação do diabetico pdf

  1. 1. Diana Rocha Licenciada em Ciências da Nutrição A Alimentação do Diabético É diabético? Torne-se num especialista em diabetes. É importante que conheça a doença, só dessa forma poderá cumprir e melhorar o seu tratamento. Aceite a doença e aprenda a viver com ela! Como funciona o organismo? Durante a digestão os hidratos de carbono são convertidos em glicose, fonte de energia das nossas células. De forma a que a glicose não permaneça na corrente sanguínea e possibilite a sua entrada nas células, o nosso organismo utiliza um sistema de “comportas”. A insulina, hormona produzida pelo pâncreas, possibilita a entrada do açúcar para o interior das células. Nos indivíduos com diabetes, a insulina não funciona como seria esperado ou não é produzida, o que conduz ao aumento dos níveis de glicemia no sangue, acabando a glicose por ser excretada na urina. Que tipos de diabetes existem? • • • • Diabetes Mellitus tipo 1 Diabetes Mellitus tipo 2 Diabetes Gestacional Entre outros tipos de diabetes ( de baixa frequência). Ao longo do presente post, será desenvolvida a temática da alimentação em doentes com diabetes mellitus tipo 1 e diabetes mellitus tipo 2. Diabetes Mellitus tipo 1 Também designada por diabetes insulino-dependente, diabetes imuno-mediada ou diabetes juvenil. Pode afectar indivíduos de várias idades, mas geralmente ocorre em crianças e adultos jovens. Os indivíduos com esta patologia não têm capacidade de produzir insulina. As causas da diabetes tipo 1 ainda não são plenamente conhecidas. Diabetes Mellitus tipo 2 Denominada também como diabetes não insulino-dependente ou diabetes da idade adulta. É caracterizada pela incapacidade do organismo utilizar a insulina adequadamente ou produzir a insulina em quantidade suficiente. Tem como principais factores de risco a obesidade, o sedentarismo e a predisposição genética. 1
  2. 2. Quais os sintomas mais comuns? • • • • • • • Sede; Excessiva vontade de urinar; Fome constante; Perda de peso repentina; Dificuldade de visão; Cansaço; Entre outros. Nem todos os indivíduos com diabetes apresentam estes sintomas. É uma doença silenciosa. Em caso de dúvida consulte um profissional de saúde! Quais as complicações mais comuns? • • • • • Cegueira; Insuficiência renal; Doenças cardiovasculares; Lesões nervosas; Entre outros. Quais as bases do tratamento? Medicação Actividade Física Alimentação 2
  3. 3. Por uma vida saudável A alimentação desempenha um papel fundamental para uma vida saudável pois permite ao nosso organismo um abastecimento regular de energia e nutrientes, de que necessita para o seu normal funcionamento. Um dos principais mitos relacionados com a alimentação dos diabéticos, é que esta deveria ser muito restritiva, sem sabor e completamente diferente da alimentação de um não diabético. O que é mentira. As refeições devem ser um prazer para todos, devemos apreciar a comida e sentirmo-nos satisfeitos. Devemos comer com conta, peso e medida! Deixo aqui alguns conselhos. A sua alimentação deverá ser equilibrada, variada e completa, baseada nos princípios da Nova Roda dos Alimentos. Cumpra o horário das refeições sem omitir nenhuma no seu dia alimentar. Siga o plano alimentar delineado pelo seu nutricionista. Pode consumir de tudo, desde que com moderação. Fraccione o seu dia alimentar em várias refeições. Beba água ao longo do seu dia. Entre 1,5 a 2 litros. Tenha em atenção, para que o seu jejum nocturno não seja superior a 8 – 10 horas. Coma com pouca frequência molhos gordos e fritos. Dê preferência a grelhados, cozidos, estufados e assados com pouca gordura. Aprenda a controlar a quantidade de alimentos que inclui nas suas refeições. Pese os alimentos ou utilize as medidas padronizadas. Com o tempo aprenderá qual é a quantidade certa! Saiba contabilizar os alimentos ricos em hidratos de carbono. É fundamental compreender os alimentos equivalentes de hidratos de carbono, para poder substituir uns pelos outros. Inclua o arroz, massa, pão ou batata nas suas refeições. São alimentos ricos em hidratos de carbono de absorção lenta, facilitando o controlo da glicemia. Coma alimentos ricos em fibra, como leguminosas, cereais pouco processados, fruta e hortícolas, diminuem a glicemia após as refeições e reduzem os níveis plasmáticos de colesterol entre outros benefícios. Limite o consumo e salgados, enchidos, queijos salgados, batatas fritas e outros produtos semelhantes. O açúcar, refrigerantes, mel e produtos açucarados devem ser reservados para ocasiões especiais. São alimentos nutricionalmente pobres, porém ricos em calorias, sendo responsáveis pelo aumento de peso. Evite o uso de sal. Substitua por ervas aromáticas. Aprenda a ler corretamente os rótulos. 3
  4. 4. Consulte os quadros de equivalentes de hidratos de carbono disponível pela Associação Protectora dos Diabéticos. (http://www.apdp.pt/index.php/diabetes/tratamento/alimentacao#equival%C3%AAnc ias-de-hidratos-de-carbono). Tenha em atenção que o seu plano alimentar deve ser bem delineado por um nutricionista, específico para as suas necessidades. Em caso de dúvida, não hesite contactá-lo. Pode comer doces desde que: o o o o o o Tenha um bom estado nutricional; Não tenha excesso de peso; Não esteja em jejum; Seja uma sobremesa em refeições completas; Esteja atento aos sintomas de hiperglicemia; Após actividade física intensa. 4

×