Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Manual nutricao (nao profissional) 7

1,291 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Technology
  • Be the first to comment

Manual nutricao (nao profissional) 7

  1. 1. Capítulo 7 – Como Seguir Meu Plano Alimentar, Quando Saio da Rotina? – 1 Manual de Nutrição Paciente Capítulo 7COMO SEGUIR MEU PLANO ALIMENTAR, QUANDO SAIO DA ROTINA?
  2. 2. MANUAL DE NUtrição Paciente CAPÍtULo 7CoMo SeguiR Meu PlAno AliMentAR, QuAndo SAio dA RotinA?
  3. 3. MANUAL DE NUtrição tEMAs E AUtorEsCapítulo 1 – Os alimentos: calorias, • Mestra em Nutrição Humana pela UFRJ • Especialista em Educação e Saúde pela UFRJmacronutrientes e micronutrientes • Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD -2006/2007Anelena Soccal Seyffarth• Nutricionista Especialista em Nutrição Humana Capítulo 7 - Plano alimentar nas situações• Preceptora da Residência em Nutrição da Secretaria de Saúde do Dis- trito Federal especiais: escola, trabalho, festas, restaurantes e• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – dias de doença 2006/2007 Gisele Rossi GoveiaCapítulo 2 – Alimentação e hábitos saudáveis • Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica pela Associação Brasi- leira de Nutrição - ASBRANDeise Regina Baptista Mendonça • Nutricionista da Preventa Consultoria em Saúde/SP; • Membro do Conselho Consultivo da Associação de Diabetes Juvenil • Nutricionista Especialista em Administração Hospitalar e em Saúde de São Paulo Pública • Coordenadora do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD - • Professora -adjunta do Departamento de Nutrição da Universidade 2006/2007 Federal do Paraná (uFPR)• Coordenadora do Curso de Especialização em Nutrição Clínica da uFPR; Colaboradoras:• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007 Ana Cristina Bracini de Aguiar • Especialista em Nutrição ClínicaCapítulo 3 – Determinando o plano alimentar • Pós graduação em Administração Hospitalar. • Nutricionista Clínica do Instituto da Criança com Diabetes, do Rio Anita Sachs Grande do Sul. • Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – • Nutricionista Mestre em nutrição humana pela London School Hygie- 2006/2007 ne and Tropical Medicine• Professora adjunta e chefe da disciplina de Nutrição do Departamento de Medicina Preventiva da UNIFESP, Clarissa Paia Bargas Uezima• Doutora em Ciências pela UNIFESP • Nutricionista• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – • Especialista em Nutrição em Saúde Publica pela UNIFESP 2006/2007 Josefina Bressan Resende MonteiroCapítulo 4 – Plano alimentar e diabetes mellitus • Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica pela Universidade Fe-tipo 1 deral do Rio de Janeiro • Professora-adjunta do Departamento de Nutrição e Saúde da Univer-Luciana Bruno sidade Federal de Viçosa (DNS/UFV) • Pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e • Nutricionista Especialista em Nutrição Materno Infantil pela Unifesp Tecnológico (CNPq) com treinamento na Joslin Diabetes Center • Coordenadora do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD • Nutricionista da Preventa Consultoria em Saúde /SP – 2004/2005• Membro do Conselho Consultivo da Associação de Diabetes Juvenil de São Paulo Juliane Costa Silva Zemdegs• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007 • Nutricionista • Especialista em Nutrição em Saúde Publica pela UNIFESPCapítulo 5 – Plano alimentar e diabetes mellitus Kariane Aroeira Krinastipo 2 • NutricionistaCeleste Elvira Viggiano • Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007• Nutricionista clínica e sanitarista• Educadora e especialista em diabetes, obesidade e síndrome metabó- Marisa Sacramento Gonçalves lica. • Coordenadora do Curso de Graduação em Nutrição da Universidade • Nutricionista Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Municipal de São Caetano do Sul-SP Bahia• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – • Residência em Nutrição Clínica - Hospital Universitário Antonio Pedro, 2006/2007 Niterói/RJ1980 • Especialista em Controle e Qualidade de Alimentos UFBA 1989 • Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – Capítulo 6 – Plano alimentar nas complicações 2006/2007metabólicas, agudas e crônicas do diabetes:hipoglicemia, nefropatia, dislipidemiasMarlene Merino Alvarez• Nutricionista do grupo de Diabetes da Universidade Federal Fluminen- se (UFF);
  4. 4. COMO SEGUIR MEU PLANO ALIMENTAR,QUANDO SAIO DA ROTINA?Autora: Gisele Rossi GoveiaMITOS: FATOS: 1. A única forma da pessoa com diabetes man- • Convívio social nas diversas fases da vida é ter seu plano alimentar saudável, é em casa, importante para integração social de todas as sem sair da rotina. pessoas. • Plano alimentar indicado para pessoas com Dia- 2. Tenho receio de colocar meu filho na escola, betes Mellitus baseia-se na alimentação saudável, pelo risco da hipoglicemia. orientado por uma equipe especializada. • A Educação nutricional , realizada pela equi- pe, deve esclarecer suas dúvidas e tabus, em 3. Prefiro não participar de eventos sociais, pois relação a alimentação, traduzindo a teoria sempre fico com vontade de comer algo que para a prática, nas diversas situações da vida, não posso. incentivando a sua independência.
  5. 5. Capítulo 7 – Como Seguir Meu Plano Alimentar, Quando Saio da Rotina? – 5PERGUNTAS FREQUENTES:Tenho uma filha de 10 anos, que descobriu o diabetes a um ano. Sempre que a levo a alguma festa, tenho pena porque ele não pode comer doces, além disso normalmente ela tem queda de açúcar durante a madrugada. Será que faço algo errado ?Resposta: Normalmente as crianças vão as festas muito mais para brincar e não para comer, havendo portanto maior risco de hipoglicemia durante ou até algumas horas após o término da mesma. Embora a probição do açúcar ou alimentos que contenham açúcar, não seja uma orientação nutricional essen- • Leve sempre seu monitor de glicose com cial para o bom controle do diabetes é importante você, nos eventos sociais e meça sua glicemia conhecer os alimentos, preparações e como podem antes , durante (se necessário) e ao final dos ser substituídos. mesmos. • Leve sua anotações sobre alimentação e mo-O QUÊ VOCÊ PODE COMEÇAR A FAZER: nitoração da glicemia para sua equipe, jun- • Procure um nutricionista especialista, para tos vocês irão compreender o que acorre com uma orientação alimentar elaborada para o seu corpo, nas diversas situações. você. • Informe-se sobre os sintomas e correto trata- mento da hipoglicemia e hiperglicemia

×