Vulcões e placas tectónicas

6,924 views

Published on

Teoria da Deriva dos continentes e a teoria da Tectónica de placas.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,924
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
94
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Vulcões e placas tectónicas

  1. 1. DERIVA DOS CONTINENTES<br />E <br />TECTÓNICA DE PLACAS<br />
  2. 2. Deriva continental<br />
  3. 3.
  4. 4.
  5. 5.
  6. 6.
  7. 7. Argumentos morfológico e geológico<br />
  8. 8. Argumento paleontológico<br />
  9. 9. Argumento paleoclimático<br />
  10. 10. Morfologia do fundo oceânico<br />
  11. 11. Modelo do relêvo do fundo oceânico, ao longo de uma crista médio-oceânica (vermelho acastanhado).<br />
  12. 12.
  13. 13. TECTÓNICA DE PLACAS<br />
  14. 14. Limites de placas tectónicas<br />
  15. 15. Zona de subducção<br />
  16. 16. Zona de subducção<br />
  17. 17. Tectónica de placas<br />
  18. 18. Rifte: Zona de crescimento e de expansão<br />
  19. 19. VULCANISMO<br />
  20. 20. Dinâmica interna da Terra:Arco de fogo do Pacífico<br />
  21. 21. Dinâmica interna da Terra:Dorsal médio oceânica<br />
  22. 22. Consequências da dinâmica interna da Terra<br />Actividade vulcânica<br />Actividade sísmica<br />
  23. 23. Actividade vulcânica<br />Distribuição geográfica da actividade vulcânica<br />Constituintes de um vulcão<br />Materiais expelidos pelo vucões<br />Tipos de erupções vulcânicas<br />Locais da Terra onde ocorrem actividade vulcânica<br />Benefícios da actividade vulcânica<br />Riscos da actividade vulcânica<br />
  24. 24. Constituintes de um vulcão<br />
  25. 25. Vulcanismo activo<br />
  26. 26. Vulcanismo activo<br />
  27. 27. Corrente de lava vulcânica<br />
  28. 28. Vulcão Kanaga - Alaska<br />
  29. 29. Erupção vulcânica<br />
  30. 30. Erupção do Vulcão Monte Santa Helena - USA<br />
  31. 31. Ilustração do Vesúvio - Itália<br />
  32. 32. Vista Panorâmica do Vulcão (inactivo) da Serra do Mendanha (Campo Grande - RJ )<br />
  33. 33. Monte Olympus (vulcão extinto)- Marte<br />
  34. 34. Cadeias de vulcões em Júpiter<br />
  35. 35. SISMOLOGIA<br />
  36. 36. Locais deocorrência de sismos<br />
  37. 37. Sismologia<br />
  38. 38. Sismologia<br />
  39. 39. Tipos de ondas sísmicas<br />Ondas Psão ondas de compressão semelhantes às ondas sonoras e propagam-se em todos os estados da matéria. <br />
  40. 40. Tipos de ondas sísmicas<br />Ondas Sproduzem nas partículas afectadas movimentos perpendiculares à direcção de propagação da onda.<br />
  41. 41. Tipos de ondas sísmicas<br />Ondas Lsão ondas superficiais. Nos sismos com focos pouco profundos, são as que transportam mais energia e as que têm efeitos mais destruidores.<br />
  42. 42. Tipos de ondas sísmicas<br />Ondas R<br /> São semelhantes a vagas.<br />
  43. 43. Registo sismográfico<br />
  44. 44. Registo sismográfico<br />
  45. 45. Escala de Mercalli modificada<br />I - O sismo passa despercebido à maioria das pessoas. <br />II - O sismo é sentido por pessoas em repouso, especialmente nos pisos superiores dos edifícios altos.<br />III - As oscilações são claramente perceptíveis no interior das habitações mas muitas pessoas não as identificam como sísmicas. Não há estragos materiais. <br />IV - O sismo é claramente perceptível como tal no interior das habitações, movendo loiças, vidros e portas. No exterior, passa despercebido à maioria das pessoas. <br />V - O sismo é claramente perceptível como tal, tanto no exterior como no interior das habitações, onde se partem loiças; vidros e portasbatem fortemente. <br />
  46. 46. VI - O sismo é imediatamente identificado; os móveis nas habitações deslocam-se, há quedas de estuques e danos nas chaminés e elementos afins. <br />VII - O sismo produz danos ligeiros em estruturas de boas características, danosconsideráveis nas construções de alvenaria corrente e colapso em grande número de construções afins. <br />VIII - Produzem-se danos ligeiros em estruturas de boas características anti-sísmicas, danos consideráveis nas construções de alvenaria corrente e colapso em grande número de construções fracas. <br />IX - Produzem-se danos médios nas estruturas especiais e danos consideráveis na maioria dos edifícios correntes. <br />
  47. 47. X - O sismo destrói a maior parte dos edifícios de alvenaria, uma grande parte dos edifícios de estrutura resistente e alguns edifícios ligeiros de madeira. <br />XI - Colapso generalizado dos edifícios de alvenaria. <br />XII – Catastrófico. Colapso total. <br />
  48. 48. SISMO DE MAGNITUDE 6.1 NA PLANÍCIE ABISSAL DA FERRADURA 2007-02-12 ÀS    10:35:22.5 UTC<br /> <br />   Dados deEuropean-Mediterranean Seismological Centre<br />   EPICENTRO: 35.81N 10.26W <br />   MAGNITUDE: 6.1 <br />   PROFUNDIDADE: 32 km<br />
  49. 49. PLANÍCIE ABISSAL DA FERRADURA<br />
  50. 50. Sistema de alerta de tsunami<br />
  51. 51. Epicentro do Sismo-ALASKA-6/01/2007<br />
  52. 52. Zona sísmica próxima a Portugal<br />
  53. 53. Sismo/Tsunami – Ásia - 2004<br />
  54. 54. Sismo/Tsunami – Ásia - 2004<br />
  55. 55. Sismo<br />
  56. 56. Projecto Marketing Digital Aprenda a ganhar dinheiro trabalhando pela Internet.<br />
  57. 57. Ver a imagem do sismograma do sismo ocorrido no Alaska em:<br />http://bbs2.climatempo.com.br/tempo/images/OTAV_24hr.gif<br />
  58. 58. Consultar o site:<br />http://visaoonline.clix.pt/default.asp?CpContentId=29658<br />

×