Exercícios Livres para as Escolioses

62,846 views

Published on

Palestra Ministrada em Salvador em parceria com a Fisicom em Janeiro de 2013. www.mazzolaezaparoli.com.br

Published in: Education
0 Comments
14 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
62,846
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
726
Comments
0
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Iniciar parabenizando a FISICOM e a SMA pela iniciativa das palestras, parabenizar os alunos pelo interesse no assunto e fazer apresentação pessoal. www.escoliose.fst.br
  • 4 curvas , 2 cifoses e 2 lordoses, sendo as cifoses primárias e as lordoses secundárias. As maiores alterações acontecem nas lordoses devido á mobilidade, sendo as cifoses mais rígidas. O trabalho terapêutico deve acontecer principalmente nas lordoses. Curvas primárias são mais rígidas, os corpos vertebrais são cuneiformes para frente criando a concavidade anterior; Curvas secundárias são flexíveis mas frágeis, os discos são cuneiformes para trás, formando a convexidade anterior, são as únicas a terem músculos inseridos nos corpos anteriormente. Vértebras de Transição: T1, T12 e L5. A capacidade de receber carga na coluna é dada pela seguinte fórmula: R= N ² + 1, sendo R o coeficiente de absorção e N o nº de curvas. Quando diminuímos uma curva, alteramos significativamente a capacidade de receber carga.
  • Ligamentos da coluna:amarelo, longitudinal anterior, longitudinal posterior, inter-espinhal, supra espinhoso (na cervical é o nucal) e inter-facetário. O ligamento amarelo se mantém em estado de pré-tensão , tem mais elastina do que colágeno e por isso é amarelado e tem certa elasticidade constante. Quando em D.D. ele mantém sua tensão , mantendo os posicionamentos da coluna.
  • As Três Graças de Rubens séc. XVII
  • Apenas as vértebras ápice tem rotação, as outras acompanham em torção, formando a curva.
  • Figura 138 pág. 220 Tribastone
  • Figura 157 pág 245 Tribastone
  • Se atentamente estudarmos a fisiologia das fibras musculares estáticas e das fibras musculares dinâmicas, concluiremos que todo desvio postural é fixado por um músculo estático retraído. Esta retração não é a causa do desvio, mas sua conseqüência. No caso da escoliose é fácil concluir que os músculos retraídos responsáveis pelo posicionamento característico da deformidade são os transversos espinhais, cujas inserções sobre o esqueleto deixam claro que são eles os únicos capazes de produzir rotação para um lado e látero-flexão para o lado oposto, característica das curvas escolióticas.  A forma de eliminar o desvio seria descobrir e eliminar a causa.  Se, ao examinarmos uma criança portadora de escoliose ainda em seus primeiros estágios, portanto não fixada, verificarmos que ela apresenta um desvio situado em outro segmento corporal, (membros inferiores, cintura escapular, coluna cervical) cuja compensação parece ser a látero-flexão-rotação do eixo raquidiano, devemos tratar esse desvio para verificarmos se a escoliose é passível de correção. Isto nem sempre é possível. Podemos determinar a causa e ela não ser curável, ou podemos não determinar a causa. Logicamente, esta última possibilidade é a mais freqüente nas escolioses idiopáticas. Mas, seja qual for o caso, devemos tratar a deformidade raquidiana (ou outra qualquer possivelmente a ela associada), o mais precocemente possível para que ela permaneça dentro de limites o mais próximo do normal, não se fixe, permaneça uma compensação da causa primária ou, em outras palavras, não se torne uma deformidade. Este princípio deveria estar por trás de qualquer terapia voltada para desvios posturais, muito especialmente a escoliose. Se partirmos do princípio de que toda deformidade postural é fixada por um músculo estático retraído, devemos saber a que procedimentos terapêuticos o músculo estático responde, alongando-se ou diminuindo o tônus, e aplicá-los de forma muito precisa.  Dançar, nadar, caminhar, fazer ginástica podem ser atividades úteis para o portador de escoliose como o é para qualquer ser humano, no entanto, os gestos terapêuticos precisos, corretivos da escoliose não se encontram aí. O conjunto de procedimentos realmente úteis para a correção postural, capaz de atuar sobre a fibra muscular estática é o seguinte: - Determinados tipos de massagem e procedimentos de contato capazes de efeitos relaxantes facilitadores da correção do eixo raquidiano durante a sessão de fisioterapia. - Manobras corretivas de cada componente do desvio.  - Tensionamentos e alongamentos de músculos ou cadeias musculares sempre realizados de forma lenta e progressiva, para que os fusos musculares não despertem e provoquem contrações reflexas que colocariam tudo a perder. - Manobras e alongamentos podem ser associados a expirações, de efeito relaxante. - Além disso, devemos saber o momento em que a colocação de um colete de contenção é adequada para a manutenção da correção obtida durante a sessão de terapia e lutar contra a piora durante o estirão de crescimento. Todas estas formas de abordarmos o músculo estático constituem o que poderíamos denominar fisioterapia estática . Conhecendo a fisiologia do músculo estático podemos estar atentos a todo e qualquer tipo de terapia proposta para esta deformidade e identificarmos: - o que é um gesto terapêutico adequado, - o que é um movimento útil mas não corretivo, - o que é um gesto ou movimento inútil mas inócuo, - o que é um gesto ou movimento inútil e prejudicial. Aqui quero abordar especialmente: - manobras corretivas - tensionamentos e alongamentos, onde encontramos os principais elementos que compõem uma sessão de fisioterapia típica de uma abordagem estática.
  • Exercícios Livres para as Escolioses

    1. 1. José Luiz Zaparoli
    2. 2. Coluna Vertebral Pilares deVisão Geral Apoio e Unidade Orientação Funcional José Luiz Zaparoli
    3. 3. José Luiz Zaparoli
    4. 4. A mobilidade e os apoios seapresentam de forma irregularem função do desenho das vértebras. José Luiz Zaparoli
    5. 5. Os movimentos vertebrais são movimentos de báscula sobre o núcleo pulposo, direcionados pelas facetas articulares. José Luiz Zaparoli
    6. 6. Coluna VertebralFunções Estática – Capacidade de suportar carga. Cinética – Permite adaptação ao movimento. Proteção ao sistema nervoso (medula). José Luiz Zaparoli
    7. 7. ESCOLIOSE José Luiz Zaparoli
    8. 8. HistóriaGaleno (130-201d.C.) descreveu as deformidades da Coluna Vertebral:  Cifose (desvio posterior);  Lordose (desvio anterior);  Escoliose (desvio lateral). José Luiz Zaparoli
    9. 9. HistóriaEscoliose se DEFINIA como um desvio lateral da coluna vertebral, parcialmente estrutural, que não pode voltar a endireitar-se completamente. José Luiz Zaparoli
    10. 10. EscolioseDefinição “É uma deformidade ântero-posterior em lordose, causada por um movimento em torção de todo segmento raquidiano. Essa deformidade se expressa lateralmente e trata-se de uma curva reversa.” (Perdriolle,1985)
    11. 11. José Luiz Zaparoli
    12. 12. O PosicionamentoEscolióticoPosição incorreta e permanentemente mantida que faz perder, lenta e continuamente, a noção do esquema corporal. José Luiz Zaparoli
    13. 13. A Rotação do Corpo Vertebral Na escoliose o corpo vertebral encontra-se rodado para o lado da convexidade da curva, enquanto os processos espinhosos rodados para a concavidade. José Luiz Zaparoli
    14. 14. Gibosidade José Luiz Zaparoli
    15. 15. José Luiz Zaparoli
    16. 16. Aspectos radiológicos Topografia; Ângulode Cobb; Rotação:  Nash-Moe  Pedriolle Bending – test; José Luiz Zaparoli
    17. 17. Eixo de Referência José Luiz Zaparoli
    18. 18. Topografia / Incidência Segundo Posenti:  Escoliose Escoliose Escoliose Escoliose Torácica Tóraco- Lombar em “S” 25% Lombar 25% 30% 19% José Luiz Zaparoli
    19. 19. As Indicações Terapêuticas Tratamento Cirúrgico Tratamento Ortopédico com Protetores Tratamento Cinesioterápico José Luiz Zaparoli
    20. 20. MODELO Sistemas SensoriaisCONCEITUAL Individuais Estratégias Sinergias Sensoriais Neuromusculares Mecanismos POSTURA Componentes Antecipatórios Musculoesqueléticos Mecanismos Representações Adaptativos internas José Luiz Zaparoli
    21. 21. Abordagem daTridimensionalidadeA Cinesioterapia deve trabalhar os três parâmetros dimensionais perturbados, o sagital, o frontal e o transversal. José Luiz Zaparoli
    22. 22. O Tratamento Cinesioterápico Ganho de flexibilidade; Favorecer a redução da curva; Desacelerar a evolução da curva; Reequilíbrio das massas paravertebrais; Efetuar uma reeducação neuromuscular; Criar automatismos subseqüentes; Oferecer meios de manutenção; Integração da correção postural. José Luiz Zaparoli
    23. 23. Escoliose Dupla Curva Clássica Torácica D. Lombar E. Patomecânica Muscular Oblíquos Superior e Inferior da Cabeça E.  Diafragma • Grande Dorsal Ilíaco D. ECOM D. • Grande Dorsal Vertebral E. Escalenos D. • Transverso Espinhal da Concavidade Trapézio Superior D. • Sacro Lombar e Longo Dorsal da Trapézio Médio E. Concavidade Trapézio inferior E. • Psoas E. • Quadrado Lombar Iliolombar D. Elevador da Escápula D. • Quadrado Lombar lombocostal E. Deltóide D. • Pelvitrocanterianos E. Redondo Menor E. • Glúteo Máximo E. • Glúteo Médio E. Infra Espinhoso E. • Glúteo Mínimo D. Rombóide E. • Tensor da Fáscia Lata D. Serrátil Anterior D. • Tríceps Sural D. Peitorais D. Intercostais E. José Luiz Zaparoli
    24. 24. CINESIOTERAPIA INTEGRAL CINESIOTERAPIA CLÁSSICA +GINÁSTICA HOLÍSTICA - Dra. Lili Ehrienfried + Reeducação Física – Lapierre,A + Pratique de L´espalier – Regimbeau,C. + Pilates José Luiz Zaparoli
    25. 25. Exercícios Básicos IniciaisConscientização : - em Dec. Dorsal; - de tubererosidade ísquiática - em pé - contra a parede; José Luiz Zaparoli
    26. 26. Exercícios Básicos IniciaisMobilização : - em Dec. Dorsal; - de tuberosidade isquiática - em pé - retro e anteversão em pé; - retro e anteversão em 6 apoios (gato) José Luiz Zaparoli
    27. 27. Série 1• Crochet• Saca rolha, MMSS e MMII• Prece maometana assimétrica• Prece maometana com MMSS cruzados• Acelerador• Ao redor da mesa José Luiz Zaparoli
    28. 28. Série 2• Roda de ombro contra parede e em D.L.• Sereia• Enrolamento sentado• Cócoras• Salgueiro Chorão e variações• Klapp e variações José Luiz Zaparoli
    29. 29. www.mazzolaezaparoli.com.br profzaparoli@uol.com.br Facebook RPG Mazzola e Zaparoli José Luiz Zaparoli

    ×