Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
BRASIL MONÁRQUICO:- PRIMEIRO REINADO- PERÍODO REGENCIAL- SEGUNDO REINADO   Profª Marcela Marangon
PRIMEIRO REINADO1822-1831 foi marcado pelo governo de D. Pedro I e seu autoritarismo político.
FATOS IMPORTANTES DO PRIMEIRO REINADO Assembleia Constituinte (1823), Constituição de 1824, Confederação do Equador (18...
   Confederação do Equador    As províncias de Pernambuco, Paraíba, Rio    Grande do Norte e Ceará formaram, em 1824 a   ...
   A Guerra da    Cisplatina ocorreu    de 1825 a    1828, entre Brasil e    Argentina, pela posse    da Província de    ...
Desgaste e crise do governo de D.Pedro IA derrota na Guerra da Cisplatina só gerou prejuízos financeiros e sofrimentopara ...
AbdicaçãoSentindo a forte oposição ao seu governo e o crescente descontentamentopopular, D.Pedro percebeu que não tinha ma...
PERÍODO REGENCIAL
   A Constituição    brasileira do    período    determinava, neste    caso, que o país    deveria ser    governado por  ...
REGENTES QUE GOVERNARAM O BRASIL NOPERÍODO:- Regência Trina Provisória (1831): regentes Lima  e Silva, Senador Vergueiro e...
CRISE POLITICA   A crise política deveu-se, principalmente, a    disputa pelo controle do governo entre    diversos grupo...
PRINCIPAIS REVOLTAS DO PERÍODO:- Cabanagem (1835 a 1840) – motivada pelas   péssimas condições de vida em que vivia a gran...
GOLPE DA MAIORIDADE E FIM DO PERÍODOREGENCIAL               Os políticos brasileiros e grande parte                da pop...
SEGUNDO REINADO
SEGUNDO REINADO   começa em 23 de julho de 1840, quando    dom Pedro II é declarado maior de idade, e    estende-se até 1...
POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO   As eleições eram comuns as fraudes, compras de votos e até atos    violentos para garantir ...
Guerra do Paraguai Conflito armado em que o Paraguai  enfrentou a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina  e Uruguai) com apo...
CICLO DO CAFÉ   Na segunda metade do século XIX, o café    tornou-se o principal produto de exportação    brasileiro, sen...
   Imigração    Muitos imigrantes europeus, principalmente    italianos, chegaram para aumentar a mão-de-obra nos cafezai...
QUESTÃO ABOLICIONISTA - Lei Eusébio de Queiróz (1850): extinguiu oficialmente o tráfico de escravos no Brasil - Lei do Ven...
CRISE NO IMPÉRIO
QUESTÕES - Interferência de D.Pedro II em questões  religiosas, gerando um descontentamento nas  lideranças da Igreja Cat...
FIM DA MONARQUIA E A PROCLAMAÇÃO DAREPÚBLICA   Em 15 de novembro de 1889, o Marechal    Deodoro da Fonseca, com o apoio d...
Brasil monárquico
Brasil monárquico
Brasil monárquico
Brasil monárquico
Brasil monárquico
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Brasil monárquico

9,874 views

Published on

  • Login to see the comments

Brasil monárquico

  1. 1. BRASIL MONÁRQUICO:- PRIMEIRO REINADO- PERÍODO REGENCIAL- SEGUNDO REINADO Profª Marcela Marangon
  2. 2. PRIMEIRO REINADO1822-1831 foi marcado pelo governo de D. Pedro I e seu autoritarismo político.
  3. 3. FATOS IMPORTANTES DO PRIMEIRO REINADO Assembleia Constituinte (1823), Constituição de 1824, Confederação do Equador (1824), Guerra da Cisplatina, em 1825, abdicação de D. Pedro I (1831).
  4. 4.  Confederação do Equador As províncias de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará formaram, em 1824 a Confederação do Equador. Era a tentativa de criar um estado independente e autônomo do governo central.
  5. 5.  A Guerra da Cisplatina ocorreu de 1825 a 1828, entre Brasil e Argentina, pela posse da Província de Cisplatina, atual Uruguai. Localizada numa área estratégica, a região sempre foi disputada pela Coroa Portuguesa e Espanhola.
  6. 6. Desgaste e crise do governo de D.Pedro IA derrota na Guerra da Cisplatina só gerou prejuízos financeiros e sofrimentopara as famílias dos soldados mortos. Além disso, as revoltas e movimentossociais de oposição foram desgastando, aos poucos, o governo imperial.-- o assassinato do jornalista Libero Badaró. Forte crítico do governoimperial, Badaró foi assassinado no final de 1830. A polícia não encontrou oassassino, porém a desconfiança popular caiu sobre homens ligados aogoverno imperial.Em março de 1831, após retornar de Minas Gerais, D.Pedro I foi recebido noRio de Janeiro com atos de protestos de opositores. Alguns mais exaltadoschegaram a jogar garrafas no imperador, conflito que ficou conhecido como “ANoite das Garrafadas”. Os comerciantes portugueses, que apoiavam D.Pedro Ientraram em conflitos de rua com os opositores.
  7. 7. AbdicaçãoSentindo a forte oposição ao seu governo e o crescente descontentamentopopular, D.Pedro percebeu que não tinha mais autoridade e forças políticaspara se manter no poder.Em 7 de abril de 1831, D.Pedro I abdicou em favor de seu filho Pedro deAlcântara, então com apenas 5 anos de idade. Logo ao deixar o poder viajoupara a Europa.
  8. 8. PERÍODO REGENCIAL
  9. 9.  A Constituição brasileira do período determinava, neste caso, que o país deveria ser governado por regentes, até o herdeiro atingir a maioridade (18 anos).
  10. 10. REGENTES QUE GOVERNARAM O BRASIL NOPERÍODO:- Regência Trina Provisória (1831): regentes Lima e Silva, Senador Vergueiro e Marquês de Caravelas.- Regência Trina Permanente (1831 a 1835): teve como regentes José da Costa Carvalho, João Bráulio Moniz e Francisco de Lima e Silva.- Regência Una de Feijó (1835 a 1837): teve como regente Diogo Antônio Feijó.- Regência Interina de Araújo Lima (1371): teve como regente Pedro de Araújo Lima.- Regência Una de Araújo Lima (1838 a 1840): teve como regente Pedro de Araújo Lima.
  11. 11. CRISE POLITICA A crise política deveu-se, principalmente, a disputa pelo controle do governo entre diversos grupos políticos: Restauradores (defendiam a volta de D. Pedro I ao poder); Moderados (voto só para os ricos e continuação da Monarquia) e Exaltados (queriam reformas para melhorar a vida dos mais necessitados e voto para todas as pessoas).
  12. 12. PRINCIPAIS REVOLTAS DO PERÍODO:- Cabanagem (1835 a 1840) – motivada pelas péssimas condições de vida em que vivia a grande maioria dos moradores da província do Grão-Pará.- Balaiada (1838 – 1841) – ocorreu na província do Maranhão. A causa principal foi a exploração da população mais pobre por parte dos grandes produtores rurais.- Sabinada (1837-1838) – ocorreu na província da Bahia. Motivada pela insatisfação de militares e camadas médias e ricas da população com o governo regencial.- Guerra dos Farrapos (1835 – 1845) – ocorreu no Rio Grande do Sul. Os revoltosos (farroupilhas) queriam mais liberdade para as províncias e reformas econômicas.
  13. 13. GOLPE DA MAIORIDADE E FIM DO PERÍODOREGENCIAL  Os políticos brasileiros e grande parte da população acreditavam que a grave crise que o país enfrentava era fruto, principalmente, da falta de um imperador forte e com poderes para enfrentar a situação.  Em 23 de julho de 1840, com apoio do Partido Liberal, foi antecipada pelo Senado Federal a maioridade de D. Pedro II (antes de completar 14 anos) e declarado o fim das regências.
  14. 14. SEGUNDO REINADO
  15. 15. SEGUNDO REINADO começa em 23 de julho de 1840, quando dom Pedro II é declarado maior de idade, e estende-se até 15 de novembro de 1889, com a instauração da República.
  16. 16. POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO As eleições eram comuns as fraudes, compras de votos e até atos violentos para garantir a eleição. Revolução Praieira Pernambuco, entre os anos de 1848 e 1850. Reivindicavam: - Independência dos poderes e fim do poder Moderador (exclusivo do monarca); - Voto livre e Universal; - Nacionalização do comércio de varejo; - Liberdade de imprensa; - Reforma do Poder Judiciário; - Federalismo; - Fim da lei do juro convencional; - Fim do sistema de recrutamento militar como existia naquela época. Última revolta no Brasil Império Ganhou o nome de praieira, pois a sede do jornal dirigido pelos liberais revoltosos (chamados de praieiros) situava-se na rua da Praia.
  17. 17. Guerra do Paraguai Conflito armado em que o Paraguai enfrentou a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai) com apoio da Inglaterra. Durou entre os anos de 1864 e 1879 e levou o Paraguai a derrota e a ruína.
  18. 18. CICLO DO CAFÉ Na segunda metade do século XIX, o café tornou-se o principal produto de exportação brasileiro, sendo também muito consumido no mercado interno. Os fazendeiros (barões do café), principalmente paulistas, fizeram fortuna com o comércio do produto. As mansões da Avenida Paulista refletiam bem este sucesso. Boa parte dos lucros do café foi investida na indústria, principalmente nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, favorecendo o processo de industrialização do Brasil.
  19. 19.  Imigração Muitos imigrantes europeus, principalmente italianos, chegaram para aumentar a mão-de-obra nos cafezais de São Paulo, a partir de 1850. Vieram para, aos poucos, substituírem a mão-de-obra escrava que, devido as pressões da Inglaterra, começava a entrar em crise.
  20. 20. QUESTÃO ABOLICIONISTA - Lei Eusébio de Queiróz (1850): extinguiu oficialmente o tráfico de escravos no Brasil - Lei do Ventre Livre (1871): tornou livre os filhos de escravos nascidos após a promulgação da lei. - Lei dos Sexagenários (1885): dava liberdade aos escravos ao completarem 65 anos de idade. - Lei Áurea (1888): assinada pela Princesa Isabel, aboliu a escravidão no Brasil.
  21. 21. CRISE NO IMPÉRIO
  22. 22. QUESTÕES - Interferência de D.Pedro II em questões religiosas, gerando um descontentamento nas lideranças da Igreja Católica no país; Críticas e oposição feitas por integrantes do Exército Brasileiro - A classe média brasileira (funcionário públicos, profissionais liberais, jornalistas, estudantes, artistas, comercia ntes) desejava mais liberdade e maior participação nos assuntos políticos do país - Falta de apoio dos proprietários rurais, principalmente dos cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter maior poder político, já que tinham grande poder econômico.
  23. 23. FIM DA MONARQUIA E A PROCLAMAÇÃO DAREPÚBLICA Em 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca, com o apoio dos republicanos, destituiu o Conselho de Ministros e seu presidente. No final do dia, Deodoro da Fonseca assinou o manifesto proclamando a República no Brasil e instalando um governo provisório.

×