Grupo 2

1,495 views

Published on

Published in: Education, Business, Travel
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,495
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Grupo 2

  1. 1. O BRASIL NA ECONOMIA MUNDIAL: DIANTE DA CRISE FINANCEIRA Componentes: Jéssica Coelho, Márcio de Souza, Juliana Fardin, Clara Rigoni, Maria França, Caroline Soromenho, Brenda, Barbara Souza, Barbara Targa,
  2. 2. - O Brasil tem usado os instrumentos de política monetária para evitar que a crise mundial atinja o país mais fortemente. A liberação de depósitos compulsórios para financiamentos à agricultura e a utilização de parte das reservas cambiais para suprir de capital de giro exportadores são iniciativas que podem manter as cadeias produtivas em funcionamento quase normal, enquanto o mundo dos negócios vai se ajustando em todos os cantos do planeta. No meio desta crise, a economia não pode viver mais a dualidade entre os defensores da gastança e a trincheira dos que defendem a estabilidade.    Como o Brasil está se portando diante da crise financeira mundial?
  3. 3. Produtos que o Brasil mais exporta <ul><li>Brasil é um grande exportador de produtos alimentícios exporta para todo o mundo e é considerado um dos maiores produtores de grãos. </li></ul><ul><li>Produtos como: trigo, leite, carne, arroz, feijão, frutos, etc. São os principais. </li></ul><ul><li>Hoje o Brasil produz alimentos que poderiam cobrir toda a fome do país, porem temos muitas pessoas passando fome, devido à exportação desses alimentos. </li></ul>
  4. 4. Produtos que o Brasil mais importa <ul><li>Hoje o Brasil também é um grande importador dos Estados Unidos, importa madeira e produtos florestais o reflorestamento dessas importações podem ajudar a abrir um novo nicho de mercado no setor. </li></ul><ul><li>Com a crise o mundo deverá crescer menos por importações.a queda no consumo exterior tende derrubar também pó preço dos mercados brasileiros,entre elas o grupo que andava muito bem valorizado nos últimos tempos:os alimentos,metais e combustíveis ou produtos pioneiros especialmente um de grande participação no comércio internacional exemplos:soja,minérios e outros.Os preços esses produtos obteram recorde nos últimos anos. </li></ul>
  5. 5. Quais são os principais parceiros de importação e exportação do Brasil? <ul><li>No caso do Brasil, os EUA são nosso principal parceiro comercial, e também figuram na lista dos principais parceiros dos nossos demais parceiros. Além disso, possuímos extensas relações financeiras e produtivas. Isto significa que a crise deve nos atingir por duas vias: uma diretamente, pelos transbordamentos dos efeitos da crise sobre os EUA; e outra indiretamente, pelo efeito da crise estadunidense sobre nossos outros parceiros comerciais, e, através destes, novamente sobre a economia brasileira. </li></ul><ul><li>Caem as exportações do Brasil para os países exportadores de petróleo - e que vinham tendo peso crescente nas vendas brasileiras. </li></ul><ul><li>. Ficam mais difíceis as exportações do Brasil para outros países, pois as nações industrializadas, que vinham vendendo maciçamente aos países da Opep, passam a disputar com unhas e dentes esses outros mercados, diante da retração dos grandes clientes petrolíferos. </li></ul><ul><li>No caso do Brasil, um quarto fator deve ser lembrado: dentro da política (correta) de tentar aumentar as exportações através de mercados novos, o País intensificou suas vendas a países da América Latina, como o Chile, e países socialistas, que também enfrentam problemas, no momento, e tendem por isso a reduzir violentamente as importações de produtos brasileiros. </li></ul><ul><li>A desaceleração mundial derrubaria o preço das commodities e afetaria diretamente a economia brasileira, que tem, na exportação desses produtos básicos, sua maior fonte de renda externa. </li></ul>
  6. 6. Quais são os principais parceiros de exportação do Brasil? <ul><li>A economia do Brasil tem um mercado livre e exportador. Medido por paridade de poder de compra, seu produto interno bruto ultrapassa 1,8 trilhão de dólares, fazendo-lhe a nona maior economia do mundo em 2007 segundo o FMI, (e décima maior economia segundo o Banco Mundial), fazendo-a segunda maior das Américas, atrás apenas dos Estados Unidos da América. O Brasil possui uma economia sólida, construída nos últimos anos, após a crise de confiança que o país sofreu em 2002, a inflação é controlada, as exportações sobem e a economia cresce em ritmo moderado. Em 2007, o PIB brasileiro a preço de mercado apresentou crescimento de 5,7% em relação ao ano de 2006 de acordo com o IBGE. O Brasil é considerado uma das futuras potências do mundo junto à Rússia, Índia e China. Desde a crise em 2002 os fundamentos macro-econômicos do país melhoraram. O real vem se valorizando fortemente frente ao dólar desde 2004, o risco país também vem renovando suas mínimas históricas desde o começo de 2007. Apesar de sua estabilidade macro-econômica que reduziu as taxas de inflação e de juros e aumentou a renda per capita, diferenças remanescem ainda entre a população urbana e rural, os estados do norte e do sul, os pobres e os ricos. Alguns dos desafios dos governos incluem a necessidade de promover melhor infra-estrutura, modernizar o sistema de impostos, as leis de trabalho e reduzir a desigualdade de renda. A economia contém uma indústria e agricultura mista, que são cada vez mais dominadas pelo setor de serviços. As recentes administrações expandiram a competição em portos marítimos, estradas de ferro, em telecomunicações, em geração de eletricidade, em distribuição do gás natural e em aeroportos (embora a crise área tenha atormentado o país) com o alvo de promover o melhoramento da infra-estrutura. O Brasil começou à voltar-se para as exportações em 2004, e mesmo com um real valorizado atingiu em 2007 exportações de US$ 160,649 bilhões (+16,6%), importações de US$ 120,610 bilhões (+32%) e um saldo comercial de US$ 40,039 bilhões </li></ul>
  7. 7. Como que o Brasil participa na economia mundial? <ul><li>Importando e exportando bens e serviços, instalando representação de empresas nacionais em outros países (veja o caso da Petrobrás) e vice-versa, comprando e vendendo tecnologia, investindo no capital de empresas estrangeiras e abrindo o capital de empresas nacionais a investimentos estrangeiros, através de mecanismos legais de captação de recursos (bolsas de valores, por exemplo). </li></ul>
  8. 8. Como que o Brasil participa na economia mundial? <ul><li>A economia mundial deverá passar por um realinhamento até 2020, com uma queda de importância dos Estados Unidos ao mesmo tempo em que Brasil, China e Índia ganharão mais destaque no cenário global, segundo projeções do Internacional Poverty Centre (IPC). De acordo com as previsões do IPC, ligado ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), até 2020 o Brasil vai ganhar um significativo peso econômico. O IPC projeta que em 2020 a economia brasileira seria cerca de 38% maior do que a do Leste Europeu e próxima de um quinto da economia dos Estados Unidos. A renda per capita do Brasil deverá crescer a um ritmo de 3,4% até 2020, segundo as previsões do IPC. &quot;(O Brasil) deverá se beneficiar da demanda contínua por suas exportações de commodities e do aumento do comércio e do investimento intra-regional&quot;, diz o estudo. &quot;Mas suas políticas financeiras conservadoras, que sustentam o valor de sua moeda, indicam que seu pequeno déficit em conta corrente vai mudar pouco até 2020.&quot; As projeções foram feitas considerando o impacto do aumento do petróleo, da queda do dólar e de uma possível recessão nos Estados Unidos na economia global. </li></ul>
  9. 9. A dívida externa brasileira <ul><li>A dívida externa brasileira, atingiu US$ 200,1 bilhões em 2008, um avanço de 3,6%,apesar do aumento, a dívida caiu bastante no último trimestre do ano. </li></ul><ul><li>  somam US$ 25,5 bilhões em todo ano.  No fim de 2007, a dívida externa estava em US$ 193,2 bilhões. </li></ul><ul><li>Em setembro de 2008, a dívida somava US$ 211,3 bilhões. De outubro a dezembro, houve um recuo de aproximadamente US$ 11 bilhões. </li></ul><ul><li>Por causa da crise financeira mundial, bancos e empresas preferiram quitar seus compromissos com recursos próprios ou Dados do Banco Central mostram que os vencimentos da dívida externa, de 2009. Deste total, cerca de US$ 20 bilhões são do setor privado. </li></ul><ul><li>com recursos de empréstimos obtidos no Brasil. </li></ul><ul><li>O próprio BC já havia anunciado anteriormente, porém, que vai financiar, com recursos das reservas internacionais brasileiras, que oscilam em torno de US$ 200 bilhões, as dívidas das empresas brasileiras no exterior em 2009. </li></ul>
  10. 10. De que maneira o Brasil está sendo afetado diante da Crise <ul><li>A Crise financeira esta afetando mais os paises em desenvolvimento, mas o Brasil não está sofrendo muito com ela. O governo assegura que o Brasil está preparado para enfrentá-la aumentando gastos públicos e ampliando incentivos a economia entre outros... </li></ul><ul><li>O ministro da Fazenda, Guido Mantega , declarou que a crise financeira está piorando ao redor do mundo, &quot;Infelizmente assistimos ao agravamento da crise, uma crise financeira que continua sem solução&quot;, disse o ministro, alertando para uma segunda fase da turbulência internacional, a qual atinge com força os países emergentes. &quot;Mas o Brasil é mais estável que os outros emergentes&quot; </li></ul>

×