Successfully reported this slideshow.
GEOGRAFIA FÍSICA DO BRASIL, DO
 ESPÍRITO SANTO E QUESTÕES
         AMBIENTAIS
           Prof. Mario Fernando De Mori
    ...
TEMA 01: OS CLIMAS NO BRASIL
   E NO ESPÍRITO SANTO
AS CHUVAS
CHUVAS NORTE NORDESTE
DIFERENÇA ENTRE O TEMPO E
          CLIMA
CLIMA: comportamento da atmosfera ao longo
  do ano, constante em um ponto qualq...
ELEMENTOS DE UM CLIMA
                              • Temperatura
        - É o estado ou grau de frio ou de calor de um c...
FATORES DOS CLIMAS
                                     • - Latitude
 • Quanto mais nos afastarmos do Equador, menor a tem...
LATITUDE
ALTITUDE
MARITIMIDADE E
CONTINENTALIDADE
FATORES DOS CLIMAS
                                • Massas de ar
 • Apresentam características particulares da região em ...
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSAS DE AR BRASIL
CAMADAS DA ATMOSFERA
CIRCULAÇÃO ATMOSFÉRICA
        GLOBAL
CHUVAS OROGRÁFICAS
CHUVAS CONVECÇÃO
VENTOS PLANETÁRIOS
                       • ALÍSIOS
• Ventos que sopram dos trópicos para o Equador, em
  baixas altitudes...
VENTOS
VENTOS ALÍSIOS
VENTOS PERIÓDICOS
• Monções – São os ventos que, durante o verão, sopram
     do Índico para a Ásia Meridional e durante o...
VENTOS LOCAIS
O vento local se desloca numa certa região
  em determinadas épocas. No Brasil, um
 bom exemplo de vento loc...
IMAGENS DAS MONÇÕES
BRISAS
EL NINO E LA NINA
CONDIÇÕES NORMAIS
COM EL NINO
EL NINO E LA NINA
Fenômeno         O que é/o que ocasiona                                Conseqüências no Brasil

        ...
AÇÕES EL NINO
LA NINA
OUTRAS ANOMALIAS
DOMÍNIOS CLIMÁTICOS
  Clima de Montanha – Em regiões de
     elevadas altitudes, como Andes e
    Himalaia, com frio e nev...
DOMÍNIOS CLIMÁTICOS
         Clima Tropical – Divide-se em:
 a) Tropical Continental – Com verão de muitas
 chuvas e inver...
# Invernos extremamente frios e
bastante longos

# Inexistência de Verão

# Amplitudes térmicas anuais
elevadíssimas

# só...
- Este tipo de clima também é conhecido por
clima frio continental;
- Invernos muito frios e longos, com
temperaturas médi...
- Verões frescos e Invernos moderados. A
temperatura média do mês mais quente raramente
ultrapassa os 20C, e a do mês mais...
-Localizado sensivelmente à mesma latitude do
clima temperado marítimo, mas com mais
continentalidade, ou seja, mais para ...
- Verões quentes, longos, secos e luminosos
e Invernos suaves;
- Amplitudes térmicas anuais moderadas, fica
próxima dos 15...
- As temperaturas médias mensais são elevadas ao longo do ano, superiores a
24C. Embora possa ocorrer um ou dois períodos ...
-As temperaturas médias mensais são elevadas
ao longo de todo o ano, superiores a 200C
(neste exemplo, superiores a 25C).
...
-As temperaturas médias mensais são
elevadas;
-amplitude térmica anual relativamente
acentuada (perto dos 20C), possui
amp...
- Está presente nas regiões de altas
montanhas e de planaltos elevados
- Precipitação abundante, ocorrendo
em todos os mes...
MASSAS DE AR ATUANTES NO
         BRASIL
Denominação           Centro de origem         Característi          Área de atua...
MASSAS DE AR QUE ATUAM NO
         BRASIL

  Denominação         Centro de origem         Característ           Área de at...
CLASSIFICAÇÃO DE ARTHUR STRAHLER, BASEADO
           NA ÁREA CONTROLADA PELAS
                                       MASSA...
CLASSIFICAÇÃO DE STAHLER
                                Abrange parte do território brasileiro próximo ao litoral. A mass...
CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA DE
         KOPPEN
  A classificação de Köppen baseia-se fundamentalmente na temperatura, na
 prec...
KOPPEN E O BRASIL
     Denominação                Área de Ocorrência                  Características
                    ...
KOPPEN
KOPPEN NO BRASIL
DOMÍNIOS CLIMÁTICOS DO
       BRASIL
TIPOS DE CLIMAS NO BRASIL
                                         •   Equatorial
•   É um clima quente e úmido, que fica ...
TIPOS CLIMÁTICOS DO BRASIL
                             • Semi-árido
• Ocorre no sertão nordestino. Com chuvas inferiores ...
CLIMOGRAMAS
Biomas
  Conjunto de
   ecossistemas
  terrestres com
    vegetação
 característica e
fisionomia típica,
onde predomina
um...
APRESENTAÇÃO
Biomas Terrestres

    Tundra              Taiga

         Campos
                        Desertos

Floresta tropical
    ...
OS BI OMAS TERRESTRES

Regiões
polares

Tundra

Taiga

Florestas
temperadas

Pradaria

Desertos

Savana

Mediterrâneo

Flo...
Cada Bioma
apresenta um
     clima
 característico
especialmente
  no que diz
   respeito a
factores como
a temperatura
  ...
78
Tundra
• Situa-se nas regiões próximas ao pólo Árctico, no norte do
                Canadá, da Europa e da Ásia.




     ...
Tundra




Pólo ártico (norte): norte do Canadá, da Europa e da Ásia.
Tundra

      Vegetação de musgos e líquens ao norte e
                 de pequenos arbustos ao sul.
    Há neve todo o an...
• Nesses locais, a neve cobre o
    solo durante quase todo o
   ano, excepto nos três meses
         de verão, quando a
 ...
Tundra
Tundra
Taiga




Presente na América do Norte, na Europa e na Ásia.
Taiga (Florestas de Coníferas)
•    O bioma denominado taiga situa-se principalmente no hemisfério
     norte, ao sul da t...
A taiga é conhecida
 também como floresta
   de coníferas, pois é
constituída basicamente
por árvores desse grupo
   de gi...
Taiga
Taiga
F l o r e s t a s
Ét uma floresta constituída por a s
     e mp e r a d
árvores de folha caduca, como os
carvalhos, castan...
Floresta temperada caducifólia
É típico de certas regiões da Europa e da América do
      Norte, onde o clima é temperado ...
Na floresta temperada
  predominam árvores
 que perdem as folhas
 no fim do Outono e as
     readquirem na
    primavera —...
A perda das folhas é
  uma adaptação ao
   inverno rigoroso,
 pois permite reduzir
      a actividade
     metabólica da
 ...
Floresta Tropical
O bioma denominado floresta tropical, também chamado de floresta
   pluvial tropical, localiza-se em reg...
Flo re s ta e quato rial.
As elevadas temperaturas, a forte umidade do ar
e a abundância de precipitações, explicam o
extr...
A vegetação da floresta
  tropical é exuberante
    e com árvores de
   grande porte, cujas
    folhas não caem;
Essas pla...
Savana




É encontrado na África, na Ásia, na
     Austrália e nas Américas.

                                      97
O bioma do tipo
     savana
caracteriza-se por
   apresentar
   arbustos e
   árvores de
 pequeno porte,
     além de
   g...
Pradaria

Esse bioma é
encontrado em
 regiões com
   períodos
 marcados de
  seca, como
certas áreas da
  América do
  Nor...
O bioma
   denominado
   pradaria, ou
campo, apresenta
    vegetação
    constituída
predominantement
 e por gramíneas.
  ...
Deserto
O bioma denominado deserto localiza-se
     em regiões de pouca humidade




                                     ...
de s e rto

Com tanta secura ambiental, a
vegetação é muito rudimentar,
  escassa ou mesmo nula.

Nos locais onde ainda co...
A sua vegetação é
     constituída por
    gramíneas e por
  pequenos arbustos,
 ocupando apenas os
locais em que a pouca
...
Chaparral
 Localizado em
 regiões junto ao
mar, os chaparrais
 são constituídos
  por florestas e
matagais de folha
persis...
105
Ve g e taç ão de
                            altitude
                    O clima de altitude é muito peculiar. De
       ...
Flo re s ta Me dite rrâne a
                                                       A floresta mediterrânea é uma
         ...
Maquis

A atuação humana sobre a floresta (principalmente fogos, pastoreio,
agricultura, procura de madeiras...), foi dest...
Garrig ue
 É uma formação vegetal mais aberta do que o maquis, constituída por
           pequenos arbustos, mais ou menos...
Flo re s ta
                  e s tratific ada
                            Neste esquema, podem-se
                       ...
De s g as te do s bio mas

Um do s fals o s valo re s que s e o põ e m à pre s e rvaç ão do ambie nte é o
                ...
Os Domínios Morfoclimáticos do
           Brasil
Conceito

    Os domínios morfoclimáticos são divisões que se
baseiam nos diferentes tipos de relevos que são
resultantes ...
Quantos são?
      Os domínios morfoclimáticos brasileiros são definidos a partir
das características climáticas, botânica...
Quais são?




                            Domínio Amazônico:

 •    Localização: É a maior região morfoclimática do Brasi...
Domínio do Cerrado:

•    Localização: Região central do Brasil, o domínio morfoclimático do Cerrado detém
    uma área de...
Domínio da Caatinga:
•   Localização: Situado no nordeste brasileiro, o domínio morfoclimático das caatingas abrange em
  ...
Domínio dos Mares de Morros:

• Localização: Acompanha a faixa litorânea do Brasil, do nordeste até o sul
    do País, obt...
Domínio das Araucárias:
• Localização: Encontrado desde o sul paulista até o norte gaúcho, o
        domínio das araucária...
Domínio das Pradarias :

•   Localização: Situado ao extremo sul brasileiro, mais exatamente a sudeste
    gaúcho, o domín...
Quais são os processos de degradação ambiental que cada um vem sofrendo nas
                                 últimas décad...
Domínio dos Cerrados

       O cerrado atraiu muita atenção para a agricultura, o que lhe
   tornou uma região de grande p...
Continuação
Domínio dos Mares de Morros:

       Essas terras já estão sendo utilizadas economicamente há
  muitos anos. D...
Continuação

Domínio da Caatinga

       O homem não intervém de significativa maneira em seu
  habitat, assim o ambiente ...
Continuação
Domínio das Araucárias:

        Percebe-se atualmente que esta arbórea ( as araucárias)
  quase desapareceu d...
Continuação
Domínio das Pradarias :


        Apesar de existir diversos parques ecológicos nesses domínio
  as condições ...
Existem órgãos do governo e entidades
preocupadas com a preservação desses
          domínios?Quais?
       Sim, existem.E...
Domínio do Cerrado: Nessa região são praticadas diversas
atividades, porém há poucos projetos de proteção,dessa forma, os
...
Continuação
   Domínio das Araucárias: Pela razão principalmente de sua
vegetação ser quase totalmente desgastado, por cau...
Bibliografia

• http://www.algosobre.com.br/geografia/dominios-morfloclimaticos-brasileir
• http://www2.uol.com.br/aprendi...
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil

9,606 views

Published on

Published in: Education
  • Muito completo, e de excelente conteúdo. Parabéns.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil

  1. 1. GEOGRAFIA FÍSICA DO BRASIL, DO ESPÍRITO SANTO E QUESTÕES AMBIENTAIS Prof. Mario Fernando De Mori http://mariodemori.blogspot.com/
  2. 2. TEMA 01: OS CLIMAS NO BRASIL E NO ESPÍRITO SANTO
  3. 3. AS CHUVAS
  4. 4. CHUVAS NORTE NORDESTE
  5. 5. DIFERENÇA ENTRE O TEMPO E CLIMA CLIMA: comportamento da atmosfera ao longo do ano, constante em um ponto qualquer da superfície da Terra. TEMPO: é o estado da atmosfera em determinado momento. Exemplo: quot;o tempo agora está bom, isto é, faz sol e calorquot;, quot;o tempo está chuvosoquot; ou ainda, quot;o tempo está muito frioquot;. Tempo é, portanto, um dado momentâneo, sujeito a mudanças mais ou menos rápidas;
  6. 6. ELEMENTOS DE UM CLIMA • Temperatura - É o estado ou grau de frio ou de calor de um corpo ou lugar. • - A temperatura média à superfície é de 14º C, variando entre cerca de -60º C e +45º C. • - Pode ser determinada pela sensação de morno ou frio. • Umidade • Corresponde à quantidade de vapor de água que encontramos na atmosfera. • - A umidade é relativa ao ponto de saturação de vapor de água na atmosfera, que é de 4%. Quando a atmosfera atinge essa porcentagem, ou se satura de vapor, ocorrem as chuvas. • - Muitas vezes escutamos no jornal falarem que a umidade relativa do ar é, por exemplo, de 60%. Isto quer dizer que estamos a 60% da capacidade máxima de retenção de vapor de água na atmosfera. Quando está chovendo, a umidade relativa do ar está em 100%, ou 4% em termos absolutos. Portanto, quando a umidade relativa do ar está por volta de 60%, está em 2,4% de vapor em termos absolutos.
  7. 7. FATORES DOS CLIMAS • - Latitude • Quanto mais nos afastarmos do Equador, menor a temperatura. A Terra é iluminada pelos raios solares com diferentes inclinações. Quanto mais longe do Equador a incidência de luz solar é menor. • Altitude • Quanto mais alto estivermos menor será a temperatura. Isto porque o ar se torna rarefeito, ou seja, a concentração de gases e de umidade à medida que aumenta a altitude, é menor, o que vai reduzir a retenção de calor nas camadas mais elevada da atmosfera. Há a questão também que o oceano ou continente irradiam a luz solar para a atmosfera, ou seja, quanto maior a altitude menos intensa será a irradiação. • O encontro de duas massas, geralmente uma fria e outra quente, dá-se o nome de frente. Quando elas se encontram ocorre as chuvas e o tempo muda. • Continentalidade • A proximidade de grandes quantidades de água exerce influencia na temperatura. A água demora a se aquecer, enquanto os continentes se aquecem rapidamente. Por outro lado, ao contrário dos continentes, a água demora irradiar a energia absorvida. Por isso, o hemisfério Norte tem invernos mais rigorosos e verões mais quentes, devido a quantidade de terras emersas ser maior, ou seja, sofre influencia da continentalidade, boa parte deste hemisfério.
  8. 8. LATITUDE
  9. 9. ALTITUDE
  10. 10. MARITIMIDADE E CONTINENTALIDADE
  11. 11. FATORES DOS CLIMAS • Massas de ar • Apresentam características particulares da região em que se originaram, como temperatura, pressão e umidade, e se deslocam pela superfície terrestre. As massas podem se polares, tropicais ou equatoriais. • As massas de ar tropicais se formam nos trópicos de Capricórnio e de Câncer. • Elas podem se formar na altura dos oceanos (oceânicas) e serem úmidas; serão secas se forem formadas no interior dos continentes (continental). • As massas polares são frias. Isto porque elas se formam em regiões de baixas temperaturas, como o nome já diz, nas regiões polares. Elas também são secas, visto que as baixas temperaturas não possibilitam uma forte evaporação das águas. • As massas equatoriais são quentes, se formam próximas a linha do Equador. • O encontro de duas massas, geralmente uma fria e outra quente, dá-se o nome de frente. Quando elas se encontram ocorre as chuvas e o tempo muda.
  12. 12. MASSAS DE AR NO BRASIL
  13. 13. MASSAS DE AR BRASIL
  14. 14. CAMADAS DA ATMOSFERA
  15. 15. CIRCULAÇÃO ATMOSFÉRICA GLOBAL
  16. 16. CHUVAS OROGRÁFICAS
  17. 17. CHUVAS CONVECÇÃO
  18. 18. VENTOS PLANETÁRIOS • ALÍSIOS • Ventos que sopram dos trópicos para o Equador, em baixas altitudes.Contra-Alísios: ventos que sopram do Equador para os pólos, em altas altitudes.Ventos do Oeste: ventos que sopram dos trópicos para os pólos. • POLARES • Ventos frios que sopram dos pólos para as zonas temperadas. • CONTRA-ALÍSIOS • São ventos secos, responsáveis pelas calmarias tropicais secas. Sopram do Equador para os trópicos, em altitudes elevadas.
  19. 19. VENTOS
  20. 20. VENTOS ALÍSIOS
  21. 21. VENTOS PERIÓDICOS • Monções – São os ventos que, durante o verão, sopram do Índico para a Ásia Meridional e durante o inverno, sopram da Ásia Meridional Para o oceano Índico. • As monções são classificadas da seguinte forma: • Monções Marítimas : Sopram do oceano Índico para o continente e provocam fortes chuvas na Ásia Meridional, causando enchentes e inundações. • Monções Continentais : Sopram do continente para o oceano Índico provocando secas no sul da Ásia. • Brisas – São ventos repetitivos que sopram do mar para o continente durante o dia e do continente para o mar durante a noite.
  22. 22. VENTOS LOCAIS O vento local se desloca numa certa região em determinadas épocas. No Brasil, um bom exemplo de vento local é o noroeste, massa de ar que, saindo do Amazonas, alcança o Estado de São Paulo entre agosto e outubro. No sul do Brasil, temos o Pampeiro, ou Minuano, seco, e frio.
  23. 23. IMAGENS DAS MONÇÕES
  24. 24. BRISAS
  25. 25. EL NINO E LA NINA
  26. 26. CONDIÇÕES NORMAIS
  27. 27. COM EL NINO
  28. 28. EL NINO E LA NINA Fenômeno O que é/o que ocasiona Conseqüências no Brasil E É o aquecimento anômalo a Região Sul: precipitações abundantes (primavera) e das águas do Oceano chuvas intensas de maio a julho, aumento da Pacífico Equatorial Central e temperatura média do ar. Oriental. t Região Sudeste: moderado aumento das O Faz com que o padrão temperaturas médias. normal de circulação t Região Centro-Oeste: tendência de chuvas acima da atmosférica se altere. média e temperaturas mais altas no sul do Mato EL NIÑO Grosso do Sul. G Região Nordeste: secas de diversas intensidades no norte do Nordeste, durante a estação chuvosa, de fevereiro a maio. f Região Norte: secas de moderadas a intensas no norte e no leste da Amazônia. Aumento da probabilidade de incêndios florestais. L É o resfriamento das águas a Região Sul: passagens rápidas de frentes frias. do Oceano Pacífico R Região Sudeste: temperaturas abaixo da média Equatorial Central e Oriental durante inverno e verão. E Provoca mudanças no d Região Nordeste: frentes frias, principalmente no LA NIÑA padrão de circulação litoral da Bahia, Sergipe e Alagoas. atmosférica l Região Norte: chuvas abundantes no norte e noleste da Amazônia.
  29. 29. AÇÕES EL NINO
  30. 30. LA NINA
  31. 31. OUTRAS ANOMALIAS
  32. 32. DOMÍNIOS CLIMÁTICOS Clima de Montanha – Em regiões de elevadas altitudes, como Andes e Himalaia, com frio e neves eternas. Clima Subtropical – Predominantes entre os climas Tropical e Temperado com elevação de amplitudes térmicas e chuvas bem distribuídas durante o ano. Clima Semi-árido – Com chuvas escassas e mal distribuídas durante o ano.
  33. 33. DOMÍNIOS CLIMÁTICOS Clima Tropical – Divide-se em: a) Tropical Continental – Com verão de muitas chuvas e inverno de baixo índice pluviométrico. b) Tropical Equatorial – Com uma certa regularidade de altas temperaturas e chuvas abundantes anuais. c) Tropical de Altitude – Com temperaturas médias não muito altas, muitas chuvas no verão e baixas temperaturas no inverno. d) Tropical de Monções – Predominante na região sul e sudeste da Ásia. Com chuvas muito fortes no verão e invernos mais secos.
  34. 34. # Invernos extremamente frios e bastante longos # Inexistência de Verão # Amplitudes térmicas anuais elevadíssimas # só existe, na prática, uma estação: a fria # o recorde da temperatura mais baixa registrada - na Antártida - é de quase -90C
  35. 35. - Este tipo de clima também é conhecido por clima frio continental; - Invernos muito frios e longos, com temperaturas médias mensais negativas, podendo atingir, nos meses mais frios, valores inferiores a -20C (no exemplo, existem 7 meses com temperaturas médias abaixo de 0C , e a temperatura média anual é de aproximadamente -5C); - Verões muito curtos e pouco quentes, com temperaturas médias mensais que raramente atingem os 18C; - Amplitudes térmicas anuais muito elevadas (no exemplo, a amplitude térmica ultrapassa os 30C); - Poucas precipitações e concentradas, em grande parte, no curto período de Verão.
  36. 36. - Verões frescos e Invernos moderados. A temperatura média do mês mais quente raramente ultrapassa os 20C, e a do mês mais frio poucas vezes atinge valores negativos; - As amplitudes térmicas anuais são pouco acentuadas; -Tem precipitações mais ou menos abundantes, e mais ou menos regulares distribuídas ao longo do ano - Grande nebulosidade, podendo o céu manter-se encoberto durante vários dias ou semanas. -Este tipo de clima, apresenta também as quatro estações bem distintas entre si. - este tipo de clima domina na parte litoral da Europa ocidental, desde o extremo norte de Portugal, até ao sul da Escandinávia. Existe também em pequenas áreas do Noroeste dos EUA, no Sudoeste do Canadá, no litoral sul do Chile, no sudeste da Austrália e na Nova Zelândia.
  37. 37. -Localizado sensivelmente à mesma latitude do clima temperado marítimo, mas com mais continentalidade, ou seja, mais para o interior dos continentes; - Os Invernos são muito frios (com temperaturas negativas), longos e secos, e os Verões são quentes, curtos e relativamente pluviosos; - As precipitações são mais ou menos escassas, com mínimas no Inverno (frequentemente sob a forma de neve) e máximas no Verão. Neste tipo de clima, vemos que as precipitações são muitas vezes de origem convectiva ou de verão; -quanto maior for a continentalidade, maior será o rigor dos Invernos. Em termos práticos, só tem duas estações: O Verão e o Inverno, pois as estações intermédias (Primavera e Outono) são de curta duração e passam despercebidas.
  38. 38. - Verões quentes, longos, secos e luminosos e Invernos suaves; - Amplitudes térmicas anuais moderadas, fica próxima dos 15ºC. A média do mês mais quente é superior a 20ºC, por sua vez, a média do mês mais frio nunca é inferior a 0ºC. A Temperatura Média Anual também é próxima dos 15ºC; - Chuvas relativamente escassas e irregulares, concentradas sobretudo no Outono e no Inverno sendo a precipitação de origem frontal (associada à passagem das frentes); - Quatro estações bem marcadas e distintas (Primavera, Verão, Outono e Inverno); raca nebulosidade. Mesmo no Inverno, registam-se longos períodos de céu limpo e brilhante; - Tem período seco no Verão.
  39. 39. - As temperaturas médias mensais são elevadas ao longo do ano, superiores a 24C. Embora possa ocorrer um ou dois períodos relativamente frescos, a maior parte dos meses apresenta temperaturas médias superiores aos do clima equatorial. - As amplitudes térmicas anuais, embora maiores do que as do clima equatorial, são pouco acentuadas, tendo um valor aproximado entre 10C e 12C. - A precipitação distribui-se muito irregularmente ao longo do ano, concentrando- se, na sua quase totalidade, numa só estação. - Verifica-se com facilidade a existência de apenas duas estações: a estação seca e a estação úmida. Se as existirem muitos meses com precipitações (embora alguns destes meses com fracas precipitações) diz-se que é um clima tropical úmido; se pelo contrário, existirem em maior quantidade, meses sem precipitações, diz-se que é um clima tropical seco.
  40. 40. -As temperaturas médias mensais são elevadas ao longo de todo o ano, superiores a 200C (neste exemplo, superiores a 25C). -As amplitudes térmicas anuais são muito reduzidas, ou seja, a diferença entre a temperatura média máxima anual e a temperatura média mínima anual, é muito reduzida. -Chove abundantemente durante todo o ano, não há nenhum mês sem precipitação. - Não existem estações (nem Verão, nem Inverno...), pois todos os meses são pluviosos e quentes.
  41. 41. -As temperaturas médias mensais são elevadas; -amplitude térmica anual relativamente acentuada (perto dos 20C), possui amplitudes térmicas diurnas (durante o dia, ou as 24 horas), elevadíssimas, Que são uma característica importante deste clima; durante o dia, as temperaturas chegam a atingir os 50C, mas durante a noite a temperatura tem valores próximos dos 0C e até mesmo temperaturas negativas, originando assim, amplitudes térmicas diurnas de mais de 50C; -fracas precipitações.
  42. 42. - Está presente nas regiões de altas montanhas e de planaltos elevados - Precipitação abundante, ocorrendo em todos os meses do ano, normalmente, sob a forma de neve; - Invernos muito frios. A temperatura, durante o Inverno, regista valores negativos; - Verão: curto e fresco. A temperatura raramente vai além dos 12ºC; - Amplitude térmica anual pode ir de fraca a moderada.
  43. 43. MASSAS DE AR ATUANTES NO BRASIL Denominação Centro de origem Característi Área de atuação cas ou qualidades mEc Equatorial Noroeste da Amazônia Quente e Amazônia ocidental e, no verão continent úmida as demais regiões do Brasil; al provoca chuvas. mEa Equatorial Atlântico norte no Quente e Forma os ventos alisios de atlântica anticiclone dos Açores úmida nordeste; atua principalmente no litoral das regiões N e NE, na primavera e verão. mTa Tropical Atlântico sul, próximo ao Quente e Forma os ventos alísios de atlântica Trópico de Capricórnio, úmida sudeste. Atua nos litorais do NE, no anticiclone de Sta. SE e S; provoca chuvas frontais Helena de inverno, pois aí se encontra com a mPa; no SE, chuvas de relevo, em contato com a Serra do Mar; atua o ano todo.
  44. 44. MASSAS DE AR QUE ATUAM NO BRASIL Denominação Centro de origem Característ Área de atuação icas ou qualidades mTc Tropical Depressão do Chaco Quente e Na primavera-verão encontra-se continent (prolongamento do seca com a mEc, provocando chuvas; al Pantanal em território no outono inverno, encontra-se Boliviano e paraguaio) com a mPa, ocorrendo baixo índice pluviométrico. mPa Polar Atlântico sul, não longe Fria e seca Regiões S e Se com maior atlântica do litoral da Patagônia (no início é intensidade. Atinge o litoral do (Argentina) fria e NE, onde, encontrando-se com úmida) mTa, provoca chuvas no inverno; atinge a Amazônia, provocando quedas de temperaturas.
  45. 45. CLASSIFICAÇÃO DE ARTHUR STRAHLER, BASEADO NA ÁREA CONTROLADA PELAS MASSAS DE AR Clima Características Abrange a Amazônia, e se caracteriza por um clima equatorial continental, quase todo o ano. Em algumas porções litorâneas da Amazônia, há alguma influência da massa equatorial atlântica, que algumas vezes (no inverno) conduz a frente fria, atingindo o sul e o sudeste da região. Embora as massas de ar sejam em geral secas, a mEc é úmida por sua localização estar sobre uma área com rios caudalosos e com cobertura da Floresta Amazônica, que possui grande umidade pela transpiração dos vegetais. Portanto, é um clima úmido e quente. Clima Equatorial Úmido As médias anuais térmicas mensais vão de 24ºC a 27ºC, ocorrendo baixa amplitude (convergência de alísios) térmica anual, com pequeno resfriamento no inverno. As médias pluviométricas são altas e a estação seca é curta. Por ser uma região de calmaria, devido ao encontro dos alísios do Hemisfério Norte com os do Sul, a maior parte das precipitações que aí ocorrem são chuvas de convecção. Abrange parte do território brasileiro próximo ao litoral. A massa de ar que exerce maior influência nesse clima é a tropical atlântica (mTa). Pode ser notado em Clima litorâneo úmido duas principais estações: verão (chuvoso) e inverno (menos chuvoso), com médias térmicas e índices pluviométricos elevados; é um clima quente e úmido.
  46. 46. CLASSIFICAÇÃO DE STAHLER Abrange parte do território brasileiro próximo ao litoral. A massa de ar que exerce maior influência nesse clima é a tropical atlântica (mTa). Pode ser notado em Clima litorâneo úmido duas principais estações: verão (chuvoso) e inverno (menos chuvoso), com médias térmicas e índices pluviométricos elevados; é um clima quente e úmido. Abrange os estados de Minas Gerais e Goiás, parte de São Paulo, Mato Grosso do Clima tropical alternadamente Sul, parte da Bahia, do Maranhão, do Piauí e do Ceará. É um clima tropical úmido e seco típico, quente e semi-úmido, com uma estação chuvosa (verão) e outra seca (inverno). Clima tropical tendendo a Abrange o Sertão do Nordeste, sendo um clima tropical próximo ao árido com seco pela irregularidade médias anuais de pluviosidade inferior a 1000mm. As chuvas concentram-se de ação das massas de num período de 3 meses. No Sertão Nordestino, é uma espécie de encontro de ar ou clima semi-árido quatro sistemas atmosféricos oriundos das massas de ar mEc, mTa, mEa, mPa. Abrange o Brasil Meridional, porção localizada ao sul do Trópico de Capricórnio, com predominância da massa tropical atlântica, que provoca chuvas fortes. No inverno, tem freqüência de penetração de frente polar, dando origem às chuvas frontais com precipitações devidas ao encontro da massa quente com a fria, Clima subtropical úmido onde ocorre a condensação do vapor de água atmosférico. O índice médio anual de pluviosidade é elevado e as chuvas são bem distribuídas durante todo o ano, fazendo com que não exista a estação da seca.
  47. 47. CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA DE KOPPEN A classificação de Köppen baseia-se fundamentalmente na temperatura, na precipitação e na distribuição de valores de temperatura e precipitação durante as estações do ano. Significado das letras:  1a letra 2a letra 3a letra A = clima quente e úmido f = sempre úmido h = quente B = clima árido ou semi- m = monçonico (com a = verões quentes árido pequena estação seca) C = clima subtropical ou s = chuvas de inverno b = verões brandos temperado w = chuvas de verão
  48. 48. KOPPEN E O BRASIL Denominação Área de Ocorrência Características Temperaturas elevadas: médias entre 25ºC e 27ºC. Am (equatorial) Maior parte da Amazônia Pluviosidade elevada: médias de 1.500 a 2.500 mm/ano. Temperatura média entre 19ºC e 28ºC, Brasil Central; parte de pluviosidade média inferior a 2000 Aw (tropical) Minas Gerais e da mm/ano. Bahia Duas estações bem definidas: o verão (chuvoso) e o inverno (seco). Médias anuais térmicas superiores a 25ºC. Bsh (semi-árido) Sertão do Nordeste Pluviosidade média anual inferior a 1000 mm/ano com chuvas irregulares. Médias térmicas entre 19ºC e 27ºC. Partes do Sudeste e sul do Cwa (tropical de altitude) Pluviosidade média de 1500 mm/ano; Mato Grosso do Sul. chuvas de verão. Médias térmicas entre 17ºC e 19ºC. Cf (subtropical) Sul do País Pluviosidade média de 1500 mm/ano; chuvas bem distribuídas.
  49. 49. KOPPEN
  50. 50. KOPPEN NO BRASIL
  51. 51. DOMÍNIOS CLIMÁTICOS DO BRASIL
  52. 52. TIPOS DE CLIMAS NO BRASIL • Equatorial • É um clima quente e úmido, que fica ao redor da linha do Equador. As chuvas são abundantes e maior parte de convecção. • Este tipo de clima fica na região Norte do Brasil. • Com temperaturas que variam de 24°C a 27°C. • Nessa região o índice pluviométrico é de 2000mm por ano. • Tropical úmido • Se situa na costa leste do Brasil, desde o Rio Grande do Norte até São Paulo. • No inverno se formam frentes frias e em alguns dias a temperatura fica baixa. • As chuvas ocorrem no verão, apenas no litoral nordeste que chove mais no inverno. • É um clima quente e úmido, apesar das “ondas de frios” que ocorrem as vezes. • • Tropical típico ou semi-úmido • Este tipo de clima ocorre no região central do Brasil. • As médias de temperatura variam de 20° a 28°C. • Chove por volta de 1500mm por ano. • É um tipo de clima quente e semi-úmido, com chuvas no verão e seco no inverno. •
  53. 53. TIPOS CLIMÁTICOS DO BRASIL • Semi-árido • Ocorre no sertão nordestino. Com chuvas inferiores a 800mm por ano. • É seco e árido, mas não como o deserto. • Tem quatro massas que exercem influencia, duas equatoriais e duas tropicais, que terminam sua trajetória no sertão. • • Subtropical • Este tipo de clima se localiza no sul do país até o sul do trópico de Capricórnio. • Tem temperaturas médias nem quentes e nem frias. Com chuvas abundantes e bem distribuídas durante todo o ano. • O verão é bem quente e o inverno é bem frio, em lugares mais altos ocorrem geadas. Em alguns lugares chegou a cair neve, mais é raro.
  54. 54. CLIMOGRAMAS
  55. 55. Biomas Conjunto de ecossistemas terrestres com vegetação característica e fisionomia típica, onde predomina um certo tipo de clima. 72
  56. 56. APRESENTAÇÃO
  57. 57. Biomas Terrestres Tundra Taiga Campos Desertos Floresta tropical Floresta temperada
  58. 58. OS BI OMAS TERRESTRES Regiões polares Tundra Taiga Florestas temperadas Pradaria Desertos Savana Mediterrâneo Florestas tropicais
  59. 59. Cada Bioma apresenta um clima característico especialmente no que diz respeito a factores como a temperatura ea pluviosidade. 77
  60. 60. 78
  61. 61. Tundra • Situa-se nas regiões próximas ao pólo Árctico, no norte do Canadá, da Europa e da Ásia. 79
  62. 62. Tundra Pólo ártico (norte): norte do Canadá, da Europa e da Ásia.
  63. 63. Tundra Vegetação de musgos e líquens ao norte e de pequenos arbustos ao sul. Há neve todo o ano com exceção de 3 meses, nos quais a temperatura não se eleva acima dos 10° C. Clima polar. O solo mais profundo permanece congelado todo o ano. A água aproveitável pelas plantas é fator limitante. É um bioma relativamente recente.
  64. 64. • Nesses locais, a neve cobre o solo durante quase todo o ano, excepto nos três meses de verão, quando a temperatura chega, no máximo, a 10 °C. • No verão, apenas uma fina camada superficial do solo desconge-la-se; • poucos centímetros abaixo da superfície, o solo permanece congelado, impedindo a drenagem da água do degelo, o que leva à formação de vastos pântanos. 82
  65. 65. Tundra
  66. 66. Tundra
  67. 67. Taiga Presente na América do Norte, na Europa e na Ásia.
  68. 68. Taiga (Florestas de Coníferas) • O bioma denominado taiga situa-se principalmente no hemisfério norte, ao sul da tundra árctica, onde o clima é frio, com invernos quase tão rigorosos quanto os da tundra, embora a estação quente seja um pouco mais longa e amena. 86
  69. 69. A taiga é conhecida também como floresta de coníferas, pois é constituída basicamente por árvores desse grupo de gimnospérmicas, como os pinheiros e abetos, além de apresentar musgos e líquenes. 87
  70. 70. Taiga
  71. 71. Taiga
  72. 72. F l o r e s t a s Ét uma floresta constituída por a s e mp e r a d árvores de folha caduca, como os carvalhos, castanheiros e faias. É No Verão As raposas e as corujas são ocorre conhecida pela floresta algumas chuvas e o característicos destas animais caducifólica. Inverno, pouco frio zonas. mas com chuva abundante.
  73. 73. Floresta temperada caducifólia É típico de certas regiões da Europa e da América do Norte, onde o clima é temperado e as quatro estações do ano são bem delimitadas. 91
  74. 74. Na floresta temperada predominam árvores que perdem as folhas no fim do Outono e as readquirem na primavera — daí serem chamadas plantas decíduas (do latim deciduus, que cai) ou caducifólias (do latim caducos, que cai). 92
  75. 75. A perda das folhas é uma adaptação ao inverno rigoroso, pois permite reduzir a actividade metabólica da planta, necessária para suportar as baixas temperaturas. 93
  76. 76. Floresta Tropical O bioma denominado floresta tropical, também chamado de floresta pluvial tropical, localiza-se em regiões de clima quente e com alto índice pluviométrico, ou seja, na faixa equatorial da Terra. Há florestas tropicais no norte da América do Sul (Bacia Amazónica), na América Central, na África, na Austrália e na Ásia. 94
  77. 77. Flo re s ta e quato rial. As elevadas temperaturas, a forte umidade do ar e a abundância de precipitações, explicam o extraordinário desenvolvimento da vegetação nas regiões equatoriais. É uma floresta muito densa e as plantas crescem umas por cima das outras existindo entre elas uma grande competição pela luz, pois é-lhes indispensável para a fotossíntese. A vegetação é estratificada, www.geocities.com Ou seja há vários estratos ou andares, e em cada um deles determinadas espécies predominam. As árvores têm normalmente cerca de 40 metros de altura, mas podem chegar até aos 60 metros.
  78. 78. A vegetação da floresta tropical é exuberante e com árvores de grande porte, cujas folhas não caem; Essas plantas têm, em geral, folhas largas e delicadas, denominadas latifoliadas (do latim latus, largo, amplo, e folia, folha). 96
  79. 79. Savana É encontrado na África, na Ásia, na Austrália e nas Américas. 97
  80. 80. O bioma do tipo savana caracteriza-se por apresentar arbustos e árvores de pequeno porte, além de gramíneas. 98
  81. 81. Pradaria Esse bioma é encontrado em regiões com períodos marcados de seca, como certas áreas da América do Norte e da América do Sul 99
  82. 82. O bioma denominado pradaria, ou campo, apresenta vegetação constituída predominantement e por gramíneas. Os pampas gaúchos, são um tipo de pradaria. 100
  83. 83. Deserto O bioma denominado deserto localiza-se em regiões de pouca humidade 101
  84. 84. de s e rto Com tanta secura ambiental, a vegetação é muito rudimentar, escassa ou mesmo nula. Nos locais onde ainda consegue cair algumas chuvas, predomina a vegetação herbácea baixa e pequenos arbustos, bem como alguns cactos. Em locais onde águas subterrâneas estão próximas da superfície, ou nas margens dos raros cursos de água, surgem pequenas zonas verdes que são chamadas de oásis. www.geocities.com
  85. 85. A sua vegetação é constituída por gramíneas e por pequenos arbustos, ocupando apenas os locais em que a pouca água existente pode se acumular (fendas do solo ou debaixo das rochas). 103
  86. 86. Chaparral Localizado em regiões junto ao mar, os chaparrais são constituídos por florestas e matagais de folha persistente. Neste bioma, o Inverno é suave e o verão quente e seco. 104
  87. 87. 105
  88. 88. Ve g e taç ão de altitude O clima de altitude é muito peculiar. De um modo geral, as plantas e os animais, necessitam de adaptação a este tipo de clima. No clima de altitude, se encontram espécies adaptadas a temperaturas baixas, a pouca pressão atmosférica, a pouca quantidade de oxigênio e de CO2 (que é indispensável à fotossíntese) e a www.geocities.com pouca proteção de raios UV. a vegetação dos climas de altitude, independentemente da região do Mundo, vai rareando conforma a altitude vai aumentando, de modo que em locais de quot;neves perpétuasquot;, não se encontram praticamente nenhum ser vivo (tal como nas latitudes muito elevadas - perto dos 900).
  89. 89. Flo re s ta Me dite rrâne a A floresta mediterrânea é uma formação vegetal predominantemente de folha persistente e, por isso, sempre verde. É constituída por árvores mais ou menos espaçadas entre si, que permite entre esses espaços, o desenvolvimento de um estrato arbustivo mais ou menos denso e também de folha persistente. A distribuição do clima mediterrâneo e do seu bioma não se confina exclusivamente à área mediterrânea, sendo as principais áreas abrangidas, não só toda a bacia do Mediterrâneo, como também a Califórnia, o centro do Chile, o Sul da África do Sul e o sul da Austrália www.geocities.com
  90. 90. Maquis A atuação humana sobre a floresta (principalmente fogos, pastoreio, agricultura, procura de madeiras...), foi destruindo a floresta mediterrânea original dando progressivamente origem a formações vegetais secundárias: maquis e garrigue Esta formação vegetal é constituída principalmente por arbustos, muito densa e fechada, formando um matagal de difícil penetração. O maquis desenvolve-se, geralmente, em solos graníticos (siliciosos). Entre as várias espécies de plantas que compõem o maquis, destacam-se o medronheiro, o loureiro, a urze, a giesta espinhosa, a piteira e alguns cactos. www.geocities.com
  91. 91. Garrig ue É uma formação vegetal mais aberta do que o maquis, constituída por pequenos arbustos, mais ou menos dispersos. O garrigue desenvolve-se, geralmente, em solos calcários, onde outrora predominou a azinheira. Forma áreas muito aromáticas e onde predominam o buxo, o carrasco, o alecrim, o rosmaninho, a alfazema e o timo. www.geocities.com
  92. 92. Flo re s ta e s tratific ada Neste esquema, podem-se observar com facilidade os estratos da floresta equatorial. O estrato junto ao solo, é o estrato herbáceo, pouco desenvolvido e onde quase não existe luz, pois as plantas dos estratos superiores dificultam a passagem da luz. O estrato superior, é constituído por árvores bastante altas, cujas copas apresentam uma forma arredondada, ombrófila, tipo guarda-chuva, e os seus troncos, de casca fina, são lisos, apenas ramificados na parte superior. Há alguns tipos de plantas trepadoras e parasitas, que se servem das árvores para irem www.inpa.gov.br subindo e alcançar a luz.
  93. 93. De s g as te do s bio mas Um do s fals o s valo re s que s e o põ e m à pre s e rvaç ão do ambie nte é o c o ns umis mo . Ele é c arac te rís tic a marc ante da s o c ie dade te c no ló g ic a o c ide ntal. O c o ns umis mo é a manife s taç ão vis íve l da c o nde náve l é tic a do te r que s ubs titui a natural é tic a do s e r. O futuro do ser humano, das formações florestais, dos biomas e da biosfera se encontra nas mãos de cada um de nós... www.unisanta.br
  94. 94. Os Domínios Morfoclimáticos do Brasil
  95. 95. Conceito Os domínios morfoclimáticos são divisões que se baseiam nos diferentes tipos de relevos que são resultantes das condições climáticas atuais e do passado bem como na cobertura vegetal e nos tipos de solo.
  96. 96. Quantos são? Os domínios morfoclimáticos brasileiros são definidos a partir das características climáticas, botânicas, hidrológicas entre outras. Devido à extensão territorial do Brasil ser muito grande, vamos nos defrontar com domínios muito diferenciados uns dos outros. Esta classificação feita, segundo o geógrafo Aziz Ab’Sáber (1970), dividiu o Brasil em seis domínios.
  97. 97. Quais são? Domínio Amazônico: • Localização: É a maior região morfoclimática do Brasil, com uma área de aproximadamente 5 milhões km² – equivalente a 60% do território nacional – abrangendo os Estados: Amazonas, Amapá, Acre, Pará, Maranhão, Rondônia, Roraima, Tocantins e Mato Grosso. • Clima: Equatorial, a qual é o mais quente e o mais úmido da Terra. Rios: Apresenta a maior bacia fluvial da Terra ocupando ¼ das terras da América do Sul (Amazonas). Vegetação: Predomina a floresta equatorial Amazônica.
  98. 98. Domínio do Cerrado: • Localização: Região central do Brasil, o domínio morfoclimático do Cerrado detém uma área de 45 milhões de hectares, sendo o segundo maior domínio por extensão territorial. Incluindo neste espaço os Estados: do Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul, do Tocantins (parte sul), de Goiás, da Bahia (parte oeste), do Maranhão (parte sudoeste) e de Minas Gerais (parte noroeste). • Relevo: Chapadas e Chapadões. Clima: Tropical com uma estação seca bem definida. Solos: Ácidos. Rios: Diminuem muito na época das secas e transbordam na época das chuvas. Vegetação: Campos que apresentam árvores retorcidas com cascas grossas.
  99. 99. Domínio da Caatinga: • Localização: Situado no nordeste brasileiro, o domínio morfoclimático das caatingas abrange em seu território a região dos polígonos das secas. Com uma extensão de aproximadamente 850.000 km², este domínio inclui o Estado do Ceará e partes dos Estados da Bahia, de Sergipe, de Alagoas, de Pernambuco, da Paraíba, do Rio Grande do Norte e do Piauí. • Relevo: Chapadas e serras. Clima: Semi-Árido quente, com chuvas escassas e mal distribuídas. Solos: ricos em minerais e pobres em matérias orgânicas. Rios temporários – predominantes. Vegetação: Arbustos espinhentos e cactos além de árvores que perdem suas folhas nas secas.
  100. 100. Domínio dos Mares de Morros: • Localização: Acompanha a faixa litorânea do Brasil, do nordeste até o sul do País, obtendo uma área total de aproximadamente 1.000.000 km². • Relevo: Morros arredondados que resultam da alternância de períodos de secas e de chuvas . Clima: Tropical quente, com uma estação seca e outra chuvosa. Solos Férteis. Rios: Muito importantes pelo grande potencial hidroelétrico. Vegetação: Predomina a Mata Atlântica que está muito devastada. Também apresenta campos e cerrados.
  101. 101. Domínio das Araucárias: • Localização: Encontrado desde o sul paulista até o norte gaúcho, o domínio das araucárias ocupa uma área de 400.000 km². • Relevo: Predomina o planalto. Clima: Subtropical. Solos: fértil Rios: Importantes para a navegação e para a geração de eletricidade. Vegetação: Floresta dos Pinhais ou de Araucária a qual está muito devastada.
  102. 102. Domínio das Pradarias : • Localização: Situado ao extremo sul brasileiro, mais exatamente a sudeste gaúcho, o domínio morfoclimático das pradarias compreende uma extensão de 45.000 km² a 80.000 km² . • Relevo: Planícies. Clima: Subtropical. Solos: Férteis. Rios de planície. Vegetação: Gramais que formam imensos campos muito utilizados para a pecuária.
  103. 103. Quais são os processos de degradação ambiental que cada um vem sofrendo nas últimas décadas ? Domínio Amazônico Nos dias atuais é grande a devastação ambiental na Amazônia – queimadas, desmatamentos, extinção de espécies, etc. – isso faz com que a região e o mundo preocupe-se com seu futuro, pois se trata da maior reserva florestal do globo. Ecologicamente a Amazônia está correndo muito perigo, devido ao grande atrativo econômico natural que é encontrado nesta região, o equilíbrio é colocado muitas vezes em risco. A exploração descontrolada faz com que as ideologias conservacionistas sejam deixadas de lado. As indústrias mineradoras geram conseqüências incalculáveis ao ambiente e nos rios são despejados muitos produtos químicos para esta exploração. A agricultura torna áreas de vegetação em solos de fácil erosividade. São poucas as atividades econômicas que não agridem a natureza. A extração da borracha, por exemplo, era uma economia viável ecologicamente, pois necessitava da floresta para o crescimento das seringueiras. Mas atualmente, esta exploração é quase rara, devido à falta de indústrias consumidoras.
  104. 104. Domínio dos Cerrados O cerrado atraiu muita atenção para a agricultura, o que lhe tornou uma região de grande produção de grãos como a soja e agropastoril, com a ótima adaptação dos gados zebu, nelore e ibagé. Em virtude disso, o solo nativo foi retirado e alterado por outra vegetação, condizendo a uma maior facilidade aos processos erosivos, devido à falta de cobertura vegetal, seja ela gramínea ou herbácea. Nesse sentido, faz-se muito pouco pela preservação e conservação das matas nativas – a não ser nas áreas demarcadas como reservas bio-ecológicas. Outra exploração ativa é a mineral, como o ouro e o diamante, donde decorre uma grande devastação à natureza.
  105. 105. Continuação Domínio dos Mares de Morros: Essas terras já estão sendo utilizadas economicamente há muitos anos. Decorrente disso, observa-se uma considerável desgastação do solo que diminui a atual preservação das matas restantes. Esta região já sofreu muita devastação do homem e da sociedade e devem ser tomadas atitudes urgentes para sua conservação. Neste sentido, a solução mais adequada para este domínio, seria a estagnação de muitos processos agrícolas ao longo de sua área, pois o solo encontra-se desgastado e com problemas erosivos muito acentuados. Deixando assim, a terra em desuso por um tempo,e assim iniciar um projeto de reconstituição à vegetação nativa.
  106. 106. Continuação Domínio da Caatinga O homem não intervém de significativa maneira em seu habitat, assim o ambiente natural da caatinga encontra-se pouco devastado. Sua região poderia ser ocupada mais a nível agrícola, em virtude do seu solo possuir boas condições de manejo, só necessitando de irrigação artificial. Assim, considerando os fatos apresentados, a caatinga teria condições de desenvolver-se economicamente com a agricultura, que seria de grande importância para acabar com a miséria existente. Mas sem esquecer de utilizar os recursos naturais com equilíbrio, sendo feito de modo organizado e pré-estabelecido à não causar desastres e conseqüências ambientais futuros.
  107. 107. Continuação Domínio das Araucárias: Percebe-se atualmente que esta arbórea ( as araucárias) quase desapareceu dessa região, devido à descontrolada exploração da araucária para produção de celulose. Mas os questionamentos ambientais não estão somente na vegetação. Devido este solo ser utilizado há anos vêem a ocorrer uma erosividade considerada. Em virtude do mesmo, surge a técnica de manejo agrícola chamada plantio direto, que evidencia uma proteção ao solo nu em épocas de pós-safra. Nesse sentido, o domínio morfoclimático das araucárias, que compreende uma importante área no sul brasileiro, detém um nível de conservação e reestruturação vegetal considerável. Mas não se deve estagnar esse processo positivo, pois necessitamos muito dessas terras férteis que mantém as economias locais.
  108. 108. Continuação Domínio das Pradarias : Apesar de existir diversos parques ecológicos nesses domínio as condições ambientais atuais fora desses parques, são muito preocupantes. Com o início da formação de um deserto que tende a crescer anualmente, essa região está sendo foco de muitos estudos e projetos para estagnar esse processo. Devido ao mau uso da terra pelo homem, como a monocultura e as queimadas, essas darão origem as ravinas, que por sua vez farão surgir às voçorocas. Como o solo é muito arenoso e a morfologia do relevo é levemente ondulado, rapidamente os montantes de areia espalham-se na região ocasionados pela ação eólica.
  109. 109. Existem órgãos do governo e entidades preocupadas com a preservação desses domínios?Quais? Sim, existem.Entretanto, essa preocupação é bem desigual entre os domínios. Entre os principais órgãos e entidades se destacam: Domínio da Amazônia: Apesar da vontade de proteção do nosso governo, apenas 53 por cento da floresta está protegida, assim devem ser tomadas medidas urgentes, pois as atividades praticadas nessa região causam grandes prejuízos. O Programa Proteção da Amazônia é viabilizado pelo SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia) e tem contribuído para isso, juntamente com a ação da Polícia Federal. Domínio dos Mares de Morros: Estão presentes a fundação O Boticário (privado), que detém áreas de preservação ao ambiente natural e o SOS Mata Atlântica (governamental e privado), apesar disso a região foi muito devastada.
  110. 110. Domínio do Cerrado: Nessa região são praticadas diversas atividades, porém há poucos projetos de proteção,dessa forma, os governos, tanto federal, estadual ou municipal, deverão tomar decisões imediatas quanto à proteção do meio natural, pois deve ocorrer, sim, a exploração pastoril, agrícola e mineral dessa região, porém não se deve esquecer que para a efetiva existência dessas economias o ambiente deverá ser prudentemente conservado. Domínio da Caatinga: Pela razão de o homem não intervir diretamente no seu habitat, há pouco desgaste e assim pouca proteção nessa região
  111. 111. Continuação Domínio das Araucárias: Pela razão principalmente de sua vegetação ser quase totalmente desgastado, por causa da extração de celulose, atualmente medidas foram tomadas e hoje a araucária é protegida por lei estadual no Paraná Domínio das Pradarias: O domínio morfoclimático das Pradarias detém importantes reservas biológicas, como a do Parque Estadual do Espinilho (Uruguaiana e Barra do Quarai) e a Reserva Biológica de Donato (São Borja). Entretanto, em áreas fora desses parques há um deserto em expansão devido as queimadas e monoculturas, o que se torna foco de diversos estudos e projetos.Fora esses projetos, o governo local deve ficar atento a soluções para estagnar esse processo.
  112. 112. Bibliografia • http://www.algosobre.com.br/geografia/dominios-morfloclimaticos-brasileir • http://www2.uol.com.br/aprendiz/n_simulado/revisao/revisao08/er030008. • http://200.136.76.125/portal/frm_conteudo.aspx? codConteudo=77&tituloanterior=Roteiros+para+Estudo • http://escolas.trendnet.com.br/icjsantoandre/sexta_serie.htm • http://www.abrasil.gov.br/nivel3/index.asp?id=218&cod=NRIQU

×