CARTOGRAFIA E IDEOLOGIA <ul><li>PROFESSOR  MARIO FERNANDO DE MORI  </li></ul><ul><li>http://mariodemori.blogspot.com/ </li...
LOCALIZE-SE  <ul><li>APOSTILA 1 – ESPÍRITO SANTO  </li></ul><ul><li>TEMA 01: CARTOGRAFIA – PÁG. 87 À 92  </li></ul>
CAP. 01:  CARTOGRAFIA E IDEOLOGIAS
MAPAS DIFERENTES
MAPA DO MUNDO HISTÓRICO
OUTROS MAPAS
SUBTEMA 01: COORDENADAS GEOGRÁFICAS São um conjunto de linhas imaginárias traçadas sobre o globo que permitem localizar qu...
PARALELOS São linhas paralelas à linha do Equador que cortam o globo de leste à oeste. Vai de 0º à 90º sul e norte. Cada p...
LATITUDE 60º Latitude Norte 30º Latitude Norte 0º Latitude   15º Latitude Sul 45º Latitude Sul   TENTE AGORA VOCÊ!
MERIDIANO São linhas paralelas à linha do Meridiano de Greenwich que cortam o globo de norte à sul. Vai de 0º à 180º leste...
LONGITUDE 120º Longitude  Leste 45º Longitude  Leste 130º Longitude  Oeste 15º Longitude  Oeste TENTE AGORA VOCÊ!
Localizando os pontos A B C D A 40º Latitude Norte 60º Longitude Leste B 20º Latitude Sul  20º Longitude Oeste C 80º Latit...
Determine as coordenadas geográficas:
Respostas: <ul><li>A = 50°lat. N e 100°long. W; </li></ul><ul><li>B = 40°lat. N e 80°long. L; </li></ul><ul><li>C = 20°lat...
Observe o quadro abaixo e responda:
Responda: <ul><li>Ponto n° 1= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 2= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 3= ______...
Localize as coordenadas geográficas dos pontos na figura, incluindo seus respectivos pontos antípodas;
SUBTEMA 02: MAPAS E PROJEÇÕES <ul><li>POR QUE PODEMOS AFIRMAR QUE A CONFECÇÃO DE MAPAS PODE TRAZER CONTEÚDO IDEOLÓGICO? </...
VISÃO DOS EUA SOBRE O MUNDO
MAPA O1: HALDINGHAM
MAPA 02: A AMÉRICA SEGUNDO SEBASTIAN MUNSTER
MAPA 03: VISÃO ESTADUNIDENSE E SOVIÉTICA DO MUNDO DA GUERRA FRIA
O MUNDO NA FORMA MAIS PARECIDA COM O ORIGINAL
OU SEJA...
 
 
 
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
PLANISFÉRIO
TIPOS MAIS COMUNS DE PROJEÇÕES A maioria dos mapas é feita a partir da projeção dos meridianos e paralelos curvos da esfer...
PROJEÇÃO CILÍNDRICA
PROJEÇÃO CÔNICA
PROJEÇÃO PLANA OU AZIMUTAL
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS <ul><li>Cada projeção não resulta a imagem do planeta de forma idêntica ao formato original do pla...
 
Nesta projeção os meridianos e os paralelos são linhas retas que se cortam em ângulos retos. Nela as regiões polares apare...
Tipo de Superfície Adotada
PROJEÇÃO CILÍNDRICA <ul><li>Na projeção cilíndrica, a superfície terrestre é projetada sobre um cilindro tangente ao elips...
 
Nesta projeção os meridianos convergem para os pólos e os paralelos são arcos concêntricos situados a igual distância uns ...
Tipo de Superfície Adotada
PROJEÇÃO CÔNICA <ul><li>Na projeção cônica, a superfície terrestre é projetada sobre um cone tangente ao elipsóide que ent...
 
PROJEÇÃO AZIMUTAL <ul><li>São projeções sobre um plano tangente ao esferóide em um ponto. No tipo normal (ou polar), o pon...
Tipo de Superfície Adotada
A distorção no mapa aumenta conforme se distancia do ponto de tangência. Considerando que distorção é mínima perto do pont...
PROPRIEDADES DAS PROJEÇÕES <ul><li>Eqüidistantes  – mantém as distâncias lineares (a </li></ul><ul><li>partir de um centro...
Grau de Deformação da Superfície Quanto ao grau de deformação das superfícies representadas, são classificadas em: [1] CON...
<ul><li>2) Projeções Equivalentes ou Isométricas  – </li></ul><ul><li>Não deformam áreas, conservando uma relação constant...
Comparação: Conforme  /  Equivalente Proporção no mapa Mercator Proporção no mapa Mollweide
<ul><li>3) Projeções Eqüidistantes  –  </li></ul><ul><li>são as projeções que não apresentam deformações em linha reta; </...
MERCATOR X PETERS DIFERENTES VISÕES DO “MUNDO” <ul><li>São os mapas-múndi mais usados. </li></ul><ul><li>Ambos feitos a pa...
PROJEÇÃO DE MERCATOR  <ul><li>A projeção de Mercator é a mais antiga. Foi criada no século XVI, quando se iniciou o proces...
VANTAGENS DA PROJEÇÃO  <ul><li>VANTAGENS DA PROJEÇÃO DE MERCATOR </li></ul><ul><li>Os meridianos são representados por lin...
PROJEÇÃO DE PETERS  <ul><li>A projeção de Arno Peters surgiu apenas em 1973, durante a Guerra Fria e as crises petrolífera...
POLÊMICA PROJEÇÃO DA ONU
EXPLICANDO  <ul><li>Observando o símbolo da ONU vemos que é uma projeção azimutal, cujo centro escolhido foi um ponto no P...
SUBTEMA 03: BRASIL ESCALA
Comparando os mapas A e B, observamos que há  maior riqueza de detalhes  no mapa B e sua escala é  duas vezes maior  do qu...
ESCALAS <ul><li>É A RAZÃO ENTRE AS DIMENSÕES DE UM ELEMENTO REPRESENTADO NO MAPA E AS DIMENSÕES DO MESMO ELEMENTO NO TERRE...
Conversão de Escalas <ul><li>Converter escalas numéricas em escalas gráficas </li></ul>Relembra: Medidas de comprimento: K...
Tipos de Escalas Numéricas Gráficas 1: 250 000 1/10 000 0  70  140 Km 0  2,5  5 Km 0  100  200m 1 7 000 000
Tipos de Escalas Numéricas Gráficas 0  10  20  30  40m 0  5  10  15  20 Km 0  2  4 Km 1 5 000 000 1:100 000 1/ 25 000
Comparação de Mapas a Escalas Diferentes Aumenta a escala, aumenta o pormenor Diminui a escala, diminui o pormenor Áreas d...
Problemas de Escalas <ul><li>Relembra:   Noção de Escala – Relação entre a distância no mapa e a correspondente distância ...
Cálculo de Distâncias Reais Enunciado: A distância medida no mapa entre Viseu e Beja é de 5 cm. Sabendo que a Escala do ma...
Cálculo de Distâncias no Mapa Enunciado: A distância real entre Lisboa e Madrid é de 600 Km. A que distância se encontram ...
Cálculo da Escala Enunciado: Sabendo que a distância real entre o Funchal (Madeira) e Lisboa é de 900 km, calcula a Escala...
Resumindo
Cálculos de escala Podem ser feitos de duas maneiras: 1) Através de fórmulas Onde, E = escala do mapa D = distância real d...
IDEOLOGIAS DAS ESCALAS  <ul><li>Ao escolher uma escala de grandeza qualquer para representar um local, define-se a intençã...
SUBTEMA 04: ANAMORFOSE <ul><li>São mapas esquemáticos, sem escala cartográfica, representações em que as áreas sofrem defo...
EXEMPLO – 01 – PIB E POPULAÇÃO
EXEMPLO – 02 – PIB
O PODER CIENTÍFICO Os EUA são os maiores e mais eficazes produtores de ciência e, de longe, o maior mercado científico do ...
POPULAÇÃO MUNDIAL – 2025
PIB POR ESTADOS NO BRASIL
A AIDS NO MUNDO
MORTOS EM GUERRA
INDÚSTRIA MILITAR
IMIGRAÇÃO
EMIGRAÇÃO
RICOS NO MUNDO EM 1500
RICOS NO MUNDO ATUALMENTE
HINDUÍSMO
TURISMO
CRISTIANISMO
EMISSÕES CO2 2000
CFC
SUBTEMA 05: TECNOLOGIA APLICADA A CARTOGRAFIA
SATÉLITE ARTIFICIAL
IMAGENS DE SATÉLITE – SENSORIAMENTO REMOTO
 
IMAGENS DE SATÉLITE PARA METEREOLOGIA
PREVISÃO DE CICLONES
GPS – SISTEMA POSICIONAMENTO GLOBAL
FOTOGRAFIA AÉREA
AEROFOTOGRAMETRIA
CAP. 02:  CARTOGRAFIA NO BRASIL
SUBTEMA 01: OS FUSOS HORÁRIOS
1 – AS HORAS: A LÓGICA <ul><li>O sistema de fuso foi adotado na Conferência Internacional do Meridiano, em 1844 na cidade ...
PARA QUE SERVEM OS FUSOS HORÁRIOS? <ul><li>Padronização das horas conforme  o movimento de rotação da Terra e a incidência...
Divisão do Dia e Contagem das Horas   Sistema de Fusos Horários U.T.C. (Tempo Universal Coordenado)
Luiz Sérgio - GEO  
<ul><li>TIPOS DE HORAS </li></ul><ul><li>Hora legal  – tem por base o meridiano de Greenwich (12 para cada hemisfério). </...
 
2 – OS FUSOS HORÁRIOS NO BRASIL
OS TRÊS FUSOS BRASILEIROS 24/04/2008
NOVO FUSO HORÁRIO DO BRASIL
3 – O HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL <ul><li>É adotado nas regiões de médias latitudes no período de maior insolação (verão) c...
Horário de Verão:  é adotado nas regiões de médias latitudes no período de maior insolação (verão) com o objetivo de reduz...
SUBTEMA 02: CÁLCULOS DE FUSOS HORÁRIOS
OBSERVAÇÕES <ul><li>1. Cada fuso é uma faixa de 15° de largura que vai de um pólo até outro.  2. Os fusos horários existem...
CÁLCULOS FUSOS HORÁRIOS <ul><li>1.  Verificar se as duas localidades estão no mesmo hemisfério ou não . Se os dois lugares...
EXEMPLOS <ul><li>Qual é a hora na cidade A situada na Long. 45º O, quando na cidade B Long. 30º E são 19h? 1º Calcular a d...
CÁLCULO LONGITUDES <ul><li>Como descobrir a longitude a partir das horas do local?  1. Verificar a diferença de horas.  2....
A = HEMISFÉRIOS IGUAIS <ul><li>1) A = 30º L  = 16 h  B = 90º L  ? </li></ul><ul><li>2) A = 75º L =  15 h  B = 15º L ? </li...
B = HEMISFÉRIO DIFERENTES <ul><li>1) A = 90º L = 14 h  B = 45º W  ? </li></ul><ul><li>2) A = 135º W = 10 h  B = 75º L  ?  ...
C = LONGITUDE <ul><li>1) A = 150º L = 18 h  B = 4 h  C = 12 h  </li></ul><ul><li>2) A =  51º W = 11 h  B = 6 h  C =  20 h ...
4 – A LID – LINHA INTERNACIONAL DE DATA <ul><li>No final do século passado, definiu-se internacionalmente uma  linha de mu...
Linha Internacional de Data <ul><li>- Linha que acompanha o antimeridiano de Greenwich (180º), atravessando o oceano Pacíf...
<ul><li>Ao ultrapassar essa linha, exatamente no ponto em que ela se localiza, tem-se de alterar a data para o dia anterio...
 
SUBTEMA 03: ORIENTAÇÃO PELO SOL
A ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO <ul><li>A orientação no espaço foi uma das primeiras preocupações do homem. </li></ul><ul><li>As pr...
Orientação pelo Sol - estendemos o braço direito para o lado em que o Sol nasce, isto é, para o nascente ou Leste; - esten...
<ul><li>Foi criado um símbolo de referência para representar direções a serem seguidas:  a rosa dos ventos. </li></ul>Orie...
O SOL NO MUNDO
Orientação: A rosa dos ventos <ul><li>Pontos cardeais  </li></ul><ul><li>N, S, L(E) e O(W) </li></ul><ul><li>Pontos Colate...
1 – A ILUMINAÇÃO E A SAÚDE
Estações do ano <ul><li>Hemisfério sul </li></ul><ul><li>٭   21 dezembro = verão  </li></ul><ul><li>٭   21 junho = inverno...
As datas que marcam o início das estações do ano recebem a denominação de: <ul><li>EQUINÓCIO </li></ul><ul><li>SOLSTÍCIO <...
EQUINÓCIO <ul><li>Equinócio(noites iguais aos dias) </li></ul><ul><li>21 de março = hemisfério boreal é equinócio de prima...
SOL NO EQUINÓCIO
SOLSTÍCIO <ul><li>No dia 21 de junho, ocorre o solstício de verão no hemisfério setentrional. É o dia mais longo e a noite...
O SOL NO SOLSTÍCIO
CASA EM QUE NÃO ENTRA SOL ENTRA MÉDICO
EXPLICANDO... <ul><li>NO INVERNO RECEBEMOS MENOS INSOLAÇÃO, E ISSO PODE GERAR A PROLEFERAÇÃO DE FUNGOS, ÁCAROS QUE CAUSAM ...
SUBTEMA 04: POSIÇÃO ESTRATÉGICA DO BRASIL
OU SEJA...
DIMENSÕES DO BRASIL
CARACTERÍSTICAS DO BRASIL  <ul><li>Apenas o Sul do país faz parte da zona temperada, apresentado um clima de temperaturas ...
SUBTEMA 05: O PERFIL TOPOGRÁFICO
Representação do relevo Pontos cotados Curvas de nível Perfil topográfico longitudinal secções transversais
 
 
Modelo digital de terreno
SUBTEMA 06 : A HIPSOMETRIA
NO BRASIL
OUTRO EXEMPLO
LOCALIZE-SE  <ul><li>APOSTILA 1 – ESPÍRITO SANTO  </li></ul><ul><li>TEMA 02: A DIVISÃO REGIONAL E ORGANIZAÇÃO DO ESTADO BR...
TEMA 02: A DIVISÃO REGIONAL E ORGANIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO E ÁREAS GEOECONÔMICAS
O QUE É REGIONALIZAÇÃO ?  Entende-se por regionalização, a divisão de um espaço ou território em unidades de área que apre...
Regionalizar Espaço Mundial Dividi-lo Em continentes Em nível de desenvolvimento <ul><li>Desenvolvidos </li></ul><ul><li>S...
A divisão regional oficial do IBGE <ul><li>Desde então diferentes classificações foram elaboradas pelo IBGE, inicialmente,...
Evolução das divisões regionais do Brasil Em 1942 o IBGE estabeleceu a 1ª divisão regional oficial do Brasil. Delimitando ...
Em 1945 embora tenha conservado as mesmas regiões, uma nova divisão acrescentou um sistema hierárquico como: Grandes regiõ...
Evolução das divisões regionais do Brasil
Evolução das divisões regionais do Brasil
Brasil divisão regional oficial (IBGE) Fonte:   Anuário estatístico do Brasil.  Rio de Janeiro: IBGE, 1999. p. 1-43. A div...
Os três complexos regionais 1967 Geógrafo Pedro Pinchas Geiger Outra forma de divisão Não oficial Três áreas extensas Amaz...
Observe o mapa. Fonte:  Pedro Pinchas Geiger. Organização regional do Brasil.  Revista Geográfica . Rio de Janeiro, n. 61,...
Conversa <ul><li>Os limites entre as regiões coincidem totalmente com os limites entre os estados? </li></ul><ul><li>Qual ...
Brasil – Divisão regional segundo Milton Santos - 1999 O mapa dos quatro Brasis foi apresentado em 2000 por Milton Santos ...
Os quatro Brasis Geógrafo Milton Santos Baseada nas características do território brasileiro <ul><li>Quantidade de recurso...
Região concentrada:  composta de um denso sistema de relações, em função dos elevados índices de urbanização e do alto pad...
Nordeste:   mais antiga área de povoamento do Brasil. De modo geral sempre teve precária circulação de pessoas, produtos, ...
Conversa <ul><li>Com base na proposta de Milton Santos: </li></ul><ul><li>Quantas e quais seriam as regiões brasileiras? <...
SUTEMA 06: AS SUB-REGIONALIZAÇÕES
QUESTÕES  <ul><li>Q29) EXPLIQUE AS SUBREGIÕES DO NORDESTE. </li></ul><ul><li>Q30) EXPLIQUE AS CARACTERÍSTICAS DO BIOMA AMA...
Nordeste Sub-regiões 1- Meio-norte 2- Sertão 3- Agreste 4- Zona da Mata
Nordeste Regiões geográficas 1- Meio-norte O meio-norte é uma faixa de transição entre a Amazônia e o sertão, abrange os e...
Nordeste Regiões geográficas 2- Sertão O sertão fica localizado, geralmente, no interior do Nordeste, possui clima semi-ár...
Nordeste Regiões geográficas O agreste é uma zona de transição entre a Zona da Mata e o Sertão, localizado no alto do Plan...
Nordeste Regiões geográficas 4- Zona da Mata   Localizada ao leste, entre o Planalto da Borborema e a costa, fica a Zona d...
O BIOMA AMAZÔNICO
A AMAZÔNIA LEGAL
A AMAZÔNIA AZUL
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Cartografia e Ideologias INTESIVÃO PENTÁGONO

12,835 views

Published on

Published in: Education
2 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • 7 EZEQUIEL 20:20
    HEBREUAS 4: 4.10
    APOCALIPSE 12
    APOCALIPSE

    MALAQUIAS 4:5
    MALAQUIAS 4
    DALMIR ROQUE SCHMITZ DEUS EM SIMPLICIDADE
    SINAL DEUS VIVO VIDA ETERNA
    SINAL
    7
    DALMIR ROQUE SCHMITZ
    7
    DALMIR ROQUE SCHMITZ APOCALIPSE 12
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • DALMIR ROQUE SCHMITZ MALAQUIAS 4
    DALMIR ROQUE SCHMITZ MALAQUIAS 4:5
    DALMIR ROQUE SCHMITZ APOCALIPSE 12

    DALMIR ROQUE SCHMITZ DEUS EM SIMPLICIDADE NOS SETE PONTOS CARDEAIS
    SINAL DEUS VIVO
    7


    DEUS - JESUS CRISTO SÁBADO SETIMO DIA - SINAL
    7


    JESUS CRISTO 7 SÁBADO-SINAL
    DEUS VIVO- VIDA ETERNA
    7


    SINAL
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
12,835
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
140
Actions
Shares
0
Downloads
204
Comments
2
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cartografia e Ideologias INTESIVÃO PENTÁGONO

  1. 1. CARTOGRAFIA E IDEOLOGIA <ul><li>PROFESSOR MARIO FERNANDO DE MORI </li></ul><ul><li>http://mariodemori.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>http://profmariodemori.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>http://focosdetensoesinternacionais.blogspot.com/ </li></ul>
  2. 2. LOCALIZE-SE <ul><li>APOSTILA 1 – ESPÍRITO SANTO </li></ul><ul><li>TEMA 01: CARTOGRAFIA – PÁG. 87 À 92 </li></ul>
  3. 3. CAP. 01: CARTOGRAFIA E IDEOLOGIAS
  4. 4. MAPAS DIFERENTES
  5. 5. MAPA DO MUNDO HISTÓRICO
  6. 6. OUTROS MAPAS
  7. 7. SUBTEMA 01: COORDENADAS GEOGRÁFICAS São um conjunto de linhas imaginárias traçadas sobre o globo que permitem localizar qualquer ponto na superfície terrestre. As coordenadas constituem a melhor forma de localização geográfica.
  8. 8. PARALELOS São linhas paralelas à linha do Equador que cortam o globo de leste à oeste. Vai de 0º à 90º sul e norte. Cada paralelo tem seu valor dado em graus. Os graus de cada paralelo denominam-se LATITUDE . Portanto, falamos, por exemplo, que a linha do Equador possui 0º de latitude. Veja os exemplos a seguir:
  9. 9. LATITUDE 60º Latitude Norte 30º Latitude Norte 0º Latitude 15º Latitude Sul 45º Latitude Sul TENTE AGORA VOCÊ!
  10. 10. MERIDIANO São linhas paralelas à linha do Meridiano de Greenwich que cortam o globo de norte à sul. Vai de 0º à 180º leste e oeste . Cada meridiano tem seu valor dado em graus. Os graus de cada meridiano denominam-se LONGITUDE . Portanto, falamos, por exemplo, que o meridiano de Greenwich possui 0º de longitude. Veja os exemplos a seguir:
  11. 11. LONGITUDE 120º Longitude Leste 45º Longitude Leste 130º Longitude Oeste 15º Longitude Oeste TENTE AGORA VOCÊ!
  12. 12. Localizando os pontos A B C D A 40º Latitude Norte 60º Longitude Leste B 20º Latitude Sul 20º Longitude Oeste C 80º Latitude Norte 40º Longitude Oeste D 20º Latitude Sul 140º Longitude Leste Qual o continente que está localizado a 60º Latitude Norte e 40º Longitude Leste? EUROPA
  13. 13. Determine as coordenadas geográficas:
  14. 14. Respostas: <ul><li>A = 50°lat. N e 100°long. W; </li></ul><ul><li>B = 40°lat. N e 80°long. L; </li></ul><ul><li>C = 20°lat. S e 40°long. W; </li></ul><ul><li>D = 10°lat. S e 20°long. L. </li></ul>
  15. 15. Observe o quadro abaixo e responda:
  16. 16. Responda: <ul><li>Ponto n° 1= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 2= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 3= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 4= ____________ </li></ul><ul><li>Ponto n° 5= ____________ </li></ul>
  17. 17. Localize as coordenadas geográficas dos pontos na figura, incluindo seus respectivos pontos antípodas;
  18. 18. SUBTEMA 02: MAPAS E PROJEÇÕES <ul><li>POR QUE PODEMOS AFIRMAR QUE A CONFECÇÃO DE MAPAS PODE TRAZER CONTEÚDO IDEOLÓGICO? </li></ul><ul><li>RESPOSTA </li></ul><ul><li>Todos os mapas são intencionais, e não são neutros, e produzem imagens que ilustram as realidades e visões de seus idealizadores. </li></ul>
  19. 19. VISÃO DOS EUA SOBRE O MUNDO
  20. 20. MAPA O1: HALDINGHAM
  21. 21. MAPA 02: A AMÉRICA SEGUNDO SEBASTIAN MUNSTER
  22. 22. MAPA 03: VISÃO ESTADUNIDENSE E SOVIÉTICA DO MUNDO DA GUERRA FRIA
  23. 23. O MUNDO NA FORMA MAIS PARECIDA COM O ORIGINAL
  24. 24. OU SEJA...
  25. 28. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
  26. 29. PLANISFÉRIO
  27. 30. TIPOS MAIS COMUNS DE PROJEÇÕES A maioria dos mapas é feita a partir da projeção dos meridianos e paralelos curvos da esfera terrestre numa das figuras geométricas abaixo.
  28. 31. PROJEÇÃO CILÍNDRICA
  29. 32. PROJEÇÃO CÔNICA
  30. 33. PROJEÇÃO PLANA OU AZIMUTAL
  31. 34. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS <ul><li>Cada projeção não resulta a imagem do planeta de forma idêntica ao formato original do planeta, que é esférico, por isso, traz DISTORÇÕES, e a lógica disso está na idéia que o homem quer projetar uma figura esférica em um plano. </li></ul>
  32. 36. Nesta projeção os meridianos e os paralelos são linhas retas que se cortam em ângulos retos. Nela as regiões polares aparecem muito exageradas. Os mapas-múndi são feitos em projeções cilíndricas.
  33. 37. Tipo de Superfície Adotada
  34. 38. PROJEÇÃO CILÍNDRICA <ul><li>Na projeção cilíndrica, a superfície terrestre é projetada sobre um cilindro tangente ao elipsóide que então é longitudinalmente cortado e planificado. </li></ul>
  35. 40. Nesta projeção os meridianos convergem para os pólos e os paralelos são arcos concêntricos situados a igual distância uns dos outros. São utilizados para mapas de países de latitudes médias.
  36. 41. Tipo de Superfície Adotada
  37. 42. PROJEÇÃO CÔNICA <ul><li>Na projeção cônica, a superfície terrestre é projetada sobre um cone tangente ao elipsóide que então é longitudinalmente cortado e planificado. </li></ul>
  38. 44. PROJEÇÃO AZIMUTAL <ul><li>São projeções sobre um plano tangente ao esferóide em um ponto. No tipo normal (ou polar), o ponto de tangência representa o pólo norte ou sul e os meridianos de longitude são linhas retas radiais que partem deste ponto enquanto paralelos de latitude aparecem como círculos concêntricos. </li></ul>
  39. 45. Tipo de Superfície Adotada
  40. 46. A distorção no mapa aumenta conforme se distancia do ponto de tangência. Considerando que distorção é mínima perto do ponto de tangência, as projeções azimutais são apropriadas para representar áreas que têm extensões aproximadamente iguais nas direções norte-sul ou leste-oeste.
  41. 47. PROPRIEDADES DAS PROJEÇÕES <ul><li>Eqüidistantes – mantém as distâncias lineares (a </li></ul><ul><li>partir de um centro), mas apresentam distorções </li></ul><ul><li>nas áreas e nas formas. </li></ul><ul><li>Equivalentes – valoriza o tamanho das áreas. </li></ul><ul><li>Conformes – valoriza o formato das áreas. </li></ul><ul><li>Afilática: área e forma apresentam distorções. </li></ul>
  42. 48. Grau de Deformação da Superfície Quanto ao grau de deformação das superfícies representadas, são classificadas em: [1] CONFORMES ou isogonais, [2] EQUIVALENTES ou isométricas e [3] EQÜIDISTANTES. 1- Projeções Conformes – - Preserva os ângulos. - Paralelos e os meridianos se cruzam em ângulos retos - Distorce-se a forma dos objetos no mapa
  43. 49. <ul><li>2) Projeções Equivalentes ou Isométricas – </li></ul><ul><li>Não deformam áreas, conservando uma relação constante da área, </li></ul><ul><li>Alteram as Formas </li></ul>Peters, cilíndrico equivalente
  44. 50. Comparação: Conforme / Equivalente Proporção no mapa Mercator Proporção no mapa Mollweide
  45. 51. <ul><li>3) Projeções Eqüidistantes – </li></ul><ul><li>são as projeções que não apresentam deformações em linha reta; </li></ul><ul><li>Isso só é possível em determinada direção. </li></ul><ul><li>São menos empregadas que as projeções conformes e equivalentes, porque raramente é desejável um mapa com distâncias corretas apenas em uma direção. Usadas em rotas aéreas ou marítimas retas. </li></ul>ONU
  46. 52. MERCATOR X PETERS DIFERENTES VISÕES DO “MUNDO” <ul><li>São os mapas-múndi mais usados. </li></ul><ul><li>Ambos feitos a partir de projeções cilíndricas. </li></ul><ul><li>MERCATOR (1569) PETERS (1973) </li></ul>
  47. 53. PROJEÇÃO DE MERCATOR <ul><li>A projeção de Mercator é a mais antiga. Foi criada no século XVI, quando se iniciou o processo de expansão da burguesia mercantil européia sobre o mundo. </li></ul><ul><li>Reflete, pois, uma ideologia eurocentrista – para a Europa convergiam os espaços da produção e circulação desde o século XVI até a II Guerra Mundial. </li></ul><ul><li>Mercator fez uma projeção cilíndrica conforme , isto é, não deformou os ângulos de latitude e longitude , portanto as distâncias angulares e lineares (estas no Equador) são precisas. </li></ul>
  48. 54. VANTAGENS DA PROJEÇÃO <ul><li>VANTAGENS DA PROJEÇÃO DE MERCATOR </li></ul><ul><li>Os meridianos são representados por linhas retas, os paralelos e o equador são representados por um segundo sistema de linhas retas, perpendicular à família de linhas que representam os meridianos. </li></ul><ul><li>É fácil identificar os pontos cardeais numa Carta de Mercator. </li></ul><ul><li>É fácil determinar as coordenadas de qualquer ponto representado numa Carta de Mercator. </li></ul><ul><li>Os ângulos medidos na superfície da Terra são representados por ângulos idênticos na carta; assim, direções podem ser medidas diretamente na carta. Na prática, distâncias também podem ser medidas diretamente na carta. </li></ul><ul><li>Facilidade de construção (construção por meio de elementos retilíneos). </li></ul><ul><li>Existência de tábuas para o traçado do reticulado. </li></ul><ul><li>LIMITAÇÕES DA PROJEÇÃO DE MERCATOR </li></ul><ul><li>Deformação excessiva nas altas latitudes. </li></ul><ul><li>Impossibilidade de representação dos pólos. </li></ul><ul><li>Círculos máximos, exceto o Equador e os meridianos, não são representados por linhas retas (limitação notável nas Cartas de Mercator de pequena escala, representando uma grande área). </li></ul>
  49. 55. PROJEÇÃO DE PETERS <ul><li>A projeção de Arno Peters surgiu apenas em 1973, durante a Guerra Fria e as crises petrolíferas que abalaram o mundo. </li></ul><ul><li>Ideologicamente é uma projeção geopolítica de países subdesenvolvidos, ou seja, os países e continentes são representados relativamente com seu tamanho real, expondo uma idéia de igualdade internacional. </li></ul><ul><li>Na projeção de Peters, as distâncias e as formas das superfícies foram relegadas a segundo plano, a fim de enfatizar os tamanhos das áreas representadas cartograficamente . </li></ul><ul><li>Os países e continentes situados em baixas latitudes ficam alongados no sentido N-S, enquanto os situados em altas latitudes ficam como que esgarçados no sentido L-O porque as distâncias angulares entre os paralelos são diminuídas gradativamente do Equador para os pólos. </li></ul>
  50. 56. POLÊMICA PROJEÇÃO DA ONU
  51. 57. EXPLICANDO <ul><li>Observando o símbolo da ONU vemos que é uma projeção azimutal, cujo centro escolhido foi um ponto no Pólo Norte, um local neutro e que permite a visualização de todos os contingentes. </li></ul><ul><li>O resultado era um questionamento quanto a neutralidade do símbolo, que destaca próximo ao centro os países: EUA, Reino Unido, França, Rússia e a China. Exatamente os membros o conselho da ONU que são representados com maior exatidão e destaque. Já os países “periféricos” são representados exatamente nas áreas mais periféricas da projeção , sofrendo maior distorção. </li></ul><ul><li>Ficando a pergunta, sem resposta, o símbolo realmente foi feito para representar a união entre as nações ou para reproduz a hierarquia de poder na ONU e a “divisão internacional do trabalho”.Onde o Norte (países centrais) desenvolvido ditam as “regras” e os países do “Sul”(Periféricos) acatam. </li></ul>
  52. 58. SUBTEMA 03: BRASIL ESCALA
  53. 59. Comparando os mapas A e B, observamos que há maior riqueza de detalhes no mapa B e sua escala é duas vezes maior do que no mapa A. Observe, então, que quanto menor for o denominador da escala, maior ela será e mais detalhes ela nos dará. ESCALAS
  54. 60. ESCALAS <ul><li>É A RAZÃO ENTRE AS DIMENSÕES DE UM ELEMENTO REPRESENTADO NO MAPA E AS DIMENSÕES DO MESMO ELEMENTO NO TERRENO. </li></ul>Ou seja é a relação existente entre a medida de um objeto ou lugar representado no papel(d) e sua medida real(D). Um escala normalmente é expressa das seguintes formas: - Fração representativa ou numérica (escala numérica) - Gráfica ou escala em barras (escala gráfica)
  55. 61. Conversão de Escalas <ul><li>Converter escalas numéricas em escalas gráficas </li></ul>Relembra: Medidas de comprimento: Kilómetro (km) ; Hectómetro (hm) ; Decâmetro (dam) ; Metro (m) Decímetro (dm) ; Centímetro (cm) ; Milímetro (mm) 1:100 000 = 1000 m = 1 Km CM 0 1 2 3 4 Km
  56. 62. Tipos de Escalas Numéricas Gráficas 1: 250 000 1/10 000 0 70 140 Km 0 2,5 5 Km 0 100 200m 1 7 000 000
  57. 63. Tipos de Escalas Numéricas Gráficas 0 10 20 30 40m 0 5 10 15 20 Km 0 2 4 Km 1 5 000 000 1:100 000 1/ 25 000
  58. 64. Comparação de Mapas a Escalas Diferentes Aumenta a escala, aumenta o pormenor Diminui a escala, diminui o pormenor Áreas da Europa vistas em escalas diferentes
  59. 65. Problemas de Escalas <ul><li>Relembra: Noção de Escala – Relação entre a distância no mapa e a correspondente distância real. </li></ul><ul><li>Os problemas de escala têm sempre três elementos: </li></ul><ul><li>E – Escala Numérica </li></ul><ul><li>D – Distância Real </li></ul><ul><li>d – Distância no mapa </li></ul>
  60. 66. Cálculo de Distâncias Reais Enunciado: A distância medida no mapa entre Viseu e Beja é de 5 cm. Sabendo que a Escala do mapa é de 1/7 000 000, calcula a Distância Real. Resolução:
  61. 67. Cálculo de Distâncias no Mapa Enunciado: A distância real entre Lisboa e Madrid é de 600 Km. A que distância se encontram separadas estas duas cidades num mapa de com Escala de 1/20 000 000? Resolução:
  62. 68. Cálculo da Escala Enunciado: Sabendo que a distância real entre o Funchal (Madeira) e Lisboa é de 900 km, calcula a Escala do mapa onde a distância entre essas duas cidades é de 2 cm. Resolução:
  63. 69. Resumindo
  64. 70. Cálculos de escala Podem ser feitos de duas maneiras: 1) Através de fórmulas Onde, E = escala do mapa D = distância real d = distância no mapa
  65. 71. IDEOLOGIAS DAS ESCALAS <ul><li>Ao escolher uma escala de grandeza qualquer para representar um local, define-se a intenção e não apenas uma prática técnica. </li></ul><ul><li>Qualquer escala possui uma idéia que está por de traz de sua confecção. </li></ul>
  66. 72. SUBTEMA 04: ANAMORFOSE <ul><li>São mapas esquemáticos, sem escala cartográfica, representações em que as áreas sofrem deformações matematicamente calculadas, tornando-se diretamente proporcionais a um determinado critério que se está considerando. </li></ul><ul><li>Em Geografia usamos essa técnica para representar cartograficamente temas e visualizá-los de forma diferente da habitual. A superfície de cada espaço cartografado vai mudar proporcionalmente segundo uma determinada variável. </li></ul><ul><li>Os dados estatísticos, normalmente aplicados nessa transformação, são os de população, PIB, exportação de produtos manufaturados, mortalidade, etc. A cartografia por anamorfose é um instrumento interessante para as análises comparativas e é também “um documento de comunicação e não uma representação do mundo real” </li></ul>
  67. 73. EXEMPLO – 01 – PIB E POPULAÇÃO
  68. 74. EXEMPLO – 02 – PIB
  69. 75. O PODER CIENTÍFICO Os EUA são os maiores e mais eficazes produtores de ciência e, de longe, o maior mercado científico do mundo
  70. 76. POPULAÇÃO MUNDIAL – 2025
  71. 77. PIB POR ESTADOS NO BRASIL
  72. 78. A AIDS NO MUNDO
  73. 79. MORTOS EM GUERRA
  74. 80. INDÚSTRIA MILITAR
  75. 81. IMIGRAÇÃO
  76. 82. EMIGRAÇÃO
  77. 83. RICOS NO MUNDO EM 1500
  78. 84. RICOS NO MUNDO ATUALMENTE
  79. 85. HINDUÍSMO
  80. 86. TURISMO
  81. 87. CRISTIANISMO
  82. 88. EMISSÕES CO2 2000
  83. 89. CFC
  84. 90. SUBTEMA 05: TECNOLOGIA APLICADA A CARTOGRAFIA
  85. 91. SATÉLITE ARTIFICIAL
  86. 92. IMAGENS DE SATÉLITE – SENSORIAMENTO REMOTO
  87. 94. IMAGENS DE SATÉLITE PARA METEREOLOGIA
  88. 95. PREVISÃO DE CICLONES
  89. 96. GPS – SISTEMA POSICIONAMENTO GLOBAL
  90. 97. FOTOGRAFIA AÉREA
  91. 98. AEROFOTOGRAMETRIA
  92. 99. CAP. 02: CARTOGRAFIA NO BRASIL
  93. 100. SUBTEMA 01: OS FUSOS HORÁRIOS
  94. 101. 1 – AS HORAS: A LÓGICA <ul><li>O sistema de fuso foi adotado na Conferência Internacional do Meridiano, em 1844 na cidade de Washington, DC. </li></ul><ul><li>Tempo de duração da rotação da Terra = 24 horas (360°/24 = 15 meridianos ou 15°). </li></ul><ul><li>1 hora = 15° ou 15 meridianos. </li></ul><ul><li>Cada grau = 4 minutos. </li></ul><ul><li>Convenção internacional que, tendo como ponto de partido o meridiano de Greenwich ou Inicial ou Principal (0°), divide o globo terrestre em 24 fusos horários, cada um deles medindo 15°. </li></ul><ul><li>No anti-meridiano de Greenwich ocorre a mudança da data (Linha Internacional da Mudança de Data - LIMD = 180°). </li></ul>
  95. 102. PARA QUE SERVEM OS FUSOS HORÁRIOS? <ul><li>Padronização das horas conforme o movimento de rotação da Terra e a incidência solar; </li></ul><ul><li>Facilitar as comunicações e o comércio nas diversas partes do planeta; </li></ul><ul><li>Facilitar a programação das viagens nacionais e internacionais; </li></ul><ul><li>Possibilitar a integração de empresas aéreas, transnacionais e os mercados de valores no mundo; </li></ul><ul><li>Possibilitar um melhor planejamento das atividades esportivos internacionais (copa do mundo e olimpíadas). </li></ul>
  96. 103. Divisão do Dia e Contagem das Horas Sistema de Fusos Horários U.T.C. (Tempo Universal Coordenado)
  97. 104. Luiz Sérgio - GEO  
  98. 105. <ul><li>TIPOS DE HORAS </li></ul><ul><li>Hora legal – tem por base o meridiano de Greenwich (12 para cada hemisfério). </li></ul><ul><li>Hora local – é hora de cada fuso determinada pelo movimento aparente do Sol. </li></ul>
  99. 107. 2 – OS FUSOS HORÁRIOS NO BRASIL
  100. 108. OS TRÊS FUSOS BRASILEIROS 24/04/2008
  101. 109. NOVO FUSO HORÁRIO DO BRASIL
  102. 110. 3 – O HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL <ul><li>É adotado nas regiões de médias latitudes no período de maior insolação (verão) com o objetivo de reduzir o consumo de energia. (diminui 1 hora) </li></ul>
  103. 111. Horário de Verão: é adotado nas regiões de médias latitudes no período de maior insolação (verão) com o objetivo de reduzir o consumo de energia (+ 1 hora). No Brasil 1ª vez 01/10/1931. 3ª semana de OUT até a 3ª FEV.
  104. 112. SUBTEMA 02: CÁLCULOS DE FUSOS HORÁRIOS
  105. 113. OBSERVAÇÕES <ul><li>1. Cada fuso é uma faixa de 15° de largura que vai de um pólo até outro. 2. Os fusos horários existem devido ao movimento da terra e as diferentes posições de cada lugar em relação ao sol. </li></ul><ul><li>3. Em relação ao Meridiano de Greenwich , qualquer ponto sobre a superfície terrestre varia de 0 0 a 180 0 para oeste ou leste . 4. Hora legal é a hora oficialmente estabelecida para aquele lugar, às vezes até fora um pouco do fuso. 5. Hora solar é a posição exata da localidade em relação ao Sol. 6. Hemisfério é a metade da Terra dividida pelo meridiano de Greenwich. Existe o hemisfério oriental e o ocidental. 7. Cada fuso equivale a uma hora. Portanto, cada 15 º é igual a uma hora. 8. Um grau vale 4 minutos.  </li></ul>
  106. 114. CÁLCULOS FUSOS HORÁRIOS <ul><li>1. Verificar se as duas localidades estão no mesmo hemisfério ou não . Se os dois lugares estiverem no mesmo hemisfério , subtrai-se as longitudes . Se estiverem em hemisférios diferentes , então soma-se . Agora você encontrou a distância entre as duas localidades em graus. 2. Após essa operação, você deve transformar a diferença que encontrou em graus, para horas. Faça isso pegando o resultado e dividindo por 15º. 3. Se o cálculo da divisão não for exato, multiplica-se o resto por 4 e acrescenta-se ao cociente após dois pontos. Agora você encontrou a diferença de fusos horários entre os dois pontos, isto é, quantos fusos ou horas de diferença existem entre os dois pontos. 4. A seguir você toma o horário da localidade conhecida e vai somar ou dividir com a diferença de fusos horários ou horas que você encontrou. Para saber se vai somar ou diminuir, deve-se ter em mente o movimento de rotação da Terra, que ocorre de oeste para leste. Assim, sempre que estivermos à procura de um horário na direção leste, soma-se, e na direção oeste, diminui-se. 5. Quando o horário for maior de 24 ou a variação de tempo for muito grande para trás, deve-se verificar se não passou para o dia anterior ou posterior. Faz-se isso diminuindo-se de 24. </li></ul>
  107. 115. EXEMPLOS <ul><li>Qual é a hora na cidade A situada na Long. 45º O, quando na cidade B Long. 30º E são 19h? 1º Calcular a diferença de longitude: (hemisférios diferentes soma-se) 45+30=75 2º Transformar para horas: 75:15=5 horas 3º Calcular a hora do lugar procurado: 19:00 (hora da cidade B ) diminui-se pois a cidade procurada está a oeste - 05:00 (diferença de hs.) resultado: 14:00 na cidade A </li></ul>
  108. 116. CÁLCULO LONGITUDES <ul><li>Como descobrir a longitude a partir das horas do local? 1. Verificar a diferença de horas. 2. Transformar para graus multiplicando por 15. 3. Somar a diferença em graus com as coordenadas conhecidas. Verifica-se se vai somar ou diminuir pelas horas (pelas horas você pode perceber se a cidade está para leste ou para oeste) </li></ul><ul><li>Exemplo: A15h 60ºO </li></ul><ul><li>B20h ? 15- 20= 05 / 05x15=75º / 60º-75º= -15º = (15ºE) </li></ul>
  109. 117. A = HEMISFÉRIOS IGUAIS <ul><li>1) A = 30º L = 16 h B = 90º L ? </li></ul><ul><li>2) A = 75º L = 15 h B = 15º L ? </li></ul><ul><li>3) A = 90º W = 8 h B = 150º W ? </li></ul><ul><li>4) A = 15º L = 15 h B = 75º L ? </li></ul><ul><li>5) A = 120º W = 9 h B = 15º W ? </li></ul><ul><li>6) A = 30º W = 7 h B = 105º W ? </li></ul><ul><li>7) A = 30º L = 12 h B = 15º L ? </li></ul><ul><li>8) A = 30º L = 12 h B = 15º L ? </li></ul>
  110. 118. B = HEMISFÉRIO DIFERENTES <ul><li>1) A = 90º L = 14 h B = 45º W ? </li></ul><ul><li>2) A = 135º W = 10 h B = 75º L ? </li></ul><ul><li>3) A = 55º W = 17 h B = 35º L ? </li></ul><ul><li>4) A = 72º L = 13 h B = 19º W ? </li></ul><ul><li>5) A = 67º W = 12 h B = 41º L ? </li></ul><ul><li>6) A = 105º W = 11 h B = 60º L ? </li></ul><ul><li>7) A = 60º L = 13 h B = 30º W ? </li></ul><ul><li>8) A = 63º L = 11 h B = 29º W ? </li></ul><ul><li>9) A = 66º W = 12 h B = 40º L ? </li></ul><ul><li>10) A = 15º W = 13 h B = 120º L ? </li></ul>
  111. 119. C = LONGITUDE <ul><li>1) A = 150º L = 18 h B = 4 h C = 12 h </li></ul><ul><li>2) A = 51º W = 11 h B = 6 h C = 20 h </li></ul><ul><li>3) A = 135º W = 10 h B = 5 h c = 18 h </li></ul>
  112. 120. 4 – A LID – LINHA INTERNACIONAL DE DATA <ul><li>No final do século passado, definiu-se internacionalmente uma linha de mudança de data que acompanha, mas não coincide rigorosamente com o meridiano de 180º, que é oposto ao meridiano de Greenwich. </li></ul><ul><li>Quando se chega à linha internacional de data muda-se a data ou o &quot;calendário&quot; e não o relógio, portanto quem a atravessa de leste para oeste ( Sibéria para o Alasca, por exemplo) volta de “ hoje para ontem”, e quem atravessa de oeste para leste (Alasca para Sibéria) adianta um dia, mas sem mexer nas horas. </li></ul>
  113. 121. Linha Internacional de Data <ul><li>- Linha que acompanha o antimeridiano de Greenwich (180º), atravessando o oceano Pacífico. </li></ul><ul><li>Por convenção internacional, esse meridiano determina a mudança de data civil em todo o planeta. </li></ul>
  114. 122. <ul><li>Ao ultrapassar essa linha, exatamente no ponto em que ela se localiza, tem-se de alterar a data para o dia anterior (a leste) ou seguinte (a oeste) à partida. </li></ul><ul><li>A hora, no entanto, é a mesma nas duas zonas. </li></ul>Linha Internacional de Data
  115. 124. SUBTEMA 03: ORIENTAÇÃO PELO SOL
  116. 125. A ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO <ul><li>A orientação no espaço foi uma das primeiras preocupações do homem. </li></ul><ul><li>As primeiras formas de orientação surgiram com a observação dos astros, principalmente o Sol . </li></ul><ul><li>Para nos orientarmos pelo sol, há uma regra básica a ser seguida: </li></ul>
  117. 126. Orientação pelo Sol - estendemos o braço direito para o lado em que o Sol nasce, isto é, para o nascente ou Leste; - estendemos o braço esquerdo para o lado em que o Sol desaparece, isto é, para o poente ou Oeste; - à nossa frente fica o Norte; - às nossas costas fica o Sul.
  118. 127. <ul><li>Foi criado um símbolo de referência para representar direções a serem seguidas: a rosa dos ventos. </li></ul>Orientação: A rosa dos ventos
  119. 128. O SOL NO MUNDO
  120. 129. Orientação: A rosa dos ventos <ul><li>Pontos cardeais </li></ul><ul><li>N, S, L(E) e O(W) </li></ul><ul><li>Pontos Colaterais </li></ul><ul><li>NE, SE, SO e NO </li></ul><ul><li>Pontos Subcolaterais </li></ul><ul><li>NNE, ENE, ESE, SSE, SSO, OSO, ONO, NNO. </li></ul>
  121. 130. 1 – A ILUMINAÇÃO E A SAÚDE
  122. 131. Estações do ano <ul><li>Hemisfério sul </li></ul><ul><li>٭ 21 dezembro = verão </li></ul><ul><li>٭ 21 junho = inverno </li></ul><ul><li>٭ 21 março = outono </li></ul><ul><li>٭ 23 setembro = primavera </li></ul><ul><li>Hemisfério norte </li></ul><ul><li>٭ 21 dezembro = inverno </li></ul><ul><li>٭ 21 junho = verão </li></ul><ul><li>٭ 21 março = primavera </li></ul><ul><li>٭ 23 setembro = outono </li></ul>
  123. 132.
  124. 133. As datas que marcam o início das estações do ano recebem a denominação de: <ul><li>EQUINÓCIO </li></ul><ul><li>SOLSTÍCIO </li></ul>
  125. 134. EQUINÓCIO <ul><li>Equinócio(noites iguais aos dias) </li></ul><ul><li>21 de março = hemisfério boreal é equinócio de primavera e no hemisfério austral é equinócio de outono. </li></ul><ul><li>23 de setembro = hemisfério boreal é equinócio de outono e no hemisfério austral é equinócio de primavera. </li></ul>
  126. 135. SOL NO EQUINÓCIO
  127. 136. SOLSTÍCIO <ul><li>No dia 21 de junho, ocorre o solstício de verão no hemisfério setentrional. É o dia mais longo e a noite mais curta. No hemisfério meridional solstício de inverno, com a noite mais longa do ano. </li></ul><ul><li>No dia 21 de dezembro, ocorre o solstício de inverno no hemisfério setentrional.É a noite mais longa e o dia mais curto. No hemisfério meridional solstício de verão com o dia mais longo do ano. </li></ul>
  128. 137. O SOL NO SOLSTÍCIO
  129. 138.
  130. 139. CASA EM QUE NÃO ENTRA SOL ENTRA MÉDICO
  131. 140. EXPLICANDO... <ul><li>NO INVERNO RECEBEMOS MENOS INSOLAÇÃO, E ISSO PODE GERAR A PROLEFERAÇÃO DE FUNGOS, ÁCAROS QUE CAUSAM PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS... </li></ul><ul><li>EM SÃO PAULO, POR EXEMPLO, SITUADA JUNTO AO TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO... </li></ul>
  132. 141. SUBTEMA 04: POSIÇÃO ESTRATÉGICA DO BRASIL
  133. 142. OU SEJA...
  134. 143. DIMENSÕES DO BRASIL
  135. 144. CARACTERÍSTICAS DO BRASIL <ul><li>Apenas o Sul do país faz parte da zona temperada, apresentado um clima de temperaturas mais amenas; </li></ul><ul><li>A quase totalidade do território brasileiro (93%) está ao sul da linha do Equador, ou seja, no hemisfério sul; </li></ul><ul><li>Possui três fusos horários diferentes. </li></ul><ul><li>A maior parte das terras brasileiras está localizada entre os trópicos, o que faz do nosso país uma região tipicamente tropical, onde predominam climas quentes; </li></ul><ul><li>Cortado pela linha do Equador e Trópico de Capricórnio e banhado pelo oceano Atlântico. </li></ul>
  136. 145. SUBTEMA 05: O PERFIL TOPOGRÁFICO
  137. 146. Representação do relevo Pontos cotados Curvas de nível Perfil topográfico longitudinal secções transversais
  138. 149. Modelo digital de terreno
  139. 150. SUBTEMA 06 : A HIPSOMETRIA
  140. 151. NO BRASIL
  141. 152. OUTRO EXEMPLO
  142. 153. LOCALIZE-SE <ul><li>APOSTILA 1 – ESPÍRITO SANTO </li></ul><ul><li>TEMA 02: A DIVISÃO REGIONAL E ORGANIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO </li></ul><ul><li>PÁG. 129 À 139 </li></ul>
  143. 154. TEMA 02: A DIVISÃO REGIONAL E ORGANIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO E ÁREAS GEOECONÔMICAS
  144. 155. O QUE É REGIONALIZAÇÃO ? Entende-se por regionalização, a divisão de um espaço ou território em unidades de área que apresentam características que as individualizam. A regionalização pode ser estabelecida segundo diferentes critérios (físicos, socioeconômicos) e tendo em vista diferentes objetivos, como políticos, econômicos, administrativo, de divulgação de dados estatísticos, planejamento entre outros.
  145. 156. Regionalizar Espaço Mundial Dividi-lo Em continentes Em nível de desenvolvimento <ul><li>Desenvolvidos </li></ul><ul><li>Subdesenvolvidos </li></ul>- América - Ásia - África - Europa - Oceania - Antártida Assim, a regionalização é a divisão do espaço geográfico em regiões, em partes menores, com aspectos naturais, culturais e socioeconômicos comuns.
  146. 157. A divisão regional oficial do IBGE <ul><li>Desde então diferentes classificações foram elaboradas pelo IBGE, inicialmente, adotando como critério os aspectos naturais, e, posteriormente, a integração entre os aspectos naturais e socioeconômicos. </li></ul>Primeira divisão regional oficial do Brasil Em 1942, pelo IBGE
  147. 158. Evolução das divisões regionais do Brasil Em 1942 o IBGE estabeleceu a 1ª divisão regional oficial do Brasil. Delimitando 5 grandes regiões. Norte; Nordeste; Leste; Sul; Centro-oeste.
  148. 159. Em 1945 embora tenha conservado as mesmas regiões, uma nova divisão acrescentou um sistema hierárquico como: Grandes regiões; Regiões; Sub-regiões; Zonas fisiográficas. As divisões estabelecidas em 1945 basearam-se no conceito de região natural.
  149. 160. Evolução das divisões regionais do Brasil
  150. 161. Evolução das divisões regionais do Brasil
  151. 162. Brasil divisão regional oficial (IBGE) Fonte: Anuário estatístico do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 1999. p. 1-43. A divisão oficial do IBGE estabelece cinco macroregiões. Os limites de cada uma delas acompanham as divisas entre os estados.
  152. 163. Os três complexos regionais 1967 Geógrafo Pedro Pinchas Geiger Outra forma de divisão Não oficial Três áreas extensas Amazônia Nordeste Centro-Sul Classificação que leva em conta a formação histórico-econômica do país. Considera também a recente modernização econômica que ocorreu no espaço urbano e no campo e estabeleceu novas formas de vínculo entre os lugares do território brasileiro.
  153. 164. Observe o mapa. Fonte: Pedro Pinchas Geiger. Organização regional do Brasil. Revista Geográfica . Rio de Janeiro, n. 61, jul./dez. 1964. p.51. Em: Angélica Alves Magagno. Revista Brasileira de Geografia . Rio de Janeiro, v.57, n.4, out./dez. 1995. p. 77 (adaptado). Mário Yoshida
  154. 165. Conversa <ul><li>Os limites entre as regiões coincidem totalmente com os limites entre os estados? </li></ul><ul><li>Qual foi o principal critério adotado para a divisão do Brasil em complexos regionais? </li></ul><ul><li>É possível afirmar que as delimitações da divisão regional em complexos regionais é definitiva? Por quê? </li></ul>
  155. 166. Brasil – Divisão regional segundo Milton Santos - 1999 O mapa dos quatro Brasis foi apresentado em 2000 por Milton Santos no XII Encontro Nacional de Geógrafos. Fonte: Milton Santos e María Laura Silveira. O Brasil: teritório e sociedade no inicio do século XXI, Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2001. p.268-73 (adaptado).
  156. 167. Os quatro Brasis Geógrafo Milton Santos Baseada nas características do território brasileiro <ul><li>Quantidade de recursos tecnológicos avançados. </li></ul><ul><li>Número de atividades econômicas modernas nas áreas financeira, comercial, de serviços, industrial e agropecuária altamente. </li></ul>Outra proposta de regionalização Levando em consideração:
  157. 168. Região concentrada: composta de um denso sistema de relações, em função dos elevados índices de urbanização e do alto padrão de consumo das empresas e de parte das famílias. O centro da tomada de decisões. Região Centro-Oeste: presentes algumas características da modernização, em particular a agropecuária mecanizada. Produção de mercadorias agrícolas destinadas à exportação. Também está integrada à globalização.
  158. 169. Nordeste: mais antiga área de povoamento do Brasil. De modo geral sempre teve precária circulação de pessoas, produtos, informação e dinheiro, em razão da agricultura pouco intensiva e da urbanização irregular. A prática de atividades econômicas modernas e o uso de recursos tecnológicos avançados ocorrem apenas em determinadas áreas da região. Amazônia: região de baixa densidade populacional e com poucos recursos tecnológicos. São raras as áreas reservadas à agricultura mecanizada e a outras atividades mais modernas.
  159. 170. Conversa <ul><li>Com base na proposta de Milton Santos: </li></ul><ul><li>Quantas e quais seriam as regiões brasileiras? </li></ul><ul><li>Quais os principais critérios utilizados para chegar a essa regionalização do Brasil? </li></ul>
  160. 171. SUTEMA 06: AS SUB-REGIONALIZAÇÕES
  161. 172. QUESTÕES <ul><li>Q29) EXPLIQUE AS SUBREGIÕES DO NORDESTE. </li></ul><ul><li>Q30) EXPLIQUE AS CARACTERÍSTICAS DO BIOMA AMAZÔNICO : A AMAZÔNIA LEGAL E A AMAZÔNIA AZUL. </li></ul>
  162. 173. Nordeste Sub-regiões 1- Meio-norte 2- Sertão 3- Agreste 4- Zona da Mata
  163. 174. Nordeste Regiões geográficas 1- Meio-norte O meio-norte é uma faixa de transição entre a Amazônia e o sertão, abrange os estados do Maranhão e Piauí. Também é chamada de Mata dos Cocais, devido as palmeiras de babaçu e carnaúba. No litoral chove cerca de 2000 mm anuais, indo mais para o leste e/ou para o interior esse número cai para 1500 mm anuais, já no sul do Piauí, uma região mais parecida com o sertão só chove 700 mm por ano, em média. Mata dos Cocais
  164. 175. Nordeste Regiões geográficas 2- Sertão O sertão fica localizado, geralmente, no interior do Nordeste, possui clima semi-árido, em estados como Ceará e Rio Grande do Norte chega a alcançar o litoral, descendo mais ao sul, o sertão alcança o norte de Minas Gerais, no Sudeste. As chuvas são irregulares e escassas, existem constantes períodos de estiagem, a vegetação típica é a caatinga. Característica do sertão nordestino
  165. 176. Nordeste Regiões geográficas O agreste é uma zona de transição entre a Zona da Mata e o Sertão, localizado no alto do Planalto da Borborema, é um obstáculo natural para a chegada das chuvas ao sertão, se estendendo do sul da Bahia até o Rio Grande do Norte. O principal acidente geográfico da região é o Planalto da Borborema. Do lado leste do planalto estão as terras mais úmidas (Zona da Mata); do outro lado, para o interior, o clima vai ficando cada vez mais seco (Sertão). 3- Agreste agreste nordestino, Paraíba, 2005
  166. 177. Nordeste Regiões geográficas 4- Zona da Mata Localizada ao leste, entre o Planalto da Borborema e a costa, fica a Zona da Mata, que se estende do Rio Grande do Norte ao sul da Bahia, as chuvas são abundantes. A zona recebeu este nome por ter sido coberta pela Mata Atlântica. Os cultivos de cana-de-açúcar e cacau substituíram as áreas de florestas. O povoamento desta região é muito antigo. zona da mata de Pernambuco
  167. 178. O BIOMA AMAZÔNICO
  168. 179. A AMAZÔNIA LEGAL
  169. 180. A AMAZÔNIA AZUL

×