Successfully reported this slideshow.

2º Mc Grupo 03

688 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

2º Mc Grupo 03

  1. 2. O Hamas (em árabe: حما ,cujo significado é "Movimento de Resistência Islâmica") é uma organização paramilitar e partido político sunita palestino que mantém a maioria dos assentos no conselho legislativo da Autoridade Nacional Palestina.
  2. 3. O Hamas se desenvolve diferentemente na Cisjordânia
  3. 4. <ul><li>O braço político e beneficente da Irmandade Muçulmana é então reconhecido oficialmente por Israel. O grupo se concentra na ajuda social e em projetos religiosos, com uma intensa ação social e comunitária. Em meados de 1980, a Irmandade Muçulmana palestina evolui, sob a influência do sheik Ahmed Yassin, que prega a luta armada contra o &quot;ocupante hebreu&quot; e é preso pelo governo israelense em 1989. Posteriormente solto, em uma troca de prisioneiros, foi morto em um targeted killing, pelo Tzahal. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>O Hamas preconiza a luta contra Israel, por todos os meios, visando à libertação da Palestina e a formação de um estado independente palestiniano &quot;... desde o Rio Jordão até o mar&quot;. Sua carta de princípios, redigida em 1988, preconiza o estabelecimento de um estado muçulmano na Palestina mas, segundo seu dirigente, Khalid Meshal, a carta não prega de modo algum a destruição de Israel. Em árabe, está escrito para colocar um fim na ocupação israelitas da Palestina. &quot;Não queremos nos livrar do outro. Desejamos apenas obter nossos direitos.&quot; </li></ul>
  5. 6. <ul><li>As primeiras ações armadas do Hamas ocorrem com o início da Primeira Intifada. Inicialmente atacam rivais palestinos e depois, os militares israelenses. Empreendem também ataques contra civis israelenses, em ações armadas e violentas. Em 1989, o movimento sofre um golpe quando seu fundador, Ahmed Yassin, é feito prisioneiro em Israel Autor de repetidos actos violentos contra Israel, o grupo figura na lista de organizações terroristas do Conselho da União Europeia , do Canadá, do Japão, dos Estados Unidos e de Israel; os ataques de seu braço armado - as brigadas Izz ad-Din al-Qassam - visam tanto a alvos militares como a alvos civis israelitas.*Por outro lado, o movimento criou uma vasta rede de assistência social na Cisjordânia e na Faixa de Gaza e, em 25 de Janeiro de 2006, venceu as eleições para o parlamento Palestino, derrotando o Fatah. Após a contagem final, em 28 de janeiro de 2006, conquistou 74 das 132 cadeiras do parlamento, não precisando, portanto, formar coligações. </li></ul>
  6. 7. A organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional acusou nesta terça-feira militantes do Hamas de perseguir, sequestrar, torturar e assassinar suspeitos de colaborar com Israel nos recentes confrontos em Gaza. (Notícia do dia 10/02/2009, BBC Brasil) Um oficial do grupo militante palestino Hamas afirmou nesta quinta-feira que a facção e Israel teriam chegado a um acordo para uma trégua de longa duração na Faixa de Gaza. (Notícia do dia 13/02/2009, BBC Brasil)
  7. 8. Partido dos Trabalhadores do Curdistão (em Curdo, Partiya Karkerên Kurdistan ou PKK) é um partido militante armado fundado terrorismo em 1970, foi conduzido até sua captura por Abdullah Öcalan. A ideologia do PKK é o marxismo e o nacionalismo curdo.
  8. 9. A força do PKK é de uns 10.000 a 15.000 membros dedicados exclusivamente à guerrilha, 5.000 a 6.000 dos quais estão na Turquia.
  9. 10. O PKE, proclamou-se em abril de 1995 como única forma de representar o povo curdo na Turquia. Está composto por 65 membros, entre eles a Frente de Libertação Nacional do Curdistão (FLNK) - braço político do PKK -, representantes do movimento islâmico (não fundamentalista), intelectuais, mulheres e personalidades independentes
  10. 11. O PKK tem por objetivo a criação de um estado curdo independente socialista no território que alega como Curdistão, uma área que compreende partes do sudeste da Turquia, nordeste do Iraque, nordeste da Síria e noroeste do Irã e é contra qualquer mudança do tamanho do território alegado como Curdistão. O partido é uma organização secessionista que utiliza da força e ameaça de força tanto contra civis quanto militares afim de alcançar seu objetivo político.
  11. 12. Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) é a principal força entre a população curda. Mantém posições de esquerda revolucionária e sua tática tem sido desenvolver uma guerrilha popular, a partir do campesinato, haja vista que 99% das indústrias se concentram na zona turca do país. Prega um estado federal respeitando as fronteiras turcas. Desde 1984, impulsiona uma organização de guerrilhas e ergueu um Parlamento Curdo no Exílio (PKE), com sede na Europa. Apóia, ademais, o Partido da Democracia do Povo (HADEP).
  12. 13. O grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) anunciou hoje que ampliará seu cessar-fogo unilateral até o dia 15 de julho para favorecer o ambiente de solução do conflito curdo pelo diálogo, informou a agência pró-curda &quot;Firat&quot;, que cita a cúpula da organização. (Notícia do dia 01/06/2009, ultimosegundo.ig.com.br) Aviões do Exército turco bombardearam hoje posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, informou o Estado-Maior das Forças Armadas da Turquia, em seu site. (Notícia do dia 28/05/2009, noticias.uol.com.br)
  13. 14. Hizbollah (em árabe: حزب الله , transl. ḥizbu-'llāh(i) , &quot;partido de Deus&quot;) é uma organização política e paramilitar islâmica xiita sediada no Líbano.
  14. 15. É uma força significativa na política libanesa, responsável por diversos serviços sociais, além de operar escolas, hospitais e serviços agriculturais para milhares de xiitas libaneses. É considerado um movimento de resistência legítimo por todo o mundo islâmico e árabe.
  15. 16. O Hizbollah surgiu inicialmente como uma milícia, em resposta à invasão israelense do Líbano de 1982, também conhecida como Operação Paz para a Galiléia, e continuou a resistir contra a ocupação israelense do Líbano por toda a Guerra Civil Libanesa. Seus líderes se inspiraram nas idéias do aiatolá Khomeini, e suas forças foram treinadas e organizadas por um contingente da Guarda Revolucionária Iraniana.
  16. 17. O manifesto de 1985 publicado pelo Hizbollah listava suas três metas principais como &quot;colocar um fim a qualquer entidade colonialista&quot; no Líbano, levar os Falangistas à justiça &quot;pelos crimes que perpetraram&quot;, e estabelecer um regime islâmico no país. Recentemente, no entanto, o Hizbollah vem fazendo poucas menções a respeito da fundação de um Estado islâmico, e não tem mais feito alianças seguindo tendências religiosas. Os líderes do partido são responsáveis, no entanto, por diversas declarações pedindo pela destruição do Estado de Israel, ao qual se referem como a &quot;entidade sionista&quot;, &quot;construída sobre terras arrancadas das mãos de seus proprietários.&quot;
  17. 18. O Hizbollah constitui-se em um dos principais movimentos de combate à presença israelense no Oriente Médio, utilizando de ataques de guerrilha. Desenvolve também uma série de atividades em cinco áreas: ajuda a familiares de mártires, saúde, educação religiosa xiita, reconstrução e agricultura. O Hizbollah conta com cinco hospitais, 43 clínicas e duas escolas de enfermagem. Segundo a ONU, ao menos 220 mil pessoas em 130 cidades libanesas se tratam nesses locais. O Hizbollah possui 12 escolas com sete mil alunos e setecentos professores e centros culturais franceses auxiliam no aperfeiçoamento do corpo docente. Na reconstrução, existe uma instituição exclusiva para reparar danos causados por ataques israelenses, enquanto que na agricultura engenheiros agrônomos formados em Beirute, na Síria, no Irã e na Alemanha, desenvolvem projetos agrícolas para garantir a base da economia de subsistência do sul do país. Em 23 de Outubro de 1983, dois atentados suicidas contra a força multinacional de interposição fizeram 248 mortes de americanos e 58 mortes de franceses. Os Estados Unidos acusam o Hizbollah e o Irã de estarem por trás do atentado.
  18. 19. O movimento islamita xiita Hezbollah informou ao governo libanês, no qual o grupo tem um ministro, que não está envolvido no lançamento de foguetes contra o norte de Israel a partir do Líbano, informou à AFP o ministro da Informação, Tarek Mitri. (Notícia do dia 08/01/2009, noticias.uol.com.br) O grupo xiita Hizbollah reconheceu hoje sua derrota no pleito parlamentar libanês realizado ontem, e pediu a seus rivais, as Forças pró-ocidentais do 14 de Março a cooperação. &quot;As Forças do 14 de Março, apoiadas pelo Ocidente preservam sua maioria, enquanto a oposição continua sendo uma oposição&quot;, afirma hoje a site da televisão &quot;Al-Manar&quot;, porta-voz do Hizbollah. (Notícia do dia 08/06/2009, noticias.uol.com.br)
  19. 20. Breno Távora Thiago Coelho Ramati Bolzan Lucas Scarpini João Marcos

×