2º Ma Grupo 03

793 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
793
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
31
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2º Ma Grupo 03

  1. 1. <ul><li>Mayara; </li></ul><ul><li>Kamyla; </li></ul><ul><li>Larisse; </li></ul><ul><li>Beatriz; </li></ul><ul><li>Flávia; </li></ul><ul><li>Allan; </li></ul><ul><li>2° MA </li></ul>
  2. 2. TERRORISMO <ul><li>Prática do terror como instrumento de ação política, procurando alcançar pelo uso da violência objetivos que poderiam ou deveriam cometer-se ao exercício legal da vontade política. Generalizando, é um terror na base do fundamentalismo. O terrorismo pode ocorrer por motivos político-nacionalistas, religiosos e étnico-culturais. </li></ul>
  3. 3. HEZBOLLAH <ul><li>Hizbollah ou Hezbollah (partido de Deus). É uma organização política e paramilitar islâmica xiita. </li></ul><ul><li>Sediada no Líbano; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O Hizbollah surgiu inicialmente como uma milícia, em resposta à invasão israelense do Líbano de 1982, também conhecida como Operação Paz para Galileia, e continuou a resistir contra a ocupação israelense do Líbano por toda a Guerra Civil Libanesa; </li></ul><ul><li>A milícia xiita constitui-se em um dos principais movimentos de combate à presença israelense no Oriente Médio, utilizando de ataques de guerrilha. Seus líderes se inspiraram nas idéias do aiatolá Khomeini, e suas forças foram treinadas e organizadas por um contingente da Guarda Revolucionária Iraniana. O manifesto de 1985, publicado pelo Hizbollah, listava suas três metas principais. Tais metas: </li></ul><ul><li>colocar um fim a qualquer entidade colonialista no Líbano; </li></ul><ul><li>levar os Falangistas à justiça pelos crimes que perpetraram; </li></ul><ul><li>estabelecer um regime islâmico no país; </li></ul><ul><li>No entanto, recentemente, o Hizbollah vem fazendo poucas menções a respeito da fundação de um Estado islâmico, e não tem mais feito alianças seguindo tendências religiosas; </li></ul><ul><li>Guerra do Líbano de 2006 (conflito militar que se iniciou no dia 12 de julho de 2006 e foi travado entre Forças de Defesa israelenses e a milícia xiita Hizbollah), onde milicianos do Hizbollah dispararam foguetes Katyusha sobre localidades e posições militares israelenses próximas ao território libanês. Isso foi denominado de Operação Promessa Leal. Simultaneamente houve uma invasão militar dos militantes xiitas ao território de Israel que culminaram com o seqüestro de dois soldados israelenses. Ao fim deste dia havia oito soldados israelenses mortos e dois capturados pela guerrilha islâmica. Israel respondeu com a maior ação militar no Líbano, desde a invasão de 1982, num conflito que deixou aproximadamente 1500 mortos e destruiu parte importante da infra-estrutura libanesa, além de deixar desabrigados perto de 900 000 libaneses e 500 000 israelenses; </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Guerra do Líbano: </li></ul><ul><li>Atualmente o líder do Hizbollah, Hassan Nasrallah, aceitou o resultado das legislativas no Líbano que deram vitória à coalizão (acordo entre partidos políticos) pró-ocidental. O movimento liderado pelo Hizbollah foi derrotado nas eleições pela coalizão, que tem agora a missão de evitar uma nova crise no país.-ocidental. A maioria conquistou 71 das 128 cadeiras do Parlamento, contra 57 do Hizbollah e seus aliados; </li></ul>
  6. 6. HAMAS <ul><li>Hamas (movimento de resistência islâmica). É uma organização paramilitar e um partido político sunita palestino; </li></ul><ul><li>Localiza-se na Faixa de Gaza; </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Criado no final de 1987, na cidade de Gaza, o movimento era próximo da Irmandade Muçulmana do Egito (ou sociedade de irmãos muçulmanos, uma organização islâmica fundamentalista); </li></ul><ul><li>O Hamas preconiza (proclama) a luta contra Israel, por todos os meios, visando à libertação da Palestina e a formação de um estado independente Palestiniano. Sua carta de princípios, redigida em 1988, prevê o estabelecimento de um estado muçulmano na Palestina mas, segundo seu dirigente, Khalid Meshal, a carta não prega de modo algum a destruição de Israel. Nela está escrito: ''para colocar um fim na ocupação israelitas da Palestina. Não queremos nos livrar do outro. Desejamos apenas obter nossos direitos.“; </li></ul><ul><li>A mais conhecida guerra que Hamas participou, foi contra o Fatah, a partir de janeiro de 2006, onde conseguiu dominar completamente a cidade de Gaza; </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Ações do Hamas sob o Fatah: </li></ul><ul><li>Atualmente, o Hamas informou que Nizar Rayyan, importante líder político do grupo, foi morto em ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza. Mais quatro pessoas, incluindo membros de da família de Rayyan, também foram mortos pelos caças de Israel; </li></ul>
  9. 9. PKK <ul><li>PKK (Partido dos trabalhadores do Curdistão); </li></ul><ul><li>Localizado na Turquia; </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Fundado em 1978, o PKK é a principal força entre a população curda. É uma organização secessionista que utiliza da força e ameaça de força tanto contra civis quanto militares, afim de alcançar seu objetivo político; </li></ul><ul><li>O PKK tem por objetivo a criação de um estado curdo independente socialista no território que alega como Curdistão, uma área que compreende partes do sudeste da Turquia, nordeste do Iraque, nordeste da Síria e noroeste do Irã e é contra qualquer mudança do tamanho do território alegado como Curdistão. Defendem abertamente –e praticam– a luta armada pela libertação da sua região e pela instalação de seu estado nacional. Proclama-se como sendo um partido marxista e nacionalista. </li></ul><ul><li>O PKK confrontou-se, na maioria das vezes, com o exército turco, pelo fato de que a Turquia é o país onde eles são mais mal tratados. A língua curda é terminantemente proibida no país. Suas lideranças são perseguidas e encarceradas até hoje. A democracia nesse país é mesmo de fachada. A organização dos direitos humanos, chamada de Human Right tem extensos relatórios de denúncias sobre as situações de violações dos direitos desse povo. Na fronteira turca com o Iraque, onde moram a maioria dos curdos, os conflitos são constantes. Nessa localidade morrem sistematicamente guerrilheiros do PKK, mas que também executam soldados turcos. As mortes chegam a 50 num só dia. Os guerrilheiros curdos mataram 12 soldados turcos, só num dia, mas isso ainda é pouco em relação ao que os turcos matam; </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Confronto de Curdos contra os Turcos: </li></ul><ul><li>Recentemente o exército da Turquia descartou possibilidade de reconhecer o cessar-fogo decretado pelo PKK. Assim anunciou o chefe do Estado-Maior turco, Ilker Basbug, depois que o PKK prolongou seu cessar-fogo por um período de seis semanas, até meados de julho. </li></ul>

×