Doenças emergentes final

10,906 views

Published on

Doenças emergentes final

  1. 1. Doenças Emergentes e Reemergentes BiologiaTema: Doenças Emergentes e Reemergentes. Prof. Marcos Corradinimarcosgdr@hotmail.com
  2. 2. Doenças Emergentes e Reemergentes• Introdução • Doenças Emergentes São aquelas cuja incidência nos seres humanos tem aumentado nas últimas décadas. Infecciosas Não Infecciosas AIDS Obesidade Febre Hemorrágica Doenças cardiovasculares Creutzfeldt Jacob Doenças Cerebrovasculares Gripe Aviária Câncer Pneumonia Asiática (SARS) Doenças Alérgicas Gripe Suína Dislipidemia Foco desta aula
  3. 3. Doenças Emergentes e Reemergentes1) Introdução Fatores Relacionados com o surgimento de doenças emergentes. - Fatores Políticos. - Fatores Econômicos. - Rápidas e intensas viagens internacionais (migração intensa). - Superpopulação em cidades com precárias condições sanitárias. - Aumento da exposição humana a vetores e reservatórios naturais. - Alterações ambientais e mudanças climáticas. - Impactos ambientais causados por ações antrópicas.
  4. 4. Doenças Emergentes e Reemergentes1) Introdução * - Doença obstrutiva pulmonar crônica.
  5. 5. Doenças Emergentes e Reemergentes1) Introdução
  6. 6. Doenças Emergentes e Reemergentes• Introdução Doenças Infecciosas Emergentes • São aquelas que surgem recentemente na população humana. • Sua incidência aumenta rapidamente. • Apresentam grande expansão geográfica. • Desenvolvem-se pelo aumento ou aparecimento de resistências à antibióticos.
  7. 7. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesa) AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)  O vírus HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) infecta células de defesa do organismo denominadas Linfócitos CD4.  Os linfócitos CD4 são responsáveis por “alertar” o organismo quando há a invasão de agentes estranhos (antígenos).  Com a morte de células CD4 o sistema imune se torna deficiente e começam a surgir doenças oportunistas. As principais doenças oportunistas são: • Tuberculose • Candidíase • Câncer A maioria das pessoas que adquirem o vírus HIV não morrem • Pneumonia necessariamente de AIDS, mas sim, de doenças oportunistas que aproveitam a deficiência do sistema imune para se manifestar.
  8. 8. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesa) AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Humana)  Ao entrar no organismo o vírus HIV pode permanecer latente “escondido” no cromossomo dos linfócitos CD4, e dessa maneira, não é detectado pelo sistema imune.  Os vírus HIV podem permanecer “inativos” por cerca de 10 anos no organismo e o paciente nesse período não manifesta nenhum sintoma.  Por motivos ainda inexplicáveis os vírus tornam-se ativos e iniciam a reprodução via ciclo lítico e a partir disso o paciente começa a desenvolver os sintomas da doença. São Todo HIV positivoo vírus, mas não desenvolveram os sintomasde não sintomas Pessoas que possuem ou (Soropositivo)ouaidético?  chamados queaidéticos aqueles pacientes que já apresentam os pelo Pessoas de são soropositivas é HIV positivas, apesar da AIDs, da AIDS os vírus calafrios, doresem estado latente (cicloao vírus. ínguas no fato de manifestarem nenhum sintoma, podem transmitir lisogênico) são (febre, ainda estarem musculares, aparecimento de denominadas Soropositivas ou também sintomas de doenças oportunistas. pescoço, náusea, vômito) e HIV positivas. (HIV Positivo = Portador do vírus)
  9. 9. Doenças Emergentes e Reemergentes Síntese da segunda fita de DNA viral Vírus livre Ciclo de um Retrovírus - HIV Degradação do RNA viral Vírus saindo e sendo envelopados RNA viral Proteínas viraisTranscriptas e reversa Membrana plasmática Receptores de membrana Membrana lipoprotéica viral Proteínas do envoltório viral
  10. 10. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesa) AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Humana)
  11. 11. Doenças Emergentes e Reemergentes Vídeo – Ciclo Reprodutivo do HIV
  12. 12. Doenças Emergentes e ReemergentesEstamos perto da cura da AIDS? Vídeo – Reportagem Jornal do SBT
  13. 13. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesa) AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Humana)
  14. 14. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesb) Ebola I) Agente Etiológico: Vírus Ebola II) Hospedeiros: Primatas (Macacos e Homem) III) Local de ocorrência: Zaire, Sudão, Congo, Gabão e Uganda. IV) Período de incubação: 3 a 18 dias (taxa de mortalidade 53 a 88%) V) Sintomas: o Dores de cabeça intensa o Dores musculares o Náuses o Vômitos o Diarréia sanguinolenta o Erupções cutâneas avermelhadas na pele
  15. 15. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesb) Ebola VI) Transmissão: • Pelas vias aéreas. • Contato com secreções contaminadas (sangue e saliva). VII) Tratamento: • Não há tratamento específico. • São realizados controle do sangramento e hidratação. VIII) Profilaxia: • Educação Sanitária • Não compartilhar seringas • Evitar o contato íntimo com pessoas doentes • Tratamento dos doentes.
  16. 16. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesDoenças Priônicas Creutzfeudth Jacob (Humanos) Mal da vaca louca (Bovinos) Causada por Príons Príons são proteínas com formato anormal que podem induzir mudança no formato de proteínas normais, fazendo com que fiquem no formato de grumos (agregados). Geralmente acometem o sistema nervoso central causando degeneração do tecido que fica com aspecto poroso, semelhante a uma esponja.
  17. 17. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesc) Encefalite Espongiforme (Doença de Creutzfeldt-Jakob - DCJ)  Transmissão: Ingestão de carnes de bois infectados por EEB (Encefalite Espongiforme Bovina) ou via transplante de córneas. Acredita-se também que a doença esteja associada com fatores genéticos.  Sintomas: Degeneração progressiva do tecido nervoso central. o Perda de memória o Tremores o Ataques Epilépticos o Paralisia Facial  Como surgiu: Tribo Kuru (Nova Guiné) - Em rituais de canibalismo esfregam tecido cerebral no corpo.  Tratamento: Não há cura.  Profilaxia: Erradicar todos os bovinos com suspeita de EEB.
  18. 18. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesc) Encefalite Espongiforme Vídeo – Ação dos Príons Sintomas de um portador de Creutzfeldt Jacob
  19. 19. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária)
  20. 20. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária) Pandemias históricas causadas por vírus influenza. 1918-1919 - gripe espanhola (H1N1) 20-40 milhões de mortes. 1957-1958 - gripe asiática (H2N2) 2 milhões de mortes. 1968-1969 - gripe de Hong Kong (H3N2) 1 milhão de mortes. 2009 - .... Gripe Suína?
  21. 21. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária) Natural hosts of influenza viruses Haemagglutinin subtype Neuraminidase subtype H1 N1 H2 N2 H3 N3 H4 N4 H5 N5 H6 N6 H7 N7 H8 N8 H9 N9 H10 H11 H12 H13 H14 H15
  22. 22. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária)
  23. 23. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária) Agente Etiológico: Vírus Influenza H5N1 Forma de transmissão: Contato direto com secreções de aves infectadas pelo vírus através do ar, água, alimentos ou roupas contaminadas. Sintomas: Febre alta, dores musculares, dificuldades e problemas respiratórios. A maioria das aves morre 24 horas após o contágio. O vírus atualmente só é transmitido de aves para seres humanos. O grande perigo consiste no vírus sofrer alguma mutação que o permita ser transmitido de humano para humano. Tratamento: Não existe. Profilaxia: Sacrificar todos os animais que possam estar infectadas pelo vírus.
  24. 24. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesd) Influenza H5N1 (Gripe Aviária)
  25. 25. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentese) Pneumonia Asiática (SARS – Síndrome Respiratória Aguda Severa) Agente Etiológico: Coranovírus Forma de transmissão: Contato direto com secreções de pessoas infectadas pelo vírus através do ar, água, alimentos ou roupas contaminadas. Sintomas: Febre alta, calafrios, dores musculares, dificuldades e problemas respiratórios. A doença surgiu na China em 2002 e, devido a movimentos migratórios humanos, houveram vários casos nos EUA, Europa e África. Tratamento: Hidratação e Tratamento de infecções. Profilaxia: • Evitar viagens desnecessárias para locais que apresentem casos da doença. • Tratamento dos doentes • Não há vacina.
  26. 26. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)
  27. 27. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesComo tudo começou...
  28. 28. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesComo tudo começou...
  29. 29. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesComo tudo começou...
  30. 30. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1) Doença infecto-contagiosa ocasionada por variante do VÍRUS INFLUENZA. O vírus suíno foi isolado pela 1ª vez em 1930 no porco. A linhagem INFLUENZA A surgiu, possivelmente, de mutação de material genético de vírus humano, suíno e aviário, que se encontraram em porcos. Vídeo – Origem H1N1
  31. 31. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)Transmissão  Contato direto com pessoas contaminadas (vias respiratórias) o Fala o Tosse o Espirro o Gotículas de saliva (aerossol)  Contato direto com suínos contaminados  Transmissão indireta o Mãos contaminadas (levadas à boca) o Objetos contaminados com partículas virais (saliva/secreções)  Não há contaminação por ingestão de carne de porco
  32. 32. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)Sintomas: Diferenças entre Influenza A (gripe suína) e o Influenza Sazonal (gripe comum).
  33. 33. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)Ação Viral Infecção aguda no sistema respiratório. Promove a destruição de células do trato respiratório. Torna o organismo susceptível ao desenvolvimento de pneumonia. Vídeo - ação viral
  34. 34. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1) Casos/óbitos no mundo (15/07/2009)
  35. 35. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)Tratamento  Alimentação balanceada  Hidratação das vias aéreas  Analgésico  Uso de antivirais: Oseltamivir (Tamiflu) e Zanamivir Obs: Não existe ainda vacina para o Influenza A. Previsão (Outubro 2009). Fonte: www.agenciabrasil.gov.br
  36. 36. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas emergentesf) Gripe Suína (Influenza A – H1N1)Profilaxia (Prevenção)  Hábitos de higiene regulares.  Lavar periodicamente as mãos.  Controle de aerossóis-perdigotos (utilizar lenços descartáveis).  Evitar locais com aglomerado de pessoas e pouca ventilação.  Evitar o contato com pessoas doentes.  Evitar viagens desnecessárias para locais com grande incidência de casos.
  37. 37. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas reemergentes Doenças infecciosas reemergentes são as que reaparecem após um período de declínio significativo.Incidência Reemergentes Anos
  38. 38. Doenças Emergentes e Reemergentes2) Principais doenças infecciosas reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.1) Febre Amarela I) Agente Etiológico Vírus da Febre Amarela (Flavivírus – Vírus de RNA) II) Agente Vetor Aedes aegypti (Ambiente Urbano) Haemagogos (Ambiente Silvestre) III) Hospedeiros Vertebrados Macacos e Roedores (Ambiente Silvestre) Homem (Quando este invade o ambiente silvestre sem vacinação prévia) Obs: A febre amarela urbana não é mais relatada no Brasil desde 1960.
  39. 39. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.1) Febre Amarela IV) Transmissão Através da picada do mosquito Hemagogos contaminado em regiões endêmicas, que no Brasil, se referem as regiões Norte e Centro-Oeste. V) Ciclo Biológico Haemagogos Aedes aegypti
  40. 40. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.1) Febre Amarela V) Áreas de Risco
  41. 41. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.1) Febre Amarela Destruição de células do fígado e VI) Sintomas células endoteliais (hemorragias). • Icterícia • Hemorragia (vômito escuro) • Insuficiência renal aguda (albuminúria intensa) • Febre de início súbito, com duração máxima de 12 dias • Calafrios • Dor de cabeça intensa • Dores musculares • Prostração Forma grave (50% dos infectados) • Danos endoteliais (microtromboses) • Anóxia Tissular • Choque
  42. 42. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.1) Febre Amarela VII) Tratamento • Não existe tratamento específico. • Uso de medicamentos que diminuem os sintomas da doença. VIII) Profilaxia • Uso de vacina (bastante eficiente) – Duração: 10 anos. • Combate ao mosquito vetor. • Evitar áreas endêmicas sem vacinação prévia.
  43. 43. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.2) Dengue Agente Etiológico: Vírus da dengue (Tipo I, II, III e IV). Forma de transmissão: Através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti e Aedes Abopictus. Sintomas: Dores lombares, tonteiras, desmaios e febre aguda. Na forma hemorrágica, além dos sintomas acima, ocorre alterações no sistema de coagulação sanguínea onde pequenos vasos podem sangrar na pele e em órgãos internos, levando a hemorragias. Tratamento: O tratamento consistem apenas na tentativa de remediar os sintomas. A aspirina é contra-indicado por interferir na coagulação sanguínea. Profilaxia: Não possui cura. Eliminação de criadouros do mosquito objetos que acumulem água parada Utilização de inseticidas e repelentes.
  44. 44. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.2) Dengue Alternativas... Controle biológico - Tilápia Armadilha - Criada no ICB/UFMG Armadilha feita com garrafa PET
  45. 45. Doenças Emergentes e Reemergentesa) Febres Hemorrágicasa.2) Dengue - Sintomas
  46. 46. Doenças Emergentes e Reemergentesb) Cólera Agente Etiológico: Vibrio cholerae Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Ação da bactéria: No intestino a bactéria produz uma toxina (enterotoxina) que provoca um descontrole no funcionamento das células intestinais. Sintomas: Vômitos, diarréia intensa, desidratação severa. Os sintomas são causados por uma toxina produzida pelas bactérias. Tratamento: Medicamentos específicos que elimina as bactérias. Profilaxia: Educação sanitária e saneamento básico. A vacina é pouco eficaz e de curta duração. Só é recomendada para quem viaja para locais onde existe a doença.
  47. 47. Doenças Emergentes e Reemergentesb) Cólera
  48. 48. Doenças Emergentes e ReemergentesC) Hepatite B e C Agente Etiológico: Vírus da Hepatite B e C Forma de transmissão: Contato com o sangue de pessoas contaminadas. Geralmente o contágio se dá por contato sexual, compartilhamento de seringas e transfusão de sangue. A hepatite C se não tratada rapidamente Sintomas: Inflamação do fígado pode evoluir para o quadro de cirrose. Dores de cabeça e do corpo Pele e olhos amarelados Náuseas Vômitos Tratamento: Utilização de medicamentos que inibem a ação viral. Profilaxia: Hepatite B - Vacina específica. Hepatite C - Uso de preservativos nas relações sexuais, controle dos bancos de sangue, utilizar somente seringas descartáveis e não as compartilhar.
  49. 49. Doenças Emergentes e ReemergentesC) Hepatite B e C Vírus da hepatite B e C Vírus Capsulado

×