Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Iluminismo

22,912 views

Published on

  • Be the first to comment

Iluminismo

  1. 1. O Iluminismo “ Liberdade, Igualdade, Fraternidade”
  2. 2. Introdução <ul><li>Iluminismo, Ilustração, Aufklärung </li></ul><ul><li>“ Liberdade, igualdade, fraternidade” </li></ul><ul><li>Século XVIII: o “Século das Luzes” </li></ul><ul><li>Século XVIII: a “Era das Revoluções” (Independência dos EUA, Revolução Industrial, Revolução Francesa) </li></ul><ul><li>A ascensão da burguesia e o choque com a nobreza </li></ul><ul><li>Crise do Antigo Regime (absolutismo, sociedade estamental e mercantilismo) </li></ul><ul><li>Movimentos precursores: Renascimento e Revolução Científica do século XVIII </li></ul><ul><li>O racionalismo moderno </li></ul><ul><li>Iluminismo  Liberalismo político e econômico </li></ul>
  3. 3. Iluminismo: definição <ul><li>Movimento filosófico que se iniciou na França a partir do século XVIII, caracterizado pela confiança na razão e nas ciências como motores do progresso e da realização da felicidade humana. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>&quot; O Iluminismo representa a saída dos seres humanos de uma tutelagem que estes mesmos se impuseram a si. Tutelados são aqueles que se encontram incapazes de fazer uso da própria razão independentemente da direção de outrem. É-se culpado da própria tutelagem quando esta resulta não de uma deficiência do entendimento mas da falta de resolução e coragem para se fazer uso do entendimento independentemente da direção de outrem. Sapere aude! Tem coragem para fazer uso da tua própria razão! - esse é o lema do Iluminismo &quot;. </li></ul><ul><li>( O que é iluminismo? – Immanuel Kant) </li></ul>
  5. 5. Características <ul><li>Os filósofos iluministas concebiam a razão e a ciência como luzes, capazes de dissipar as trevas do fanatismo e da ignorância. </li></ul><ul><li>Crítica às estruturas políticas, econômicas, sociais e culturais do Antigo Regime como: </li></ul><ul><li>O absolutismo monárquico </li></ul><ul><li>A teoria do direito divino dos reis </li></ul><ul><li>Os privilégios do clero e da nobreza (isenção fiscal, foro privilegiado) </li></ul><ul><li>Os resquícios do feudalismo como a servidão e os impostos sobre a terra </li></ul><ul><li>A intervenção do estado na economia (política mercantilista) </li></ul><ul><li>A intervenção da Igreja nos assuntos públicos (política, educação, cultura) </li></ul><ul><li>Sociedade aristocrática </li></ul>
  6. 6. Características <ul><li>Os filósofos iluministas defendiam: </li></ul><ul><li>Uma sociedade regida pela razão e pela ciência </li></ul><ul><li>Sociedade laica (separação entre Igreja e Estado) </li></ul><ul><li>Fim do absolutismo monárquico </li></ul><ul><li>Governos democráticos (alguns) ou limitação do poder real (monarquia parlamentarista) </li></ul><ul><li>Liberdade comercial, política e de consciência </li></ul><ul><li>Direitos naturais: propriedade, igualdade jurídica e liberdade </li></ul><ul><li>Sociedade meritocrática </li></ul>
  7. 7. Os Precursores <ul><li>A revolução científica do século XVII </li></ul><ul><li>Francis Bacon (1561 – 1626) </li></ul><ul><li>Novo Organum </li></ul><ul><li>o método experimental (empirismo) </li></ul><ul><li>“ Saber é poder” </li></ul>
  8. 8. Os Precursores <ul><li>René Descartes (1596 – 1650) </li></ul><ul><li>Discurso sobre o método </li></ul><ul><li>Meditações </li></ul><ul><li>O método para encontrar a verdade nas ciências (ceticismo metodológico) </li></ul><ul><li>Penso, logo, existo ( cogito, ergo sun) </li></ul>
  9. 9. Os Precursores <ul><li>Isaac Newton (1642-1727) </li></ul><ul><li>Princípios Matemáticos de Filosofia Natural </li></ul><ul><li>O pai da mecânica clássica (lei da gravitação universal) </li></ul>
  10. 10. Os Precursores <ul><li>John Locke (1632-1704) </li></ul><ul><li>Dois tratados sobre o governo </li></ul><ul><li>Ensaio acerca do entendimento humano </li></ul><ul><li>O teórico da Revolução Inglesa e da independência dos EUA </li></ul><ul><li>Liberal, defendia o direito à vida, liberdade e propriedade. </li></ul>
  11. 11. Os filósofos iluministas <ul><li>Montesquieu (1689 – 1755) </li></ul><ul><li>O espírito das leis </li></ul><ul><li>Cartas persas </li></ul><ul><li>Combate ao absolutismo </li></ul><ul><li>A teoria da separação e do equilíbrio entre os três poderes (executivo, legislativo e judiciário) </li></ul>Palácio da Alvorada Congresso Nacional Supremo Tribunal Federal
  12. 12. Os filósofos iluministas <ul><li>Voltaire (1694-1778) </li></ul><ul><li>Cartas inglesas </li></ul><ul><li>Críticas mordazes à sociedade e à cultura do Antigo Regime </li></ul><ul><li>&quot;O preconceito é uma opinião não submetida a razão.&quot; </li></ul><ul><li>&quot;Não concordo com uma única palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-la.&quot; </li></ul>
  13. 13. Os filósofos iluministas <ul><li>Denis Diderot (1713-1784) e Jean d’Alembert (1717 – 1783) </li></ul><ul><li>A Enciclopédia (35 volumes entre 1751 e 1780) </li></ul>
  14. 14. Capa da Enciclopédia
  15. 15. Os filósofos iluministas <ul><li>Jean Jacques Rousseau (1712-1778): </li></ul><ul><li>O Contrato Social </li></ul><ul><li>Discurso sobre a origem e fundamento das desigualdades entre os homens </li></ul><ul><li>A teoria da vontade geral (a soberania reside no povo) </li></ul><ul><li>A razão das desigualdades sociais </li></ul><ul><li>O homem nasce bom, a sociedade o corrompe </li></ul><ul><li>Crítica à noção de progresso e à propriedade privada </li></ul><ul><li>A teoria do bom selvagem </li></ul>
  16. 16. Iluminismo e Economia <ul><li>O liberalismo econômico: combate aos monopólios do mercantilismo </li></ul><ul><li>Os fisiocratas: Turgot, Quesnay e Gournay </li></ul><ul><li>A riqueza vem da terra (fisiocracia) </li></ul><ul><li>&quot;Laissez-faire, laissez-passer: le monde va de lui même “ (Deixai fazer, deixar passar, o mundo caminha por si) </li></ul>
  17. 17. Iluminismo e Economia <ul><li>David Ricardo: teoria do valor-trabalho </li></ul>
  18. 18. Iluminismo e Economia <ul><li>Adam Smith (1723 – 1790) </li></ul><ul><li>Investigação sobre a Natureza e Causas da Riqueza das Nações (1776) </li></ul><ul><li>O livre mercado ( a “mão invisível”): a lei da oferta e da procura como agentes reguladores do mercado </li></ul>
  19. 19. Iluminismo e Economia <ul><li>Thomas Malthus (1766 – 1834) </li></ul><ul><li>Ensaio sobre a população </li></ul><ul><li>“ A população cresce em progressão geométrica, ao passo que a subsistência vai em progressão aritmética” </li></ul>
  20. 20. O Absolutismo Ilustrado <ul><li>Absolutismo ilustrado? </li></ul><ul><li>Catarina II da Rússia </li></ul>
  21. 21. O Absolutismo Ilustrado <ul><li>Frederico II da Prússia </li></ul>
  22. 22. O Absolutismo Ilustrado <ul><li>Carlos III da Espanha e o Conde de Aranda (1° ministro) </li></ul>
  23. 23. O Absolutismo Ilustrado <ul><li>José II da Áustria </li></ul>
  24. 24. O Absolutismo Ilustrado <ul><li>Marquês de Pombal, ministro de Dom José I de Portugal </li></ul>
  25. 25. A Maçonaria <ul><li>Sociedade filosófica, iniciática, deísta (alguns ritos) e filantrópica, surgida na Europa do século XVIII, no contexto do Iluminismo, e que crê na evolução moral e intelectual da humanidade. </li></ul><ul><li>É caracterizada por símbolos, reuniões, ritos, rituais e pelo segredo exigido de seus membros. </li></ul><ul><li>A maioria das obediências maçônicas aceitam somente os homens. </li></ul><ul><li>Foi contemporânea à consolidação da burguesia e seus membros estiveram tiveram participação ativa na Independência Americana, na Revolução Francesa, na Inconfidência Mineira e nas Independências Latino-americanas. </li></ul>
  26. 28. Maçonaria e Inconfidência Mineira

×