Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sistemas Agrícolas

10,985 views

Published on

Aula de Geografia agrária

Published in: Education

Sistemas Agrícolas

  1. 1. GEOGRAFIAGEOGRAFIA AGRÁRIAAGRÁRIA Prof. João Paulo
  2. 2. TÉCNICA AGRÍCOLATÉCNICA AGRÍCOLA Propriedade da terra: pequenas, médias e grandes propriedades. Nível tecnológico: uso intensivo de maquinas, produtos orgânicos, braçal.... Relações de trabalho: parceria, arrendamento, trabalhador rural, meeiro. Destino da produção: mercado local, regional, nacional ou internacional.
  3. 3. Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas  É o modo como os produtores realizam a atividade agrícola em uma determinada área. Os sistemas agrícolas são classificados em:  Agricultura itinerante  Agricultura camponesa  Agricultura de jardinagem  Plantation  Sistemas coletivistas  Moderna empresa agrícola
  4. 4. Agricultura ItineranteAgricultura Itinerante  Agricultura itinerante é um dos métodos utilizados na agricultura. Consiste em atear fogo na mata, a queimada, para então seguir com o destocamento e semear a terra. É aplicada em áreas de agricultura descapitalizada. A produção é feita em pequenas e médias propriedades, como também em grandes latifúndios. Os indígenas a utilizam amplamente.  Baixo nível tecnológico.  Técnicas tradicionais, como a coivara (queimada).  Falta de conservação do solo.  Escassez de capital para investimentos.  Produção voltada para a subsistência.  Organização familiar.
  5. 5. Agricultura CamponesaAgricultura Camponesa O trabalho é familiar, é um modo de vida. Principal fundamento é o trabalho não- assalariado. Relações de trabalho não capitalistas: pequenas propriedades, parcerias e arrendamento. Falta de investimentos e apoio do governo. Baixa produtividade.
  6. 6. A diversidade cria identidades locais e ambientais. Liga território, práticas sociais, ambiente e cultura. Cimenta identidades culturais que se transformam em trincheiras de resistência. Produz sujeitos políticos coletivos que lutam por direitos, por tradições, por sobrevivência e por perspectivas de futuro sem destruição de sua própria história e seus meios de vida. Levanta o desafio do diálogo, do respeito e da construção da unidade política entre várias culturas e identidades camponesas para a luta comum pelo direito à existência e pelo direito à construção do futuro!
  7. 7. Agricultura de JardinagemAgricultura de Jardinagem  Agricultura de jardinagem é uma expressão que se originou no sul e sudeste da Ásia, onde há uma enorme produção de arroz em planícies inundáveis, com utilização intensiva de mão de obra.  Pelas características do plantio do arroz ser feito em mudas e ocupando grandes áreas o seu aspecto lembra de um grande jardim, daí o seu nome.  Característica do Sudeste Asiático e Extremo Oriente.  China, Indonésia, Tailândia, Malásia, Japão, entre outros.  Utilização intensiva de mão-de-obra.  Produção voltada ao mercado interno.  Utilização de pequenos espaços e toda e qualquer área onde é possível produzir alimentos.  Necessidade de gerar emprego para a população rural.
  8. 8. PlantationPlantation  Plantation é um tipo de sistema agrícola (uma plantação)  baseado em uma monocultura de exportação mediante a  utilização de latifúndios e mão-de-obra escrava. Foi bastante  utilizado na colonização da América -sendo mais tarde fora  levada para a África e Ásia-, principalmente no cultivo de  gêneros tropicais e é atualmente comum a países  subdesenvolvidos, com as mesmas características, exceto,  obviamente, por não mais empregar mão-de-obra escrava.  Característica do processo de colonização.  Grandes propriedades rurais.  Monocultura de exportação.  Mão-de-obra assalariada de baixo custo.  Sistema predominante na América Latina, África e Ásia.
  9. 9. PlantationPlantation Baixo investimento em tecnologia. Enriquecimento dos grandes proprietários  rurais e empobrecimentos dos  trabalhadores rurais. Emergência de conflitos no campo.
  10. 10. Sistemas ColetivistasSistemas Coletivistas  Agricultura coletivista: organizada segundo as necessidades  sociais do país onde é praticada, não se volta para o mercado  externo, a procura de lucros. (ex.: Kibutzim em Israel,  fazendas estatais com trabalho comunitário, elevados níveis  de integração social e finalidade de defesa militar).  Ocorreu nos antigos países socialistas: URSS, China, entre  outros.  Sociedades primitivas.  Período recente: Israel.  Kibutz: a propriedade e o trabalho da terra são coletivos.   Da mesma forma, o dinheiro da venda da produção é dividido  com a comunidade.
  11. 11. Moderna Empresa AgrícolaModerna Empresa Agrícola Alto grau de capitalização e organização  empresarial. Estados Unidos, Canadá, União Européia,  Brasil, Argentina, entre outros. Produção voltada ao mercado internacional,  ex: soja, milho, algodão, trigo, frutas. Venda na Bolsa de Mercadorias de Chicago.
  12. 12. Moderna Empresa AgrícolaModerna Empresa Agrícola Mecanização intensa. Biotecnologia/ produtos transgênicos. Interesses especulativos de grandes  empresas. Dificuldades de pequenos e médios  agricultores em competir no mercado  internacional nesse segmento.
  13. 13. Atividades agrícolas na nova DITAtividades agrícolas na nova DIT  Divisão Internacional do Trabalho.  Países centrais: produção baseada na  utilização de modernas tecnologias, elevado  padrão de vida dos agricultores e  organização do setor (Protecionismo).  Países periféricos e semi-periféricos: baixa  qualidade de vida da população rural,  dificuldades em suprir as necessidades de  alimentação da população local, conflitos e  diferentes sistemas agrícolas.
  14. 14.  (foto 1) Subsídios agrícolas da UE prejudicam contribuintes europeus e agricultores africanosGrandes empresas do setor de alimentos, e não pequenos agricultores, são os maiores beneficiados com os bilionários subsídios agrícolas da União Europeia (UE). O prejuízo é dos contribuintes europeus e dos produtores dos países pobres. Na UE, os 60% menores produtores recebem 10% do dinheiro dos subsídios, e 2% do andar de cima ficam com 25%. (foto 2)  Subsídios agrícolas e energias renováveis são alguns dos focos de discórdia da Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Rio +10), que foi aberta nesta segunda-feira (16/8) em Johannesburgo.
  15. 15. As atividades rurais no BrasilAs atividades rurais no Brasil País de população predominantemente urbana. Um dos maiores produtores agrícolas mundiais. A agricultura ainda é um setor importante na economia brasileira (commodities). Geração de pouco emprego no campo.
  16. 16. As atividades rurais no BrasilAs atividades rurais no Brasil A agricultura responde por 10% do PIB, porém, a participação do setor tem aumentado nos últimos anos. Grande parte da agricultura está atrelada a agentes econômicos urbanos (bancos, indústrias alimentícias, entre outras). Produtos de exportação: soja, fumo, algodão, cana-de-açúcar, carne, frutas tropicais, laranja, entre outros produtos.
  17. 17. As atividades rurais no BrasilAs atividades rurais no Brasil Expansão do agronegócio em áreas de fronteira agrícola ou de sistemas agrícolas menos produtivos. Proálcool (fonte energética). Forte concentração da propriedade da terra. Manutenção da precariedade das relações de trabalho e condições de vida na zona rural.
  18. 18. A estrutura fundiáriaA estrutura fundiária 1970: criação do INCRA (Instituto de Colonização e Reforma Agrária). Colonização da Amazônia. Minifúndio: a propriedade é inferior a um módulo rural (quantidade de terra necessária para um trabalhador e sua família se sustentarem). O módulo rural varia de uma região para outra.
  19. 19. As relações de trabalho no campoAs relações de trabalho no campo As relações de trabalho no campo se diferenciam de acordo com o tipo de produção. Pode-se verificar também mudanças nos tipos de relação de trabalho de acordo com a região. Região Sudeste: territorialização do capital. Expulsão dos pequenos proprietários e expansão da cana-de-açúcar e laranja (moderna agricultura).
  20. 20. As relações de trabalho noAs relações de trabalho no campocampo  Região Sul: predomínio dos pequenos produtores, porém, atrelados a grandes empresas (fumo, suínos, aves).  Regiões Norte e Nordeste: bolsões de pobreza em meio a latifúndios.  Região Centro-Oeste: pouca geração de emprego em um região aonde o agronegócio é a principal atividade econômica.  Migrações motivadas por atividades rurais: bóias- frias.  A maioria dos trabalhadores não tem estabilidade, nem garantia de direitos trabalhistas.
  21. 21. Os sistemas agrícolas se distinguem a partir do tamanho da área cultivada e do índice de produtividade alcançado.
  22. 22. Quando falamos em sistemas agrícolas, nos referimos à agricultura, que se apresenta de duas formas: agricultura intensiva e agricultura extensiva
  23. 23. Na agricultura intensiva, é usado em todas as etapas da produção um grande número de insumos. Esse tipo de sistema agrícola é marcado pela aplicação de técnicas e tecnologias
  24. 24. Faz parte da agricultura intensiva: a mecanização (tratores, colheitadeiras, plantadeiras, implementos, etc.) aliada ao uso de insumos, que são aplicados na preparação do solo, além de sementes selecionadas que são imunes de pragas e adequadas ao tipo de clima, herbicidas, inseticidas, entre outros
  25. 25. • Para o desenvolvimento de todas as etapas existe o acompanhamento de um técnico (um agrônomo ou um técnico agrícola).
  26. 26. Esse sistema de produção agrícola é conhecido também como agricultura moderna ou comercial; seus produtos têm como destino a exportação
  27. 27. Na agricultura extensiva são usados os elementos dispostos na natureza sem a inserção de tecnologias, por isso possui uma baixa produtividade
  28. 28. A produção depende unicamente da fertilidade natural do solo; por não usar insumos agrícolas é necessário ocupar grandes áreas de cultivo.
  29. 29. A agricultura extensiva é bastante difundida em diversos países da América Latina, África e Ásia.
  30. 30. Esse sistema agrícola é marcado especialmente pela agricultura itinerante ou roça tropical.

×