Curso nova ortografia da lingua portuguesa

824 views

Published on

Materiais sobre Língua Portuguesa, Inglês, Espanhol, Redação e Marketing.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Curso nova ortografia da lingua portuguesa

  1. 1. História da Língua Portuguesa Origem na língua latina, no latim bárbaro, falado pelo povo de Lácio (linguagem informal). A língua portuguesa teve origem do latim, bem como a língua espanhola, a romena e em vários países que foram conquistados por Roma. O povo romano, através da expansão dos seus territórios, implantava a língua latina nos povos conquistados. A língua é viva! Ela também evolui quando se usa ou para no tempo quando é deixada de ser usada Nessa nova reforma ortográfica, temos uma nova evolução da língua portuguesa, após acordo fechado entre os povos dela falantes..
  2. 2. R E V I S Ã O Antes de falarmos da Nova ortografia da Língua Portuguesa, vamos recuperar alguns conceitos básicos da nossa língua que devemos ter sempre em mente quando falarmos em ortografia: PRONOME = substitui o nome SUBSTANTIVO = nome ADJETIVO = qualidade VERBO = ação ADVÉRBIO = modifica o verbo ou adjetivos:
  3. 3. NOSSO ALFABETO Nosso alfabeto atual: Atualmente ele é composto de 26 letras, já íncluídas as da nova ortografia: K W e Y. Ex.: Kilo, Watt, Show, playboy, playground, Kung Fu, Willian, Kaiser, etc.
  4. 4. ACENTOS EM DITONGOS • NÃO SE UMA MAIS ACENTOS EM DITONGOS ABERTOS ( éi e ói das palavras paroxítonas) ANTES DEPOIS Coréia Coreia Idéia ideia jóia Joia Paranóia paranoia Ex.: adenoide, alcaloide, amenorreia, apneia, cefaleia, corticoide, corticoesteroide, diarreia, dispneia, esteroide, mastoide, mieloide, opioide, otorreia, paranoia, paranoico, proteico, tipoia, traqueia, ureia. > ATENÇÃO: continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas e monossílabos tônicos terminados em EIS E OI(S) ex.papéis, herói, heróis, dói, sóis, etc. > NÃO SE USA MAIS nas palavras PAROXÍTONAS acento no I ou U TÔNICOS quando vierem após um DITONGO. Ex.: Baiúca = baiuca / bocaiúva = bocaiuva > ATENÇÃO: Nas palavras OXÍTONAS e o I ou U estiverem no final(com s ou não), PERMANECE O ACENTO. Ex: tuiuiú, tuiuiús, Piauí. > ATENÇÃO: O acento PERMANCE se o I ou U forem precedidos de ditongo crescente. Ex.: guaíba, Guaíra
  5. 5. OO/EEM > Palavras terminadas em ÔO(S). NÃO se usa mais o acento. Ex.: abencôo abençoo enjôo enjoo dôo doo perdôo perdoo vôo voo zôo zoo > Palavras terminadas em ÊEM: NÃO se usa mais acento. Ex.: creêm creem deêm deem lêem leem vêem veem
  6. 6. CAIU O ACENTO DIFERENCIAL > ACENTOS DIFERENCIAS: NÃO SE USA MAIS. Ex.: pára para ex.; ele para o carro / ele olha para o carro pólo polo ex.: ele foi ao polo norte/ele gosta de jogar polo pêlo pelo ex.: gato de pelos brancos / o amor de um pelo outro > EXCEÇÃO: PERMANCE O ACENTO DIFERENCIAL EM: PÔDE/PODE e PÔR/POR Ex.: Ontem, ela não pôde sair mais cedo, mas hoje ela pode. Vou pôr o livro na estante da sala, que foi feita por mim.
  7. 7. TER/MANTER/DETER/CONTER > ATENÇÃO: VERBOS TER, MANTER, DETER, RETER, CONTER, VIR, CONVIR, ADVIR, INTERVIR e seus derivados: USA-SE ACENTO DIFERENCIAL NESSES VERBOS PARA SINGULAR E PLURAL: Ex.: Ela tem dois carros. /elas têm dois carros. Ela, agora, detem o poder. / elas, agora, detêem o poder. Essa enfermeira convem ao hospital. / Essas enfermeiras convêem ao hospital. Essa moça, auxiliar de enfermagem, vem de Metrô todo dia. / Essas moças, vêm de Metrô todo dia.
  8. 8. HÍFEN > Uso do hífen com compostos: USA-SE O HÍFEN quando as palavras formadas em composição não apresentam elementos de ligação, são palavras que no seu sentido original são autônomas: Ex.: guarda-chuva, arco-iris, boa-fé, segunda-feira, mesa- redonda, vaga-lume, joão-ninguém, porta-malas, porta-bandeira, pão- duro, bate-boca. > NÃO SE USA O HÍFEN EM PALAVRAS QUE PERDERAM A NOÇÃO DE COMPOSIÇÃO: Ex.; girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista, paraquedismo. USA-SE O HÍFEN QUANDO AS PALAVRAS FORMADAS TÊM PALAVRAS IGUAIS OU QUASE IGUAIS, SEM MANTER ELEMENTOS DE LIGAÇÃO: Ex.: reco-reco, blá-blá-blá, zum-zum, tico-tico, tique-taque, cri- cri, glu-glu, rom-rom, pingue-pongue, zigue-zague, esconde-esconde, pega-pega, corre-corre.
  9. 9. > NÃO SE USA O HÍFEN em compostos que apresentam elementos de ligação. Ex.: pé de moleque, pé de vento, pai de todos, dia a dia, fim de semana, cor de vinho, ponto e vírgula, camisa de força, cara de pau, olho de sogra. > NÃO SE USA HÍFEN em compostos oracionais: Ex.: maria vai com as outras, leva e traz, diz que diz que, deus me livre, deus nos acuda, cor de burro quando foge, bicho de sete cabeças, faz de conta. EXCEÇÕES: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que- perfeito, pé-de-meia, ao-deus-dará, à-queima-roupa. HÍFEN
  10. 10. > USA-SE O HÍFEN nos compostos entre cujos elementos há o emprego de APÓSTROFO. Ex.: gota-d'água, pé-d'água. > USA-SE O HÍFEN nas palavras compostas derivadas de TOPÔNIMOS (nomes próprios de lugares), com o sem elementos de ligação. Ex.: Belo Horizonte, belo-horizontino, Porto Alegre, porto-alegrense, Mato Grosso do Sul, mato-grossense-do-sul, Rio Grande do Norte, rio-grandense-do- norte, África do Sul, sul-africano. > USA-SE O HÍFEN nos compostos que designam espécies animais e botânicas (nomes de plantas, flores, frutos, raízes, sementes) que tenham ou não elementos de ligação. Ex.: bem-te-vi, peixe-espada, peixe-do-paraíso, mico-leão-dourado, andorinha- da-serra, lebre-da-patagônia, erva-doce, evilha-de-cheiro, pimenta-do-reino, peroba-do-campo, cravo-da-índia. HÍFEN
  11. 11. > ATENÇÃO: NÃO SE USA HÍFEN, quando os compostos que designam espécies botânicas e zoológicas são empregados fora do seu sentido original; Ex.: bico-de-papagaio (planta ornamental), bico de papagaio (deformação das vértebras), olho-de-boi (espécie de peixe), olho de boi (selo postal) USO DO HÍFEM COM PREFIXOS > USA-SE O HÍFEN diante de palavras iniciadas por H. Ex.: anti-higiênico, anti-histórico, macro-história, sobre-humano, proto- história, mini-hotel, super-homem, ultra-humano, anti-helmintico, anti- higienico, infra-hepático, auto-hemoterapia. > USA-SE O HÍFEN se o PREFIXO terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra. Ex.: micro-ondas, micro-organismo, anti-inflacionário, sub-bibliotecário, inter-regional. > NÃO SE USA O HIFEN se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra. Ex.: autointoxicação, autoescola, antiaéreo, intermunicipal, supersônico, superinteressante, agroindustrial, aeroespacial, semicírculo. HÍFEN
  12. 12. > NÃO SE USA HÍFEN SE O PREFIXO TERMINAR POR VOGAL E A OUTRA PALAVRA COMEÇAR POR R OU S, DOBRAM-SE ESSAS LETRAS. Ex.: minissaia, antirracismo, ultrassom, semirreta, antirrugas, antissepsia, antisséptico, ultrassensivel, ultrassensivel, > Com prefixos SUB E SOB, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por R. Ex.: sub-região, sub-reitor, sub-regional, sob-roda. > Com prefixos CIRCUM E PAN, usa-se o hífen diante de palavras iniciadas por M,N, e vogal. Ex.: circum-murado, circum-navegação, pan-americano, pan-oftalmia, pan- osteíte, pan-mielopatia > USA-SE o HÍFEN com os prefixos SEM, ALÉM, AQUÉM, RECÉM, PÓS, PRÉ, PRÓ, VICE. Ex.: além-mar, além-túmulo, aquém-mar, ex-aluno, ex-diretor, ex-hospedeiro, ex-prefeito, ex-presidente, pós-graduação, pré-história, pré-vestibular, pró- europeu, recém-casado, recém-nascido, sem-terra, vice-rei, pré-clínico, pré- anestésico, pré-coma, pré-crítico, pré-diabetes, pré-eclâmpsia, pré-frontal, pré- ganglionar, pré-hipófise, pré-ictal, pré-medicação, pré-mestrual, pré-natal, pré- operatório, pré-pilórico, pré-senil. HÍFEN
  13. 13. > Quando o prefixo CO junta-se com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por O ou H. Ex.: coobrigação Nesse último caso, corta-se o H. Ex.: coabitação Se a palavra seguinte começar por R ou S, dobram-se essas letras. Ex.: corréu, corresponsável, cosseno. Outros Exs.: coedição cofundador, coerdeiro, PREFIXOS
  14. 14. PREFIXOS > Com o prefixo PRE E RE NÃO se usa hífen, mesmo diante de palavras começadas por E Ex.: preexistente, preelaborar, reescrever, reedição. > Com prefixos AB, OB e AD, USA-SE O HÍFEN diante de palavra começada por B,D e R Ex.: ad-digital, ad-renal, ob-rogar, ab-rogar > Com palavras NÃO e QUASE NÃO SE USA O HÍFEN. Ex.: não agressão, quase delito > Com palavras começadas por MAL, USA-SE O HÍFEN quando a palavra seguinte começar por VOGAL, H, ou L Ex.: mal-entendido, mal-estar, mal-humorado, mal-limpo. > ATENÇÃO: QUANDO "MAL" SIGNIFICA DOENÇA, USA-SE O HÍFEN SE NÃO HOUVER ELEMENTO DE LIGAÇÃO. Ex.: mal-francês.
  15. 15. > Se houver elemento de ligaççao, escreve-se sem o hífen. Ex.: mal de lázaro, mal de sete dias. > PREFIXOS DE ORIGEM TUPI-GUARANI: USA-SE O HÍFEN COM SUFIXOS QUE REPRESENTAM FORMAS ADJETIVAS, COMO 'AÇU","GUAÇU", "MIRIM". Ex.: capim-açu, amoré-guaçu, anajá-mirim. > ENCADEAMENTOS VOCABULARES: usa-se o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando não propriamente um vocábulo, mas encadeamentos vocabulares. Ex.: ponte Rio-Niteroi, eixo Rio-São Paulo PREFIXOS
  16. 16. REDAÇÃO Toda e qualquer redação deve sempre seguir uma estrutura de: INTRODUÇÃO > onde se apresenta o tema que será abordado. DESENVOLVIMENTO > onde o tema é abordado com uso de fatos e argumentos CONCLUSÃO > onde se encerra o assunto finalizando as ideias Obs.: Uma boa redação tem no mínimo 15 linhas podendo ser divididas em 5 linhas para cada parte da estrutura.
  17. 17. REDAÇÃO Redações para Provas ou Concursos devem ser escritas na linguagem DISSERTATIVA. > A Dissertação deve ser baseada em fatos, nunca poderá ser uma história contada. > Tem um tom de notícia > Não deve conter perguntas ou a opinião de quem escreve.

×