IST5

3,322 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,322
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
15
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

IST5

  1. 1. Infecções sexualmente <br />transmissíveis<br />Tricomoníase<br />
  2. 2. Introdução<br />Este trabalho foi proposto pela professora Cláudia Cadavez de Ciências Naturais, com o intuito de ficarmos a saber quais os tipos de infecções sexualmente transmissíveis . <br /> No presente trabalho pretendo dar a conhecer o significado de Doenças Sexualmente Transmissíveis.<br />Vamos falar mais em concreto da doença tricomoníase<br />
  3. 3. O que são IST’s?<br />IST&apos;ssão:<br />As IST&apos;s, ou infecções sexualmente transmissíveis, também conhecidas por DST&apos;s – Doenças Sexualmente Transmissíveis, são doenças contagiosas cuja forma mais frequente de transmissão é através das relações sexuais vaginais.<br />
  4. 4. A Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível, contrariamente a todas as outras DST&apos;s, esta é causada por um microrganismo unicelular chamado Trichomonas Vaginalis que causa a infecção, e não por um vírus ou bactéria.<br />É um tipo de infecção contagiosa, que se demonstra na vagina e no pénis. É uma DST que pode ser tratada e que não causa problemas de saúde mais sérios.<br />Esta infecta mais as mulheres que os homens.<br /> (Protozoário Trichomonas Vaginalis) <br />Tricomoníase<br />
  5. 5. Quais os sintomas?<br /> Homens:<br />Normalmente os Homens não sabem que estão infectados pela doença;<br />Dor ou ardor ao urinar, precisando de o fazer com frequência;<br />Ligeira secreção proveniente da uretra que é espumosa e semelhante ao pus;<br />Ligeira irritação no pénis;<br />Infecção do epididimo e da próstata.<br /> Mulheres:<br />Corrimento abundante, amarelo esverdeado ou cinzento, que por vezes pode ter um cheiro desagradável;<br />Comichão ou ardor na ou em volta da vagina;<br />Em algumas situações dor pélvica;<br />Dor ou ardor ao urinar e aumento da necessidade de urinar;<br />
  6. 6. O contágio dá-se principalmente através de secreções, durante contacto sexual desprotegido com parceiro, que contenha a doença (Tricomoníase), sendo possível apenas com o acto sexual vaginal. <br />No entanto também se pode ser contagiado através de roupa interior, ou toalhas embora seja muito complicado acontecer.<br />Como se transmite?<br />
  7. 7. O tratamento é feito à base de antibiótico. <br />As relações sexuais devem ser suspensas até terminar a toma do tratamento e até que todos os sintomas tenham desaparecido. <br />Não é permitido ingerir bebidas alcoólicas, pois colide com o medicamento pode ocasionar náuseas e vómitos intensos. <br />Em homens, os sintomas podem desaparecer após algumas semanas, mesmo sem o tratamento.<br />Tratamento da infecção<br />
  8. 8. Como prevenir o contágio?<br />Esta é possível prevenir-se usando preservativo (masculino ou feminino), em todas as relações sexuais. <br />O casal deverá fazer o teste se não tiverem intenção de usar preservativo , masculino ou feminino, antes de haver o acto sexual.<br />Fale sobre as DST&apos;s com o seu parceiro.<br />
  9. 9. Consequências para a saúde:<br />As complicações são muito raras.<br />Estas são mais sentidas nas grávidas, pois ao apanharem Tricomoníase durante a gravidez a uma grande probabilidade de prematuridade, baixo peso ao nascer ou ruptura prematura de bolsa.<br />Outras curiosidades<br />
  10. 10. Alguns casos de Tricomoníase<br />
  11. 11. Netografia<br />http://portugalgay.pt/<br />http://www.notapositiva.com/<br />
  12. 12. A conclusão que nos conseguimos retirar deste trabalho é que, as IST’s (doenças sexualmente transmissíveis), são muito perigosas. <br />Tem tratamento, mas a pessoa afectada pelo vírus não tem uma vida dita normal, sexualmente, afectivamente e também socialmente. Espero que trabalhos com este, ajudem pessoas e também as alertem para estes perigos, principalmente os Jovens.<br />Conclusão<br />
  13. 13. FIM<br />Trabalho realizado por: <br /> João Santos Nº13<br /> Miguel Marinho Nº16 9ºC<br /> Ana Reis Nº27 <br />

×