DistúRbios Alimentares

1,771 views

Published on

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

DistúRbios Alimentares

  1. 1. Distúrbios alimentares<br />
  2. 2. Enquanto seres humanos temos necessidade de comer e beber, ou seja necessitamos de nos alimentar.<br />A alimentação é um dos factores mais importantes na nossa saúde, sendo que uma alimentação correcta irá beneficiá-la enquanto que uma alimentação incorrecta poderá prejudicar a nossa saúde.<br /> Geralmente, uma alimentação correcta é aquela em que se verifica uma ingestão de alimentos variados e diversificados em quantidades razoáveis (nem em excesso nem em carência). Esta alimentação deve ser pobre em gorduras e açúcares e rica em hidratos de carbono, fibras vitaminas e sais minerais.Por alimentação incorrecta entende-se uma alimentação onde existe uma deficiência na ingestão dos nutrientes essenciais. Esta deficiência pode ser por excesso ou por carência.<br />
  3. 3. Por excesso quando ingerimos alimentos em grandes quantidades e com muitas calorias face à quantidade ideal.<br />Uma alimentação incorrecta por carência verifica-se quando o Homem ingere alimentos abaixo da quantidade necessária ou ideal e com muito poucas calorias. Esta alimentação incorrecta conduz muitas vezes à anorexia e à anemia. Assim sendo, uma boa alimentação deve ser equilibrada, variada e completa, com os nutrientes adequados a cada organismo e saúde onde a água é fundamental e deve estar sempre presente<br />
  4. 4. No nosso trabalho iremos abordar o tema da anorexia nervosa, um tema muito conhecido hoje em dia e muito abordado pela nossa sociedade<br />
  5. 5. Anorexia Nervosa<br />Designamos por anorexia o comportamento obsessivo que uma pessoa apresenta em manter o seu peso corporal abaixo dos níveis ideias juntamente com uma percepção distorcida quanto ao seu próprio corpo, que faz com que o paciente se veja como &quot;gordo&quot;. Apesar de a perda de peso e a magreza excessiva serem notórias o doente, raramente aceita tal evidência, continuando a insistir em perder peso.<br />
  6. 6. A idade média para o início da anorexia é aos 17 anos, salvo algumas excepções, atingindo com maior incidência o sexo feminino (cerca de 95%), sendo a sua incidência no sexo masculino de 5%. A faixa etária mais afectada é a dos jovens adultos e adolescentes.Este tipo de distúrbio alimentar é particularmente grave na fase de crescimento, uma vez que pode comprometer o desenvolvimento/crescimento do indivíduo afectado.<br />
  7. 7. Alguns portadores deste distúrbio apresentam também episódios denominados binge, durante os quais ingerem compulsivamente grandes quantidades de alimentos seguidas de vómito. Nestes casos o doente raramente precisa de provocar o vómito uma vez que o seu próprio organismo se encarrega disso.Podemos afirmar que este distúrbio se deve à imagem transmitida pelos meios de comunicação, de que a mulher ideal tem de ser magra, sendo que esta possível hipótese está sendo extensivamente pesquisada.<br />
  8. 8. Causas:<br />Muitas vezes, episódios negativos, como perda de emprego, mudança de cidade, etc., podem ser o ponto de partida para problemas como a anorexia. Contudo não podemos afirmar que episódios negativos causam anorexia, no máximo podemos dizer que a podem desencadear.Enquanto que muitos pacientes apresentam um único episódio de anorexia durante toda a sua vida, outros apresentam situações muito mais complicadas. Alguns doentes podem sofrer desta doença durante anos, numa forma compatível com a vida, sem que nunca recuperem o peso ideal para a sua estatura, mantendo-se inclusive a auto-imagem distorcida.<br />
  9. 9. Sintomas:<br />Os portadores desta doença apresentam um ou mais sintomas dos abaixo indicados:-» Recusa em manter o peso corporal num nível igual ou acima do mínimo adequado à idade e altura; 0-» Negação do baixo peso corporal actual;-» Medo de ganhar peso mesmo que a sua massa corporal esteja abaixo do normal;-» Visão negativa e distorcida do seu peso ou da forma do seu corpo;-» Amenorreia (ausência de pelo menos três ciclos menstruais consecutivos);-» Alguns doentes manifestam sintomas depressivos como isolamento social, irritabilidade, insónia e interesse sexual diminuído<br />
  10. 10.
  11. 11. Características:<br />Este distúrbios e caracterizado por práticas como:<br />-» Recusa em manter o peso corporal num nível igual ou acima do mínimo adequado à idade e altura; <br />-» Dietas e jejuns sem orientação e acompanhamento médico;<br />-»Vómitos induzidos;<br />-» Exercícios físicos intensos, sem orientação e/ou acompanhamento especializados;<br />-» Uso desnecessário de diuréticos e laxantes.<br />
  12. 12. Como se trata?<br />O tratamento da anorexia é muito difícil. Não existem medicamentos específicos que restabeleçam a correcta percepção da imagem corporal ou desejo de perder peso. Embora não exista um tratamento especialmente eficaz a combinação da psicoterapia com o tratamento medicamentoso tem tido bons resultados, uma vez que enquanto que a terapia trabalha no sentido de restabelecer a correcta percepção da imagem corporal os medicamentos servem como paliativos para os sintomas proporcionando um maior conforto para o paciente até à sua total recuperação.<br />
  13. 13. Margarida, 16 anos<br />
  14. 14. Margarida tinha 16 anos e frequentava as aulas de ballet. Embora nunca tivesse sido gorda demonstrava preocupação com a linha e não abusava dos alimentos, optando pelos alimentos light baixos em calorias. Os pais nunca desconfiaram de nada pois já estavam habituados às dietas da filha. O alarme apenas surgiu quando as pessoas começaram a questionar a saúde de Margarida por esta se encontrar mais magra. Os pais partir daí adoptaram uma atitude diferente, forçando a sua filha a comer mais. Mas esta enfrentava os pais dizendo que a dieta era apenas para perder uns quilinhos e que em breve voltaria a comer normalmente, mas tal infelizmente não aconteceu. Os pais então convenceram a ir a um médico da especialidade, com o pretexto que este lhe iria indicar uma dieta mais eficaz. Margarida acabou por ser internada, pois encontrava-se extremamente enfraquecida e reduzida à pele e osso. Decorridos alguns anos acabou por recuperar o peso normal, embora psicologicamente apresente ainda algumas sequelas.Mas nem todos terminam bem como este, em alguns casos a doença chega a atingir consequências irreversíveis acabando por conduzir à morte.<br />

×