Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Froebel

9,817 views

Published on

A educação segundo Froebel

Published in: Education
  • Be the first to comment

Froebel

  1. 1. Algumas ideias de Friendrich Froebel
  2. 2. Froebel • Foi um dos primeiros educadores a considerar o início da infância como uma fase de importância decisiva na formação das pessoas. • Defendia um ensino sem obrigações, ou seja, uma educação espontânea pois segundo ele, o aprendizado dependia dos interesses de cada um e se fazia por meio da prática. • Acreditava na teoria de que a criança era como uma planta em sua fase de formação, exigindo cuidados periódicos para que crescesse de maneira saudável. • E por acreditar nessa teoria, procurou colocá-la em prática quando fundou o primeiro jardim-de-infância em 1816, na cidade alemã de Blankenburg.
  3. 3. • Para Froebel, as brincadeiras eram consideradas, como o primeiro recurso no caminho da aprendizagem, defendia a ideia de aprender brincando – (Técnicas utilizadas até hoje na Educação Infantil). • O objetivo do jardim-de-infância, era possibilitar brincadeiras criativas, para que fosse tirado maior proveito educativo da atividade lúdica. • Eram criados objetos para complementar essas brincadeiras. Objetos esses chamados de “dons” ou “presentes”, e havia regras para usá-los, que precisariam ser dominadas pelo educador para garantir o aproveitamento pedagógico. • As brincadeiras era acompanhada com música, versos e danças, e quase sempre eram ao ar livre para que a turma se interagisse com o ambiente.
  4. 4. • Todos os jogos e brincadeiras, começavam sempre com as pessoas formando círculos, movendo-se e cantando. Pois assim conseguiam atingir a perfeita unidade.
  5. 5. • Nesse período, também administrou paralelo uma gráfica que imprimia instruções de brincadeiras e canções para serem aplicadas em escolas e casa. • Já via a educação como uma atividade em que escola e família devem caminhar juntas.
  6. 6. Articulações entre áreas de conhecimento e tecnologia . Articulando saberes e transformando a prática. (Maria Elizabette Brisola Britto Prado)
  7. 7. • Na sociedade do conhecimento e da tecnologia, torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões relacionadas ao ensino e a aprendizagem. • A melhor forma de ensinar é aquela que propicia aos alunos o desenvolvimento de competências para lidar com as características da sociedade atual, que enfatiza a autonomia do aluno para a busca de novas compreensões, por meio da produção de ideias e de ações criativas e colaborativas. • Os recursos pedagógicos de internet, a pesquisa a comunicação e a representação podem perfeitamente ser utilizados de forma articulada. O importante é o professor conhecer as especificidades de cada um dos recursos para orientar-se na criação de ambientes que possam enriquecer o processo de aprendizagem do aluno.
  8. 8. Assim, surgem alguns questionamentos: • Como o professor pode desenvolver uma prática pedagógica integradora contemplando os conteúdos curriculares, as competências, as habilidades e as diferentes tecnologias disponíveis na escolas? • Isso ocorre porque, segundo Perrenoud(1999), esse tipo de atividade carrega consigo uma dinâmica própria. Essa dinâmica é constituída pela elaboração, pela execução, pela análise, pela reformulação e por novas elaborações do projeto. São momentos de um contínuo vevenciado pelos autores/executores do projeto. • A elaboração de um projeto feita em parceria entre alunos e professores deve ser entendida como uma organização aberta, que articula informações conhecidas, baseadas nas experiências do passado e do presente, com as antecipações de outros aspectos que surgirão durante sua execução.
  9. 9. • Essa visão de trabalho em equipe é fundamental para lidarmos com a complexidade dos problemas existentes ao nosso redor e com desafios impostos pelos avanços tecnológicos. • Pois, o envolvimento do aluno no processo de aprendizagem é fundamental, e para isso, o professor deve propiciar ao aluno encontrar sentido e funcionalidade naquilo que constitui o foco dos estudos em cada situação da sala de aula. • Mas para que ocorra, é fundamental que o professor, independente da sua área de atuação, possa conhecer as potencialidades e as limitações pedagógicas envolvidas nas diferentes tecnologias, vídeo, internet, computador, entre outras. Pois o momento atual requer uma nova forma de pensar e agir para lidar com a rapidez e abrangência de informações e com o dinamismo do conhecimento.
  10. 10. CURSO ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTUDO SOBRE OS TEÓRICOS DA EDUCAÇÃO Integrantes: Elaine Glauzia Valéria Maria da Glória Camilla Rosângela

×