Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Período Composto

13,193 views

Published on

Sintaxe de período composto.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Período Composto

  1. 1. SINTAXE – PARTE II PROF. JORGE HENRIQUE - 2007
  2. 2. PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO <ul><li>PERÍODO – Conjunto de uma ou mais orações que apresenta sentido geral autônomo em relação aos enunciados que o precedem ou sucedem. </li></ul><ul><ul><li>Ex.: Corram ! </li></ul></ul><ul><ul><li>É bom que ela venha amanhã e traga os livros. </li></ul></ul>
  3. 3. PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO COMPOSTO – Quando encerra mais de uma oração. <ul><ul><li>O período pode ser: </li></ul></ul>SIMPLES – Quando encerra apenas uma oração. <ul><ul><li>Ex.: Anseio aliviar o mal, mas não posso e sofro . </li></ul></ul><ul><ul><li>Vim , vi e venci . </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Três paixões governaram minha vida. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vou trabalhar cedo amanhã. </li></ul></ul>
  4. 4. CONSTRUINDO CONCEITOS <ul><li>As orações se caracterizam pelo SENTIDO e pela FORMA : </li></ul>As orações ainda podem ser: SENTIDO – podem apresentar sentido completo e incompleto. FORMA – possuem, normalmente, sujeito e predicado. INDEPENDENTES OU COORDENADAS – quando não exercem função sintática de outra a que se liga. DEPENDENTES OU SUBORDINADAS – quando exercem função sintática de outra a que se liga.
  5. 5. ORAÇÕES DEPENDENTES OU SUBORDINADAS Desejo que sejas feliz. Objeto direto VTD O aluno que estuda Adj. adn. Subst. aprende .
  6. 6. ORAÇÕES DEPENDENTES OU SUBORDINADAS Sairei quando ela chegar . Adj. Adv. de tempo VI A oração será: PRINCIPAL – quando exige outra que lhe seja dependente.
  7. 7. ORAÇÕES DEPENDENTES OU SUBORDINADAS É seu casamento . Subst. VL necessário É que você se case . VI VL necessário Oração subordinada substantiva sujeito sujeito
  8. 8. ORAÇÕES DEPENDENTES OU SUBORDINADAS O aluno comportado Adj. Subst. é elogiado VI Subst. Oração subordinada adjetiva Adj. Adn. O aluno que se comporta Adj. Adn. é elogiado
  9. 9. ORAÇÕES DEPENDENTES OU SUBORDINADAS Viajaremos pela manhã . Adv. VI Viajaremos assim que amanhecer . VI VL Oração subordinada adverbial Adj. Adv. de tempo Adj. Adv. de tempo
  10. 10. ORAÇÕES INDEPENDENTES OU COORDENADAS Saímos cedo e chegamos na hora marcada. Saímos cedo. Chegamos na hora marcada. Oração B Oração A Oração B Oração A
  11. 11. ORAÇÕES COORDENADAS <ul><li>As orações coordenadas são unidas por justaposição (vírgulas) ou por meio de CONJUNÇÕES COORDENATIVAS . </li></ul>Ele estuda e trabalha muito. Oração A Oração B
  12. 12. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>As orações subordinadas são unidas às suas orações principais por meio de CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS . </li></ul>Pediram -me que definisse os trabalhos de hoje. Oração A Oração B
  13. 13. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>... Ou por meio de PRONOMES RELATIVOS . </li></ul>O menino / que me convidou / não veio . Oração A Oração B
  14. 14. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>Ou ainda poder estar reduzida. Neste caso, não apresentará conjunção ou pronome relativo e seu verbo estará numa das FORMAS NOMINAIS . </li></ul>Era necessário / pagar aquela dívida terrível. Oração A Oração B Verbo no infinitivo
  15. 15. ORAÇÕES COORDENADAS <ul><li>Classificam-se, conforme a conjunção que as introduz, em: </li></ul>Aditivas Adversativas Alternativas Conclusivas Explicativas
  16. 16. ORAÇÕES COORDENADAS Pedro falava e todos ouviam em silêncio. Armando não estudava nem trabalhava. Nem = e não ADITIVAS – ( e, nem ) Apresentam soma de idéias , ligação de pensamentos .
  17. 17. ORAÇÕES COORDENADAS Não se emprega a conjunção “e” associada com a conjunção “nem” . Não sei e nem quero saber. Observação! INCORRETO! Não sei nem quero saber. CORRETO!
  18. 18. ORAÇÕES COORDENADAS É possível encontrar a conjunção “e” empregada em frases adversativas, equivalendo a “mas” . Estudou tanto e não foi aprovado. Observação!
  19. 19. ORAÇÕES COORDENADAS Pedro está feliz, mas não tem nenhum motivo especial. Armando estudava, no entanto não aprendia. ADVERSATIVAS – ( mas, porém, contudo, entretanto, no entanto, todavia ) Apresentam oposição de idéias .
  20. 20. ORAÇÕES COORDENADAS Quando empregamos a conjunção adversativa, sempre enfatizamos o enunciado da oração iniciada por ela em detrimento do enunciado anterior. Veja: Sandra não é inteligente , mas é linda. Observação! A característica “linda” é mais importante ao emissor da frase que a característica “inteligente”. Sandra não é linda , mas é inteligente. Neste caso, a característica “linda” é menos importante ao emissor da frase que a característica “inteligente”.
  21. 21. ORAÇÕES COORDENADAS Não se emprega a conjunção “mas” associada com a locução “no entanto” . Lutamos muito, mas, no entanto, nada conseguimos. Observação! INCORRETO! Lutamos muito, mas nada conseguimos. CORRETOS! Lutamos muito, no entanto nada conseguimos.
  22. 22. ORAÇÕES COORDENADAS O candidato ora apoiava, ora combatia o presidente. Irei à festa sozinho, quer você queira, quer não. (queira) Compre uma cerveja, ou um uísque. ALTERNATIVAS – ( ou, ou... ou, já... já, quer... quer, ora... ora ) Apresentam alternância, separação ou exclusão de idéias .
  23. 23. ORAÇÕES COORDENADAS O céu está estrelado, logo não choverá. Ele é bondoso, por isso todos o estimam. Penso, portanto existo. CONCLUSIVAS – ( logo, pois, portanto, por conseguinte, por isso, assim, de modo que ) Apresentam conclusão de um raciocínio expresso anteriormente .
  24. 24. ORAÇÕES COORDENADAS A conjunção conclusiva “pois” sempre deverá vir depois da forma verbal. Ela é gloriense ; é , pois , sergipana. Observação! Nestes casos, o emprego do ponto e vírgula é obrigatório.
  25. 25. ORAÇÕES COORDENADAS Entre, que está chovendo. Cumprimente-o, pois hoje é seu aniversário. Normalmente, justificam uma ordem, uma sugestão ou uma suposição anterior. EXPLICATIVAS – ( pois, porque, porquanto, que=porque ) Apresentam uma justificativa à idéia anterior, sua razão de ser .
  26. 26. ORAÇÕES COORDENADAS Não se deve confundir explicação e causa . A primeira é sempre anterior ao fato que a gerou, ao contrário da segunda, que lhe é, necessariamente, posterior. Estude bastante , porque disso depende seu futuro. Observação! No primeiro caso, alguém aconselha outra pessoa a estudar e explica-lhe porque está a está aconselhando. Seria absurdo supor que o futuro é o fato gerador, portanto, anterior ao conselho. No segundo caso, a caminhada é anterior ao cansaço e é a causa deste. Estava cansado porque vínha de uma longa caminhada.
  27. 27. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>Podem ser: </li></ul>
  28. 28. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS O chefe quer Nós insistimos A verdade é Não sei Parece São introduzidas, normalmente, por CONJUNÇÕES INTEGRANTES ( que, se ) e complementam as orações a que se ligam. que o relatório esteja pronto hoje mesmo. em que ela diga a verdade. que os alunos não esperaram o professor. se comprarei este apartamento. que candidato ganhará no primeiro turno.
  29. 29. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS O chefe quer Nós insistimos A verdade é Não sei Parece Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta Oração Subordinada Substantiva predicativa Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta Oração Subordinada Substantiva Subjetiva que o relatório esteja pronto hoje mesmo. em que ela diga a verdade. que os alunos não esperaram o professor. se comprarei este apartamento. que candidato ganhará no primeiro turno.
  30. 30. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS Ele tinha medo Sei de uma coisa: Não sei Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal Oração Subordinada Substantiva apositiva Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta de que descobrissem seu plano. que a prova será difícil. onde coloquei os meus óculos.
  31. 31. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>Podem ser: </li></ul>
  32. 32. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS O homem merece castigo. O homem , merece castigo. Oração Subordinada Adjetiva Restritiva Oração Subordinada Adjetiva Explicativa Introduzidas por PRONOMES RELATIVOS , explicam ou restringem o sentido de um termo da oração principal a que se referem. que mente que mente ,
  33. 33. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Meu tio chegou ontem. Oração Subordinada Adjetiva Restritiva Meu tio , chegou ontem. Oração Subordinada Adjetiva Explicativa que mora em Londres que mora em Londres ,
  34. 34. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Meu tio que mora em Londres chegou ontem. Oração Subordinada Adjetiva Restritiva Meu tio , que mora em Londres , chegou ontem. Oração Subordinada Adjetiva Explicativa
  35. 35. ORAÇÕES SUBORDINADAS <ul><li>Podem ser: </li></ul>
  36. 36. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Não foi ao clube Como não haveria aula, porque não era sócio. foram todos à praia. Quando a oração introduzida pela conjunção causal antecede a outra, é obrigatório o emprego de vírgula. CAUSAIS – ( porque, visto que, já que, como, uma vez que ) Introduzem a causa, o motivo, a razão do enunciado da outra oração, a que se subordina.
  37. 37. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Ele é tão generoso que nos comove. A oração anterior normalmente apresenta um termo intensificador (tão, tal, tanto, tamanho). Sua fome era tanta que devorou a casca também. CONSECUTIVAS – ( que, de modo que, de maneira que, de sorte que ) Introduzem o efeito ou a conseqüência do fato expresso no enunciado da outra oração, a que se subordina.
  38. 38. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Caso você se case, convide-me para a festa. Não saia sem que eu permita. CONDICIONAIS – ( se, caso, contanto que, desde que, a menos que, salvo se, exceto se, sem que ) Introduzem uma condição necessária para que se realize ou deixe de se realizar o que se declara na oração a que se subordina.
  39. 39. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Embora não tenha estudado, obteve aprovação. A transposição sairá ainda que seja contra a vontade de todos. Quando a oração introduzida pela conjunção concessiva antecede a outra, é obrigatório o emprego de vírgula. CONCESSIVAS – ( embora, se bem que, mesmo que, ainda que, apesar de que ) Introduzem um obstáculo – real ou suposto – que não impedirá ou modificará a declaração da oração a que se subordina.
  40. 40. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Vim aqui, a fim de que você me explique essa história direito. Não faça barulho para que o bebê não acorde. FINAIS – ( a fim de que, para que, que ) Introduzem a intenção, o objetivo, a finalidade do pensamento expresso na oração a que se subordina.
  41. 41. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Quanto mais rezo, mais me aparecem assombrações. Dormia mais profundamente à medida que o remédio fazia efeito. PROPORCIONAIS – ( à proporção que, à medida que, quanto mais ) Introduzem um fato aumenta ou diminui na mesma proporção daquele que se declara na oração a que se subordina.
  42. 42. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS “ Quando você foi embora, fez-se noite em meu viver”. Cheguei assim que rompeu a manhã. TEMPORAIS – ( quando, enquanto, logo que, desde que, assim que ) Introduzem o tempo da realização do fato expresso na oração a que se subordina.
  43. 43. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Sou tão bom quanto qualquer um nesta sala. Ele dorme como um urso. COMPARATIVAS – ( que, como ) Introduzem o outro termo de uma comparação da oração a que se subordina.
  44. 44. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Fiz o bolo conforme ensina a receita. Agiu segundo seu ímpeto guerreiro. CONFORMATIVAS – ( conforme, segundo, consoante, como ) Introduzem um fato em conformidade com o que se declara na oração a que se subordina.

×