Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Corpos Informacionais

578 views

Published on

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Corpos Informacionais

  1. 1. CORPOS INFORMACIONAIS _homen-máquina: concepção reside no imaginário da ficção científica _todavia o mapeamento do genoma, os avanços nas tecnologias informacionais e biotecnologias propiciaram o aumento das capacidades humanas _o que nos leva a reconsiderar as relações entre os modos de produção e afetividades entre orgânico e maquínico _levando-nos a repensar o que define orgânico e maquínico, uma vez que a tecnologia informa nossa realidade ontológica _todas essa transformações contribuíram para uma reformulação da noção de corpo e da própria experiência encarnada _pois a identidade corporal é dramaticamente alterada a partir de suas constantes ramificações tecnológicas Defendendo um modelo de identidade que é dramaticamente alterado no âmbito da cultura tecnológica, estamos experimentando uma nova fase da humanidade, em que não há mais diferenças essenciais entre existência corporal e simulação computacional, mecanismos cibernéticos e organismos biológicos, teleologia robótica e metas humanas.[1] Nota: [1] HAYLES, K. How we became posthumam: virtual bodies in cybernetics, literature, and informatics. Chicago: The University of Chicago Press, 1999, pg.3.
  2. 2. CORPOS INFORMACIONAIS algumas discussões relevantes _recombinação: maquínico/orgânico _novas possibilidades de existência _eco-coexistência, agentes transgênicos/mutagênicos _dispositivos que incorporam qualidades humanas _seres vivos codificados por informação digital _questões estética/ética/política das biotecnologias _mantendo como foco principal: a idéia de vida como ciência informacional e livre do atavismo biológico _pensar orgânico e maquínico como subprodutos do informacional
  3. 3. EDUARDO KAC - NATURAL HISTORY OF THE ENIGMA _gene
do
artista
implantado
no
gene
da
flor _gene
de
Kac
produz
uma
proteína
na
flor
que
propicia
o
aparecimento
das
 veias
vermelhas _a
partir
do
gene
decodificado...
permite
a
idéia
de
miscigenações
e
novas
 possibilidades
de
existência _texto:
Edunia
  4. 4. EDUARDO KAC - GFP BUNNY _coelho
verde
fluorescente
(GFP) _relações
de
afetividades
com
criaturas
transgênicas _transferência
de
genes
naturais/sintéticos
entre
organismos
(seres
únicos) _relação
entre
organismos
X
ambiente _expansão
dos
conceitos
de
biodiversidade
e
evolução _texto:
GFP
Bunny
  5. 5. NATALIE JEREMIJENKO - ONETREES _árvores
clones;
manipulação
genética _as
árvores
foram
plantadas
em
locais
diferentes
da
baía
de
São
Francisco

 _análise
das
relações
com
o
ambiente _mapeamento
das
diferenças
entre
os
ambientes _simulação
em
VA
acompanha
o
crescimento
das
árvores _projeto:
OneTrees
  6. 6. VICTORIA VESNA - BODIES INCORPORATED _construção
de
corpos
virtuais
a
partir
de
partes,
texturas
pré‐definidas _criação
de
novas
identidades
 _expansão
da
idéia
de
corpo _seres
artificiais;
expansão
da
vida _corpo
como
tecido
informacional
(database) _projeto:
Bodies
INC.
  7. 7. LYNN HERSHMAN - SYNTHIA _corpo
virtual
‐
representação
do
mercado
de
ações _suas
ações
e
humos
são
alterados
a
partir
das
flutuações
de
mercado
 _se
uma
ação
sobe,
ela
dança;
uma
ação
desce,
ela
senta
ansiosa
em
sua
mesa _personificação
do
mercado
de
ações
online _símbolo
simbiótico
entre
mercados
e
pessoas _database:
Synthia
  8. 8. CHRISTA SOMMERER - LIFEWRITER _máquina
de
escrever
cria
organismos
artificiais
no
“papel” _criaturas
baseadas
em
algoritmos
genéticos;
texto
como
código
genético
 _o
texto
determina
a
criação,
comportamento
e
reprodução
das
criaturas _o
ir/voltar
do
papel
cresce/decresce
a
população
das
criaturas _vídeo:
LifeWriter
  9. 9. CHRISTA SOMMERER - PICO_SCAN _a
leitura
do
corpo
gera
criaturas
artificiais _as
diferentes
características
corporais
(diferenças
tonais
das
imagens
 captadas)
alimentam
as
criaturas _formação
de
ecossistema
independente _vídeo:
PICO_SCAN
  10. 10. FENG MENGBO - Q4U _remix
do
game
QUAKE
III
(código
aberto
proporciona
alteração) _Feng
se
adicionou
como
personagem
principal _reapropriação
do
ambiente
(jogo
e
comercial) _exército
de
clones
de
si
mesmo
 _lida
com
questões
de
identidades
virtuais
e
clone
de
corpos
informacionais _projeto:
Q4U
  11. 11. 00101110101101.ORG - PORTRAITS _fotografias
de
avatares
populares
do
SecondLife _discute
o
papel
do
retrato
e
natureza
em
relação
as
identidades
e
 apresentação
pública
de
mundos
virtuais _lida
com
questões
de
criação
de
identidade
alternativas
num
mundo
de
 fantasia,
aparentemente
“real” _projeto:
Portraits
  12. 12. 00101110101101.ORG - SYNTHETIC PERFORMANCES _reconstrução
informacional
do
cenário
artístico _performances
realizadas
no
SecondLife
(performances
famosas) _manipulação
sintética
da
história
da
arte _todas
as
performances
foram
realizadas
ao
vivo
pelos
avatares
do
grupo _projeto:
Synthetic
Performances
  13. 13. CRITICAL ART ENSEMBLE - MOLECULAR INVASION _instalação
viva _tentativa
de
reverter
plantas
(canola,
milho
e
soja)
geneticamente
 modificadas
através
do
uso
de
um
desregulador
químico
não‐tóxico _Fuzzy
Biological
Sabotage
(FBS) _tentativa
de
estabelecer
um
modelo
biológico
de
contestação _arte
tática‐mídia
tática
 _projeto:
Molecular
Invasion
  14. 14. ZBIGNIEW OKSIUTA - BREEDING SPACES _crescimento
de
células
vegetais
in
vitro _possibilidades
de
concepção
de
estruturas
biológicas
espaciais _criação
de
um
hábitat
vivo,
isolado
no
espaço,
transformando
e
sintetizando
 matéria
e
energia
de
seu
ambiente
por
meios
biológicos _construir
vegetais
tridimensionais
como
possibilidade
de
hábitat
biológico _projeto:
Breeding
Spaces
  15. 15. PAUL VANOUSE - LATENT FIGURE PROTOCOL _instalação
multimídia
(DNA:
Imagens) _amostras
de
DNA
são
utilizadas
na
criação
das
imagens
emergentes _a
primeira
imagem
criada,
foi
o
símbolo
do
copyright
a
partir
do
DNA
de
um
 organismo
industrialmente
fabricado
(plasmídeo:
pET‐11a) _as
discussões
residem
em
questões
éticas
em
torno
da
mudança
do
status
da
 vida
orgânica
e
apropriação
de
seres
vivos _vídeo:
LFP
  16. 16. JUN TAKITA - LIGHT, ONLY LIGHT _molde
3D
do
cérebro
do
artista
coberto
por
musgo
geneticamente
 modificado _o
musgo
gera
e
consome
sua
energia,
emitindo
luz
(bioluminescente)

 _o
musgo
emite
luz
quando
entra
em
contato
com
luciferina
(classe
de
 pigmentos
responsáveis
pelo
pigmento
de
certos
animais) _podendo
ser
observado
no
escuro
através
de
câmeras
de
vídeo
ultra
 sensíveis _projeto
by
WMMNA:
Light,
only
light
  17. 17. S.W.A.M.P. - SPORE 1.1 _ecossistema
auto‐sustentável
(planta
comprada
no
Home
Depot) _a
saúde
econômica
da
empresa
influencia
no
desenvolvimento
do
sistema _o
que
influência
é
a
variação
das
ações
no
mercado _se
as
ações
das
empresa
lucrarem,
a
planta
também
se
dá
bem
e
vice‐versa _projeto:
Spore
1.1
  18. 18. PHILIP BEESLEY - HYLOZOIC SOIL _floresta
artificial
construída
de
pequenas
peças
de
acrílico _a
dinâmica
da
floresta
cumpre
as
leis
e
os
ciclos
que
determinam
um
recife
 de
coral
(abertura,
filtragem,
digestão) _a
floresta
também
responde
ao
ambiente
ao
seu
redor,
placas
controladores
 são
capazes
de
responder
ações
específicas
do
ambiente _conforme
a
movimentação
no
espaço,
as
“plantas”
se
movem,
abrem,
 fecham.... _vídeo:
Hylozoic
Soil
  19. 19. OBRIGADA Priscila
Frossard
 site:
projectlandscapes.com/extrabodies delicious:
delicious.com/projectlandscapes/bundle:mestrado‐artistas apresentação:
slideshare.net/priscilafrossard/corpos‐informacionais e‐mail:
projectlandscapes@gmail.com

×