TCC - Idosos

77,522 views

Published on

TCC

Published in: Health & Medicine
4 Comments
22 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
77,522
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
79
Actions
Shares
0
Downloads
724
Comments
4
Likes
22
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

TCC - Idosos

  1. 1. UniSantos-Curso de Serviço Social<br />Alunas:<br />Poliane Ferreira Da Silva<br />Priscila Brito dos Santos<br />Orientadora:<br />Profª.Ms. Clélia Maria da Silva Perazza <br />2009<br />15° Seminário de Sistematização do Agir Profissional<br />
  2. 2. Objeto de Estudo<br />Conhecer as formas de violência contra o Idoso no Município de Santos e Guarujá e as respectivas políticas sociais e o trabalho do Assistente Social frente a esta demanda.<br />
  3. 3. Agradecimentos:<br />Agradecemos primeiramente a Deus por nos ter dado forças, sabedoria e entendimento <br />para estar aqui concluindo este trabalho.<br />Aos nossos Familiares que nos apoiaram nestes quatro anos de graduação.<br />Aos nossos queridos Professores que com suas competênciascontribuíram para nossa formação.<br />E aos profissionais Assistentes Sociais que encontramos nos estágios supervisionados<br />que nos ajudaram a trilhar essa etapa das nossas vidas.<br />Aos profissionais Assistentes Sociais e Idosos sujeitos da nossa Pesquisa.<br />A nossa orientadora Professora Clélia Perazza.<br />Muito obrigado a todos.<br />
  4. 4. Objetivo Geral<br />Focalizar as causas e tipologias da violência contra o idoso no município de Santos e Guarujá e o processo de trabalho do profissional de Serviço Social com essa demanda.<br />Objetivo Específico<br /> a) Conhecer as causas e tipologias mais freqüentes da violência contra o idoso nos respectivos municípios e suas formas de enfrentamento.<br />b) Estudar e analisar os desafios do profissional de Serviço Social com essa demanda.<br />
  5. 5. Metodologia<br />O trabalho apresenta uma pesquisa de caráter qualitativo exploratório visando conhecer e esclarecer as particularidades deste processo em específico.<br />A pesquisa foi realizada através de entrevista com profissionais do setor de Assistência Social do município de Santos e Guarujá, duas Assistentes Sociais que responderam um questionário de perguntas abertas e uma Psicóloga que forneceu dados qualitativos, além de uma análise de prontuários em uma determinada organização.<br />
  6. 6. Hipótese<br /><ul><li>Éno meio familiar que o idoso deveriam estar sendo protegidos, tratados e acolhidos, no entanto é no espaço familiar, que se apresentam os índices mais acentuados de maus- tratos, abandono e negligência.
  7. 7. A intervenção do Profissional Assistente Social e equipe técnica podem favorecer a diminuição da prática abusiva da violência a pessoa idosa.
  8. 8. Existe falta de informações refletidas, que se tornam conhecimentos introjetados sobre o conjunto de leis, programas e normas, enfim, políticas públicas, que garantem os direitos dos idosos.</li></li></ul><li>ESTRUTURA DO TRABALHO<br />CAPITULO I: O IDOSO, A FAMÍIA e ASPOLÍTICAS PÚBLICAS<br /><ul><li>Procuramos compreender teoricamente as concepções de família, bem como estudar as Políticas Públicas,especialmente a de Assistência Social e as principais legislações, que garantem os direitos da pessoa Idosa como a Política Nacional do Idoso, o Estatuto do Idoso.
  9. 9. Ressaltamos a interface necessária com as outras Políticas como: Saúde, Previdência , Habitação, Esporte, Lazer e Cultura.
  10. 10. Abordamos o significado do envelhecimento e fizemos um breve histórico sobre como foi formulado e conquistado os direitos da pessoa idosa.
  11. 11. Constituição Federal (1988 - art. 230)
  12. 12. Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS - 7/12/1993)
  13. 13. Política Nacional do Idoso (PNI - 04/01/1994)
  14. 14. Estatuto do Idoso (Lei 10.741de 01/10/2003)
  15. 15. Política Nacional de Assistência Social (PNAS / nov. 2004)
  16. 16. Norma Operacional Básica (NOB - SUAS / julho 2005)</li></li></ul><li>ESTRUTURA DO TRABALHO<br /><ul><li>CAPITULO II: A VIOLÊNCIA E OS DESAFIOS PARA O SERVIÇO SOCIAL
  17. 17. Pontuamos as várias formas de violência praticadas contra o idoso, bem como a violência dentro da família e como romper com o silêncio denunciando tais abusos, além de compreender a atuação do Assistente Social junto a esta demanda.</li></li></ul><li>O que é Violência?<br />Ato ou Efeito de violentar, empregar força física contra alguém ou algo, pode ser <br />demonstrado através de palavras ou ações, obrigando uma pessoa a submeter-se a <br />vontade de outra.<br />Formas de Violência:<br />Abuso Financeiro e Econômico: Consiste na exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou ao uso não<br />consentido por eles de seus recursos financeiros e patrimoniais.<br />Violência Física: Relação de poder que consiste em agressões, lesões, golpes, cárcere privado, <br />privações, uso inadequado da força, deixar de dar comida, roupa e higiene.<br />Violência Psicológica: Impedir de falar, esconder informações, provocar raiva ou choro, deixar longo<br />tempo sozinho amedrontar, negar os direitos e desrespeitos.<br />Negligência ou Abandono: Traduz em desresponsabilidade e descompromisso do cuidado e do afeto<br />medicação e vestimenta descuidada, assistência a saúde incompleta, recusa ou inefiicáciaem satisfazer<br />qualquer das obrigações ou deveres para com o idoso.<br />Auto-Negligência: Diz respeito á conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou <br />Segurança, pela recusa de prover cuidados necessários a si mesmo.<br />
  18. 18. ESTRUTURA DO TRABALHO<br />CAPITULO III - A PESQUISA <br />Realizamos entrevistas com a Assistente Social que é Presidente do Conselho Municipal do Idoso do Guarujá e representante do Abrigo aonde à pesquisa foi realizada; uma Assistente Social de Santos, que é responsável pela coordenação da assistência social do idoso, e uma Psicóloga na qual obtivemos dados estatístico sobre o índice de violência no município de Santos. <br />Contatamos com a Gestora de uma organização no município de Guarujá,onde estão abrigados idosos do sexo masculino.Após o consentimento procedemos a coleta de dados nos prontuários objetivando entender as causas do abrigamento e conhecer os antecedentes de vida e de violência.<br />
  19. 19. Sistematização e Análise dos Dados<br /><ul><li>Caracterização do Serviço de Santos de 2005 á Julho de 2009</li></li></ul><li>Sistematização e Análise dos Dados<br />CAUSAS E TIPOLOGIA DA VIOLÊNCIA EM SANTOS<br />
  20. 20. Organização<br />Indicadores<br />Freqüência<br />Percentual<br />Naturalidade<br />Paraná<br />1<br />4,35%<br /> <br />Rio de Janeiro<br />1<br />4,35%<br />Ceara<br />1<br />4,35%<br />Pernambuco<br />1<br />4,35%<br />Minas Gerais<br />2<br />8,69%<br />Alagoas<br />2<br />8,69%<br />Bahia<br />3<br />13,05%<br />Sergipe<br />4<br />17,39%<br />São Paulo<br />8<br />34,78%<br />Total<br />23<br />100%<br /> <br /> <br /> <br /> <br />Sexo<br />masculino<br />23<br />100%<br /> <br /> <br /> <br /> <br />Idade<br />45 anos<br />1<br />4,35 %<br /> <br />60 a 65<br />6<br />26,08 %<br />66 a 70<br />5<br />21,74 %<br />71 a 75<br />6<br />26,08 %<br />76 a 80<br />3<br />13,05 %<br />81 a 89<br />2<br />8,69 %<br />Total<br />23<br />100% <br />Anos de Abrigamento<br /> <br />0 a 2 anos<br /> <br />11<br /> <br />47,82 %<br /> <br />3 á 5 anos<br />6<br />26,08 %<br />6 á 8anos<br />5<br />21,74 %<br />9 anos<br />1<br />4,35 %<br />Total<br />23<br />100% <br /> <br /> <br /> <br /> <br />Estado Civil<br />Divorciado<br />2<br />8,69%<br />Viúvo<br />3<br />13,05%<br />Separado<br />5<br />21,74%<br />Solteiro<br />13<br />56,52<br />Total<br />23<br />100%<br />Caracterização dos Idosos do “Lar Residencial Eno Gregori Antunes” em Guarujá.<br />
  21. 21. Causas e Tipologias do Abrigamento<br />Constatamosque a maioriados usuários tem comocausa de abrigamentoa falta de vínculo familiar, sendo que muitos deles sairãmcedo de casa, forammorar em outracidadeouestado e acabaram não retornandoparasuacidade de origem, perdendocontato e vínculoafetivo com seusentesqueridos. Hátambém um númerosignificativos de idososadvindo do alberguetotalizandoseis deles, essessão os que moravamnarua e que não tinhamvínculos de parentesnacidade. E,os usuários que tinhamvínculos não foramacolhidospelosfamiliares.<br />Os idososabrigados por solicitação familiar sãoaqueles que a famíliatrabalha e não tem condições de dar os cuidadosnecessários. Estesencontram- se debilitadospor algumproblema de saúde, vindoentãoa seremabrigados. E háidosos, que moravamsozinhos e não tinhamcondições de se cuidarem ,por motivo de doença, vieramparao abrigo.<br />
  22. 22. Conteúdo das respostas das Assistentes Sociais:<br />Qual o tipo de violência com maior freqüência nos atendimentos?<br />
  23. 23. Quais as necessidades do município em relação aos cuidados com o idoso?<br />
  24. 24. - De acordo com dados estatísticos o número de idosos que vem sendo vitimas de violência vem crescendo, o que leva alguém agredir um idoso?<br />
  25. 25. - O município está preparado para atender esta demanda?<br />
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS<br />Em Santos,os cuidados com o Idosocomocoloca a Assistente Social é: “Ampliar os serviços de auto cuidado – vigilânciajuntoaosidosos; Ampliar os serviços de apoiopsicológico do idoso e familiares.<br />Em Guarujá,os serviçossãotodoslimitados e a responsabilidade em atender as denúnciassãotransferidas as Organizações não Governamentaishavendoumainversão de papéis, pois a obrigatoriedade, o dever é do Município (Estado) .<br />Em Santos,há um sistemaimplantadoparalidar com a denúnciase fazeros atendimentos.<br />Em Guarujá o acesso é através de serviços públicos e privados, não tendoumaestruturapara a redede serviços.<br />As duasassistentessociaisconcordam que as intervenções dos profissionaissãoessenciaisparadiminuira práticadaviolência, atendendo não só o idoso, mastodasuafamília.<br />
  27. 27. Diante do expostopropomos:<br /> <br />Garantira intencionalidade no processo de trabalhoqueimplicaemcontemplar a integralidade do idosoemsuasdimensões: física, moral, psicológica, cognitivaafetiva e espiritual, observando-se a necessidade de atendimentosócio – psíquico -pedagógicoterapêutico e interdisciplinar. <br />Para estáreestruturaçãopressupõem-se sensibilizar e mobilizar o poderpúblicoparaquesejamasseguradosproteção social efetiva, quepossibilitem a redução das desigualdadessociais e a inclusão do idoso, com direitosviolados. Dispondoinvestimentoparapossibilitar a reconstrução de vínculossociais e conquistarmaiorgrau de independência individual e social. <br />Deve-se ainda, defender a dignidade e osdireitoshumanos e monitorar a ocorrência dos riscos e de agravamento e, também, a viabilização de espaços de lazer e entretenimentosadiosaosmesmos, afastando-os de ocorrências de vitimização e agressões; possibilitando o resgate de suadignidade e cidadania e pressupondosuaefetivainclusão social, a partirdainterrupção do sofrimento com osváriostipos de violência e o desenvolvimentosaudável, seguro e dignonasuacaminhada, semrestrições.<br />PORTANTO, CONSIDERAMOS QUE A INTERRUPÇÃO DO SOFRIMENTO DOS ATOS DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO IMPLICA ASSEGURAR DIREITOS, QUE É UM DEVER DO ESTADO.<br />

×