A miopia do debate energéticoEnquanto no Brasil se desqualifica qualquer referência àeletricidade de origem solar e eólica...
O setor energéticoestá          inseridodiretamente         nageopolítica          eeconomia de umpaís.        Qualqueraum...
Desde a revolução Industrial, quando houve a entrada das   maquinas, o trabalho humano vem se tornando cada vez necessário...
ENERGIA DAS ONDAS E MARÉS
ENERGIA ATÔMICA    O que movimenta a turbina de uma usina nuclear é o vapor deágua, que é gerado através da fissão de átom...
Hidrogénio Solar: energia “verde” para o futuro Lutar contra o aquecimento global é      um objetivo ao alcance daHumanida...
A energia gasta na produçãoindustrial é necessariamente umfator que pode tomar a mercadoriamais ou menos competitiva nocom...
TERMELÉTRICA                                                 HIDRELÉTRICA      A energia hidrelétrica é gerada através de ...
TERMELÉTRIC         A      Para se obter energia elétrica    a partir da termeletricidade,aumenta-se os custos e o impacto...
CARVÃO MINERAL E GÁS                 NATURAL        A participação dessas fontes de energia aumentaram significativamente ...
Energia
Energia
Energia
Energia
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Energia

539 views

Published on

Professor Vladimir Nunes (Geografia )

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
539
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Energia

  1. 1. A miopia do debate energéticoEnquanto no Brasil se desqualifica qualquer referência àeletricidade de origem solar e eólica, no resto do mundo esses setores estão entre os que mais crescem Por Heitor Scalambrini Costa
  2. 2. O setor energéticoestá inseridodiretamente nageopolítica eeconomia de umpaís. Qualqueraumento nos custosou problemas naprodução de energiaafeta todas asatividadesdesenvolvidas nopaís. A produçãoindustrial, ossistemas detransportes, desegurança, desaúde, de educação,lazer, comercio,agriculturadependem deenergia, por isso afalta dela, afeta todoo país.
  3. 3. Desde a revolução Industrial, quando houve a entrada das maquinas, o trabalho humano vem se tornando cada vez necessário.Quando uma maquina é aperfeiçoada, a produtividade aumenta e, como, hoje em dia, a energia já não é mais tão barata como antes, o homem tem se preocupado com as formas de economiza-la. Desde a Segunda Guerra Mundial o consumo vem aumentando sem parar, e o desenvolvimento tecnológico busca meios de economizar os meios de produzir e transportar mercadorias. O consumo de energia está intimamente relacionado com aqualidade de vida do país. Em países desenvolvidos o consumo é maior, devido ao grau de industrialização e o nível de consumo residencial em aparelhos domésticos. O setor energético quase sempre é controlado pelo Estado, através de política de planejamento da produção, concessão de exploração de grupos privados ou intervenção direta na produção da atração de empresas estatais.
  4. 4. ENERGIA DAS ONDAS E MARÉS
  5. 5. ENERGIA ATÔMICA O que movimenta a turbina de uma usina nuclear é o vapor deágua, que é gerado através da fissão de átomos de urânio em um reator. As usinas nucleares são típicas de países desenvolvidos, já que o custo da instalação é elevado e a tecnologia incorporada ao processo é avançada. Se ocorrer alguns acidentes com essas usinas, a radiatividade leva anos ou até mesmos séculos para se dissipar. Ainda outro problema, é o destino do lixo atômico.
  6. 6. Hidrogénio Solar: energia “verde” para o futuro Lutar contra o aquecimento global é um objetivo ao alcance daHumanidade. Nesse objetivo, a água e a luz do Sol terão um papel fundamental enquanto energiasrenováveis.
  7. 7. A energia gasta na produçãoindustrial é necessariamente umfator que pode tomar a mercadoriamais ou menos competitiva nocomércio internacional. Assim,qualquer nação almeja atingir aauto-suficiência e baixos custosna produção de energia, para queas atividades econômicas nãosejam afetadas pelas oscilaçõesde preço de mercado internacionale nem dependam de boa vontadede terceiros para o fornecimentode energia.
  8. 8. TERMELÉTRICA HIDRELÉTRICA A energia hidrelétrica é gerada através de uma barragem feita em rio que apresenta, não necessariamente uma queda dágua, e sim de desníveis que possibilitem a instalação de uma barragem que forme uma represa e crie uma queda artificial. A energia potencial da barragem faz girar o eixo de uma turbina, gerando energia mecânica, que, posteriormente, é transformada em energia elétrica. Trata-se de umaforma limpa, barata e renovável de obtenção de energia, havendo imposto ambiental apenas na construção das barragens e no conseqüente represamento da água.
  9. 9. TERMELÉTRIC A Para se obter energia elétrica a partir da termeletricidade,aumenta-se os custos e o impacto ambiental, mas a construção de uma mina requer investimentos menores do que a de umahidrelétrica. O que faz a turbina de usina termelétrica girar é a pressão do vapor de água obtido através da queima de carvãomineral ou petróleo. Sua vantagem em relação a hidrelétrica é que a localização da usina é determinada pelo homem e não pela topografia do terreno, o que possibilita sua instalação nasproximidades da área de consumo.
  10. 10. CARVÃO MINERAL E GÁS NATURAL A participação dessas fontes de energia aumentaram significativamente aparti das crises do petróleo em 1973, 1979e 1991, que levaram os países a substitui-los por outras fontes de energia. O carvãomineral ocupa hoje a segunda posição, e ogás natural a terceira no consumo mundial de energia. O carvão mineral é uma fonte de energia muito abundante, o que torna o substituto imediato do petróleo em situações de crise e aumento de preços.Mas, o carvão mineral acarreta prejuízos ambientais ao planeta, pois a estrutura molecular do carvão contém enorme quantidade de carbono e enxofre que,após a queima para a atmosfera na forma de gás carbônico, que agrava o efeito estufa, e o dióxido de enxofre, o grande responsável pela ocorrência da chuva ácida.

×