Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Literatura.ppt

7,958 views

Published on

Published in: Education

Literatura.ppt

  1. 1. LITERATURA
  2. 2. "A única literaturahonrada é a quepode melhorar o homem." José María Vigil
  3. 3. CARTÁTICA LIBERASENTIMENTOS ESTÉTICA ATRAVÉS DALITERATURA. EXISTE PARA SER ADIMIRADA, POQUE É BELA.
  4. 4. NAVIO NEGREIRO CASTROSenhor Deus dos ALVESdesgraçados! Senhor Deus!Dizei-me vós,Se é loucura... se é verdadeTanto horror perante os céus?Ó mar, por que não apagasDe teu manto este borrão?..
  5. 5. Astros! noites! tempestades!Rolai das imensidades!Varrei os mares, tufão!São os filhos do deserto,Onde a terra esposa a luz.Onde vive em campo abertoA tribo dos homens nus...São os guerreiros ousadosCombatem na solidão.OntemHoje míserossimples, fortes, bravos.escravos,Sem luz, sem ar, sem razão..
  6. 6. COGNITIVA POLÍTICO-SOCIAL DE PASSAR INTERFERE NACONHECIMENTO SOCIEDADE, TEM S, SER USADA A OPNIÃO DEPARA ENSINAR PESSOAS.ALGUMA COISA.
  7. 7. O termo “gênero” origina- se do latim genus, eris,que significa nascimento, descendência, origem, e refere-se a um conjunto de características temáticas e formais intrínsecas àsmanifestações literárias.
  8. 8. Denominação genérica de todas asmanifestaçõe s literáriasocorridas no Brasil durante o século XVI
  9. 9. MOMENTO SOCIOCULTURAL Início da exploração da colônia: extração de pau-brasil e do cultivo da cana de açúcar. Expedições de exploração e reconhecimento da nova terra.  Vinda dos jesuítas: trabalho decatequese dos índios e formação dos primeiros colégios.
  10. 10. Carta de Pero Vaz de Caminha ("certidão denascimento" do Brasil)Literatura de informação. : História da província deSanta Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil Tratado descritivo doBrasilLiteratura de catequese. Diálogo sobre aconversão do gentio. Na festa de SãoLourenço (peça teatral), Poema à Virgem (detradição medieval)
  11. 11. BARROCO Momento socioculturalCentros econômicose culturais: Bahia e Pernambuco. Período áureo do ciclo da cana-de- açúcar.
  12. 12. Poder econômico: senhores deengenho. Relação básica: senhor e escravo.Ausência de centros urbanos e de vidacultural. .Ampliação do território pelos bandeirantes.
  13. 13. CARACTERÍSTICAS 1) A arte da contrarreforma A ideologia do Barroco é fornecida pelaContrarreforma. Em nenhuma outra época se produziu tamanha quantidade de igrejas, capelas, estátuas de santos emonumentos sepulcrais. As obras de artedeviam falar aos fiéis com a maior eficáciapossível, mas em momento algum descer até eles. A arte barroca tinha queconvencer, conquistar e impor admiração.
  14. 14. O Renascimento definiu-se pela valorização do profano, pondo em vogao gosto pelas satisfações mundanas. Os intelectuais barrocos, no entanto, não alcançam tranquilidade agindo de acordo com essa filosofia. A influência da Contrarreforma fez com que houvesse oposição entre os ideais devida eterna em contraposição com a vidaterrena e do espírito em contraposição à
  15. 15. Na visão barroca, não há possibilidadede conciliar essas antíteses: ou se vive a vida sensualmente, ou se foge dos gozos humanos e se alcança a eternidade. A tensão de elementos contrários causa no artista umaprofunda angústia: após arrojar-se nos prazeres mais radicais, ele se sente culpado e busca o perdão divino. Assim, ora ajoelha-se diante de Deus, ora celebra as delícias da vida.
  16. 16. 3) O tema da passagem do tempo O homem barroco assume consciênciaintegral no que se refere à fugacidade da vida humana (efemeridade): o tempo, veloz e avassalador, tudo destrói em sua passagem. Por outro lado, diante das coisas transitórias (instabilidade), surge a contradição: vivê-las, antes que terminem, ou renunciar ao passageiro e entregar-se à eternidade?
  17. 17. 4) Forma tumultuosa O estilo barroco apresenta forma conturbada, decorrente da tensão causada pela oposição entre os princípios renascentistas e a ética cristã. Daí a frequente utilização de antíteses, paradoxos e inversões, estabelecendo uma forma contraditória, dilemática. Além disso, a utilização de interrogações revela asincertezas do homem barroco frente ao seu período e a inversão de frases a sua tentativa na conciliação dos elementos
  18. 18. O cultismo Caracteriza-se pelo uso de linguagem rebuscada, culta, extravagante, repleta de jogos depalavras e do emprego abusivo defiguras de estilo, como a metáforae a hipérbole. Veja um exemplo de poesia cultista:
  19. 19. O conceptismoQue ocorre principalmente na prosa, é marcado pelo jogo de ideias, de conceitos, seguindo um raciocínio lógico, nacionalista, que utiliza uma retórica aprimorada. A organização da frase obedece a uma ordemrigorosa, com o intuito de convencere ensinar. Veja um exemplo de prosa conceptista:
  20. 20. FIGURAS DE LINGUAGEM NO BARROCO METÁFORA: É uma comparação implícita. Tem-secomo exemplo o trecho a seguir, escrito por Gregório de Matos:
  21. 21. Se és fogo, como passasbrandamente?Se és neve, como queimas com porfia?
  22. 22. Antítese Reflete a contradição do homem barroco, seu dualismo. Revela ocontraste que o escritor vê em quase tudo. Observe a seguir o trecho deManuel Botelho de Oliveira, no qual édescrita uma ilha, salientando-se seus elementos contrastantes:
  23. 23. Vista por fora é pouco apetecidaPorque aos olhos por feia é parecida;Porém, dentro habitadaÉ muito bela, muito desejada,É como a concha tosca e deslustrosa,Que dentro cria a pérola formosa.
  24. 24. ParadoxoCorresponde à união de duas ideias contrárias num só pensamento. Opõe-se ao racionalismo da arterenascentista. Veja a estrofe aseguir, de Gregório de Matos:
  25. 25. Ardor em firme Coração nascido;pranto por belos olhos derramado; em mares dedisfarçado;rio de neve em fogo convertido.
  26. 26. Hipérbole traduz ideia de grandiosidade,pompa. Veja mais um exemplo de Gregório de Matos:
  27. 27. É a vaidade, Fábio, nesta vida, Rosa, que da manhã lisonjeada,Púrpuras mil, com ambição dourada, Airosa rompe, arrasta presumida.
  28. 28. Prosopopeia personificação de seres inanimadospara dinamizar a realidade. Observeum trecho escrito pelo Padre Antônio Vieira:
  29. 29. No diamante agradou-me o forte,no cedro o incorruptível, na águiao sublime, no ,no Sol o excesso de Luz.

×