Projeto de redes

69,999 views

Published on

Projeto de redes realizado por alunos da escola técnica Joaquim nabuco em recife

Published in: Technology
2 Comments
27 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
69,999
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
3,126
Comments
2
Likes
27
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto de redes

  1. 1. PROJETO DE REDES<br />Implantação de Rede De Computadores em Estabelecimento de Ensino Superior<br />(UnVB- Universidade Veneza Brasileira)<br />ESCOLA TÉCNICA JOAQUIM NABUCO<br />Curso Técnico Em Redes De Computadores<br />
  2. 2. Objetivos do trabalho<br />
  3. 3. O Projeto consiste na implementação de uma nova rede de computadores da instituição de ensino superior, UnVB- Universidade Veneza Brasileira, localizado a rua Marechal Deodoro da Fonseca Nº 100, na cidade de Recife-PE.<br />Objetivos do trabalho<br />
  4. 4. De forma que as subdivisões dos prédios possam se comunicar e ter acesso Internet.<br />Sendo a administração de forma local, segura e rápida no próprio prédio da entidade. <br />Objetivos do trabalho<br />
  5. 5. O Intuito na implementação da rede foi:<br />Agilizar a tomada de decisões administrativas, facilitando a comunicação entre seus usuários.<br />Garantir que todos os recursos de informação sejam compartilhados rapidamente, com segurança e de forma confiável.<br />Objetivos do trabalho<br />
  6. 6. Melhorar o fluxo e o acesso às informações.<br />Implantar softwares de treinamentos para os cursos oferecido pelo estabelecimento.<br />Fornecer acesso a internet com segurança e de forma confiável.<br />Objetivos do trabalho<br />
  7. 7. A implementação da rede, deverá atender as normas estabelecidas pelos padrões brasileiros (ABNT) em períodos gradativos, preservando os investimentos futuros.<br />Objetivos do trabalho<br />
  8. 8. Principais contribuições<br />
  9. 9. A entidade ganhará com estes beneficios :<br />Agilidade na trocar informações;<br />Agilizar pesquisas dos alunos;<br />O Melhor atendimento do setor administrativo e financeiro;<br />Praticidade aos professores nas atividades disciplinares;<br />Agilidade dentro do campus universitário, não necessitando de muita locomoção a diversos setores.<br />Principais contribuições<br />
  10. 10. Planejamento<br />
  11. 11. O planejamento inclui as seguintes etapas:<br />Levantamento da situação atual.<br />Projeto propriamente dito. <br />Implantação.<br />Testes e manutenção. <br />Planejamento<br />
  12. 12. Planejamento<br /> A universidade possui terreno de 25mil m² com dois prédios ambos com quatro andares, e no térreo será instalado os servidores e a sala de telecomunicações.<br />
  13. 13. A universidade ainda não possui LAN, sendo esta a primeira a ser implantada. Como não há rede implantada, haverá a necessidade de treinamento e formação de funcionários para administrar todos os recursos na rede local. <br />Planejamento<br />
  14. 14. Ocorrerá implantação dos seguintes setores:<br />Laboratório 1 - 30 computadores<br />laboratório 2 - 50 computadores <br />laboratório 3 - de 50 computadores<br />Secretaria - 03 computadores com mesmas configurações <br />Financeiro - 07 computadores<br />Planejamento<br />
  15. 15. Caixa - 02 computadores<br />Biblioteca - 02 computadores.<br />Auditório - 01 computador.<br />Serviço de Impressão:<br />5 impressoras que serão conectadas à rede<br />01 computador <br />Planejamento<br />
  16. 16. Especificações da rede.<br />
  17. 17. Será adotada a topologia estrela;<br />Seguindo os padrões Fast Ethernet. <br />Será utilizado cabo de par trançado UTP categoria 5e;<br />No térreo, da sala do servidor sairá o Backbone (Cabos Verticais) que atingira todos os andares;<br />Ocabeamento da rede será guiada através de eletro calha e chegarão aos switches em forma de cascata.<br />Especificação da rede.<br />
  18. 18. Os cabos serão conectados dos computadores ao PatchPaneldestes aos switches por Patch Cord 1,5 e 2,5m, localizados nos racks das centrais de telecomunicação em cada andar;<br />Na sala dos servidores os cabos chegarão ao PatchPanel antes de serem conectados ao switch e serão interligado por PatchCord de 1,5 à 2,5m poupando o desgaste das portas dos switches.<br />Especificação da rede.<br />
  19. 19. Especificação da rede.<br />A Entidade contará com roteadores espalhados pelos andares, afim de que os usuários possam se conectar a internet sem a necessidade de cabos, utilizando seus notebooks e dispositivos pessoais.<br />
  20. 20. Topologia Física da Rede<br />
  21. 21. A Topologia física em estrela vai proporcionar maior flexibilidade à rede, pois, a possibilidade de segmentação da rede, em sub-redes contribui para um melhor controle e distribuição de tráfego.<br />Ao isolar o tráfego nos segmentos o desempenho da rede aumenta, provê facilidades de manutenção nas estações de trabalho no caso de falha em qualquer componente entre a porta do Switche a estação de trabalho.<br />Topologia Física da Rede<br />
  22. 22. A Distribuição da rede, foi a partir de nós, primários e secundários. Estes nós são ligados através de um cabo vertical (backbone) de fibra ótica, segmentando a rede em outras sub-redes.<br />Tecnologias usadas: <br />Cabeamento Estruturado (Cabo UTP, PatchPanel, Patch Cord,)<br />Backbone (Fibra Óptica) <br />Cascateamento em Switches<br />Rede Wireless (Roteadores)<br />Topologia Física da Rede<br />
  23. 23. Topologia Lógica da Rede<br />
  24. 24. A Topologia lógica da rede também será estrela, pois os switches na rede têm a capacidade de analisar o cabeçalho de endereçamento dos pacotes de dados, enviando os dados diretamente ao destino, sem replicá-lo desnecessariamente para todas as suas portas. Na comunicação, a origem envia os dados para o dispositivo central, que os encaminha apenas para o destino.<br />Topologia Lógica da Rede<br />
  25. 25. A rede torna-se mais segura e muito mais rápida, pois praticamente elimina problemas de colisão. Além disso, duas ou mais transmissões podem ser efetuadas simultaneamente, desde que tenham origem e destinos diferentes.<br />Topologia Lógica da Rede<br />
  26. 26. Intranet<br />
  27. 27. Desenvolvemos a intranet com gerenciamento de conteúdo Joomla, deixando a intranet totalmente dinâmica, com plataforma de internet, com inúmeros recursos e funcionalidades.<br />Com este sistema publicar, organizar, distribuir informações e documento em toda área administrativa da rede será de maneira, mais rápida e eficaz.<br />A Universidade poderá compartilhar arquivos de mídia e informações entre os funcionários e colaboradores de maneira restrita.<br />Intranet<br />
  28. 28. Os template sob encomenda terá a inserção do logotipo da empresa;<br />Instalação de componentes e módulos que serão usados na Intranet.<br />Esse conceito de intranet pode ser interpretado como "uma versão privada da Internet", ou uma mini Internet confinada a uma organização.<br />Intranet<br />
  29. 29. Acesso a internet<br />
  30. 30. O Acesso será feito de forma segura através de um servidor de internet que será policiado por uma estrutura de firewall, preservando a estrutura da rede local e também contara com uma rede Wi-fi, para que os usuários com notebook possam acessar a internet em todo o prédio.<br />Acesso a internet<br />
  31. 31. Acesso a internet<br />
  32. 32. Estações de trabalho<br />
  33. 33. As estações de trabalho nos setores administrativos e nos laboratórios terão as seguintes configurações:<br />Software<br />Windows 7 BR x32 <br />MS.Office 2010 BR.<br />Adobe photoshop.<br />Coreldraw.<br /> Page Maker;<br />Avast 6.0<br />Monitrix<br />Visual Basic.<br />Flash.<br />Estações de trabalho<br />
  34. 34. Hardwares<br />Microcomputador Megaware;<br />Processador (Intel Celeron T6400);<br />Memória (2 GB);<br />HD 320 Gb;<br />CORE I3;<br />Teclado de 101 teclas;<br />Interfaces USB;<br />Mouse;<br />Monitor CCE;<br />Placa de rede Atheros L2 Fast Ethernet 10/100BASE-T<br />Estações de trabalho<br />
  35. 35. Servidores<br />
  36. 36. Servidores de Bancos de Dados (SGDB),<br />Utilizaram o sistema de gerenciamento MySQL 5, para prover a entidade recursos que possam garantir alta disponibilidade do sistema. <br />Nestes servidores, ficará as bases do banco de dados da universidade, com todas as informações pertinentes a instituição.<br />Serão dois servidores de banco de dados.<br />O Sistema operacional dos servidores será o Linux.<br />Servidores<br />
  37. 37. A Escolha doMySQL,é por ser um dosgerenciador de banco de dados mais populares que existe para aplicações Web, além da disponibilidade para praticamente qualquer sistema operacional, como Linux, FreeBSD (e outros sistemas baseados em Unix), Windows e Mac OS X. Além disso, o MySQL é um software livre (sob licença GPL).<br />Servidores<br />
  38. 38. Características técnica:<br />Alta compatibilidade com linguagens como PHP, Java, Python, C#, Ruby e C/C++;<br /> Baixa exigência de processamento (em comparação como outros SGBD);<br /> Vários sistemas de armazenamento de dados (batabaseengine), como MyISAM, MySQL Cluster, CSV, Merge, InnoDB, entre outros;<br /> Recursos como transactions (transações), conectividade segura, indexação de campos de texto, replicação, etc;<br /> Instrução em SQL como indica o nome.<br />Servidores<br />
  39. 39. Redundância<br />A Redundância será baseada na idéia de ter componentes de reserva, prontos para assumirem o trabalho caso o servidor principal falhe.<br />As fontes redundantes, baseiam no uso de módulos substituíveis.<br />Servidores<br />
  40. 40. Os servidores usam 400 watts de energia, por causa disso usaremos de fontes 2×1, onde são usados três módulos, onde dois deles fornecem energia ao servidor (o que permite somar as capacidades) e o terceiro módulo fica de reserva para o caso qualquer um dos dois falhar.<br />E Irá funcionar no modo de operação do RAID5.<br />Servidores<br />
  41. 41. Servidor Web<br />Esse servidor será montado combinando os recursos do PHP 5 com um banco de dados MySQL5 e terá as seguintes configurações:<br /> <br />Core 2 Duo<br />4 Gb de RAM<br />HD 1 Tr<br />S.O. Linux<br />Mais as configurações dos servidores de fábrica.<br />Servidores<br />
  42. 42. Serviços rodando no servidor:<br />DHCP3 para fornecer os IPs da rede e fazer o mapeamento com base no macaddress dos pcs;<br />SQUID3 para fazer o cache de navegação;<br />SquidGuard para fazer a liberação dos acessos de internet para os departamentos;<br />Servidor de impressão;<br />IPTABLES configurado como firewall, NAT etc. <br />Servidores<br />
  43. 43. Servidor do Laboratório<br />Este servidor terá como Sistema Operacional Linux, e sua finalidade será a de servir aos laboratórios 1,2 e 3. Aqui ficarão os softwares e aplicativos voltados para o treinamento dos alunos.<br />Também serão configurados separadamente servidores de:<br />Servidor de arquivos <br />Servidor de e-mail <br />Servidor DNS<br />Servidor de Proxy<br />Servidores<br />
  44. 44. Cabeamento e Conectorização<br />
  45. 45. Toda a infra estrutura da rede será feita com base nas normas de cabeamento estruturado, estabelecida pela norma brasileira ABNT, seguindo as especificações da norma NBR 14565, publicada pela ABNT em 2001.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  46. 46. Cabo de par trançado UTP<br />Serão utilizados cabos UTP com padrão Fast Ethernet categoria 5, e cabos de fibra óptico. <br />Os cordões de conexão de (equipamentos) terminais na área de trabalho terão comprimento máximo de 3m.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  47. 47. Cabeamento e Conectorização<br />Os cordões de conexão usados entre os painéis e equipamentos distribuidores terão comprimento máximo de 7m. A conectorização será feita com tomadas modulares de 8 vias (RJ 45) adotada pelas normas e convenções T568B.<br />
  48. 48. Cabo de Fibra Óptica<br />Para o backbone (espinha dorsal da rede), será utilizado fibra ótica com 4 par de fibras.<br /> 1 Par de fibras, um dos integrantes do par para transmissão e outro para recepção (mais um par por contingência), utilizando método de sinalização multímodo, que opera até 100Mbps e tem alcance de 100m.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  49. 49. Equipamentos<br />Roteadores<br />O objetivo dos roteadores é de ligar a rede interna corporativa ao mundo externo, no caso ao provedor de acesso a Internet e fornecer internet aos usuários para poderem utilizar notebooks e dispositivos pessoais.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  50. 50. Switches<br />Os Switches irão segmentar a rede, dividindo a rede em sub-rede. Serão criadas 2 Vlans, 1 para os laboratórios e outra para administração da universidade.<br />apenas uma estação de trabalho será ligada a cada uma das portas do switch da rede, para melhorar seu desempenho, fornecendo a cada uma de suas portas, uma taxa de transmissão na rede igual à do seu enlace de entrada/saída.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  51. 51. Rede Elétrica<br />Todos os equipamentos da rede deverão estar ligados a uma rede elétrica estabilizada, devidamente aterrada, para proteger os referidos equipamentos contra variação de tensão.<br />Cabeamento e Conectorização<br />
  52. 52. Deverão ser instalado um gerador e No breaks estabilizados no quadro que distribui os pontos físicos (Elétricos) com o objetivo de permitir uma manutenabilidade eficiente no quadro elétrico, bem como não permitir falhas no hardware instalado ( Defeitos em placas de rede, discos e instabilidade de impressão ) impedindo que haja quedas inesperadas de energia e que trabalhos em determinados departamentos não parem for falta de luz. <br />Cabeamento e Conectorização<br />
  53. 53. Protocolo<br />
  54. 54. Protocolo TCP/IP<br />O protocolo será o TCP/IP.<br />Sua característica principal é o suporte direto a comunicação entre redes de diversos tipos mas também define uma série de aplicações que contribuem para a eficiência e sucesso da arquitetura.<br />Entre os serviços mais conhecidos da Internet estão o correio-eletrônico (protocolos SMTP, POP3, IMAP), a transferência de arquivos (FTP), o compartilhamento de arquivos (NFS), a emulação remota de terminal (Telnet), o acesso a informação hipermídia (HTTP), conhecido como WWW (World Wide Web).<br />Protocolo<br />
  55. 55. Também serão inclusos os protocolos:<br />Protocolo DNS<br />Que define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade na definição de nomes, um banco de dados distribuído que associa nomes a atributos (entre eles o endereço IP) e um algoritmo distribuído para mapear nomes em endereços.<br />Protocolo<br />
  56. 56. Protocolo DHCP<br />Possibilita a distribuição automática de endereços IP de forma manual, dinâmica ou automática para as máquinas na rede.<br />Distribuições de IPs:<br />O Serviço de DHCP vai distribuir a faixa de endereço IP 192.168.1.0 com mascara 255.255.255.0 na rede que será dividida em 2 vlans.<br />Protocolo<br />
  57. 57. Segurança<br />
  58. 58. Segurança Física:<br />Sala reservada para o servidor da rede.<br />Uso de NO-BREAK para o servidor.<br />O cabeamento será lançado por eletro calhas exposto para facilitar a manutenção, suspensas pelas paredes e devera ser independente da calha de rede elétrica respeitando a distancia exigida pelos padrões.<br />Os switches e roteadores deverão estar em ambiente protegido.<br />Segurança<br />
  59. 59. Segurança Lógica:<br />Backup a cargo do administrador de rede.<br />Utilizar Software de monitoração de rede.<br />Segurança<br />
  60. 60. Firewall<br />Funcionam filtro de conteúdo e barreira de proteção que controla o tráfego de dados entre o computador e a internet.<br />O firewall do servidor Proxy irá bloquear alguns sites e páginas da Web não autorizados na rede, como site de bate-papo e sites pornográficos.<br />Segurança<br />
  61. 61. Também irá proteja a universidade contra malware, (aquele pacote de ameaças que inclui spam, vírus, phishing e spyware) e contra ataques denialofservice (DOS).<br />
  62. 62. Implantação.<br />A Implantação da rede ocorrera de forma gradativa.<br />Será utilizada mão de obra própria ou contratada.<br />Tudo irá ser documentado e Etiquetados como cabos, saídas e entradas do patchpanel e das extensões para a fácil administração na hora da manutenção.<br /> Testes <br />Serão elaborados checklistsno decorrer da implantação da rede.<br />Resumo geral<br />

×