Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Toponímia indígena - orientações

420 views

Published on

Toponímia indígena - orientações

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Toponímia indígena - orientações

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ Centro de Humanidades CURSO DE LETRAS Av. Luciano Carneiro, 345 – Fátima – CEP: 60410-690 – Fortaleza – Ceará Disciplina: Toponímia Indígena Profa. Claudiana Alencar EQUIPES Equipe 1 – Tapeba (Caucácia): Natália Miranda, Deise, Rebeca. Equipe 2 – Tremembé (Almofala): Lorena Colaço, Rômulo Rocha, Gabriela. Equipe 3 – Gavião (Monsenhor Tabosa e Tamboril): Paulo Dalcy, Natália Nayane, Yanna. Equipe 4 – Potiguara (Monsenhor Tabosa): Elisabeth Lilian, Joverlan, Maria Sueli. Equipe 5 – Jenipapo-Kanindé (Aquiraz): Nayara de Oliveira, Denaba, Roberiane, Lucas. Equipe 6 – Tupinambá (Crateús): Abdiel Anselmo, Alexssandro Pereira, Tatielly Farias. Equipe 7 – Tubiba-Tapuya (Monsenhor Tabosa e Tamboril): Caiane Alves, Camila Vasconcelos, Nataly Oliviera. Equipe 8 – Tapeba (Caucaia): Lidiane Nunes, Mariana Júlia, Tanandra Evelen. Equipe 9 – Tabajara (Crateús): Rayane Nogueira, Anandra Pedrosa, Leonardo Colares. Equipe 10 – Pitaguary (Maracanaú): Letícia, Aristenia, Cristilane. Equipe 11 – Kanindé de Aratuba (Aratuba): Andressa de Souza, Dayane Siebra, Pedro Luiz. Equipe 12 – Kanindé de Kanindé (Canindé): Rita Carneiro, Bruna Larissa, Bruna Uchoa. Equipe 13 – Anacé (São Gonçalo do Amarante): Arícia Amaro, Anastácio Júnior, Geovânia Mota, William.
  2. 2. Equipe 14 – Kalabaça (Crateús): Ana Caroline Gadelha, Tamires Nunes, Jordan César. Equipe 15 – Tapuya-Kariri (São Benedito e Carnaubal): Vanlei Irineu Alves, Ana Karina de Souza, Aletéia Paulina. Equipe 16 – Tremembé (Itapipoca): Luana, Ana Paula, Railane. ROTEIRO METODOLÓGICO 1. Pesquisar no site do IBGE os topônimos da região onde habita a etnia pesquisada; 2. Confirmar por meio de pesquisa bibliográfica (dicionários, vocabulários, site da FUNAI e publicações em geral) e etnográfica (pesquisa de campo presencial e/ou virtual) a origem indígena dos topônimos encontrados; 3. Conversar com os membros da etnia sobre o significado, a motivação e demais informações sócio-históricas e culturais que esclareçam os topônimos encontrados; 4. Produzir a ficha toponímica para cada topônimo indígena encontrado; 5. Apresentação oral dos dados encontrados e analisados; 6. Entrega dos dados e das análises (diário de campo, transcrição, glossário, referências). INFORMAÇÕES IMPORTANTES ✓ Todos os membros das etnias que participarem da pesquisa devem assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido para o Comitê de Ética e Pesquisa (TCLE); ✓ Todos as equipes devem fazer o diário de campo, reunindo as impressões dos membros das equipes, registando as opiniões, os comentários (pessoais ou não). O diário de campo deve seguir uma escrita livre, pode ser informal, mas deve prezar pelo vernáculo da língua pois é um trabalho acadêmico. Não existe um padrão para a escrita desse gênero, mas nele deve ser registrado a data, o local e sobre quem se escreve (se houver), para que o leitor se situe sobre os detalhes da pesquisa. ✓ O diário de campo pode ser manuscrito ou digitado, isso fica a cargo do pesquisador; ✓ As conversas com os participantes da pesquisa devem ser documentadas. Se gravadas (virtual ou presencialmente) em áudio ou áudio e vídeo, cada uma deve ser transcrita, independente do modo como acontecerem. ✓ O material coletado deve ser entregue virtualmente, a exceção do diário de campo, que, se manuscrito, pode ser entregue físico.
  3. 3. ✓ As etnias que possuem mais de uma equipe, cada equipe pesquisará com comunidades diferentes. ✓ Todo o material citado para a composição da ficha toponímica deve ser registrado na seção REFERÊNCIAS para que possamos saber quais as fontes pesquisadas. ✓ A seção REFERÊNCIAS deve ser feita em Word em documento à parte e seguir o padrão ABNT descrito pelo Manual de normalização da UECE. LINKS IMPORTANTES ✓ FUNAI: ▪http://www.funai.gov.br/index.php/indios-no-brasil/terras-indigenas; ✓ IBGE: ▪ftp://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_do_brasil/sociedade_e_economia/mapas_murais /terras_aldeias_indigenas_2008.pdf; ▪ftp://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_estaduais_e_distrito_federal/fisico/ce_fisico800 k_2012.pdf; ▪https://portaldemapas.ibge.gov.br/leafletshape.php?q=ftp%3A%2F%2Fgeoftp.ibge.gov.br%2For ganizacao_do_territorio%2Fmalhas_territoriais%2Fmalhas_de_setores_censitarios__divisoes_in tramunicipais%2Fcenso_2000%2Fsetor_rural%2Fprojecao_geografica%2Fcenso_2000%2Fe50 0_arcview_shp%2Fuf%2Fce%2Fce_subdistritos.zip (mapa interativo dos subdistritos); ✓ IPECE: ▪http://www2.ipece.ce.gov.br/estatistica/base/base.htm (nesse link você clica na região que lhe interessa e o sistema faz download automaticamente); ▪http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/Formacao_Territorio_Evolucao_Politico_Administrativ a_Ceara_Questao_Limites_Municipais.pdf (livro: Formação do território e evolução político- administrativa do Ceará); ✓ ANAÍ: ▪http://www.anai.org.br/povos_ce.asp ✓ Territórios e etnias: ▪https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a6/Cear%C3%A1.png ✓ Algumas fontes sobre vocabulário indígena: ▪https://www.institutodoceara.org.br/revista/Rev-apresentacao/RevPorAno/1945/1945- ToponimosIndigenasSeculos16e17CostaCearense.pdf; ▪https://www.institutodoceara.org.br/revista/Rev-apresentacao/RevPorAno/1947/1947- ContribuicaoaaToponimiaCearense.pdf; ▪http://www.dicionariotupiguarani.com.br/section/toponimos/;
  4. 4. ▪https://www.institutodoceara.org.br/revista/Rev-apresentacao/RevPorAno/1887/1887- VocabularioIndigenaemusonaProvinciaCeara.pdf; ▪https://digital.bbm.usp.br/browse?type=author&value=Bluteau%2C+Rafael%2C+1638- 1734&value_lang=pt_BR. ✓ Manual de normalização da UECE: ▪http://www.uece.br/biblioteca/dmdocuments/GUIA_DE_NORMALIZACAO_UECE__V.1_21_ 08_2016.pdf

×