PESSOALIZAÇÃO EIMPESSOALIZAÇÃO EMNOTÍCIAS DE JORNAISPAULISTAS DO SÉCULO XIX: AINTERDEPENDÊNCIA ENTREFORMAS GRAMATICAIS E T...
Pessoalização e impessoalização em notícias de jornais paulistas do século XIX1.   Introdução:     1.1 Contextualização da...
Introdução   Pesquisa de Pós-Doutorado “Tradições discursivas da    mídia impressa: gênese, formação e transformação    d...
Ponto de vista teóricoTradições discursivas (Koch 1997): além da língua histórica, os enunciados realizam modelos textuai...
Objetivo desta apresentação  Objetivo: verificar a relação de interdependência entre   formas gramaticais que servem à ex...
Corpus Correio   Paulistano   Edição         de 22 de agosto de 1854   (1.360palavras; 37 notícias)   Ediçãode 05 de se...
Identificação de notícias de jornal(Brinker 1985)Critérios de classificação dos gêneros Tipo de texto: informativo (funçã...
Identificação de variantes notícias de jornal (2)Variantes de notícia identificadas (CP e APSP): Variante 01 – Notícia si...
Variantes de notícia encadeadaNotícia encadeada narrada:               Notícia encadeada relatada: meraconclusão; lógica l...
Variantes de notícias encadeadas Primeira variante     evento ocorrido e concluído. Uso do pretérito perfeito perfeito   ...
Segunda variante de notícia encadeada   Mais de um evento. Eventos paralelos e simultâneos ocorrido. Uso do    pretérito ...
NOTÍCIA                      NOTÍCIA     RELATADA                      NARRADATD DESCREVER          TD Impes-         TD N...
Estratégias de apagamento do sujeitonas notícias do corpus   uso de voz passiva analítica    Foi approvado o artigo que a...
   –se indeterminador do sujeito    As tropas inglezas e francezas, que| julga-se estarem    a esta hora em Var[ ]a,| (Co...
Variante “notícia comentada”   CORREIO: - O Sr. administrador do| correio da capital, que em nossa opinião| é    zeloso, ...
   Função textual : referencial e conativa   Desenvolvimento temático: narrativo-argumentativo   Estrutura composiciona...
TD impessoalização          TD pessoalização      NOTÍCIA     NOTÍCIA             NOTÍCIA     RELATADA     NARRADA        ...
TD da impessoalização e dapessoalização   Retomando o objetivo: verificar a relação de    interdependência entre formas g...
TD e história social   Habermas (em Mudança estrutural da esfera pública, 1971): há    uma primeira fase da imprensa de n...
TD e história social (2)   “De facto, no início do século XIX a imprensa dominante era a    imprensa opinativa, ideológic...
   TD pessoalização – Iluminismo: liberdade de    expressão, imprensa opinativa (estr. carta pessoal –    narratio + argu...
Considerações finais e perspectivas   Koch (1997): as estruturas lingüísticas não são fatos brutos. Elas    estão sempre ...
ReferênciasCoseriu, Eugenio (1980/2007): Lingüistica del texto. Introducción a la hermenéutica del sentido. Edición, anota...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Pessoalização e impessoalização em notícias de jornais paulistas profa. dra. alessandra castilho costa

1,870 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,870
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pessoalização e impessoalização em notícias de jornais paulistas profa. dra. alessandra castilho costa

  1. 1. PESSOALIZAÇÃO EIMPESSOALIZAÇÃO EMNOTÍCIAS DE JORNAISPAULISTAS DO SÉCULO XIX: AINTERDEPENDÊNCIA ENTREFORMAS GRAMATICAIS E TDProfa Dra. Alessandra Castilho Ferreira da CostaUFRN/PPGEL
  2. 2. Pessoalização e impessoalização em notícias de jornais paulistas do século XIX1. Introdução: 1.1 Contextualização da pesquisa 1.2 Objetivos do projeto de PD 1.3 Ponto de vista teórico 1.4 Objetivo desta apresentação 1.5 Corpus 1.6 Identificação das notícias de jornal2. Resultados parciais: notícia de jornal 2.1 Análise qualitativa: impessoalização 2.2 Análise qualitativa: pessoalização3. Conclusão: hipóteses comprovadas
  3. 3. Introdução Pesquisa de Pós-Doutorado “Tradições discursivas da mídia impressa: gênese, formação e transformação de gêneros discursivos em uma perspectiva diacrônica” (2007-2010, USP/FAPESP) Projetos: PHPP e PHPB Objetivo: descrever surgimento, constituição e mudanças de gêneros em jornais paulistas do século XIX e identificar tradições discursivas (TD).
  4. 4. Ponto de vista teóricoTradições discursivas (Koch 1997): além da língua histórica, os enunciados realizam modelos textuais! TD: regularidades lingüísticas ligadas ao texto: gêneros textuais (notícia de jornal), gêneros literários (soneto), estilos (linguagem técnica), atos de fala (juramento de amor e fidelidade no casamento, saudar um conhecido na rua), fórmulas (carta comercial: “sem mais para o momento despeço-me”).
  5. 5. Objetivo desta apresentação Objetivo: verificar a relação de interdependência entre formas gramaticais que servem à expressão de pessoalização e impessoalização, tradições discursivas e história social.Isto é: Comprovar se determinadas formas gramaticais (de pessoalização e impessoalização) são preferidas por determinadas variantes de notícia de jornal; Comprovar se mudanças nas notícias de jornal estão ligadas às mudanças na sociedade.História da Língua – História dos Textos – História Social
  6. 6. Corpus Correio Paulistano  Edição de 22 de agosto de 1854 (1.360palavras; 37 notícias)  Ediçãode 05 de setembro de 1854 (1.497 palavras; 18 notícias)
  7. 7. Identificação de notícias de jornal(Brinker 1985)Critérios de classificação dos gêneros Tipo de texto: informativo (função referencial); Classe de gênero: texto jornalístico (forma de comunicação: texto escrito publicado em jornal); Enunciador: correspondente do jornal Gênero: notícia de jornal Desenvolvimento temático (descritivo, narrativo, argumentativo?) Estrutura composicional Microestrutura
  8. 8. Identificação de variantes notícias de jornal (2)Variantes de notícia identificadas (CP e APSP): Variante 01 – Notícia simples Variante 02 – Notícia sobre evento esperado no futuro Variante 03 – Notícia sobre evento já antes noticiado Variante 04 – Notícia com reprodução de documentos Variante 05 – Notícia reflexiva Variante 06 – Notícia comentada (reclamativa e não-reclamativa) Variante 07 – Notícia-aviso Variante 08 – Notícia encadeada (narrada vs. relatada) Variante 09 – Notícia policial Variante 10 – Notícia comercial Variante 11 – Notícia sobre atos da administração pública
  9. 9. Variantes de notícia encadeadaNotícia encadeada narrada: Notícia encadeada relatada: meraconclusão; lógica linear (Pret. Perf.) adição de eventos (Pret. Imp.)
  10. 10. Variantes de notícias encadeadas Primeira variante  evento ocorrido e concluído. Uso do pretérito perfeito perfeito (“transferio”; “regeitou”; “foi”; “demittio”; “falleceu”). Sem informações contextuais. Ausência de títulos. Travessões e parágrafos.Apagamento do sujeito. O União annuncia a partida, em lugar| do Fluminense, para o dia 24; o D. Affon-|so transferio para 20.| - Regeitou-se na camara quatriennal| o projecto creador de uma nova provincia| em Minas. O visconde do Paraná fallou| contra o projecto.| - Foi approvado o artigo que augmen-|ta os ordenados dos lentes da faculdade| de direito.| - O Sr. desembargador Pacheco de-|mittio-se da directoria do theatro Lyrico.| - Falleceu o Sr. Maxwel, um dos| mais abastados commerciantes da praça| do Rio.| Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854.
  11. 11. Segunda variante de notícia encadeada Mais de um evento. Eventos paralelos e simultâneos ocorrido. Uso do pretérito imperfeito perfeito. Subordinação. Apagamento do sujeito." - Os dous exercitos inimigos, cada| um na posição respectiva, continuavão,| em mutua observação. Omer-Pachá es-|colheu Olteniza para centro das suas| operações. Até o dia 16 do passado ti-|nhão passado o Danubio 90,000 turcos.| Empregavão-se estes em construir bate-|rias na ilha que demora em frente do Si-|listria.|" - O pricipe Gorlschakoff tinha o| seu quartel general em Slobodzie. Da| Moldavia chegavão muitos reforços russos| que occupavão a extensão de Jalomnitza.| A ala direita dos Russos estava em Slo-|bedzie. O general Ludes havia-se con-|centrado em Kalafat. A força que o| principe de Gortschakoff tem para resistir| aos Turcos é de 110,000 homens e 20| baterias. Os Turcos continuavão a atra-|vessar o Danubio em Giurgevo. Houve| algumas escaramuças em que forão feridos| os generaes Buturlin e Orloff.| Correio Paulistano de 05 de setembro de 1854
  12. 12. NOTÍCIA NOTÍCIA RELATADA NARRADATD DESCREVER TD Impes- TD NARRAR (Pret. Imp.) soalização (Pret. Perf.) TD notícia encadeada
  13. 13. Estratégias de apagamento do sujeitonas notícias do corpus uso de voz passiva analítica Foi approvado o artigo que augmen-|ta os ordenados dos lentes da faculdade| de direito.| (Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854) ás commissões reunidas de constituição e justiça criminal, foi su- |geita a matéria (Correio Paulistano, 05 de setembro de 1854) construções reflexivas que, por| eventualidades que já não assustam no| paiz, se converteu em questão de gabine-|te (Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854_ construções impessoais Todavia a commissão reconhece que| cumpre não arredar a magistratora de| suas funcões (Correio Paulistano, 05 de setembro de 1854)
  14. 14.  –se indeterminador do sujeito As tropas inglezas e francezas, que| julga-se estarem a esta hora em Var[ ]a,| (Correio Paulistano, 05 de setembro de 1854) voz passiva sintética (com –se apassivador) Até meio dia re-|cebe-se a correspondencia com porte do-|brado.| Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854 posposição do sujeito Falleceu o Sr. Maxwel, um dos| mais abastados commerciantes da praça| do Rio.| Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854
  15. 15. Variante “notícia comentada” CORREIO: - O Sr. administrador do| correio da capital, que em nossa opinião| é zeloso, quanto cumpre, pelo serviço do| ramo á seu cargo, attendeu ao reclamo| expendido pelo nosso correspondente de| Itú ordenando que o estafeta marche pa-|ra Porto Feliz apenas chegue á Itu. Era| uma necessidade geralmente reclamada; o| Sr. Luz merece louvor pela attenção que| liga ao reclamo do povo.| Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854 ESTRADA: - Já orientamos os leitores| na questão do atalho - Nunes, que, por| eventualidades que já não assustam no| paiz, se converteu em questão de gabine- |te. O governo commissionou o Sr. Mon-|teiro para examinar ocularmente a ques- |tão. Aguardamos o parecer deste enge-|nheiro que é probo. O Dr. Cabral á| quem anteriormente se incumbio a mate-|ria subjeita, tambem o é, mas procedeu| recentemente de um modo estranho. Pa-|tentearemos em breve a historia desse ata-|lho: é negocio publico, é providencia re-|clamada por todos os viandantes.|Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854 ESCRAVOS: - O correio das villas nada| adiantou relativamente a questão da su-|blevação, nem fez verificar a noticia| da escaramuça, que noticiámos recente- |mente.| Correio Paulistano, 22 de agosto de 1854
  16. 16.  Função textual : referencial e conativa Desenvolvimento temático: narrativo-argumentativo Estrutura composicional: narratio, seguida de argumentatio e petitio/peroratio. Microestrutura: poucos períodos, com muita subordinação. Uso de 1ª pessoal do plural e de citação lexical do co-enunciador. TD da pessoalização
  17. 17. TD impessoalização TD pessoalização NOTÍCIA NOTÍCIA NOTÍCIA RELATADA NARRADA COMENTA- DATD DESCREVER TD NARRAR (Pret. Imp.) (Pret. Perf.)
  18. 18. TD da impessoalização e dapessoalização Retomando o objetivo: verificar a relação de interdependência entre formas gramaticais, tradições discursivas e história social. Estratégias de apagamento do sujeito TD da impessoalização (estilo; maneira particular de escrever). Uso de 1ª pessoa do plural (pronomes; desinência pessoal nos verbos) + citação lexical do co-enunciador (“o leitor”/”os leitores”) TD da pessoalização. História social?
  19. 19. TD e história social Habermas (em Mudança estrutural da esfera pública, 1971): há uma primeira fase da imprensa de notícias (Nachrichtenpresse) no século XVIII seguida pela fase da imprensa de opinião (Meinungspresse), sob influência do Iluminismo. Püschel (1991: 428): Um jornal a serviço do Iluminismo deveria ser “a voz da verdade”. O jornal deveria ser um tribunal insubornável, que deveria apresentar negativamente toda repressão, maldade, injustiça, permissividade, opulência. O jornal deveria tratar também de fatos individuais de pessoas individuais (Püschel 1991: 431), porque somente o individual é real – tudo o que é resumido é imaginação. Na interpretação de Püschel (cf. 1991: 431), a proposta iluminista era a da personalização e concretização do relato jornalístico. Iluminismo TD pessoalização da notícia
  20. 20. TD e história social (2) “De facto, no início do século XIX a imprensa dominante era a imprensa opinativa, ideológica (de ideias) ou de partido. [...] A proliferação de movimentos político-ideológicos desde meados do século XIX também terá contribuído para a politização da audiência e, por consequência, para a emergência do jornalismo opinativo. [...] Porém, as circunstâncias históricas alteram-se, devido ao telégrafo e aos caminhos-de-ferro” (Souza 2001, p. 21). Telégrafo telegrama TD impessoalização na notícia
  21. 21.  TD pessoalização – Iluminismo: liberdade de expressão, imprensa opinativa (estr. carta pessoal – narratio + argumentatio) TD impessoalização – telégrafo, massificação da imprensa (estr. telegrama )
  22. 22. Considerações finais e perspectivas Koch (1997): as estruturas lingüísticas não são fatos brutos. Elas estão sempre em distorção discursivo-tradicional – distribuídas nos textos. Quem estuda a história da língua, não pode esquecer da história dos textos. Perguntas a serem investigadas a partir deste estudo: A) Quais são os recursos linguísticos à disposição para a expressão de pessoalização e impessoalização na história da Língua Portuguesa? São sempre os mesmos? (mudança linguística na voz passiva) B) Quais são as TD que difundem essas estruturas? (mudança nos textos: desaparecimento da voz passiva no jornalismo atual) C) Quais são as mudanças sociais que trazem novas necessidades comunicativas? (história social: democratização da leitura e massificação da informação)
  23. 23. ReferênciasCoseriu, Eugenio (1980/2007): Lingüistica del texto. Introducción a la hermenéutica del sentido. Edición, anotación y estudio previo de Óscar Loureda Lamas. Madrid: Arco Libros.Fiorin, José Luiz (1996): As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo: Ática.Fiorin, José Luiz (2006): Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática.Heinemann, Wolfgang & Viehweger, Dieter (1991): Textlinguistik. Eine Einführung. Tübingen: Niemeyer.Kabatek, Johannes (2004a): “Tradições discursivas e mudança lingüística”. In: Tânia Lobo (ed.): Para a Historia do Português Brasileiro VI, Salvador: EDUFBA (no prelo). Texto apresentado no encontro PHPB em Itaparica, Bahia, setembro de 2004. http://www.kabatek.de/discurso/itaparica.pdfKoch, Peter (1997): “Diskurstraditionen: zu ihrem sprachtheoretischen Status und ihrer Dynamik”, in Barbara Frank; Thomas Haye & Doris Tophinke (ed.): Gattungen mittelalterlicher Schriftlichkeit. Tübingen: Narr, 43–79.Sousa, Jorge Pedro (2001): Elementos de jornalismo. Porto. Disponível em: www.bocc.ubi.pt. Acesso em 04/09/2012.Wilhelm, Raymund (1996): Italienische Flugschriften des Cinquecento (1500-1550). Gattungsgeschichte und Sprachgeschichte. Tübingen: Niemeyer.Wilhelm, Raymund (2006): „Einzelsprachliche Syntax und journalistische Diskurstradition. Zur Tempusverwendung in der Gazzetta di Milano (1769/1786)“. In: Wolfgang Dahmen et al. (Hrsg.): Historische Pressesprache. (Romanistisches Kolloquium XIX). Tübingen: Narr, pp. 197-225.Wittgenstein, Ludwig (1952/2009): Investigações Filosóficas. Petrópolis: Vozes.

×