Aula 5 ucam 2014.1 - epa - sistemas

399 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
399
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 5 ucam 2014.1 - epa - sistemas

  1. 1. 27/01/2014 Aula 5 Disciplina: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO. Tema: TEORIA DE SISTEMAS (1960). Prof. Angelo Peres Ludwig Von Bertalanffy (AUSTRIA - USA, BIÓLOGO) 1901 – 1972. Com a revolução do carvão e do ferro; e, posteriormente, com a invenção dos novos aparatos com base no aço, petróleo e na eletricidade houve significativa mudança na produção, bem como alterou a concepção de trabalho. Estes fatos, ainda, propiciou surgir o capitalismo industrial, financeiro, surgimentos de mega empresas, e, é claro, uma enorme ampliação dos mercados. Os modelos mecanicistas (e sua implementação) de Taylor (1856 – 1915), Fayol (1841 – 1925) tinham como desafio aumentar a eficiência da indústria por meio da racionalização e da organização do trabalho, por meio da aplicação de princípios gerais da Administração, em bases cientificas. Assim como o aparecimento do modelo mecanicista aconteceu o progresso da Física e da Biologia. Com isto, há autores que passaram a ter o entendimento de que as organizações são como organismos vivos, sistemas, e há interdependência entre as partes. Neste bojo, o século XVIII passa a assistir ao nascimento do que hoje chamamos de Teorias Administrativas. Tais teorias visavam (e visam), grosso modo, contribuir na arrumação dos arranjos organizacionais. Dando aos empreendimentos industriais mais agilidade, aumento do nível de produtividade, flexibilidade, aumento de performance e lucratividade, entre outras. As primeiras teorias administrativas evidenciavam um modelo de cunho mecanicista e burocrático voltado para assegurar o máximo de prosperidade para o patrão e, ao mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao empregado (TAYLOR, 2008, p. 24). 1
  2. 2. 27/01/2014 Antes do século XVIII, com o avanço da Física, da Mecânica e da Matemática, as pessoas passaram a interpretar tudo em termos de métodos. Dessa forma, a Teologia e o misticismo dá lugar à Ciência. EMPIRISMO => MODELOS MECÂNICOS E BUROCRÁTICOS. SOCIEDADE NATURAL => SOCIEDADE COMO MÁQUINA. COMPLEXA. As organizações de então são fruto de um complexo e intrincado conjunto de elementos, que se inter-relacionam, bem como tem efeitos daí decorrentes. NESTE NORTE SURGE A TEORIA DOS SISTEMAS (TS) QUE TEM PRINCIPAL INSPIRAÇÃO NA BIOLOGIA. Todo sistema têm dependência entre as partes. Toda empresa é um organismo vivo. Fonte: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br e goretysilva.blogspot.com.br Não se pode analisar uma parte sem que se tenha consciência do todo e as inter-relações das partes entre si. SISTEMA Para a TS há que se fazer um estudo das relações entre os elementos (os sistemas). É um conjunto de partes interagentes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam função especifica. O SISTEMA é um conjunto de partes interagentes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinados objetivos e função específica. 2
  3. 3. 27/01/2014 COMPONENTES DE UM SISTEMA Objetivos entradas Processo de saídas Transformação Controle e avaliação. entropia Retroalimentação O moderno enfoque dos Sistemas empresariais procurava desenvolver: 1 – Uma nova técnica para lidar com o complexo e grande conjunto de atividades de uma empresa. Fonte: OLIVEIRA, 2011, p. 6. 2 – Um enfoque único do todo, que não permite a análise separada das partes do todo, em virtude das complexas interrelações das partes entre si e com o todo. Fonte: OLIVEIRA, 2011, p. 6. 3 – Um estudo de relações entre os elementos componentes dos sistemas, de preferência ao estudo isolado dos elementos, destacando-se o processo e as probabilidades de transição, especificados em função dos arranjos estruturais e a dinâmica de atuação destes elementos. Fonte: OLIVEIRA, 2011, p. 6. 3
  4. 4. 27/01/2014 COMPONENTES DE UM SISTEMA Objetivos Processo de entradas saídas Os COMPONENTES DE UM SISTEMA transitam (ou funcionam ou se processam) no AMBIENTE DO SISTEMA. Transformação Controle e avaliação. entropia Retroalimentação AMBIENTE DE UM SISTEMA é o conjunto de todos os fatores que se possa conceber influência (direta ou indireta) sobre a operação de um sistema. Mercado de Mão de Obra. Governo. AMBIENTE DE UM SISTEMA Concorrência Fornecedores. EMPRESA Consumidores. Sistema Financeiro. Comunidade. Sindicatos. Tecnologia. Fonte: http://topexecutivesnet.com/site/tensrm/ 4
  5. 5. 27/01/2014 Ambiente Geral ou ECOSISTEMA O AMBIENTE DO SISTEMA não pertence ao SISTEMA, mas qualquer mudança nele pode alterar todos os fatores externos e internos. EMPRESA: São sistemas planejados que mantém integridade de sua estrutura interna através de laços psicológicos. A ADM de RH, dessa forma, passa a ser a responsável por desenvolver/formatar/acomp anhar/atualizar as funções, os cargos, os processos e os valores... Tanto das pessoas como da organização. Ambiente Operacional ou SISTEMA Ambiente Interno ou SUBSISTEMA. SUBSISTEMA Tal integridade é conseguida por intermédio de padrões formais de comportamento através de regras e normas (mais valores, credos, crenças, postura ética, etc.) Organização Ambiente Interno ou SUBSISTEMA Mercadológico Contábil/Financeiro Jurídico Marketing Financeiro RH OSM Produção 5
  6. 6. 27/01/2014 Exercício de Fixação do Conteúdo (1). No Ambiente Geral* quais são os fatores que apontam para uma oportunidade no que diz respeito a abrir um salão de beleza? * - Social, econômico, tecnológico, legal e político. No Ambiente Operacional* quais são os fatores que apontam para uma ameaça no que diz respeito a abrir um salão de beleza? * - Fornecedor, concorrência, cliente e mão de obra. OS COMPONENTES DE UM SISTEMA 1 – OS OBJETIVOS: são os objetivos dos usuários, quanto do próprio sistema. O objetivo é a própria razão do sistema. No Ambiente Interno* quais são os fatores que apontam para uma força e/ou fraqueza no que diz respeito a abrir um salão de beleza? * - Organizacional, Marketing, Financeiro, RH, Produção. 2 – AS ENTRADAS DO SISTEMA: tem como função fornecer ao sistema os materiais, as informações e a energia para a operação ou o processo de transformação, o qual gera determinadas saídas. Fonte: http://blog.planoemfoco.com/?p=313 6
  7. 7. 27/01/2014 3 – PROCESSO DE TRANSFORMAÇAO DO SISTEMA: a função que possibilita a transformação de um insumo (entrada) em produto, serviço ou resultado (saída). 5 – OS CONTROLES E AS AVALIAÇOES DO SISTEMA: verifica-se se as saídas estão coerentes (ou não) com os objetivos estabelecidos. Para tal é necessário uma medida de desempenho do sistema, chamada indicador ou padrão. 4 – SAIDAS DO SISTEMA: é o resultado do processo de transformação (saída). A saída deve ser coerente com o objetivo, bem como a saída deve ser quantificãvel e de acordo com os critérios (e parâmetros) previamente fixados. 6 – RETROALIMENTACAO DO SISTEMA: ele é um processo de comunicação que reage a cada entrada de informação, incorporando o resultado da ação resposta desencadeada por meio de nova informação, a qual afetará seu comportamento subsequentemente, e assim sucessivamente. Esta realimentação é um instrumento de regulação retroativa ou de controle. 7
  8. 8. 27/01/2014 REFERÊNCIAS: OLIVEIRA, D.P.R. O&M. 20. ed. São Paulo: Atlas, 2011. PORTER, M. Vantagem Competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1990. 8

×