Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentação da PPA - Parceria Portuguesa para a Água (Lisboa)

756 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentação da PPA - Parceria Portuguesa para a Água (Lisboa)

  1. 1. PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA<br />Um Projecto para a Internacionalização do Sector<br />Associação Industrial Portuguesa, Lisboa, 28 de Janeiro de 2011<br />Francisco Nunes Correia<br />
  2. 2. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial!<br />
  3. 3. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial<br />
  4. 4. Portugal tem um tecido diversificado e maduro<br />de instituições públicas e privadas dedicadas à água<br />Várias dessas instituições desenvolvem actividade<br />ou têm já contactos noutros países<br />Associadas numa<br />Parceria Portuguesa para a Água<br />podem ser desenvolvidas sinergias<br />e maximizado o potencial !<br />
  5. 5. Este é o ponto de partida:<br />Existe um grande potencial para reforçar a internacionalização<br />de toda a cadeia de valor portuguesa dedicada ao sector da água<br />Tópicos desta apresentação:<br />Quais as tendências à escala global?<br />1<br />Que papel pode desempenhar a PPA?<br />2<br />3<br />Quais as oportunidades para Portugal?<br />
  6. 6. Quais as tendências à escala global?<br />1<br />
  7. 7. A Presidência Alemã da UE<br />promoveu em 2007 um estudo para caracterizar omercado global do ambiente e tendências evolutivas<br />Crescimento de 6,5% ao ano<br />Cerca de 1 650 biliões € em 2007<br />3 100 biliões € em 2020<br />
  8. 8. Gestão da Água<br />PT tem tradição, excelência<br />tecnológica e já alguma expe-<br />riência de internacionalização<br />Como se desagrega pelos 6 principais sectores?<br />Gestão da Água<br />PT tem tradição, excelência<br />tecnológica e já alguma expe-<br />riência de internacionalização<br />Energias Renováveis<br />PT tem condições excepcionais <br />e está a desenvolver um cluster<br />Industrial muito dinâmico<br />
  9. 9. Gestão da água<br />Problema global com soluções locais<br />De 1900 a 2000 a utilização da água no mundo aumentou 10 vezes<br />®O aumento da população<br />6,5 mil milhões em 2010 / 10 mil milhões em 2050 / 12 a 15 mil milhões em 2100<br />® Uma maior concentração em meio urbano<br />Em 2010 pela primeira vez mais de 50% vive em aglomerados urbanos<br />1.1 mil milhões não tem água potável<br /> 2.4 mil milhões não tem saneamento<br />® Aumento da incerteza causada pelas alterações climáticas<br />Maior irregularidade e agravamento da escassez e seca<br />® Crescente relevância como prioridade política global<br />Importância destacada nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM)<br /> Reconhecimento como um Direito Fundamental (AG ONU 28 Julho 2010)<br />
  10. 10. Para alcançar os ODM<br />Aumento significativo da escassez<br />(disponibilidade per capita)<br />59%<br />25%<br />19%<br />
  11. 11. A escassez potencial em 2030 é susceptível de afectar todos os sectores<br /> IFC/ McKinsey report, Charting Our Water Future. <br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal,<br />Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  12. 12. Evolução do mercado global<br />relativo à gestão sustentável da água:<br />Crescimento de 6 % ao ano<br />Cerca de 361 biliões € em 2007<br />805 biliões € em 2020<br />(Fonte:GermanGovernment 2008 – GreenTechmadeinGermany 2.0,<br />EnvironmentalTechnology Atlas for Geermany, VerlagVahlen, München)<br />
  13. 13. Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por sub-sectores<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal,<br />Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  14. 14. Vários estudos fazem a desagregação deste mercado por regiões<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água,<br />Oportunidades e Dificuldades, Seminário APEMETA sobre o Sector da Água, Lisboa)<br />
  15. 15. Portugal adquiriu e desenvolveu<br />experiência significativa:<br />Planeamento e gestão dos recursos hídricos<br />Abastecimento, saneamento e regulação<br />Empreendimentos hidráulicos<br />Planeamento e gestão da zona costeira<br />Instituições para a gestão da água e governância<br />
  16. 16. Um crescimento muito acentuado<br />nos níveis de atendimento<br />Evolução do sector entre 1993 e 2008 e objectivos actuais:<br />Percentagem da população com acesso a sistemas públicos<br />de abastecimento de água<br />80%<br />91%<br />95%<br />População com acesso a sistemas públicos de águas residuais com tratamento adequado<br />30%<br />76%<br />90%<br />
  17. 17. 2010<br />Objectivo<br />Percentagem de água para consumo humano<br />que é controlada e apresenta boa qualidade<br />Exigência Comunitária<br />98%<br />99%<br />“The Portuguese miracle…” <br />Paul Reiter, Director Executivo da International Water Association<br />
  18. 18. Que papel pode desempenhar a PPA?<br />2<br />
  19. 19. Antecedentes<br />Portugal é um país aberto ao mundo desde há muitos séculos<br />Globalização é uma palavra que se “escreveu” pela primeira vez em português no século XVI<br />Portugal tem uma grande abertura e motivação para lidar com povos e nações de todos os continentes, independentemente das suas tradições, culturas e crenças<br />
  20. 20. Visão<br />Abordar os temas da água nas sociedades de hoje requer:<br />Uma compreensão clara de que enfrentamos basicamente os mesmos problemas <br />com abordagens que foram moldadas diferentemente através da história<br />Um fórum de referência no sector da Água<br />… mas essas abordagens diferentes visam o mesmo resultado:<br />disponibilizar água para todos os usos, <br />de forma sustentável, <br />a preço razoável, <br /> gerida por um sistema de governância socialmente justo.<br />
  21. 21. Exemplo<br />Projecto e consultoria<br />4 Continentes<br />31 Países !<br />
  22. 22. Exemplo<br />Fornecimento de equipamentos<br />4 Continentes<br />65 Países !<br />(Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água, Oportunidades e Dificuldades,<br />Seminário APEMETA sobre o Sector da Água – Gestão e Eficiência, Lisboa)<br />
  23. 23. Exemplo<br />Construção<br />4 Continentes<br />17 Países !<br />
  24. 24. Exemplo<br />Investigação e Desenvolvimento<br />Tecnológico<br />4 Continentes<br />40 Países !<br />
  25. 25. Cadeia de valor do sector da água<br />Planeamento e Gestão de<br />Recursos Hídricos<br />Empreendimentos Hidráulicos<br />Gestão de Zonas Costeiras<br />Serviços de Águas<br />Governância<br /><ul><li>Sistemas de previsão e modelação computacional
  26. 26. Sistemas de informação geográfica
  27. 27. Planeamento estratégico
  28. 28. Participação pública
  29. 29. Integração das componentes económica, ambiental e social
  30. 30. Planos directores (recursos hídricos, hidroelectricidade, água e saneamento) </li></ul>Sistemas de abastecimento de água<br /><ul><li>Formação em áreas específicas
  31. 31. Regulamentação e Normalização técnicas
  32. 32. Sistemas de avaliação de desempenho
  33. 33. Assessoria à implementação de projectos
  34. 34. Supervisão e acompanhamento de contratos
  35. 35. Preparação e gestão de processos de financiamento</li></ul>Sistemas de saneamento de águas residuais<br />Barragens e obras de regularização fluvial<br />Regulação ambiental e dos serviços de águas<br />Investigação , Desenvolvimento e Inovação<br />Controlo da poluição e valorização dos ecossistemas<br />Centrais hidroeléctricas<br /><ul><li>Dimensionamento de sistemas
  36. 36. Selecção de novas tecnologias
  37. 37. Termos de referência e especificações técnicas
  38. 38. Simulação 3D das obras projectadas
  39. 39. Conformidade ambiental dos projectos
  40. 40. Telegestão e automação
  41. 41. Sistemas de apoio à decisão
  42. 42. Gestão integral dos serviços
  43. 43. Sistemas automáticos de operação
  44. 44. Gestão patrimonial de infra-estruturas
  45. 45. Monitorização e análises laboratoriais</li></ul>Aproveitamentos hidroagrícolas<br />Obras de protecção e requalificação do litoral<br /><ul><li>Gestão de projectos
  46. 46. Gestão do risco
  47. 47. Fiscalização
  48. 48. Construção civil
  49. 49. Fabrico, fornecimento e montagem de equipamentos
  50. 50. Instalações eléctricas, telegestão e automação</li></ul>Obras marítimas e portuárias<br />
  51. 51. Uma Parceria… para quê?<br /><ul><li> Promover uma maior internacionalização deste sector de actividade
  52. 52. Promover uma maior internacionalização deste sector de actividade !</li></ul>- Procurar oportunidades nos mercados globais<br /><ul><li> Chamar a atenção desses mercados para as capacidades de Portugal</li></ul>- Construir no exterior uma imagem coerente e global<br />- Actuar como uma “porta de entrada” para quem quiser conhecer o sector em Portugal<br />
  53. 53. Uma Parceria… para quê?<br />- Gerar sinergias entre diferentes entidades, estabelecer objectivos estratégicos comuns e promover um desenvolvimento tecnológico consistente<br />- Dotar as empresas portuguesas de um instrumento que outros países europeus já têm (França, Holanda, Alemanha, Dinamarca, Suécia)<br />- Reforçar a cadeia de valor do sector da água !<br />
  54. 54. Artigo 1º - Constituição<br />A Parceria Portuguesa para a Água, adiante designada por PPA, é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, constituída por entidades públicas e privadas com interesses no sector da água, que funcionará por tempo indeterminado. <br />
  55. 55. Artigo 2º - Missão <br /> 1. A PPA tem por missão contribuir para a internacionalização do sector português da água, promovendo sinergias e facilitando a ligação entre pessoas e entidades de modo a projectar nos mercados internacionais as capacidades nacionais neste sector.<br /> 2. A missão da PPA focaliza-se na criação de valor para os Parceiros, ajudando-os a cumprir os seus objectivos e ao mesmo tempo contribuir para a resolução dos problemas do sector da água no Mundo. <br />
  56. 56. Artigo 2º - Missão (cont.)<br />3. A PPA tem ainda por missão contribuir para a valorização científica e tecnológica do sector da água em Portugal, nomeadamente através da partilha de conhecimento e da promoção de uma melhor articulação entre actividades e programas de investigação, desenvolvimento e inovação, de forma a melhorar a competitividade dos seus agentes e uma melhor inserção nas redes internacionais de ciência e tecnologia relevantes do sector.<br />
  57. 57. O “puzzle” da acção: <br />Rede<br />Oportunidades<br />Rede<br />Oportunidades<br />Partilha<br />Partilha<br />Inovação<br />Inovação<br />
  58. 58. Requisitos importantes a respeitar:<br /><ul><li> não é simplesmente mais uma associação:</li></ul> é transversal ao sector “água” e orientada para a internacionalização<br /><ul><li> articula-se e coopera com as associações empresariais</li></ul>AEP, AIP, CIP, Câmaras de Comércio, CPI, etc.<br />AIP<br /><ul><li> facilita a tarefa de instituições governamentais:</li></ul> AICEP, IPAD, Rede Diplomática, INAG, ERSAR, etc.<br /><ul><li> um bom desempenho do sector “em casa” é essencial</li></ul> para alcançar sucesso no mercado global<br /><ul><li> a parceria deve ter em conta que alguns dos seus membros</li></ul>são já activos e intervenientes ao nível internacional<br />
  59. 59. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />Administração pública<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />
  60. 60. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Administração pública<br />Empresas públicas e privadas<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />
  61. 61. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Design and consultancy companies, construction contractors, equipment suppliers, management and operation companies <br />Empresas públicas e privadas<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />Administração pública<br />
  62. 62. Quem faz parte da Parceria<br />Universidades e centros de investigação<br />Universidades, centros de investigação, laboratórios de Estado<br />Administração pública<br />Empresas públicas e privadas<br />Instituto da Água, Administrações de Região Hidrográfica, Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal<br />Empresas de projecto e consultoria, empreiteiros de obras públicas, fornecedores de equipamento, empresas de gestão<br />Empresas públicas e privadas<br />Universidades e centros de investigação<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações profissionais e sociedade civil<br />Associações técnicas e profissionais, associações não governamentais para o desenvolvimento, associações de utilizadores, associações económicassectoriais<br />Administração pública<br />
  63. 63. Artigo 7º - Componentes da PPA<br />1. Para assegurar a representatividade dos principais segmentos do sector da água, os parceiros integram quatro componentes da parceria, de acordo com o seu âmbito de actividade, missão e interesses, com as seguintes denominações: <br />a) Empresarial, que integra empresas e associações empresariais.<br />b) Investigação, que integra universidades e outras instituições de investigação.<br />c) Sociedade civil, que integra associações profissionais e outras entidades da sociedade civil.<br />d) Administração, que integra administração pública central e local.<br />
  64. 64. Artigo 7º - Componentes da PPA (cont.)<br /> 2. As componentes da PPA têm como principal objectivo assegurar uma representação equilibrada na gestão da PPA dos parceiros de diversa natureza que integram o sector da água em Portugal.<br /> 3. Podem ser criados grupos de trabalho integrando parceiros de uma ou mais componentes da parceria, em torno de objectivos específicos considerados particularmente relevantes para a concretização da missão da PPA.<br />
  65. 65. Quais as oportunidades para Portugal?<br />3<br />
  66. 66. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio<br />Áreas geográficas mais relevantes<br />Triângulo Virtuoso (prioritário) e áreas complementares relevantes<br />Portugal<br />América Latina<br />(Brasil, Argentina, México, <br />Chile, Venezuela, etc)<br />África Lusófona<br />(PALOP)<br />Europa do Leste<br />China, India,<br />outros países asiáticos<br />Magrebe<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  67. 67. documento de trabalho<br />A PPA iniciou uma avaliação preliminar das oportunidades<br />Oportunidades de negócio nos diversos mercados prioritários<br />tendo em conta as principais necessidades desses mercados<br />e as capacidades e experiência das empresas portuguesas<br />Instituições<br />e governância<br />Planeamento de Recursos Hídricos<br />Empreendimentos hidráulicos<br />Abastecimento de Água e Saneamento<br />Zonas Costeiras<br />África lusófona<br />Magrebe<br />Mercados internacionais de eleição para o sector da água nacional<br />Europa do Leste<br />América Latina<br />Reduzidas oportunidades de negócio<br />Médias oportunidades de negócio<br />Elevadas oportunidades de negócio<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  68. 68.
  69. 69. Abastecimento de água - Níveis de serviço<br />Saneamento de Águas Residuais<br />Drenagem<br />Tratamento<br />Percentagem do tratamento de águas residuais, por bacia<br />
  70. 70. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio (avaliação preliminar)<br />Europa – Novos Estados-Membros ou em pré-adesão | Sérvia - Balcãs<br />Oportunidades<br />Prioridades de Intervenção<br />A Sérvia pretende aderir à União Europeia em 2014. <br />Situação actual do abastecimento de água e saneamento:<br /><ul><li>75% da população ligada a sistemas públicos de água
  71. 71. Disparidade urbano – rural: 98% em zonas urbanas vs. 60% em zonas rurais
  72. 72. Infra-estruturas degradadas (perdas de água de 30-50%)
  73. 73. 46% da população ligada a sistemas de saneamento (75% urbano – 16% rural)
  74. 74. Grandes assimetrias na qualidade do serviço prestado à população</li></ul>Lei da Água da Sérvia: políticas e estratégias correctas mas implementação muito atrasada.<br />Revisão e melhoria do quadro político actual (planeamento estratégico e revisão do quadro institucional) <br />Ligação da governância da água com aspectos relacionados com a adaptação às alterações climáticas, mitigação e gestão de riscos e catástrofes.<br />Reforço de capacidades na gestão de bacias hidrográficas e mais desenvolvimentos na cooperação transfronteiriça (Bosnia- Herzegovina, Croacia, Macedonia)<br />Revisão da Lei da Água e elaboração dos planos de gestão dos recursos hídricos<br />Planeamento estratégico do sector do abastecimento de água e saneamento<br />Desenvolvimento dos serviços de abastecimento de água e saneamento: Construção e reabilitação de sistemas, extensão das redes de distribuição, monitorização da qualidade da água; sistemas de informação, gestão comercial)<br />Desenvolvimento de Planos de Segurança da Água<br />Tem sido dada insuficiente prioridade ao investimento em tratamento de águas residuais, com as consequências previsíveis na má qualidade dos recursos hídricos. <br />Recursos hídricos e saneamento de águas residuais:<br /><ul><li>Estruturas tarifárias desajustadas ao princípio da recuperação de custos
  75. 75. Baixos níveis de medição e contagem dos consumos de água
  76. 76. Inexistência de incentivos financeiros ou sistemas de penalização dos poluidores e de consumos excessivos de água
  77. 77. Papeis e responsabilidades das entidades públicas pouco claros.</li></ul>(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />43<br />
  78. 78. (Fonte: Fernando Ferreira, 2010 – Internacionalização do Sector da Água, Oportunidades e Dificuldades, Seminário APEMETA sobre o Sector da <br />Água – Gestão e Eficiência, Lisboa)<br />
  79. 79. documento de trabalho<br />Oportunidades de negócio (avaliação preliminar)<br />Países africanos de expressão portuguesa | Angola<br />Oportunidades<br />Prioridades de Intervenção<br />Orientações do governo angolano para o Período 2009-2012: “Agir no sentido de proporcionar à população acesso à água potável nas áreas urbanas e rurais, bem como o acesso à água pelas actividades económicas”.<br /><ul><li>Assistência técnica à gestão dos processos nas várias províncias
  80. 80. Elaboração de Planos Directores e Projectos de Abastecimento de Água e Saneamento
  81. 81. Desenvolvimento de Sistemas de Informação
  82. 82. Estudos de consultoria focada no desenvolvimento de soluções sustentáveis para os serviços de água e saneamento
  83. 83. Construção de infra-estruturas
  84. 84. Apoio à operação e manutenção
  85. 85. Reabilitação e ampliação de sistemas de abastecimento de água, tendo como finalidade alcançar uma taxa de cobertura de 100 % nas zonas urbanas e 80 % nas zonas peri-urbanas e nas zonas rurais;
  86. 86. Aumento da oferta de água de forma a proporcionar um consumo mínimo per-capita da ordem 40 L/dia em situações de abastecimento por via de fontenários e 70 L/dia em abastecimento e no meio rural um consumo mínimo per-capita da ordem 30 L/dia em situações de abastecimento por via de fontenários e 50 L/dia em abastecimento por via de ligações domiciliárias desprovida de rede interna;
  87. 87. A conclusão do Programa “Água Para Todos”, que tem como finalidade um significativo crescimento da cobertura da distribuição de água nos meios peri-urbano e rural;
  88. 88. Dotar as principais 21 Bacias Hidrográficas dos respectivos Planos Gerais de Gestão Integrada dos Recursos Hídricos e proceder a reabilitação progressiva da Rede Hidrométrica Nacional
  89. 89. Na hidroelectricidade, a construção de 46 pequenos aproveitamentos hidroeléctricos, totalizando uma capacidade a instalar de aproximadamente 180 MW</li></ul>Oportunidade importante no domínio da elaboração de estudos de planeamento de recursos hídricos, o que permitirá às empresas de engenharia portuguesas aproveitar a experiência e conhecimentos acumulados ao longo do processo de realização dos planos de gestão de recursos hídricos actualmente em curso em Portugal.<br />Oportunidade importante no domínio dos aproveitamentos hidroeléctricas, área em que a engenharia nacional tem sólidas competências. <br />45<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  90. 90. documento de trabalho<br />Caracterização da cadeia de serviços no sector da água em Portugal<br />Principais agentes e vantagens competitivas<br />46<br />(Fonte: Alexandra Serra e Rafaela Matos 2010 – A Cadeia de Valor de Sector da Água em Portugal, Contributos para um Roteiro de Reforço da Internacionalização, PPA – em preparação) <br />
  91. 91. A concluir:<br />Calendário para a criação da PPA<br />Até Fevereiro 2011 – Identificação de Parceiros (associados) Fundadores<br />Até Abril 2011 – Assembleia Geral Fundadora e criação formal da Parceria <br />Até Junho 2011 – Eleição dos Órgãos Sociais<br />Novembro 2010 a Junho 2011 –<br /> Iniciativas mobilizadoras de divulgação e demonstrativas<br />
  92. 92. Comissão Instaladora<br />Francisco Nunes Correia<br />Jaime Melo Baptista<br />José Rocha Afonso<br />Alexandra Serra<br />Afonso Lobato Faria<br />Despacho n.º 6/2010, de 14 de Maio<br />Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território<br />
  93. 93. O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros ! <br />JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842)<br />O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros !<br />JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842)<br />
  94. 94. Parceria Portuguesa para a Água<br />um contributo português para o desenvolvimento do sector da Água no Mundo<br />Muito Obrigado! <br />24 de Setembro 2009<br />Whatever we possess becomes of double value when we have the opportunity of sharing it with others. BOILLY<br />

×