Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Populações humanas e ambiente

Ad

Ecologia de Populações




    Prof. Dr. Harold Gordon Fowler
      popecologia@hotmail.com

Ad

Essa leitura ajudará você entender:
Afluência, tecnologia, o status
  da mulher, e o ambiente
Programas de controle
  popu...

Ad

Crescimento Populacional Zero –
              CPZ

Intervalo no qual o número de nascimentos é
  igual ao número de mortes...

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Loading in …3
×

Check these out next

1 of 92 Ad
1 of 92 Ad

More Related Content

Populações humanas e ambiente

  1. 1. Ecologia de Populações Prof. Dr. Harold Gordon Fowler popecologia@hotmail.com
  2. 2. Essa leitura ajudará você entender: Afluência, tecnologia, o status da mulher, e o ambiente Programas de controle populacional Consumo e a pegada ecológica HIV/AIDS e a população humana
  3. 3. Crescimento Populacional Zero – CPZ Intervalo no qual o número de nascimentos é igual ao número de mortes Premissa de nenhuma mudança devido a migração O tamanho populacional fica constante
  4. 4. Estabilizando a População Global Dispersão não e a solução Aumenta da taxa de mortalidade? Redução da taxa de natalidade!
  5. 5. Como alcançar a estabilidade populacional? Para manter a estabilidade populacional – A população humana regional pode existir em uma das duas configurações Crescimento Populacional Zero = Taxas elevadas de natalidade – Taxas elevadas de mortalidade Crescimento Populacional Zero = Taxa baixa de natalidade – Taxa baixa de mortalidade
  6. 6. Como alcançar a estabilidade 50 populacional? 40 30 Taxas por 1,000 pessoas 20 10 Suíça Mexico Natalidade Natalidade Mortalidade Mortalidade 0 1750 1800 1850 1900 1950 2000 2050 Ano
  7. 7. Como alcançar a estabilidade populacional? O crescimento populacional zero (CPZ)– taxa de natalidade igual a taxa de mortalidade Como alcançar CPZ: taxas elevadas de natalidade e mortalidade ou taxas baixas para ambas. A transição demográfica se movimenta da primeira a segunda. A maioria dos países desenvolvidos já fizeram essa transição Ilustrada e a transição demográfica de México.
  8. 8. Políticas Sociais Muitos urbanistas e ativistas fazem desenhos novos de loteamentos para reduzir o isolamento e alienação social. Novos loteamentos fornecem ciclovias, parques e áreas não permeáveis. Algumas cidades alargam as calcadas e favorecem os restaurantes no centro que colocam mesas ao lado da rua em áreas abertas. Outras cidades favorecem construtores que colocam lojas no primeiro andar de prédios do centro e apartamentos de residência nos outros andares. Com ações como essas, urbanistas e ativistas esperam trazer sentido de comunidade aos loteamentos.
  9. 9. Políticas Governamentais e Fertilidade Leis que estabelecem a idade mínima de casamento Orçamentos para planejamento familiar, educação, saúde, segurança de velhice Recompensas e penalidades econômicas Muitos países reconhecem o problema
  10. 10. Estudo de Caso: China
  11. 11. A Política de um filho na China O crescimento populacional sem controle apresentou problemas para a economia, ambiente e estabilidade política na China. A China tentou controlar o crescimento com um sistema de recompensas e castigos para fortalecer famílias com um filho. O programa resulta numa queda do crescimento populacional, a custo da intrusão do governo nas escolhas reprodutivas privadas.
  12. 12. Crescimento Populacional na China Tem o programa de planejamento familiar mais extensivo do mundo Governo compensa um tamanho pequeno de famílias e penaliza famílias maiores, proporciona contraceptivos, aborto, e esterilização gratamente
  13. 13. Crescimento Populacional na China Maior população do mundo 1970: 5.8 filhos/mulher 1971: governo interveio 1979 – Plano mais agressivo – Política de um filho – Por que foi feito? 1984: programa relaxado; Por que? 2006: 1.7 filhos/mulher Conflitos éticos
  14. 14. Crescimento Populacional na China
  15. 15. A taxa de mudança natural sofre queda na China 1970 1993 2002 Taxa de fertilidade total 5,8 2,0 1,8 Taxa de aumento natural (%/ano) 2,6 1,2 0,7 Tempo para dobrar 26,9 58,3 100,0 A taxa na China cai com a taxa de fertilidade. Agora a população demore 4 vezes mais para dobrar do que há 25 anos.
  16. 16. Estrutura Etária: “População envelhecida” O envelhecimento da população chinês implica menos pessoas de idade de trabalhar para financiar os serviços sociais para os mais velhos.
  17. 17. Momentum Populacional Rebaixando as taxas de fertilidade não pode frear imediatamente a taxa de crescimento populacional Por que? Já existem muitos futuros pais vivos Se cada par tiver somente dois filhos, a população ainda continuará crescer por 60 anos
  18. 18. O Momentum Escondido de Crescimento Populacional
  19. 19. Qualidae de Vida
  20. 20. Crescimento Populacional e a Qualidade da Vida – Os países em desenvolvimento serão capazes de ampliar a cobertura e melhorar a qualidade de serviços de saúde e educação para enfrentar um crescimento populacional rápido? – Existe uma relação entre pobreza e o tamanho familiar? – Como a afluência do mundo desenvolvido afeita a capacidade de países em desenvolvimento de cuidar seus cidadãos?
  21. 21. Degradação ambiental O desmatamento degrada as florestas tropicais no Brasil a Indonésia, as Filipinas e outras países
  22. 22. Impacto Humano Depende de – População humana total – Consumo por cada indivíduo – Impacto ecológico de cada unidade de consumo I = PAT (Ehrlich e Ehrlich) – P = população – A = afluência – T = tecnologia
  23. 23. Benefícios Ambientais da Urbanização Desenvolvimento Compacto – Prédios altos de múltiplas unidades ficam próximos a lojas e trabalho – Conectado pelo transporte público – Reduz a poluição – Preserva as áreas rurais Demanda planejamento inteligente!
  24. 24. Benefícios Ambientais O reciclagem é mais econômica - concentração grande de material.  Redução dos problemas ambientais do crescimento populacional - Porque a taxa de natalidade é geralmente muito menor do que em áreas urbanas.  O gasto por pessoa na proteção ambiental é maior em áreas urbanas.  Mas, a concentração de pessoas em áreas urbanas pode não preservar a biodiversidade ou restringir a perda de habitat porque mais terra necessária para sustentar os residentes urbanos.
  25. 25. Benefício é uma questão da perspectiva…..
  26. 26. Planejamento e Controle do Uso da Terra Urbano • Planejamento do uso da terra • Impostos de propriedade • Zoneamento • Crescimento inteligente • Perímetros de crescimento urbano • Cinturões verdes
  27. 27. Quais são os limites dependentes da densidade atuando sobre a população humana? Qual e a capacidade de suporte do homem? 6 bilhões e Nada mau Aconteceu Ate agora!
  28. 28. Aumento de nossa capacidade de suporte A tecnologia permite aumentar a capacidade de suporte para o Homem no tempo. As ferramentas, a agricultura, e a industrialização permite que o Homem atinge populações maiores. População Global (milhões) Industrial Agricultura Ferramentas Anos antes do presente
  29. 29. Capacidade de Suporte da Terra O Homem já ultrapassou a capacidade de suporte da Terra? 7 bilhões e ainda aumentando Usa 40% de toda a energia da Terra Impossibilidade de alimentar todos Dependência de reservas energéticas não sustentáveis (óleo, carvão, e gás) Extinção da flora e fauna
  30. 30. Capacidade de Suporte da Terra 4 bilhões – 16 bilhões de pessoas Por que essas diferencias? O que pode acontecer ao ambiente? Já ultrapassamos a capacidade de suporte?
  31. 31. Capacidade de Suporte Capacidade de suporte estimada – Sem consenso geral – Provavelmente entre 10 e 15 bilhões Pegada ecológica – Terra cultivável, pastagem, floresta, oceano, terra construída, terra de energia fóssil – Existe variação significante entre países respectivo a sua pegada ecológica EUA com pegada de 8.4 ha/ pessoa, mas somente 6.2 ha/ pessoa disponível
  32. 32. “A Bomba Populacional” de Erlich O crescimento populacional esgotaria os recursos = retorno de Malthus – Pode ser verdade ao nível nacional ou local A população é vista como causa
  33. 33. Carrying capacity in agriculture: global and regional issues. Harris, JM e Kennedy S 1999. Ecological Economics 29:443-461. … sobre o crescimento de alimentos. 'Os otimistas' baseiam sua análise sobre uma taxa de aumento de produção empurrada pela tecnologia e aumento de entrada que eles argumentam, é maior do que o crescimento populacional e continuará no futuro, deixando uma margem para aumentos contínuos de rendas per capita. …‘Os pessimistas' vêem os limites práticos da capacidade de suporte global da agricultura, e afirmam que a Terra está próxima, ou já ultrapassou, esses limites. Investigamos o padrão de crescimento de produção de cultivos principais de cereais, e apresentamos evidencia de que os padrões de crescimento é logístico e não exponencial. Esse padrão é consistente com os limites ecológicos da fertilidade do solo, disponibilidade de água, e entrada de nutrientes. As projeções da oferta e demanda para o século XXI baseadas no modelo logístico em vez de exponencial de crescimento de produção implicam que a Terra está muita próxima a capacidade de suporte da agricultura, e que as restrições ecológicas de recursos têm muito importância ao nível regional. Uma estratégia de oferta de aumento de produção já criou problemas sérios da degradação de solos e sobre-exploração de água, alem de outros stress ao ecossistemas. Por isso os problemas de demanda sobre as políticas populacionais e eficiência do consumo são cruciais para desenvolver um sistema sustentável de agricultura.
  34. 34. http://www.ecouncil.ac.cr/rio/focus/report/english/footprint/benchmark.htm A Marca Ecológica: Quanta Natureza existe para o Cidadão Global? Somando toda a terra biologicamente produtiva per capita no mundo of 0.25 hectares de terra cultivável, 0.6 hectares de pastagem, 0.6 hectares de floresta e 0.03 hectares de terra construída revela que existem 1.5 hectares por cidadão global; e 2 hectares uma vez incluímos o espaço marinho. Não todo o espaço disponível ao uso do Homem porque esse área deve também abrigar as 30 milhões de espécies com que o Homem compartilha essa planeta. … pelo menos 12 % da capacidade ecológica … deve ser preservado para proteger a biodiversidade. … somente 1.7 hectares per capita são disponíveis ao uso humano. Com a premissa de não ter mais degradação ambiental, a quantidade de espaço ecologicamente produtivo cairá a 1 hectare per capita ao chegar a população prevista de 10 bilhões. Se as tendências de crescimento atual persistem, isso acontecerá dentro de 30 anos.
  35. 35. O Homem não se exclua dos processos naturais. Nenhuma população pode crescer indefinidamente. Agora, para o Homem não há evidencia de uma aproximação gradual a K. As tentativas de estimar a K da Terra para o Homem se Simplificam a questões sobre a qualidade da vida.’ http://www.popexpo.net/eMain.html Um problema mas urgente do que ‘Como será a vida ao alcançarmos K?’ é ‘Como lidar com a agressão desencadeada pela competição de recursos relacionada a variação na qualidade de vida?’
  36. 36. População e o ambiente O crescimento populacional pode levar a degradação ambiental. A superpopulação na Sahel da África resulta na sobre pastoreio de áreas semiáridas.
  37. 37. Por que o Homem destrua a Terra?
  38. 38. Afluência e o ambiente A pobreza pode resultar na degradação ambiental… mas A riqueza e consumo de recursos podem produzir impactos ambientais mais severos.
  39. 39. As diferencias de riqueza Os residentes dos países desenvolvidos têm casas maiores, mais bens, e mais dinheiro do que os residentes dos países em desenvolvimento. A 20% mais rica da população global consume 86% dos recursos, e tem >80 vezes a renda da 20% mais pobre.
  40. 40. O modelo “IPAT” Demonstra como População, Afluência, e Tecnologia interagem para criar Impacto no ambiente. I = P  A  T Outros fatores podem ser adicionados a original equação original de Holdren e Ehrlich para ser mais compreensivo.
  41. 41. Impacto Ambiental Paises em desenvolvimento Consumo Impacto Impacto População (P) Por pessoa tecnológico Ambiental da (Afluência, A) Por unidade de População (I) Consumo (T) Paises desenvolvidos
  42. 42. Problemas Ambientais As áreas urbanas não se sustentem!  Sobrevivem pela importação de alimento, água, energia, minerais, e outros recursos de outras localidades  Produzem quantidades grandes de efluentes  Afeitam a saúde dos habitantes mas também a saúde ambiental das áreas rurais e a saúde da planeta  Freqüentemente, a agricultura e as cidades se desenvolvem em áreas similares  áreas urbanas em expansão = requerem mais terras agrícolas
  43. 43. Entrada diária Saída diária Cidade Água de um Esgoto (588 milhão (454 milhões de milhões de Kg) pessoas de Kg) Combustível (8,6 Poluentes milhões de do ar Kg) (864.000 kg) Alimento Lixo (8,6 (1,8 milhões milhões de Kg) de Kg)
  44. 44. Pegada Ecológica A quantidade acumulativa da superfície da Terra necessária para proporcionar matérias primas consumidas por uma pessoa ou uma população e para dispor ou reciclar os desjeitos produzidos
  45. 45. Pegada Ecológica Os residentes de alguns países consumem mais recursos, e por isso usam mais terra, do que os residentes de outros países. O desenho demonstra a pegada ecológica de um cidadão comum de vários países.
  46. 46. Pegada Ecológica O conceito da pegada ecológica – Resumo da terra e água agregada necessária para suster as pessoas de um país – É uma medida de nossa aproximação a capacidade de suporte da Terra
  47. 47. Pegada Ecológica
  48. 48. Pegada Ecológica
  49. 49. E uma pegada ecológica maior!
  50. 50. População e Urbanização A população humana está ficando mais urbanizada 70% da população de Brasil vive em cidades; por que?
  51. 51. Urbanização Uma área urbana (ou metrópole) = um município mais seus subúrbios com uma população de >2,500 pessoas Uma área rural = uma área com < 2,500 pessoas O grau de urbanização de um país = porcentagem da população que vive nas áreas urbanas Virtualmente todo o crescimento populacional previsto durante os próximos 30 anos serão concentrado nas áreas urbanas
  52. 52. O que é Urbano? Definição de “urbano” varia entre países. Alguns países distinguem entre áreas rurais e urbanas baseado em:  Densidade ou tamanho dos municípios  Considerações administrativas (somente cidades maiores são urbanas)  A porcentagem de pessoas não dependentes da agricultura  Alguns países definam define toda sua população como moradores de áreas urbanas (Cingapura). Alguns países definam nenhuma parte de sua população como urbana (Polinésia)
  53. 53. População e Urbanização Cidades mais heterogêneas Mais jovens nas cidades Países em desenvolvimento: mais machos nas cidades; por que? Países desenvolvidos: mais fêmeas nas cidades; por que?
  54. 54. Crescimento Urbano As áreas urbanas crescem de duas maneiras: 1. O aumento natural da população (nascimentos) 2. Imigração (principalmente de rural áreas rurais – a causa principal do crescimento urbano)  Proporção da população global que vive em áreas urbanas: 2% (período pré-industrial)  46% (2001) (~160,000 pessoas adicionadas as áreas urbanas do mundo a cada dia)  Projeções dos NU: até 2050, ~63% da população mundial viverá em áreas urbanas, com 90% desse crescimento nos países em desenvolvimento  O número de cidades grandes (>1 milhão de pessoas): aumentou rapidamente durante o século XX  O crescimento urbano é menor nos países desenvolvidos do que em países em desenvolvimento (mas, projeção: 79% (atual)  84% (2025) em países desenvolvidos)
  55. 55. Urbanização Quase a metade da população mundial Urbano, países em desenvolvimento Maioria do Urbano, países em desenvolvimento Rural crescimento nas cidades População (bilhões) Super-população, segurança alimentar, saúde
  56. 56. Urbanização Historicamente segue a industrialização Revolução Industrial: Europa de 12% a 36% 1850-1910, América do Norte de 16% a 40% 1950-1990, países em desenvolvimento de 17% a 37% Mais rápida na historia Mas sem crescimento econômico E sem a descentralização urbana
  57. 57. Urbanização
  58. 58. Tendências da Urbanização Atualmente ≈ 47% da população mundial vive em áreas urbanas Maioria das cidades grandes estão nos países em desenvolvimento Se o crescimento urbano é rápido demais, os serviços básicos não podem acompanhar
  59. 59. Tendências da Urbanização
  60. 60. Urbanização: mega-cidades População em excesso de 10 milhões Atividade econômica desproporcional De 5 em 1970 a 26 em 2015 Diferencias grandes em salários Problemas ambientais e dos serviços de saúde Carência da infra-estrutura Número crescente de cidades grandes. A população urbana Mundial aumentará de 3,1 bilhões a 5 bilhões até 2030.
  61. 61. Mega-cidades
  62. 62. Mega-cidades 1900: 19 cidades com >1 milhão de pessoas (95% da população era rural)  2001: em excesso de 400 cidades com >1 milhão de pessoas Agora existem mais mega-cidades (cidades com populações >10 milhões de pessoas)  1985: 8 mega-cidades  2001: 16 (13 dessas nos países em desenvolvimento)  Com o crescimento, as áreas urbanas separadas podem juntar para criar uma megalópoles (= uma cidade muito grande, ou uma região constituída de várias cidades grandes e as áreas adjacentes com proximidade suficiente para ser consideradas como um complexo urbano único) (região metropolitana de Campinas)
  63. 63. Tókio – a maior mega-cidade Japão: um dos países mais urbanizados do mundo Quase 80% da população de 125 milhão de Japão vivem em cidades Os centros urbanos maiores do Japão: as áreas metropolitanas de Tókio, Osaka e Nagoya Tókio: a área metropolitana maior com >25% da população total morando no centro e áreas adjacentes
  64. 64. Cidade de México População: ~18 milhões de pessoas (a segunda cidade mais populosa do mundo, ~20% dos Mexicanos vivem na Cidade de México) >2000 pessoas migram a cidade das áreas rurais pobres a cada dia A Cidade de México sofre da poluição atmosférica severa: Quase 4 milhões de veículos e 30,000 fabricas produzem poluentes atmosféricos A cidade fica num bacia natural rodeada por montanhas, e inversões termais freqüentes capturam o ar poluído ao nível do solo
  65. 65. Cidade de México A cidade de México também sofre de:  Desemprego elevado (~50%)  Uma taxa elevada de criminalidade (roubos, furtos, homicídios)  Poluição sonora severa  Congestão de trafego  Habitação não adequada (>1/3 da população vive em favelas sem água potável ou força)  Saneamento não adequado ( doenças infecciosas como a hepatite)
  66. 66. Cidade de México Morando na cidade de México e respirando o ar = fumar 3 maços de cigarros por dia! O governo tentou melhorar esse quadro (padrões de emissão industrial, ônibus e caminhões usando LPG, plantio de árvores), mas ainda não cumpre os padrões de qualidade do ar em 300 dias por ano
  67. 67. Cidades Sustentáveis Cidade sustentável: somente usa os recursos necessários, que podem ser reciclados continuamente, ou retornado ao ambiente de forma menos danosa Na realidade, nenhuma cidade é sustentável. Curitiba: Uma das cidades que cresce mais rapidamente no Brasil, mas ainda expande e ainda mantém uma boa qualidade de vida urbana Tem bom planejamento e soluções urbanas inovadoras – com vários prêmios ambientais como uma eco-cidade (ou ‘cidade verde’)
  68. 68. Curitiba Desde 1974: árvores grandes plantadas. Agora com 52 m2 de área verde por habitante, com parques e áreas de recreação grandes. Poluição baixa do ar: Curibita não foi construído pensando em carros e se enfoca em pessoas. Sistema integrado de uso da terra e transporte Problemas de enchentes resolvidos pelo desvio de água a lagos nos parques Legislação severa de proteção de mancais Em 1989: uma campanha de “lixo que não é lixo”, resultando na reciclagem de uma terceira parte de todo o lixo sólido.
  69. 69. Curitiba Mais de 1,7 milhões de pessoas Desenvolvimento Compacto Sistema eficiente de transporte público “Calçada Grande” conecta ao centro
  70. 70. Curitiba Compra de propriedades sujeitos a enchentes Agora, parques com ciclovias Compra de lixo – Pessoas trocam lixo para necessidades básicas – Beneficia as pessoas
  71. 71. A transformação do mundo pela urbanização Entre 1950 e 2005: A população urbana aumentou por 2.4 bilhões de pessoas, equivalentes a população mundial de 1950 Entre 2005 e 2050: A população urbana é projetada aumentar por 3.2 bilhões, virtualmente adicionadas as áreas urbanas em países em desenvolvimento
  72. 72. Porcentagem urbana em 2005
  73. 73. Porcentagem urbana em 2030
  74. 74. Teorias do Crescimento Urbano Estrutura funcional – a urbanização humana é vista como evolutiva e funcional. Conflitos - não existe nada natural para explicar a expansão ou declínio urbano Determinismo – a vida urbana resulta na degradação da vida cotidiana. Composição - os bairros nas cidades se comportam como mundos pequenos sem efeitos maléficos. Subculturas – algumas comunidades requerem uma massa crítica somente encontrada em cidades.
  75. 75. População e Problemas Sociais A pesar do fato que a fertilidade está em declínio, a população mundial dobrará em 50 anos. As pressões populacionais podem contribuir a vários problemas sociais incluindo: – Degradação ambiental – Pobreza
  76. 76. Desnutrição Devido as guerras, estiagens, governos corruptos e desigualdade de renda dentro e dentre países, quase meio bilhão de pessoas sofrem a desnutrição, que pode resultar na inanição.
  77. 77. Pobreza Urbana A pobreza fica ainda mais urbanizada porque mais pessoas pobres migram de áreas rurais a áreas urbanas. Estimativas dos ONU ~ 1 bilhões de pessoas vivem em favelas (as áreas urbanas com populações densas caracterizadas por habitação provisória e posse não autorizada da terra) Freqüentemente as favelas não são apropriadas para a habitação humana devido a:  Poluição do ar e água  Poluentes venenosos das fabricas próximas  Maior ocorrência dos desastres naturais (deslizamentos, terremotos, enchentes, vulcões)
  78. 78. Favelas As doenças são comuns e freqüentes nas favelas Muitas cidades não fornecem serviços adequados (água potável, saneamento, eletricidade, alimento, saúde pública, habitação, escolas, empregos, segurança) as favelas (falta de recursos, e medo da maior migração dos pobres das áreas rurais) Muitos governos municipais tentam desmontar as favelas ou despachar a policia para deslocar os favelados (as pessoas depois voltam ou criam outra favela)
  79. 79. Problemas Ambientais nas Áreas Urbanas Ocupação do habitat Brownfields Mais transito ---> mais poluição do ar Acumulo de emissões Estradas e prédios afeita o fluxo hídrico Água Recursos naturais Perda da biodiversidade
  80. 80. Problemas Ambientais das Cidades Maioria das cidades têm poucas árvores ou outras plantas Maioria das cidades não produzem seu próprio alimento Maioria das cidades tem problemas de abastecimento de água e enchentes crônicos Muitas áreas costeiras são populares para o desenvolvimento urbano  Muitos habitats costeiros naturais foram modificados para o desenvolvimento urbano
  81. 81. Impactos Não Desejados da Urbanização
  82. 82. Impactos Não Desejados da Urbanização Perda de terras cultiváveis, Florestas, e várzeas
  83. 83. Impactos Não Desejados da Urbanização Fragmentação de habitats
  84. 84. Impactos Não Desejados da Urbanização Aumento da impermeabilização produz mais enchentes
  85. 85. Impactos Não Desejados da Urbanização E erosão do solo
  86. 86. Poluição Urbana  Os residentes urbanos sofrem níveis maiores de poluição do que os residentes nas áreas rurais.  O número de pessoas nas áreas urbanas contribuem a poluição do ar e efeito de estufa.  A maioria dos residentes urbanos sofrem de ruído excessivo. Níveis de ruído em decibel (dbA) 0 85 150 Respiração Área Aspirador Dano Balada Rifle militar Normal rural Permanente após 8 horas
  87. 87. Micro-clima Urbana  Os materiais usados nas construções urbanas conduzem mais calor do que as áreas vegetadas  Prédios e veículos produzem quantidades significantes de energia calorífica pela queima de combustíveis fosseis  Urbanização produz seu próprio micro-clima  A temperatura de uma cidade é vários graus mais quente do que as áreas rurais adjacetes  As cidades são ilhas urbanas de calor
  88. 88. Micro-clima Urbana As cidades têm tendências de serem mais quentes, com mais nuvens, chuvas e neblinas, Temperatura ao fim do dia Rural Comercial Centro Residencial Subúrbios
  89. 89. Transporte e Urbanização  Os veículos motorizados proporcionam formas de mobilidade e transporte convenientes  Muito da economia mundial se baseia na produção de carros e fornecendo estradas e serviços  O transporte causa muitos acidentes e mortes por ano  Fonte principal da poluição do ar (15% das emissões de CO2)  No mundo, 1/3 da terra urbana é dedicada a estradas, estacionamentos, e postos de combustível.
  90. 90. Transporte e Urbanização  Cidades dispersas centradas nos veículos usam 10 vezes mais energia por pessoa para transporte do que em cidades compactas com sistemas de transporte coletivo  Na America do Norte, Austrália e algumas cidades do Brasil existem cidades dispersas centradas nos carros com densidades populacionais baixas  A periferia das áreas urbanas expandem e ocupam áreas grandes de espaços verdes que existiam anteriormente

×