Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Ecólogos na historia

Ad

Ecologia de Populações
   Prof. Dr. Harold Gordon Fowler
             19-3526-4230
     popecologia@hotmail.com

Ad

A Ecologia é o estudo das interações
entre os organismos e o ambiente
Ecologia
– Tem uma historia longa como uma ciência
 ...

Ad

HISTÓRICO
Homem primitivo     x   conhecimentos   ecológicos.   Era
necessário?

    Na sociedade primitiva, para sobreviv...

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Upcoming SlideShare
Leis da ecologia
Leis da ecologia
Loading in …3
×

Check these out next

1 of 74 Ad
1 of 74 Ad

More Related Content

Ecólogos na historia

  1. 1. Ecologia de Populações Prof. Dr. Harold Gordon Fowler 19-3526-4230 popecologia@hotmail.com
  2. 2. A Ecologia é o estudo das interações entre os organismos e o ambiente Ecologia – Tem uma historia longa como uma ciência descritiva – Mas também é uma ciência experimental rigorosa
  3. 3. HISTÓRICO Homem primitivo x conhecimentos ecológicos. Era necessário? Na sociedade primitiva, para sobreviver, todos os indivíduos precisavam conhecer o seu ambiente, ou seja, as forças da natureza e os vegetais e os animais a sua volta. - Hipócrates, Aristóteles e outros filósofos gregos faziam referência a temas ecológicos em suas obras. - Na Idade Média dominou uma visão aristotélica da natureza, isto é, a natureza sempre esteve em “equilíbrio perfeito”.
  4. 4. Platô atribuiu a regulação populacional a balance entre a fertilidade e a imigração atuando juntos com a mortalidade e emigração atuando juntos do outro lado. Ele afirmou que as guerras e pestilências foram as causas principais da mortalidade, e mencionou que a esterilidade relativa tem origem nas condições sociais.
  5. 5. Giovanni Botero (1588) Demógrafos Populacionais Pioneiros e suas Idéias - publicou "A Grandeza das Cidades", na qual ele escreveu que o crescimento das populações fosse inibido pela falta de recursos. agressivos tais como a guerra, assinado, etc.  reconheceu o perigo das populações humanas aumentando aquém da capacidade de subsistência em áreas limitadas. Nestas circunstancias, ele afirmou que as populações são controladas pelo desejo e doença.
  6. 6. Giovanni Botero (1588) Demógrafos Populacionais Pioneiros e suas Idéias - Ele mencionou o fome, doença, guerras, e vários catástrofes como causes freqüentes da retarda do crescimento populacional, mas achou que a limitação fundamental fosse produzido pelo desejo ou fome ("os frutos da Terra não são suficientes para alimentar um número maior"). Ele reconheceu que um aumento de densidade com a intensificação da mortalidade provocada pelas doenças e vários atos agressivos tais como a guerra, assinado, etc.
  7. 7. John Graunt (1662) - construiu uma tabela de mortalidade e sobrevivência a base de 100 pessoas por década: a primeira tabela de vida. Cole (1957) considerou Graunt como o pai da demografia. Graunt também estimou a taxa de crescimento populacional potencial da cidade de Londres, afirmando que a população cresceria duas vezes em 64 anos sem a imigração - pioneiro no estudo da demografia (mortalidade, razão sexual, taxa de nascimentos, etc).
  8. 8. Ecologia de Populações Demógrafos Populacionais Pioneiros e suas Idéias Dewitt (Holanda) e Halley (Inglaterra) - construiu tabelas de vida a base da distribuição da freqüência da idade da morte. Ambos trabalharam no século 17.
  9. 9. Ecologia de Populações Demógrafos Populacionais Pioneiros e suas Idéias Hale (1677) - foi o primeiro que afirmou que as populações humanas aumentarem à uma taxa geométrica. Ele também estimou que a população humana poderei dobrar em 35 anos, mas logo não teria como ganhar sua subsistência. Ele atribuo essa limitação populacional à fome, doença, guerra, e catástrofes
  10. 10. Quetelet (1835) - era um matemático Belga que afirmou que as populações são estabilizadas pelo balance entre sua potencialidade de crescimento geométrico e sua resistência ao mesmo crescimento que aumenta ao quadrado à taxa de crescimento
  11. 11. Verhulst (1838) - também era um estudante Belga de Quetelet. Ele desenvolveu uma equação para descrever o crescimento populacional. Ele chamou a relação resultante dessa equação a curva "logística". Verhulst avaliou o ajuste desta curva com dados de algumas populações humanas na Europa ocidental. Sua equação caiu no esquecimento até que Pearl e Reed (1920) desenvolveram em forma independente a mesma equação, e posteriormente descobrirem o trabalho de Verhulst numa revisão da bibliografia.
  12. 12. Doubleday (1841) - acreditou que quando uma espécie for ameaçado por falta de alimento, a fertilidade aumentou e mais proles nascerem. Mas, também ele acreditou que quando o alimento é abundante, a fertilidade cai. Doubleday chamou sua teoria "A Verdadeira Lei de População". Suas idéias provavelmente originarão de suas observações dos grupos sociais humanos ricos e pobres, e de certas características das plantas. Doubleday achou que a fertilidade reduzida foi causada por se alimentar demais, mas controlado por algum mecanismo fisiológico direito.
  13. 13. William Farr (1843) - estudou as populações humanas da Inglaterra e encontrou que dentro de limites que a mortalidade aumenta como o raiz sexto da densidade. Pesquisas recentes corroboram os descobrimentos de Farr
  14. 14. *Richard Bradley: produtividade biológica.
  15. 15. Os Romanos (AD 230) tinham tabelas rudimentares de esperança de vida para cobrar parcelas dos custos do enterro. Esperança média foi de 20 a 30 anos.
  16. 16. Alguns cientistas importantes: **Leeuwenhoeck (1632): importância das cadeias alimentares e a regulação das populações. *
  17. 17. Os primeiros conceitos do centro de origem Lineu e Noé Lineu propus em 1744 que os animais ficaram preservados na Montanha de Ararat durante a enchente, em vez do arco, e que dispersaram de ali as outras regiões do mundo.
  18. 18. Carlo Lineu (1707-1778) Sistema da nomenclatura binomial Acreditou inicialmente que as espécies não mudam Observou a hibridização de plantas Produziu formas parecidas a espécies novas Sugeriu que algumas, tal vez a maioria, das espécies de um gênero podem ter originadas após a criação do mundo, por via da hibridização Teorizou que as espécies de plantas podem ser alteradas pelo processo de aclimitazação
  19. 19. Mudança Mudança principal sobre se as espécies são ‘fixas’ Jean Baptiste Lamarck Étienne Geoffroy St. Hilaire Erasmus Darwin
  20. 20. Thomas Malthus (1766 -1834) Demógrafos Populacionais Pioneiros e suas Idéias . Integrou as idéias dos demógrafos anteriores e popularizou-os. . Enfocou nos problemas. . A população humana aumentou exponencialmente mas o suprimento de alimento somente aumentou aritmeticamente: Foi de influencia fundamental para Darwin
  21. 21. Thomas Malthus (1766 -1834) economista e demógrafo. Dois forças principais da natureza instaladas no Homem: fome para a comida e para o sexo An Essay on the Principle of Population(1798)“ A população, se não tem controle, aumenta pela razão geométrica. A comida aumenta somente numa razão aritmética. Um conhecimento básico dos números demonstrará a imensidade da primeira potencia em comparação a segunda.” “Isso implica um controle forte e contínuo sobre a população devido aos problemas de alimentação. Essa dificuldade precisa cair em algum lugar e precisa ser severa para uma porção grande da humanidade.” Começo principal do conceito da “Luta da Sobrevivência” As populações podem crescer em ritmo exponencial enquanto os recursos necessários a essas populações crescem em ritmo aritmético.
  22. 22. *Darwin (1859) e Malthus mudaram a visão aristotélica e a base para essa mudança de pensamento baseou-se nos seguintes fatos: a) muitas espécies foram extintas no decorrer dos tempos; b) existe competição causada por pressão populacional; c) a seleção natural e a luta pela existência são mecanismos evidenciáveis na natureza.
  23. 23. Georges-Louis Leclerc, Comte de Buffon (1707- 1788) Naturalista, biólogo cosmológo e matemático frances. Idéias de Buffon influenciaram as próximas duas gerações de naturalistas, incluindo Jean-Baptiste Lamarck e Charles Darwin. Obra principal: Histoire Naturelle(1749-1778: em 36 volumes, 8 volumes adicionais publicadas após sua morte) Lei de Buffon - considerada como o primeiro princíoio da Biogeografia As espécies devem ter “melhoradas" e "degeneradas" (evoluíram) após sua dispersão do centro de criação Mudança climática deve ter facilitada a disseminação mundial das espécies do centro de origem
  24. 24. *Buffon (1756): princípio básico da regulação ecológica das populações. Lei de Buffon - regiões similares climatalogicamente mas geograficamente separadas tem assembléias bióticas distintas, Sugeriu que o "centro de origem" da biota da Terra ficava no extremo norte quando o clima era mais amenos - as biotas mudaram e diversificaram quando colonizaram ao sul a América do Norte e Eurásia.
  25. 25. O nascimento da ecologia Começando no século 18 ocorre uma transformação da Historia Natural de uma disciplina estática a uma que enfatiza a importância de mudanças espaciais (ambientais) e temporais sobre os organismos
  26. 26. O Começo da Ecologia “Auto- Consciente” Ernst Haeckel 1866– “oekologie” Morphology of Organisms 1893 John Scott Burdon-Sanderson British Association for the Advancement of Science A ecologia foi o campo da biologia igual de nível a morfologia e fisiologia
  27. 27. Enquanto isso... Ernest Haeckel, em 1866 na Alemanha, propôs pela primeira vez o termo ecologia – “Estudo da casa” Ecologia é o estudo de todas as inter-relações complexas denominadas por Darwin como as condições da luta pela existência.” Ou, ainda, a ecologia era “a ciência capaz de compreender a relação do organismo com o seu ambiente.”
  28. 28. Ecologia da auto-consciência 1897 Cadeira de botânica ecológica estabelecida na Universidade de Uppsala 1902 com financiamento do Instituto Carnegie a partir de 1905 Frederic Clements -texto Research Methods in Ecology 1913 Journal of Ecology 1913 Charles Christopher Adams Guide to the Study of Animal Ecology 1916 Ecological Society of America 1920 Ecology
  29. 29. A Ecologia, foi dividida por Schroter, em 1896 em dois grandes ramos: •Auto-ecologia: é o ramo da ecologia que estuda a influência dos fatores externos sobre o animal e/ou vegetal, ou sobre uma espécie determinada. É, por assim dizer, o estudo individual de um organismo, ou de uma espécie, em que é posta em destaque a sua biologia e o comportamento que apresenta na adaptação a um meio determinado. •Sinecologia: estuda os grupos de organismos associados entre si, quer dizer, o estudo das comunidades naturais, incluindo animais e vegetais.
  30. 30. Joachim Frederik Schouw (1789-1852) Universidade de Copenhagen, descreveu o papel de fatores ambientais sobre a distribuição de plantas em 1823, enfatizando o papel da temperatura, e popularizou a idéia do uso do sufixo - etum nos nomes de associações vegetais (exemplo, Quercetum). Primeiro livro compreensivo sobre a geografia vegetal –1822 Papel dos fatores ambientais sobre a distribuição de plantas - temperatura
  31. 31. August Heinrich Rudolf Grisebach (1814-1879) Universidade de Göttingberg. Conceito de comunidades integradas de organismos Inventou o termo "Geobotanik" (geo-botânica) Relação do clima a assembléias vegetais Descreveu mais de 50 formações vegetais globalmente em termos modernos de fisionômicos, relacionando sua distribuição aos fatores climáticos. Primeira revisão global da vegetação com uma mapa de vegetação
  32. 32. Joseph Dalton Hooker (1817–1911) Riqueza de espécies = f (riqueza de habitats) Amigo de Darwin Velejou com Ross Fitogeografia da Antarctica Pontes terrestres Biogeografia de vicarancia Biogeografia de ilhas The Rhododendrons of Sikkim-Himalaya
  33. 33. Carl Georg Lucas Christian Bergmann (1814 –1865) Balance calorífico e tamanho corporal dos animais Regra de Bergmann – entre os mamíferos e aves, os indivíduos de uma espécie de áreas mais frias tendem ter maior massa corporal do que os indivíduos de áreas mais quentes
  34. 34. Constantin Wilhelm Lambert Gloger (1803 -1863) Influencia das condições climáticas sobre as diferencias geográficas entre as espécies Pioneiro no estudo da conservação de aves, especialmente relacionada a legislação Regra de Gloger - dentro das espécies endotérmicas, as formas mais pigmentadas tendem a existir nos ambientes mais úmidos
  35. 35. Mudança Mudanças conceituais grandes respeito a idade da Terra, mecanismos de herança e mudança evolutiva (seleção natural), e o papel do ambiente na evolução das espécies.
  36. 36. Idade da Terra Idade da Terra 3641 BCE – 10 de fevereiro – Maias 4004 BCE – October 23 James Usher in 1658 Data da criação 3926 BCE – 26 de outubro John Lightfoot em 1644 96,670 anos George-Louis Leclercin 1778 Cálculos de idade – experimentos com esferas de ferro – Observou taxas de sedimentação e propus (após a morte) estimativas de até 3 bilhões de anos – 24 –400 milhões de anos William Thomson em 1862 com taxas de esfriamento de terra – Lorde Kelvin
  37. 37. James Hutton (1726 -1797) Pai da geologia moderna Teoria de Uniformitarianismo processos ocorrendo no presente foram os mesmos processos do passado, e serão os mesmos processos futuros Não conformidade de Hutton, Ponto de Siccar, Escócia Arenito vermelho do calcário da Devoniana Ordoviciano
  38. 38. James Hutton (1726 -1797) "...se um corpo organizado não está numa situação e circunstancias melhores adaptadas a sua sobrevivência e propagação, então na concepção de uma variedade indefinida entre os indivíduos da espécie, ficamos seguros de que, de um lado, aqueles que se desviam da constituição de mais adaptação, serão os mais prováveis morrer, e, por outro lado, aqueles corpos organizados, que mais se aproximam a melhor constituição para as circunstancias atuais, serão mas aptos para continuar, na sobrevivência e na multiplicação dos indivíduos de sua raça." – Investigation of the Principles of Knowledge, Volume 2
  39. 39. Charles Lyell (1797 -1875) Uniformitarianismo –“o presente é a chave das extinções passadas + episódios de criação clima, nível do mar e terreno são mutantes – mas não as espécies Dividiu o tempo geológico de acordo a proporção das espécies com conchas recentemente extintas -Pleistocenio, Pliocenio Inferior, Miocenio e Eocenio Ciclo das rochas Obra principal: Principles of Geology (1833) Exemplo da pescoço da girafa
  40. 40. Gregor Johann Mendel (1822- 1884) Herança do atributos em ervilhas Experiments on Plant Hybridization (1866) trabalho redescoberto por Hugo de Vriesand Carl Corrensin em 1900 R. A. Fisher (1918) analisou os resultados de Mendel e encontrou que eram muitos próximos a razão exata de 3 a 1 Pai da genética
  41. 41. Anton Joseph Kernervon Marilaun (1831-1898) Obra bem conhecido por Charles Darwin e Alfred Russel Wallace Jardines de transplantes nos Alpes de Tyrola (300 espécies) – Distinguiu fatores herdados dos causados pelo ambiente – Sucessão vegetal
  42. 42. Alfred Russel Wallace (1823- 1913) “Nesse arquipélago existem duas faunas distintas…mais não existe nada no mapa ou na face das ilhas para demarcar os limites.” Wallace em Cingapura em 1862 propus independentemente uma teoria da seleção natural ““Sobre a tendência de variedades desviar indefinidamente Sobre a Tendência das variedades de desviar indefinidamente do tipo original do tipo original.”” Pai da biogeografia moderna Um dos primeiros da comunidade científica a levantar duvidas sobre o impacto ambiental causado pelo Homem Linha de Wallace - Arquipélago de Malai (1854 -1862) 125,660 espécimes, 1000 espécies novas
  43. 43. Rio Orinoco, Venezuela Viajou por Cuba, México, Columbia, Equador e Peru Coletou quase 60,000 exemplares Escalou até o pico da montanha Chimborazo (6.310 m) •Anotou o zoneamento da vegetação •escreveu Kosmos
  44. 44. Mudanças Mudanças conceituais principais relativas ao papel do ambiente sobre a forma e função dos organismos
  45. 45. Avanços nos séculos XIX e XX Ecologia animal x ecologia vegetal = Ecologia geral Möbius (1877) – noção de biocenose ao estudar uma comunidade de organismos existentes em um banco de ostras. Forbes (1887), Forel (1892) e Thienemann (1926) – pioneiros no estudo da ecologia aquática (limnologia). Tansley (1935) – propôs o ecossistema como unidade básica de estudo da ecologia. 1872 – Yellowstone: primeiro Parque Nacional do mundo
  46. 46. Justus von Liebig (1803- 1873) Descobrimento de nitrogênio como um nutriente essencial vegetal Pai da industria de fertilizantes Lei do mínimo – o desenvolvimento vegetal é limitado por um mineral essencial que tem menos oferta Fatores limitantes
  47. 47. Carl Gottfried Semper (1832- 1893) Anatomia e fisiologia comparativas Obra principal: Animal Life as Affected by the Natural Conditions of Existence(1881) Ecologia fisiológica animal Maneiras fisiológicas para explicar as particularidades da distribuição, adaptação e morfologia
  48. 48. Andreas Franz Wilhelm Schimper (1856 -1901) Primeiro descrever os cloroplastos Apresto é fonte de energia armazenada nas plantas Pai da sinecologia e ecologia vegetal fisiológica Tipos de vegetação Ecologia fisiológica da floresta tropical pluvial Temperatura e umidade e as adaptações morfológicas, enfatizando os atributos morfológicos de valor adaptativo presumido. Obra principal: Pflanzengeographie auf Physiologischer Grundlage(1898) . Enfatizou fatores climáticos e edáficos, usando conceitos de Warming, mas sem citar
  49. 49. Joel Asaph Allen (1838- 1921) Um naturalista destacado ao fim do século XIX – Detalhou dados sobre a variação de atributos – variação geográfica – Conceito inicial de zonas de vida – Ambiente físico, especialmente clima, foi o fator mais importante promovendo a mudança evolutiva – neo-Lamarckiano – Padrões de migração das aves relacionadas a mudanças climáticas iniciadas pelos processos glaciais Um dos primeiros líderes do movimento de conservação
  50. 50. Regra de Allen Membros do gênero Lepus demonstram extremidades progressivamente mais compridas (pernas e orelhas) e corpos menos gordos, desde o Ártico (L. arcticus) até o lebre do deserto do sul (L. alleni),
  51. 51. Johannes Eugenius Bülow Warming (1841 –1924) Primeiro livro da ecologia vegetal Oecologia de plantas: uma introdução ao estudo de comunidades vegetais" (1892) e Plantesamfund(1895) Pai da ecologia vegetal Primeiro curso de ecologia O primeiro fazer perguntas coerentes que ainda dominam os estudos de comunidades: 1. Por que cada espécie tem seu habitat particular? 2. Como as espécies congregam para formar comunidades características?
  52. 52. Organizou o primeiro curso de ecologia e suas aulas foram publicados no primeiro texto de ecologia vegetal; Ele resumiu a morfologia, fisiologia, taxonomia e biogeografia vegetal numa ciência coerente pela primeira vez; Entre seus descobrimentos: (1) o solo tem mais influencia sobre a vegetação do que o clima, (2) a temperatura e umidade são os fatores climáticos principais; (3) inventou muitos termos ecológicos ainda usados (halo-, hidro-, meso-, xerofitas).
  53. 53. Johannes Eugenius Bülow Warming (1841 –1924) Adaptações morfológicas e anatômicas a vários ambientes e concluiu que o solo tem mais efeito do que o clima, e enfatizou a temperatura e umidade como os fatores climáticos principais. Dividiu as plantas em quatro “formas de vida”: hidrófitas, mesófilas, xerófilas e halófilos Geografia ecológica vegetal estudos fitossociológicos no cerrado de MG.
  54. 54. Leonid Ramensky (1884- 1953) Antes das idéias de Gleason e Whittaker – individualidade das espécies e o continuo da vegetação; inventou o termo fitocoenose; expressou a composição da comunidade numa tabela parecida a Braun-Blanquet; anticipou as categorias de r-K e C-S-R de Grime, MacArthur, e Pianka. Ele definiu três estratégias vegetais: violente (=competidoras, estrategistas K); paciente (tolerante ao stress) e exploradores (ruderais, estrategistas r).
  55. 55. Frederick E. Clements (1874-1945) • “Sucessão vegetal: uma analise do desenvolvimento da vegetação” • Comunidade vegetal = um organismo As espécies componentes são interdependentes • Identificou o progresso de estágios seriais da vegetação desde a ocupação de área desnudada a comunidade de clímax – conceito de evolução de comunidade. • O modelo incluiu padrões e mecanismos.
  56. 56. Frederick E. Clements (1874-1945) Formação – unidade maior reconhecível de vegetação, dominantes têm uma fisionomia similar Associação – sub-conjunto da formação Clima – fator chave da vegetação. – Clímax climático (vegetação resultando da perturbação)
  57. 57. Henry Gleason (1882-1975) “o conceito individual da associação vegetal" Sugeriu que cada comunidade é única, resultante aleatoriamente da seleção ambiental de plantas que estão no habitat. – Presencia de indivíduos numa área é aleatória – Variáveis ambientais múltiplos são importantes para o sucesso ou fracasso de uma espécie numa área Esses argumentos formam a base do conceito do contínuo de sucessão (Whittaker e Curtis).
  58. 58. Clinton Hart Merriam (1842-1935) Formado como médico na Universidade de Columbia e foi chefe do e U.S. Biological Survey from 1885-1910. Liderou expedições no oeste dos Estados Unidos e desenvolveu ideais de zonas de vida baseada e latitude e elevação, posteriormente disputado por Daubenmire Fundou a National Geographic Society
  59. 59. Henry Chandler Cowles (1869-1939) “Ecologia dinâmica” Estudou a sucessão em dunas ao redor do Lago Michigan (1898-1911) Enfatizou a natureza dinâmica da vegetação, em vez de uma nomenclatura estática.
  60. 60. Josias Braun-Blanquet (1884-1980). O mais famoso e com maior influencia dos fitossociologos europeus. Desenvolveu métodos de amostragem de comunidades vegetais (relevés), redução de dados (métodos de tabelas), e uma nomenclatura de associações hierárquicas. Cooperou com Rübe para desenvolver uma técnica de sinecologia vegetal (classificação de comunidades vegetais) conhecido como a escola de Zurich e Montpellier de fitossociologia Criou uma estação de pesquisa em Montpellier, França com o nome da Estação Internacional de Geobotanica Mediterrânea e Alpina Técnica mais usada na ecologia vegetal de comunidades durante a maior parte do século 20 na Europa.
  61. 61. As formas de crescimento de Raunkier Christian Raunkier um botânica danes que desenvolveu uma classificação global de formas de vida vegetal baseada na posição da gema invernal da planta que ainda é usado atualmente.
  62. 62. Heinz Ellenberg descreveu os aspectos da vegetação da Europa Central a base das técnicas de Braun- Blanquet.
  63. 63. Jozef Paczoski (1864-1941) Considerado por muitos como o pai da fitossocologia moderna; demonstrou como as plantas modificam o habitat e criam seu próprio micro-ambiente; discutiu o papel da competição, causas de sucessão, papel de fogo, interdependência das espécies em comunidades, gráficos de ordenação direta (1930) a primeira analise desse tipo; fundou o primeiro departamento de fitossocologia do mundo em Poznom, Polônia.
  64. 64. Frederick E. Clements (1874-1945). "Plant succession: an analysis of the development of vegetation" – definiu a comunidade vegetal como um organismo para demonstrar a natureza interdependente das espécies componentes. Seu esquema identificou a progressão de vários estágios seriais desde o chão sem cobertura até a comunidade de clímax. Esse modelo inclui padrões e mecanismos. Henry Gleason (1882-1975). "The individualistic concept of the plant association" – sugeriu que cada comunidade é única, resultado aleatório da seleção ambiental de plantas no habitat. – esses argumentos formam a base para o conceito do contínuo na sucessão.
  65. 65. Conceitos americanos da sucessão Vegetal baseados nas ideias de Clements E Henry Cowles
  66. 66. Dois pesquisadores mais influencias na ecologia vegetal •John T. Curtis, University of Wisconsin •Robert H. Whittaker, Cornell University Analise de gradientes e o contínuo vegetal
  67. 67. Pesquisadores de ponte atualmente: J Philip Grime, University of Sheffield Dave Tilman, University of Minnesota
  68. 68. Pesquisadores de ponte atualmente: Steve Hubbell, University of Georgia
  69. 69. Origens da Ecologia da Paisagem von Humboldt – (1832) descrição de padrões de escala grande que rapidamente foi deslocada conceitos de comunidade sem base espacial Troll - (1950) inventou o termo ecologia de paisagem Watt - (1947 J. Ecology) descreveu os processos de sucessão como arranjos de manchas em vez de uma progressão de comunidades co-evoluidas Europeus – vieram a ecologia de paisagem como uma descrição de fenômenos ecológicos distribuídos no espaço; centrado no Homem e aplicado, sem mecanismo ou conceito, mudando rapidamente América do Norte – originalmente no domínio de manejo da fauna mas adotada a ecologia em 1980
  70. 70. Declínio devagar da aceitação da ecologia de equilíbrio • Carência de explicações satisfatórias dos fenômenos locais usando somente variáveis mensurados localmente • Interesses da Conservação • Manejo e planejamento de escala grande • 1986 Forman e Godron publicaram O texto “Landscape Ecology”, Wiley, NY • A ecologia de paisagem tem suas raízes em qualquer aspecto da ecologia convencional • A ecologia de paisagem proporciona um marco para ligar níveis hierárquicos ecológicos diferentes
  71. 71. Recentemente, quais foram os avanços da ecologia? Década de 60 – surgimento das ONGs (em 1961). Década de 70 – surgem os agentes políticos e estatais. 1972 – 1º Conferência sobre Meio Ambiente Humano (Suécia) 1974– 1º Conf. sobre População e Desenvolvimento (Romênia) Década de 80 – surge o ecodesenvolvimento e desenvolvimento sustentável. 1984 – 2º Conf. sobre População e Desenvolvimento (México) – estabelece que a responsabilidade do controle da natalidade recai sobre os governos de cada país. 1987 – surge o conceito de desenvolvimento sustentável com a publicação do documento Nosso Futuro Comum (ou Relatório Brundtland), elaborado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento.

×