32. falsa piedade

368 views

Published on

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

32. falsa piedade

  1. 1. 1| Apostila –Falsa Piedade Falsa PiedadeNão só pelo desprezo e a crueldade dos inimigos, mas tambémpela indolência, a incoerência, a mornidão e a traição dos amigos eauxiliares. ... Mesmo alguns que parecem desejar que a causa deDeus prospere, hão de mesmo enfraquecer as mãos dos Seusservos, ouvindo, passando adiante e quase crendo nas calúnias,arrogâncias e ameaças de seus adversários. ... Em meio degrandes desânimos, Neemias pôs em Deus sua confiança; aí seencontra nossa defesa também. A lembrança do que Ele tem feito pornós se demonstrará um apoio em todo o perigo. "Aquele que nemmesmo a Seu próprio Filho poupou, antes O entregou por todos nós,como nos não dará também com Ele todas as coisas?" Rom. 8:32. E "seDeus é por nós, quem será contra nós?" Rom. 8:31. Por astutos quesejam os ardis de Satanás e seus agentes, Deus os pode descobrir, eanular todos os seus conselhos. Southern Watchman, 19 de abril de1904. (S.C, 243)Haverá homens e mulheres que desprezam a repreensão, e cujossentimentos sempre se insurgirão contra ela. Não é agradável quealguém nos mostre nossos erros. Em quase todo caso em que se faznecessária a reprovação, haverá alguns que deixarão de considerar queo Espírito do Senhor foi ofendido, Sua causa vituperada. Esses secondoerão dos que mereceram a censura, por haverem sido magoadossentimentos pessoais. Toda essa não santificada compaixão torna osque a manifestam participantes da culpa da pessoa reprovada. Emnove casos de dez, fosse o que sofreu a repreensão deixado sob osenso de suas culpas, haveria sido ajudado a vê-las, sendo assimreformado. Mas os que de forma intrometida e profana secondoem, dão aos motivos do reprovador uma significaçãototalmente errônea, bem como a natureza da repreensão, e assimse doendo pelo que foi repreendido o levam a achar que foirealmente maltratado; e seus sentimentos se insurgem em rebeliãocontra uma pessoa que simplesmente cumpriu seu dever. Os que comfidelidade se desempenham de seus penosos deveres, sob o senso daresponsabilidade para com Deus, hão de receber-Lhe a bênção. Deus
  2. 2. A p o s t i l a – F a l s a P i e d a d e |2requer que Seus servos sejam sempre zelosos em fazer Sua vontade.Na recomendação do apóstolo a Timóteo, exorta-o: "Pregues a palavra,instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, comtoda a longanimidade e doutrina." II Tim. 4:2. (I TS, 343)Aqui, neste mundo, nos últimos dias, as pessoas revelarão que poderlhes afetam o coração e lhes controlam as ações. Se for o poder daverdade divina, ele conduzirá ás boas obras. Elevará o recebedor e otornará nobre e generoso, como seu divino Senhor. Mas se os anjosmaus tomam conta do coração, isto será revelado de várias maneiras. Ofruto será: egoísmo, cobiça, orgulho e más paixões. (I TI, 188)Nenhum temor de causar escândalo, nenhum desejo de amizade ou deaplausos, poderiam levar Paulo a reter as palavras que Deus lhe derapara instrução deles, advertência ou correção. Dos Seus servos hojeDeus requer destemor na pregação da Palavra e na exposição de seuspreceitos. O ministro de Cristo não deve apresentar ao povo apenas asverdades mais agradáveis, retendo outras que lhes possam causarmágoa. Deve ele observar com profunda solicitude o desenvolvimentodo caráter. Se vir que alguém no rebanho está acariciando o pecado,precisa como fiel pastor dar-lhe instrução da Palavra de Deus que seaplique ao caso. Permitisse-lhes ele prosseguirem confiadamente semadvertência, e seria responsabilizado por suas almas. O pastor quecumpre seu alto encargo deve dar a seu povo, fiel instrução sobre cadaponto da fé cristã, mostrando-lhes o que precisam ser e fazer para seapresentarem perfeitos no dia de Deus. Unicamente aquele que é umfiel ensinador da verdade poderá, ao fim de seu trabalho, dizer comoPaulo: "Estou limpo do sangue de todos." Atos 20:26. (AA, 394).Repreendam os pecados ou condenem a vida de amor ao prazer.Sentem-se ofendidos pelas claras palavras dos fiéis servos deCristo, e escolhem mestres que os louvem e adulem. E entre osprofessos ministros há os que pregam as opiniões dos homens em lugarda Palavra de Deus. Infiéis ao dever, desviam os que a eles vão embusca de orientação espiritual. (AA, 505)Posto que a mente finita do homem não seja apta a penetrar nosconselhos do Ser infinito, ou compreender completamente a realizaçãode Seus propósitos, muitas vezes é por causa de algum erro ounegligência de sua parte que tão palidamente entendem as mensagensdo Céu. Com freqüência, a mente do povo, e mesmo dos servos de
  3. 3. 3| Apostila –Falsa PiedadeDeus, se acha tão cegada pelas opiniões humanas, as tradições efalsos ensinos, que apenas pode parcialmente apreender as grandescoisas que Ele revelou em Sua Palavra. Assim foi com os discípulos deCristo, mesmo quando o Salvador estava com eles em pessoa. Seuespírito se havia imbuído da idéia popular acerca do Messias comopríncipe terreno, que exaltaria Israel ao trono do domínio universal, enão compreendiam o sentido de Suas palavras predizendo Seussofrimentos e morte. (Cristo em Seu santuário, 68)O banquete está preparado. O último convite a ser feito deve ir a todasas nações, até aos confins do mundo. Esta é a nossa obra. Osmensageiros devem agora em sentido mais especial clamar: "Ouçamdiligentemente." A mensagem deve sair dos lábios de instrumentoshumanos. Aquele que veio ao mundo proclamar a mensagem foi opróprio Senhor. Então digam ao povo que Cristo veio em forma humana,para que a Sua humanidade tocasse a humanidade, e Sua divindadepudesse apoderar-se da divindade. Seus servos devem estar unidos.Porque de Deus sois cooperadores, diz Ele. "Lavoura de Deus, edifíciode Deus sois vós." I Cor. 3:9. Se Seus obreiros forem trabalhados peloEspírito Santo, uma grande obra pode ser feita. "Obriga a todos a entrar"são as palavras endereçadas aos mensageiros, "para que fique cheia aminha casa." Luc. 14:23. O Senhor quer dizer que Se formos totalmenteconsagrados a Deus, o Espírito Santo trabalhará conosco. (MM, CT, 2)29 de fevereiro.Há o perigo de os homens estarem perdendo de vista as importantesverdades para este tempo, e buscarmos as coisas que sejam novas,estranhas e arrebatadoras. Muitos, se são reprovados pelo Espírito deDeus por meio de Seus representantes autorizados, recusam submeter-se à correção e é-lhes implantada no coração uma raiz de amarguracontra os servos do Senhor que desempenham cargos pesados edesagradáveis. ... Não possuem a coragem moral de fazer as coisasque são para seu especial benefício. Não percebem a necessidade dereforma, e assim rejeitam as palavras do Senhor, e odeiam ao que"repreende na Porta". Isa. 29:21. A própria recusa de atender àsadvertências que o Senhor envia, concede a Satanás toda a vantagempara fazer deles os mais encarniçados inimigos dos que lhescomunicaram a verdade. Manuscrito 92, 1897 (Testemunhos ParaMinistros e Obreiros Evangélicos, págs. 407 e 408).
  4. 4. A p o s t i l a – F a l s a P i e d a d e |4Na comissão dada aos discípulos, Cristo não somente lhes delineou aobra, mas deu-lhes a mensagem. Ensinai o povo, disse, "a guardartodas as coisas que Eu vos tenho mandado". Os discípulos deviamensinar o que Cristo ensinara. O que Ele falara, não só em pessoa, masatravés de todos os profetas e mestres do Antigo Testamento, aí seinclui. É excluído o ensino humano. Não há lugar para a tradição, paraas teorias e conclusões dos homens, nem para a legislação daigreja. Nenhuma das leis ordenadas por autoridade eclesiástica seacha incluída na comissão. Nenhuma dessas têm os servos de Cristode ensinar. "A lei e os profetas" com a narração de Suas própriaspalavras e atos, eis os tesouros confiados aos discípulos para seremdados ao mundo. O nome de Cristo é-lhes senha, distintivo, traço deunião, autoridade para seu modo de proceder, bem como fonte de êxito.Coisa alguma que não traga a assinatura dEle há de ser reconhecidaem Seu reino. (DTN, 826)O evangelho tem de ser apresentado, não como uma teoria semvida, mas como força viva para transformar a vida. Deus deseja queos que recebem Sua graça sejam testemunhas do poder da mesma.Aceita francamente aqueles cuja maneira de proceder mais ofensivaLhe tem sido; quando se arrependem, comunica-lhes Seu divinoEspírito, coloca-os nos mais altos postos de confiança e envia-os aoacampamento dos desleais, para Lhe proclamar a ilimitadamisericórdia. Quer que Seus servos dêem testemunho de que,mediante Sua graça, podem os homens possuir caráter semelhanteao de Cristo e regozijar-se na certeza de Seu grande amor. Quer quetestifiquemos de que Ele não pode ficar satisfeito, enquanto a raçahumana não for reavida e reintegrada em seus santos privilégios defilhos e filhas de Deus. (DTN, 826)Não basta conhecermos e respeitarmos as palavras das Escrituras.Precisamos compreendê-las, estudando-as diligentemente. ... Oscristãos revelarão a intensidade com que fazem isso pelo saudávelestado de seu caráter espiritual. Precisamos conhecer a aplicaçãoprática da Palavra à edificação de nosso caráter individual. Devemos sertemplos santos, em que Deus possa viver, andar e atuar. Nuncadevemos procurar elevar-nos acima dos servos que Deus escolheupara fazerem Sua obra e honrarem Seu santo nome. "Vós todossois irmãos." Apliquemos esta Palavra a nossa própria pessoa,comparando uma passagem com outra. (MM, Exaltai-O 106)
  5. 5. 5| Apostila –Falsa PiedadeA Escritura Sagrada aponta a Deus como seu autor; no entanto, foiescrita por mãos humanas, e no variado estilo de seus diferentes livrosapresenta os característicos dos diversos escritores. As verdadesreveladas são dadas por inspiração de Deus (II Tim. 3:16); acham-se,contudo, expressas em palavras de homens. O Ser infinito, por meio deSeu Santo Espírito, derramou luz no entendimento e coração de Seusservos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e aqueles a quem averdade foi assim revelada, concretizaram os pensamentos emlinguagem humana. (Idem, 118)As igrejas valdenses, em sua pureza e simplicidade, assemelhavam-seà igreja dos tempos apostólicos. Rejeitando a supremacia do papa eprelados, mantinham a Escritura Sagrada como a única autoridadesuprema, infalível. Seus pastores, diferentes dos altivos sacerdotes deRoma, seguiam o exemplo de seu Mestre que "veio não para serservido, mas para servir". Alimentavam o rebanho de Deus, guiando-osàs verdes pastagens e fontes vivas de Sua santa Palavra. Longe dosmonumentos da pompa e orgulho humano, o povo congregava-se, nãoem igrejas suntuosas ou grandes catedrais, mas à sombra dasmontanhas nos vales alpinos, ou, em tempo de perigo, em algumafortaleza rochosa, a fim de escutar as palavras da verdade proferidaspelos servos Cristo. Os pastores não somente pregavam o evangelho,mas visitavam os doentes, doutrinavam as crianças, admoestavam aosque erravam e trabalhavam para resolver as questões e promoverharmonia e amor fraternal. Em tempos de paz eram sustentados porofertas voluntárias do povo; mas, como Paulo, o fabricante de tendas,cada qual aprendia um ofício ou profissão, mediante a qual, sendonecessário, proveria o sustento próprio. (GC, 68)Posto que a mente finita do homem não seja apta a penetrar nosconselhos do Ser infinito, ou compreender completamente a realizaçãode Seus propósitos, muitas vezes é por causa de algum erro ounegligência de sua parte que tão palidamente entendem as mensagensdo Céu. Nos conselhos do Ser infinito, ou compreender completamentea realização de Seus propósitos, muitas vezes é por causa de algumerro ou negligência de sua parte que tão palidamente entendem asmensagens do Céu. Com freqüência, a mente do povo, e mesmodos servos de Deus, se acha tão cegada pelas opiniões humanas,as tradições e falsos ensinos, que apenas pode parcialmenteapreender as grandes coisas que Ele revelou em Sua Palavra.
  6. 6. A p o s t i l a – F a l s a P i e d a d e |6Assim foi com os discípulos de Cristo, mesmo quando o Salvador estavacom eles em pessoa. Seu espírito se havia imbuído da idéia popularacerca do Messias como príncipe terreno, que exaltaria Israel ao tronodo domínio universal, e não compreendiam o sentido de Suas palavraspredizendo Seus sofrimentos e morte. (GC, 344/345)O Senhor detinha o espírito de oposição enquanto Seus servosexplicavam as razões de sua fé. Algumas vezes o instrumento era fraco;mas o Espírito de Deus dava poder a Sua verdade. Sentia-se apresença dos santos anjos nessas assembléias, e muitos eramdiariamente acrescentados aos crentes. Ao serem repetidas as provasda próxima vinda de Cristo, vastas multidões escutavam silenciosas eextasiadas, as solenes palavras. O Céu e a Terra pareciam aproximar-se um do outro. O poder de Deus se fazia sentir em velhos e jovens, enos de meia-idade. Os homens procuravam seus lares com louvoresnos lábios, ressoando o som festivo no ar silencioso da noite. Pessoaalguma que haja assistido àquelas reuniões jamais poderá esquecer-sedessas cenas do mais profundo interesse. (GC, 370)Contudo, o fundamento de Deus fica firme. O Senhor conhece os quesão Seus. O pastor santificado não deve ter o engano em sua boca.Deve ser sincero como a luz. Livre de toda a mancha do mal. Um pastore uma imprensa santificados serão um poder em irradiar a luz da verdadesobre esta geração rebelde. Irmãos, necessitamos de luz, de mais luz.Tocai a buzina em Sião; fazei soar o alarme no monte santo. Ajuntai oexército do Senhor, com coração santificado, para que ouçam o que oSenhor vai dizer a Seu povo; pois Ele tem crescente luz para todos quequiserem ouvir. Armem-se eles e se equipem, e saiam à batalha - emauxílio do Senhor contra os poderosos. Deus mesmo agirá em favor deIsrael. Toda a língua mentirosa há de silenciar. As mãos dos anjosdestruirão os enganosos projetos que estão sendo formados. Osbaluartes de Satanás nunca hão de triunfar. A vitória acompanhará aterceira mensagem angélica. Como o Capitão do exército do Senhorderrubou os muros de Jericó, assim triunfará o povo que guarda osmandamentos do Senhor e serão derrotados todos os oponentes.Que nenhuma pessoa se queixe dos servos de Deus a ela enviadoscom uma mensagem celestial. Não mais busqueis suas falhas,dizendo: "São demasiado positivos; falam muito duramente."Podem falar duramente; mas não é isso necessário? Deus fará
  7. 7. 7| Apostila –Falsa Piedaderetinir as orelhas dos ouvintes que não atenderem à Sua voz oumensagem. Ele denunciará os que resistirem à Sua Palavra. (TM, 410)Ele foi destemido reprovador do pecado. Enquanto pregava ao povo deseu tempo o amor de Deus em Cristo, e insistia com eles paraabandonarem seus maus caminhos, censurava a iniqüidadeprevalecente, e advertia os homens de sua geração de que o juízo cairiasobre o transgressor. Era o Espírito de Cristo que falava por meio deEnoque; aquele Espírito se manifesta não somente em expressõesde amor, compaixão e rogos; não são somente coisas agradáveisque são faladas pelos homens santos. Deus põe no coração e lábiosde Seus mensageiros verdades penetrantes, incisivas como a espadade dois gumes.O poder de Deus que operava em Seu servo era sentido pelos que oouviam. Alguns atenderam à advertência, e renunciaram a seuspecados; mas as multidões zombaram da solene mensagem, econtinuaram com mais ousadia em seus maus caminhos. Os servos deDeus devem levar uma mensagem semelhante ao mundo nos últimosdias, e esta também será recebida com incredulidade e zombaria. Omundo antediluviano rejeitou as palavras de advertência daquele queandava com Deus. Assim a última geração escarnecerá dasadvertências dos mensageiros do Senhor. (PP, 86)Ao tempo em que Sua ira se manifestar em juízos, esses humildes edevotados seguidores de Cristo se distinguirão do resto do mundo pelaangústia de sua alma, a qual se exprime em lamentos e pranto,reprovações e advertências. Ao passo que outros procuram lançar umacapa sobre o mal existente, e desculpam a grande impiedade reinanteem toda parte, os que têm zelo pela honra de Deus e amor pelas almas,não se calarão a fim de granjear o favor de ninguém. Sua alma justaaflige-se dia a dia pelas obras e costumes profanos dos ímpios. Sãoimpotentes para deter a impetuosa torrente da iniqüidade, e assim seenchem de dor e sobressalto. Lamentam diante de Deus o verem areligião desprezada nos próprios lares daqueles que receberam grandeluz. Lamentam-se e afligem sua alma porque se encontram na igrejaorgulho, avareza, egoísmo e engano quase de toda espécie. O Espíritode Deus, que impulsiona a aceitar a reprovação, é espezinhado, aopasso que os servos de Satanás triunfam. Deus é desonrado, averdade tornada de nenhum efeito. (II TS, 65)
  8. 8. A p o s t i l a – F a l s a P i e d a d e |8Não é Deus que cega os homens ou lhes endurece o coração. Envia-lhes luz para lhes corrigir os erros e guiá-los por veredas seguras; é pelarejeição dessa luz que os olhos cegam e o coração se endurece. Muitasvezes o processo é gradual e quase imperceptível. A luz chega até àalma por meio da Palavra de Deus, de Seus servos, ou diretamente porSeu Espírito; mas quando um raio de luz é rejeitado, dá-se o parcialentorpecimento das percepções espirituais, e a segunda revelação daluz é menos claramente discernida. Assim aumenta a treva, até que sefaz noite na alma. Assim se dera com esses guias judeus. (DTN, 322)O aumento da iniqüidade é tal, que multidões se aproximam rapidamentede uma condição em que, em sua experiência pessoal, ficam de talmaneira que é muito difícil alcançá-las com o vivificanteconhecimento da mensagem do terceiro anjo. O inimigo das almasestá operando com maestria a fim de controlar a mente humana; e o queos servos de Deus fizerem, no sentido de advertir e preparar os homenspara o dia do juízo, deve ser feito com rapidez. (Evangelismo 25)Neste tempo de perseguição provar-se-á a fé dos servos do Senhor.Deram fielmente a advertência, seguindo tão-somente a Deus e SuaPalavra. O Espírito divino, atuando em seu coração, constrangeu-os afalar. ... Todavia, quando a tempestade da oposição e vitupério irrompersobre eles, alguns, vencidos pela consternação, estarão prontos paraexclamar: "Se tivéssemos previsto as conseqüências de nossaspalavras, teríamos guardado silêncio." Acham-se cercados dedificuldades. Satanás os assalta com cruéis tentações. A obra queempreenderam parece muito além de sua habilidade para levarem atermo. Estão quase a sucumbir. Foi-se o entusiasmo que os animava;contudo, não podem voltar. Então, sentindo o seu completo desamparo,se refugiam nAquele que é poderoso, em busca de auxílio. (O GrandeConflito, págs. 607-609)Em quem podemos confiar como professores de nossas escolas nosEstados Unidos e nos outros países? Deverão os alunos voltar às suaspátrias depois de anos de estudos, com idéias pervertidas acerca dorespeito, da honra e da reverência que deviam ser dados a Deus, e semse sentirem sob o dever de honrarem os homens de cabelos brancos,os homens de experiência, os escolhidos servos de Deus que têmestado relacionados com a obra de Deus durante quase todos os anosde sua vida? Aconselho a todos os que freqüentam escolas na América
  9. 9. 9| Apostila –Falsa Piedadedo Norte ou em qualquer outro lugar a que não absorvam o espírito deirreverência. Compreendei ao certo por vós mesmos que espécie deeducação necessitais para que possais ensinar outros a obter aptidãode caráter que suportará a prova que em breve sobrevirá a todos quevivem neste mundo. (II, ME, 314)Alguns dos que trabalham na causa de Deus não sabem quando têmum tempo suave. Sofreram tão poucas privações, tão pouco sabem denecessidades, trabalho exaustivo ou contrariedades que, passando beme sendo favorecidos por Deus, e quase inteiramente livres de angústiasde espírito não reconhecem as provações e as acham grandes. Vi que,a menos que tais pessoas tenham espírito de abnegação, e estejamdispostas a trabalhar animosamente, não poupando a si mesmas, Deusas dispensará. Ele não as reconhecerá como Seus servos abnegados,mas suscitará quem trabalhe, não indolentemente, mas com fervor, ereconheça quando desfrutam de bem-estar. Os servos de Deusdeveriam sentir responsabilidade pelo trabalho em prol das almas, echorar entre o alpendre e o altar, clamando: "Poupa a Teu povo, óSenhor!" Joel 2:17. (I TS, 35)

×